Conecte-se agora

Uma disputa sem favoritos

Publicado

em

PODE-SE NO CONTEXTO GERAL, se dizer que um nome tem mais chance de se eleger que o outro, mas nada além disso. A eleição para o Senado, caso seja mantido o atual quadro, será muito dura e sem um amplo favorito. 

O que mais chama atenção e é muito saudável é que, todos os que se apresentaram até aqui como postulantes à única vaga de senador em jogo em 2022, são qualificados.  Só esse quesito na largada é muito bom para o eleitor, que terá um amplo leque de escolha. Alan Rick (DEM), Márcia Bittar (sem partido), Jéssica Sales (MDB), Leandro Costa (Cidadania), Sanderson Moura (PSOL), Mailza Gomes (PP), Vanda Milani (PROS), Jorge Viana (PT), são oito os que se apresentaram para a disputa. 

Não me lembro de uma outra eleição no estado para senador com igual número de candidatos. E todos com qualificação. Dada a largada, e rumo às urnas! 

CENA PATÉTICA

FOI uma cena digna do obscurantismo da Idade Média, é representada por um grupo de negacionistas da ciência gritando contra a vacina e o passaporte sanitário, em frente à Câmara Municipal de Rio Branco. Foi patético.

ATÉ DONA MAROCA SABIA

COLOQUEI várias vezes no BLOG que, a aprovação do projeto que transferiu os funcionários do IGESAC para os quadros da Secretaria Estadual de Saúde, patuscada dos deputados para agradar o governo e os servidores, era um engodo da categoria. O MP, através do Procurador Sammy Barbosa, entrou com procedimento pedindo a nulidade da lei da transposição e vai ganhar. Até a dona Maroca da Sobral sabia que seria este o desfecho da brincadeira. E, que o MP não deixaria o caso barato.

ESTÁ NA CONSTITUIÇÃO

UM CONCURSO para uma entidade privada não se aplica ao serviço público. E, para entrar no serviço público definitivo somente por concurso, é primário em Direito.

LEVADOS AO ENGANO

SE TEM ALGUÉM que está sendo enganado nesta história, estes são os ex-servidores do IGESAC. Faz tempo que a categoria vem sendo tapeada pelos políticos, desde governos passados. Não se brinca assim com as pessoas.

ACABOU COM O MDB

ALGUÉM pode não gostar da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), por qualquer motivo; mas não se pode deixar de reconhecer que ela é uma craque na política. Conseguiu reduzir a pó o império do MDB e do ex-prefeito Aldemir Lopes (MDB), naquele município.

NÃO SE GOVERNA SÓ

O prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, ganhou a eleição, mas não entendeu a política. Foi enfrentar os vereadores e só conseguiu aprovar míseros 1% de poder para remanejar o orçamento. Vai ficar engessado.

É QUEM VAI MANDAR

O AVAL é da direção nacional: quem vai dizer com que cartas o PL vai jogar no estado, é a deputada federal Mara Rocha (PSDB); que deve se filiar no início de abril. Como Bolsonarista da extrema direita radical, ela vai lutar para ter o Bolsonaro no seu palanque, durante a campanha.

EMBOLA O JOGO

SE VAI GANHAR ou não, isso é lá com os eleitores, mas sendo candidata a governadora ou a senadora Mara embola o jogo. Pelo fato da campanha não estar decidida.

REAÇÃO FOI MUITO FORTE

O DEPUTADO federal Flaviano Melo (MDB), nega a conversa, reitera que vai disputar a reeleição e encerrar a carreira; mas o sonho dos que o cercam era vê-lo como vice na chapa do Gladson. A iniciativa sofreu reações fortes de aliados do governador. O Bolsonaro está certo, num ponto: “Vice escolhido por partido, é confusão certa no mandato”. Gladson não escolheu o vice, e passou o governo numa confusão atrás da outra com seu vice.

CULTIVANDO ABACAXI

O GOVERNADOR Gladson tem de ser pragmático. Tem de chegar nas categorias e dizer que a legislação impede contratações este ano por estar no Limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Empurrar com a barriga só infla o problema. Ou é sincero ou ficará com este abacaxi.

COISAS DISTINTAS

DISCURSO que possa configurar como homofobia, é crime previsto em lei. Isso é ponto. O prefeito Bocalom tem de respeitar este limite. Mas lei alguma o obriga a executar um projeto, porque esta é uma atribuição só do gestor.

VOZ MAJORITÁRIA

A MANIFESTAÇÃO do presidente do PT, Cesário Braga, na defesa de que o Jorge Viana dispute o governo em 2022; não é uma voz solitária no partido, nem nos aliados. A última pesquisa, em que o JV aparece bem, reavivou o fogo da pressão para que saia a governador.

LUTADOR DO PT

FALANDO no Cesário Braga, amadureceu muito politicamente, não é mais aquele radical petista, e trabalha para se eleger deputado estadual pelo PT. É um bom quadro, não seria uma banana no parlamento.

FESTA PARA SACUDIR

NA PRÓXIMA sexta-feira a pré-candidata a senadora Márcia Bittar (sem partido) vai fazer uma grande festa de congraçamento das mulheres do PSL. Será no Maison Borges. Apareceu na terceira posição na última pesquisa.

FICA NA DUPLA

COMO PRIMEIRA opção para ser o vice na chapa, está o secretário Alysson Bestene; como segunda opção, a secretária Socorro Neri. É o que diz o governador quando alguém lhe pergunta sobre o seu vice. Deve ficar na dupla.

SONHO DE CONSUMO

O SONHO de consumo do grupo do senador Sérgio Petecão (PSD) é ter a deputada federal Jéssica Sales (MDB), como a sua candidata ao Senado. Acham que ela ganharia muito, pois penetraria no eleitorado da capital, onde o Petecão sempre foi muito forte.

QUAL A DIFERENÇA?

NO SHOW do cantor Gusttavo Lima tinha milhares de pessoas se aglomerando sem máscaras. Qual é a diferença se for realizada a festa popular da virada do ano? Fechar a porteira, depois que ela foi aberta?

ABRA O OLHO, MINORU!

O PROFESSOR Minoru Kinpara não pode desgastar o seu capital político perdendo uma eleição atrás da outra, ainda que bem votado. É bom avaliar disputar um mandato de deputado federal pelo PSDB; que não tem chapa, e com poucas perspectivas de vir a conseguir montar.

SEM MUITA CONVERSA

O EX-PREFEITO Vagner Sales, a maior liderança do MDB no Juruá, é muito firme sobre o papel do MDB, na campanha do próximo ano. Para Vagner, quem estiver ou vier para o MDB, terá de apoiar a Jéssica Sales ao Senado.

ENCOLHIDOS E CALADOS

O ÚNICO prefeito do PP que se manifestou até aqui publicamente no apoio à senadora Mailza Gomes (PP), foi o prefeito Bocalom. O restante está calado e encolhido.

HORA DE COBRAR

SE DE FATO ela terá o apoio do PP para buscar mais um mandato de senadora, está passando da hora dos deputados, vereadores, prefeitos, soltarem um manifesto ao seu favor. Para não passar a impressão que está só.

PROBLEMA DE TODOS

NÃO é só um problema dos pequenos partidos, mas acontece também com as siglas maiores. É de muita dificuldade fechar uma chapa com nove nomes para deputado federal de densidade eleitoral. Formar uma chapa com candidatos sem votos, qualquer um pode montar. O fim da coligação proporcional foi um suplício.

FRASE MARCANTE

“Não podemos fazer grandes coisas nesta terra. Tudo o que podemos fazer são pequenas coisas com grande amor”. Madre Tereza de Calcutá.

Blog do Crica

Disputa para o Senado embola no grupo Palaciano e PSDB lança Beirute ao senado

Publicado

em

O PSDB registrou a Ata da sua convenção com a candidatura do médico e ex-vereador Carlos Beirute, para o Senado. Beirute confirmou no início desta tarde ao BLOG DO CRICA que a sua candidatura se encontra mantida e já está em fase de organização da campanha. “Estaremos viajando está semana para um entendimento com a direção nacional do PSDB, para que a minha candidatura seja chancelada”, disse.

Sobre ser uma decisão isolada, destacou que muito pelo contrário, pois, no fechamento da ata houve o aval dos candidatos a deputado estadual e deputado federal para a sua candidatura a senador. O grande número de candidatos a senador, segundo Beirute, lhe deu mais incentivo para entrar na disputa, pois tem serviços relevantes prestados à sociedade.

O PSDB não se sentiu prestigiado na montagem da chapa majoritária do governador Gladson Cameli, seus dirigentes argumentam que foi quebrado um acordo pelo qual o deputado federal Alan Rick (União Brasil) seria o candidato único a senador e o médico Carlos Beirute (PSDB) o primeiro suplente. Por isso, o lançamento de uma candidatura ao Senado pelos tucanos.

Continuar lendo

Blog do Crica

Caldeirada de mandi ao invés do Senado

Publicado

em

“NÃO TEM ESTA CONVERSA de candidato ao Senado, prefiro a caldeirada de mandi e pirarucu que estou comendo”. Com esta ironia, o deputado federal Flaviano Melo (MDB),  respondeu a pergunta feita pelo BLOG no último sábado, e se encampava o movimento no MDB de torná-lo candidato a senador em substituição à candidatura da Márcia Bittar (PL). 

Da Chácara das Araras, onde mora, Flaviano disse que desautorizava qualquer movimento neste sentido, porque já definiu que disputará a sua última eleição por mais um mandato para a Câmara Federal. 

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), também falou ao BLOG que a chapa do MDB será formada por Mara Rocha ao governo; Fernando Zamora (PRTB) como vice; e Márcia Bittar (PL) para senadora, numa coligação formada pelo MDB-REPUBLICANOS-PL-PRTB. 

“No MDB, o que a Executiva decide está decidido. O MDB precisa fazer alianças para tentar chegar ao poder, do qual há muitos anos estamos afastados. Não terá virada de mesa”, destacou Vagner.

MOVIMENTO EM CURSO

HÁ um movimento em curso junto ao grupo palaciano, para chamar o deputado federal Alan Rick (União Brasil) esta semana e tentar lhe convencer a não disputar o Senado, formando uma unidade em torno da candidatura do ex-deputado Ney Amorim (PODEMOS).

TEMOR PALACIANO

HÁ um temor palaciano que a manutenção da candidatura do deputado federal Alan Rick (União Brasil) ao Senado, poderá favorecer um candidato da oposição, pela divisão de votos com Ney Amorim (PODEMOS), por disputarem votos do mesmo segmento do poder.

PERGUNTA QUE NÃO CALA

A PERGUNTA que mais ouvi depois das convenções regionais, foi a seguinte: “O que levou o Gladson a escolher a Mailza como vice de sua chapa, com quem vinha travando um confronto desde a eleição para a PMRB?”. Não sei, não tenho a menor ideia do motivo.

DANÇOU DE TAMANCO

O PSDB perdeu a disputa pela indicação do primeiro suplente do candidato ao Senado, Ney Amorim (PODEMOS). Num acordo com o PDT, o governador Gladson chancelou a indicação do Rennam Biths para ocupar a suplência. Havia um acordo prévio, quebrado, que o PSDB indicaria este nome. Dançou de tamanco.

PUXADORES DE VOTOS

JÉSSICA SALES, Flaviano Melo, Raphael Bastos e Major Rocha serão os puxadores de votos na chapa do MDB para a Câmara Federal. Na contabilidade do partido está eleger dois deputados federais.

FALOU A COERÊNCIA

O DEPUTADO Luiz Gonzaga (PSDB) foi mantido candidato a deputado na chapa do PSDB. Não fazia nem sentido o veto que a direção queria opor ao seu nome.

O CHORAMINGO ESTÁ GRANDE

ONDE se anda se esbarra no choramingo de candidatos a deputado federal e estadual, já desiludidos que não vão receber os milhões prometidos às suas candidaturas.

LEVA UMA VANTAGEM

TER memória eleitoral em todo estado. Este é um grande trunfo do candidato ao Senado, Ney Amorim (PODEMOS), que como candidato a senador na última eleição ficou conhecido em todos os municípios pela campanha ao Senado, de onde saiu com 115 mil votos.

NEM ENTRE OS MAIS FERRENHOS

NEM entre os mais ferrenhos e otimistas aliados de candidatos ao governo, depois do novo cenário de candidaturas, acredita ainda que, a eleição pode ser decidida no primeiro turno. Antes da entrada no jogo do Jorge Viana (PT) e do Márcio Bittar (União Brasil) o segundo turno não era certo. Deu uma guinada geral.

OLHOS PARA O MINORU

FALANDO ontem com um velho militante do PSDB, este bisou um comentário que, eu já tinha feito neste espaço de que, ou o Minoru Kinpara (PSDB) tem uma votação explosiva, ou partido não elege ninguém. É isso mesmo.

NÃO ME LEMBRO

Jenilson Leite (PSB), Ney Amorim (PODEMOS), Nazaré Araújo (PT), Vanda Milani (PROS), Márcia Bittar (PL), Dimas Sandas (AGIR), Alan Rick (União Brasil) e Sandeson Moura (PSOL). Não me lembro de uma eleição no estado que tenha tido tantos candidatos a senadores.

É BOM PARA A DEMOCRACIA

O MELHOR de tudo no cenário não é este grande número de candidatos, mas olhar para o currículo de cada um é ver que todos têm uma boa qualificação, o que deixa ao eleitor as mais variadas opções para o Senado.

AGUARDAR AS PESQUISAS

DIA 16 começa a campanha nas ruas. Pesquisa não elege ninguém, mas os números dos institutos que vierem depois do fim do mês, já darão um norte da disputa.

NÃO MUDA NADA

PARA o senador Sérgio Petecão (PSD) a entrada em cena das candidaturas do Márcio Bittar (União Brasil) e do Jorge Viana (PT), não mudam nada em relação à sua candidatura ao governo. “Minha conversa é com o povo”, diz um otimista Petecão.

BALANÇADA GERAL

A VOLTA da Jéssica Sales (MDB) para a disputa de mais um mandato de deputada federal, deu uma sacudida geral na campanha no Juruá. Não há muito dúvida de que, ele deverá ser a mais votada naquela região.

CONTINUA OTIMISTA

MESMO com as defecções de aliados da eleição de 2O18, com a entrada de última hora de duas candidaturas fortes, ainda assim o Gladson continua otimista de que pode se reeleger já no primeiro turno.

GUARDEM VAGAS

NÃO FAÇAM previsões de quem vai se eleger deputado estadual só na relação dos candidatos de partidos grandes, tem partido pequeno que conseguiu formar chapas que podem eleger um parlamentar.

JOGAR DINHEIRO PELA JANELA

Todo ano o governo gasta uma fortuna para recuperar os imóveis da EXPOACRE, que como são abandonados, sem vigilância, são detonados. É jogar dinheiro pela janela. Deveria ser feito um projeto envolvendo a ACISA e os empresários, para a manutenção de vigilância permanente no local. E movimentar o ano todo com outras atividades diversas. O Gladson devia se debruçar sobre isso.

É UMA INTERROGAÇÃO

A candidatura Nazaré Araújo (PT) para o Senado só poderá ter o seu potencial medido após ir para o ar a propaganda eleitoral, que a colocará em exposição.

DEVE TER SIDO PESQUISA

COM CERTEZA, não foi apenas pela pressão dos aliados que resolveu sair de última hora para o governo, o Jorge Viana deve ter pesquisas qualitativas que o colocam no páreo com chance.

FRASE MARCANTE

“Viúva om dinheiro é sempre noiva.” Ditado brasileiro. 

Continuar lendo

Blog do Crica

Com Jorge Viana no jogo, eleição ao governo caminha para o 2º turno

Publicado

em

NEM entre os adversários não resta mais dúvida de que a entrada no cenário do ex-senador Jorge Viana (PT) como candidato a governador, deve jogar a decisão da disputa para o segundo turno. Com Gladson Cameli (PP), Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Márcio Bittar (União Brasil), Nilson Euclides (PSOL), David Hall (AGIR) e Mara Rocha (MDB), ficou mais longe a briga pelo Palácio Rio Branco ser liquidada já no primeiro turno.

 Os números das pesquisas devem mudar depois do fim do mês, quando já teremos tido 15 dias de campanhas nas ruas. E, campanhas costumam pregar peças, quem está em cima pode vir para baixo e vice e versa. 

Ninguém comemore e ninguém se sinta derrotado, antes da campanha atingir os grotões dos votos. Porque ninguém é dono desses votos. Ponto.  

JOGOU PIMENTA NA DISPUTA

QUEIRAM ou não, gostem ou não gostem dele, mas o grande fato político do último dia das convenções, ontem, foi o anúncio da candidatura do Jorge Viana (PT) ao governo. Não meçam o JV pela régua do PT, tem votos bem além dos muros petistas. Jogou pimenta na disputa. E embolou o jogo com a chapa que ainda tem o Marcus Alexandre (PT) de vice e a Nazaré Araújo (PT), para o Senado. Será uma chapa muito competitiva.

MELHOR VICE, DISPARADO

SEM dúvida alguma o vice que mais vai agregar de todas as chapas, é o Marcus Alexandre (PT). Seria deputado estadual, com certeza, e entre os mais votados. Abriu mão de uma disputa previsível por uma imprevisível. Colocou o PT acima do interesse pessoal. É para poucos.

SÍNDROME DE PETER PAN

O MDB, no tocante ao debate interno, pelo menos no estado, é orgânico, sem golpismo. A executiva regional reuniu e decidiu, está decidido. Foi o caso da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado da chapa emedebista. Um grupo com síndrome do Peter Pan (o menino que nunca cresceu), ainda tentou melar a escolha, para colocar o Flaviano Melo (MDB) na disputa do Senado. Mas, o próprio Flaviano desestimulou a manobra.

CLAQUE DO VELHO LOBO

A CLAQUE que apoia a candidatura do deputado federal Flaviano Melo (MDB) á reeleição, era a mais animada e numerosa da convenção de ontem do partido. O velho Lobo sabe o caminho das pedras, ele é favorito na busca de novo mandato. Disputa a sua última eleição.

A EMOÇÃO NÃO É BOA CONSELHEIRA

O Alan Rick (União Brasil) é um excelente deputado. Sem dúvida. Mas está sendo muito açodado na sua candidatura a senador pelo União Brasil. Não vai ter paz na campanha. O Márcio Bittar (União Brasil), candidato ao governo, vai exigir seu apoio. Se negar o acionará na justiça por infidelidade partidária. Terá que contratar advogado para se defender. E a sua campanha vai virar um inferno. A prudência é uma virtude. Na política, quando se perde uma batalha (como da vice), se busca outro caminho. Brigar pela reeleição num cenário de paz, seria o ideal. Tem como pedir votos pelo belo mandato que exerceu até aqui. A emoção não é boa conselheira política.

NÃO PODE CONTAR COM O GLADSON

TEM AINDA um ponto que o deputado federal Alan Rick (União Brasil) tem de observar: não poderá contar com o apoio do governador Gladson Cameli, depois que este colocou o Ney Amorim (PODEMOS) no seu colo para o Senado. É um fato que deve ser bem analisado por ele.

PELO PODER, NÃO FOI DAS MELHORES

POR estar no poder, o Gladson poderia ter formado uma chapa majoritária bem mais forte. Este foi o comentário majoritário ouvido ontem nas mais diversas rodas.

CAPITULOU DEPOIS DA VITÓRIA

A SENADORA Mailza Gomes (PP) viveu um personagem surreal nesta história. Impediu o Gladson de detonar sua candidatura a mais um mandato, manteve uma briga contra forças poderosas, venceu, e agora capitulou para ser vice do governador Gladson. Faltou coerência no ato.

E, AGORA, BOCA?

O PREFEITO Bocalom me ligou ontem irritado com uma nota que colocava um membro do seu grupo como defensor da senadora Mailza Gomes (PP) ser vice do governador Gladson. Negou veementemente. Disse que o compromisso com a direção nacional era dela ser candidata ao Senado e não a vice. Feito o registro. Mas, antes de encerrar, uma pergunta: a Mailza Gomes é a vice na chapa do Gladson Cameli: e agora, velho Boca?

DISPUTA SEM FAVORITO

NAZARÉ ARAÚJO (PT), Vanda Milani (PROS), Sanderson Moura (PSOL), Dimas Sandas (AGIR), Márcia Bittar (PL), Alan Rick (União Brasil), Ney Amorim (PODEMOS), Jenilson Leite (PSB). São os candidatos ao Senado. O que se pode dizer, de cara, é que é uma chapa onde não existe um amplo favorito. Será uma disputa acirrada.

PARA QUE LADO VAI O BOCALOM?

NÃO HÁ DÚVIDA de que o fato da senadora Mailza Gomes (PP) ser a vice do Gladson Cameli, não muda uma vírgula do seu apoio ao Petecão para o governo. A Mailza não é mais candidata a senadora. Quem é que, o Tião Bocalom (PP) apoiará agora, para o Senado?

VOLTA DAS VELHAS

NUMA POSTAGEM dura e ferina o candidato ao Senado pelo PSOL, Sanderson Moura, situou a chapa majoritária do PT, só com militantes, como a volta das velhas caras.

DIFERENÇA GRITANTE

QUANDO o PT estava no poder, nas campanhas, todos os militantes iam para as ruas brigar por votos e balançar as bandeiras. Com os comissionados do governo Gladson não é assim, são acomodados. Se viu isso na candidatura da Socorro Neri para a PMRB. O Ney Amorim (PODEMOS), que viveu o momento do PT, vai sentir essa diferença com sua candidatura ao Senado.

TURMA DO PETECÃO EUFÓRICA

QUEM estava ontem eufórica, era a turma de cima da candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo, com o novo cenário para o Senado. Acham que a candidata Vanda Milani (PROS) entra de vez no jogo.

SORRISO ABERTO

QUEM ESTAMPAVA um sorriso aberto ontem na convenção do PT, era o candidato a deputado estadual, Cesário Braga (PT). Diz que, com a saída do Marcus Alexandre do páreo, boa parte do seu espólio virá para a sua candidatura.

CANDIDATURA POSTA

NUM ATO mais com os candidatos a deputado, o senador Márcio Bittar (MDB) teve ontem a sua candidatura homologada para governador; e do deputado federal Alan Rick (União Brasil) para senador.

DEFENSOR NÚMERO UM

O EX-PREFEITO Vagner Sales (MDB) é hoje dentro do partido o defensor número um da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado, na chapa emedebista.

ENTRA COM EXPERIÊNCIA

O presidente da FIEAC, empresário José Adriano (PP), nota-se, está nesta eleição com uma campanha melhor estruturada do que a passada, e pode surpreender dentro da chapa do PP. É uma chapa sem favoritos.

ESTÁ NA BRIGA

O PSB confirmou ontem a candidatura do deputado Jenilson Leite (PSB) ao Senado. A posição do PT de lhe cozinhar em banho-maria, não o demoveu da ideia de continuar na disputa. Resta saber quem o PSB apoiará para governador, depois do rompimento com o PT. 

FRASE MARCANTE

“Há amigos que são como andorinhas: acompanham-nos no verão da prosperidade e voam no inverno das aflições”. Cícero.

Continuar lendo

Acre 01

Grupo de Bocalom defende Mailza como vice de olho na disputa de governo em 2026

Publicado

em

ATÉ o fim desta manhã o governador Gladson Cameli não tinha escolhido o nome para ser seu companheiro de vice na sua chapa. Um nome ventilado é o da senadora Mailza Gomes (PP). Por conta disso já havia no início da manhã uma comemoração antecipada por parte do grupo do prefeito Tião Bocalom.

“A Mailza de vice; o Gladson se afasta para disputar o Senado, e o candidato a governador dela será o nosso velho Boca”, comentou hoje com o BLOG importante figura política ligada ao prefeito Tião Bocalom. O comentário não está fora de contexto. Ambos são aliados inseparáveis. Estiveram juntos na disputa da PMRB; e estiveram juntos contra o movimento de mudar a direção do diretório regional do PP. Nada mais natural que, com a Mailza no poder; ela assumindo, Tião Bocalom seja o candidato do grupo para governador, seu grande sonho.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!