Conecte-se agora

Uma candidatura sem atrelamento

Publicado

em

UM PONTO pode ser pinçado na entrevista de ontem no ac24horas, no programa “Boa Conversa”, dada pela professora Márcia Bittar (sem partido): a sua candidatura ao Senado é para valer e não passa necessariamente pela benção obrigatória do governador Gladson Cameli. 

Foi enfática em não se situar no grupo dos cinco candidatos a senador do grupo palaciano, ao colocar que, se não for a candidata do governador, existem outros nomes disputando o Palácio Rio Branco. 

Ela deixou claro que será candidata com ou sem a benção governamental. Mas, lembrou ao Gladson que, o senador Márcio Bittar (MDB); a quem chama de “Pelé da política acreana”, foi o político acreano que mais ajudou o governo, conseguindo mais de R$1 bilhão para obras no estado. 

Márcia defendeu na entrevista as pautas bolsonaristas, e reafirmou que vai se filiar e será candidata a senadora no partido em que o presidente Bolsonaro estiver filiado. 

Não lhe preocupa, deixou isso claro, que as várias candidaturas ao Senado no campo conservador, podem beneficiar uma candidatura de esquerda. 

A postulante disse que vai focar na sua corrida para o Senado, não importando quem esteja do lado esquerdo. Pode-se ressaltar que, a Márcia Bittar mostrou ser uma candidata que não discute um recuo na candidatura, e tem lado, se posicionando no campo ideológico da direita e do conservadorismo. 

O ruim na política não é de que lado está, mas não ter lado.

ESQUERDA DECIDE CANDIDATOS ATÉ O FIM DO ANO

O DEPUTADO EDVALDO MAGALHÃES (PCdoB), uma das figuras mais lúcidas e influentes da oposição, prevê que o conglomerado de partidos com o viés mais progressista, deverá estar com o quadro de candidaturas majoritárias definidas no estado até o fim do ano, quando as regras que vão reger as eleições de 2022 já estarão conhecidas.

PESQUISA VAI NORTEAR

 Uma ampla pesquisa nos principais municípios deverá ser colocada em campo no decorrer de setembro, para sentir o pulso do eleitor. Sobre os nomes postos até aqui no seu campo da esquerda, Edvaldo disse ontem ao BLOG DO CRICA que, ele vê o ex-senador Jorge Viana (PT) focado em disputar o Senado, mas já admitindo a discussão sobre uma candidatura sua ao governo em 2022. “As pressões que recebe para ser candidato ao governo são muitas em todos os segmentos com os quais conversa”, destacou Magalhães.

CENÁRIO DIFERENTE 

Para o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), o cenário em que deve ser disputado o governo será completamente diferente das pesquisas realizadas até o momento (falhas na metodologia), com novos componentes que vão mudar as relações da disputa.

NÃO SE PODE BANALIZAR O IMPEACHMENT

O foco do argumento do pedido de impeachment que deve ser analisado hoje na Câmara Municipal de Rio Branco, diz respeito no âmago ás acusações de várias mulheres de suposto assédio sexual, praticado pelo secretário municipal de Saúde, Frank Lima. Não tem nada que envolva o prefeito Bocalom neste assunto, ao não ser afastar uma servidora que comandava um procedimento administrativo. Seguiu orientações da Procuradoria Municipal. Não se pode banalizar o impeachment. Os vereadores terão que ter a responsabilidade ao analisar a matéria, na sessão de hoje. O Bocalom foi colocado pelo voto; e se for o caso, na próxima eleição, o eleitor terá o direito de lhe tirar pelo voto. E, não no tapetão.

APENAS A ADMISSIBILIDADE

O QUE será votado na sessão de hoje não será o mérito do impeachment do prefeito Tião Bocalom, mas apenas a admissibilidade de aceitar ou não o pedido em pauta.

SÃO UNS BRINCALHÕES

A energia elétrica vai subir de novo, está previsto outro aumento no preço do gás, o valor da cesta básica com o arroz e feijão de cada dia subiu, aumentou a gasolina e o diesel, e ficam discutindo “voto impresso” e “impeachment” de ministros do supremo, são ou não são uns brincalhões?

UMA DERROTA ATRÁS DA OUTRA

O PRESIDENTE Bolsonaro vem sofrendo uma derrota atrás da outra. O voto impresso foi derrubado no parlamento; o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes foi recusado no Senado; e agora, a PGR indiciou seu aliado Roberto Jeferson, por incitar o crime.

SONHAR, NÃO CUSTA NADA

COM a rejeição quase certa no Senado da volta das coligações proporcionais, vai restar aos deputados federais de partidos pequenos, ou irão disputar a reeleição por um partido grande; ou manterem as suas candidaturas ao Senado. Esqueçam, pois, o sonho de uma candidatura única ao Senado dentro do bloco governista.

SOTERRA AINDA MAIS

SEM coligações proporcionais os partidos nanicos tendem a serem soterrados em sua maioria, o que fortalece os partidos com ideologias. Acabam as siglas de aluguéis.

QUEM É MANCO, PARTE CEDO

O DEPUTADO Jenilson Leite (PSB) é um dos postulantes a disputar o governo que mais tem rodado o estado e feito reuniões, com foco na capital, o maior colégio eleitoral.

OUVIDO DE MERCADOR

OUVI ontem, de um dos deputados que manifestou semana passada, se revoltou com o pouco caso dos secretários com pedido dos parlamentares que, o que acontece é que muitos deles não dão bola nem para o Gladson, cujas determinações suas não são cumpridas.

NÃO TEM NADA DECIDIDO

É TOLICE alguém se jactar que a eleição para o governo, com mais de um ano para a votação, já está decidida. São inúmeros os exemplos de que, quem estava no poder e liderava as pesquisas, acabou sendo derrotado. Cautela não faz mal a ninguém. O jogo acontece na campanha.

TOP NA POLÍTICA

QUEM fez ironia com a brincadeira de que o senador Sérgio Petecão (PSD) só sabe pedir votos e vender gasolina, viu esta semana que o mote é outro. Foi eleito como um dos políticos mais influentes do Congresso Nacional (engloba a atuação de deputados e senadores).

SEM MERCADORIA NA PRATELEIRA

O secretário da SEINFRA, Sirleudo Alencar, estaria vendendo uma mercadoria que não tem na sua prateleira, prometendo trazer o prefeito Mazinho Serafim (MDB), para apoiar o governador Gladson na reeleição.

CAI NA REAL, BOCALOM!

CASO o prefeito Bocalom tenha um pouco de tino de gestão, descarta a ideia fixa de trazer o DEPASA para a PMRB, que será mais uma pauta negativa para seu colo.

PURA SUCATA

A ex-secretária da SECOM, Silvânia Pinheiro, tem um mérito grande na recuperação do parque da geração da Rádio Difusora Acreana. Quando assumiu, ela pegou uma sucata, e conseguiu reaparelhar e modernizar a emissora.

FORA DE COGITAÇÃO

ENCONTRA-SE fora de qualquer cogitação política a hipótese do senador Sérgio Petecão (PSD) e o PT estarem no mesmo palanque no primeiro turno, em 2022. A aliança não seria boa politicamente para ambos. Num segundo turno seria algo muito natural.

FAZ PARTE DO JOGO

As demissões de aliados do senador Sérgio Petecão (PSD) de cargos no governo, não podem ser consideradas como perseguição do Gladson. Na política, se governa com aliados, e não com adversários. Alguma dúvida?

FRASE MARCANTE

“A guerra é feita no momento que se quer. E é terminada quando se pode”. (Maquiavel).

Blog do Crica

Gato escaldado tem medo de água fria

Publicado

em

O GOVERNADOR GLADSON CAMELI (foto) ligou ontem ao BLOG para uma conversa política, e situar os seus próximos passos na corrida eleitoral de 2022. Começou dizendo que não aceitará fazer nenhum acordo político com partidos da sua base para indicar o candidato a vice-governador da sua chapa. “Eu sei o que passei e estou passando por ter aceitado um vice indicado por partido”, ressalvou, referindo-se a escolha do vice Major Rocha, com quem rompeu politicamente. Esticando o assunto, citou como um nome com perfil ideal para a vaga, o secretário de articulação política, Alysson Bestene. “O Alysson é da minha extrema confiança, todas as missões que lhe dei no governo foram cumpridas com lealdade, e tenho certeza de que, ele não me trará problemas caso seja escolhido vice”, complementou. Estas mesmas afirmações, ele fez ontem na reunião com os 10 partidos que integrarão a sua base de apoio, como que num recado explícito. Gladson confirmou ao BLOG que deve fechar o ano com este assunto resolvido, para não estender as especulações. Ao querer um vice da sua confiança, segue à risca o ditado de que: “gato escaldado tem medo de água fria”. Traduzindo o ditado: “novo Rocha, nunca mais”.

PERDEU O PIRULITO
O OUVIR ontem as declarações do governador Gladson sobre o vice, um deputado presente na reunião teceu uma fina ironia com um colega: “ Agora eu sei que, o Gladson vai ganhar a eleição, o Tchê não indicará seu vice”. É que, o Tchê indicou o vice do Marcus Alexandre ao governo; e, o vice da ex-prefeita Socorro. E nenhum dos dois foi eleito.

PORTA ABERTA E DATA CERTA
PARA ATENDER a um pedido da sua base parlamentar na ALEAC, revelou o governador Gladson ao BLOG que, ele estipulou a data de 12 dezembro para que os secretários e ocupantes de cargos de confiança que disputarão mandatos na eleição do próximo ano, apresentem seus pedidos de demissão ou serão demitidos. O único que ficará fora do pacote é o secretário Alysson Bestene, que tem tarefas políticas para cumprir. Só sairá em abril.

OU FICA OU PULA DO BARCO
PARA O GOVERNADOR GLADSON Cameli, se chegou ao momento máximo de definição política: “quem não for me acompanhar na eleição, se defina agora e pule fora do governo”, referindo-se aos que ficam em cima do muro.

MÁRCIA BITTAR, A FAVORITA
SOBRE A QUESTÃO DO NOME PARA O SENADO, não falou explicitamente, mas deu a entender (na política meia palavra basta) durante a conversa com o BLOG, que reconhece ter sido a Márcia Bittar a candidata que mais se fortaleceu politicamente, tendo hoje 10 partidos lhe apoiando; e mostrou inclinação em escolher seu nome.

DEMONSTRAÇÃODE FORÇA
NA REUNIÃO de ontem entre o governador e os 10 partidos que lhe apoiam, coordenados pelo senador Márcio Bittar; Gladson Cameli ouviu do grupo ser a Márcia Bittar o nome que vão apoiar para senadora.

TRABALHO PARA SER SUA CANDIDATA
MÁRCIA BITTAR, ouvida ontem sobre o cenário pelo BLOG, disse que tem o apoio através do senador Márcio Bittar do presidente Jair Bolsonaro, e espera ter também o do governador Gladson Cameli. “Trabalho para isso, sem pressão, tenho 10 partidos me apoiando, e me estruturei para ser a escolhida”, destacou. Ressalvou que há décadas vem trabalhando para candidatos a prefeito, a governador, tendo por isso experiência política para postular uma cadeira no Senado. Descartou aceitar ser vice ou candidata a deputada federal. O foco é o Senado.

NÃO PASSOU DESPERCEBIDO
NÃO PASSOU DESPERCEBIDA na reunião de ontem entre o governador Gladson Cameli e os dirigentes dos 10 partidos que lhe apoiam, uma advertência. “Se não estivermos todos unidos, tenho a opção de ir cuidar das empresas da minha família”. Houve um silêncio na reunião, e os presentes parece que entenderam o recado.

PRECISA CONVERSAR
MAS, antes de definir uma escolha da Márcia Bittar para ser a sua candidata ao Senado, o governador Gladson vai ter primeiro que convencer os demais postulantes à indicação, Alan Rick, Jéssica Sales, Vanda Milani, Mailza Gomes, a retirarem as suas candidaturas para ter candidatura única no grupo.

SALVO-CONDUTO
UM IMPORTANTE secretário do governo está colocando o seu nome para ser o candidato a deputado federal pelo grupo palaciano da região do Juruá. Na verdade, ele quer um mandato como salvo-conduto para seus problemas jurídicos. Foi o comentário ouvido ontem de um deputado.

ADESÃO EM BRASILÉIA
NA REUNIÃO de ontem do governador com os partidos que vão lhe apoiar, o senador Márcio Bittar anunciou o nome da ex-deputada Leila Galvão como integrante do grupo que defenderá no Alto Acre a reeleição de Cameli. Será candidata a deputada estadual pelo REPUBLICANOS.

NOMES DE CANDIDATOS
Jairo Carvalho, Nelson Sales, Élson Santiago, Alysson Bestene, Moisés Diniz, Israel Milani, são nomes de ocupantes de cargos de confiança no governo que disputarão cargos eletivos na eleição de 2022.

MINHA CONVERSA É COM O POVO
O SENADOR Petecão (PSD) diz não estar preocupado com as articulações políticas do governador Gladson, o anúncio de pacotes de obras, afirmando, ser a sua conversa com o povo que se encontra desempregado e sem amparo.

MÁGOA INDISFARÇÁVEL
AMIGO que conversou recentemente com o ex-senador Jorge Viana (PT), diz sentir nele uma mágoa indisfarçável pelo fato de não ter conseguido uma aliança com o senador Petecão (PSD), de quem esperava apoio ao Senado.

GRANDE BLEFADOR
EM RELAÇÃO ao ex-senador Jorge Viana (PT), este sempre blefou na mesa do jogo político, nunca foi candidato ao governo, seu foco sempre foi o de voltar ao Senado.

COMEÇA A MELHORAR
A LIMPEZA das praças e ruas, iluminação pública, é o ponto alto até aqui da gestão do prefeito Tião Bocalon, com o dirigente da Zeladoria, Joabe Lira. E, agora já é visível a ação da PMRB na recuperação de ruas, com um trabalho de tapa-buraco de qualidade.

NADA A COMEMORAR
O DEPUTADO Daniel Zen (PT) comentou em sua página que, os professores não têm muito o que comemorar. E, alfinetou: “é do governo a responsabilidade dos professores do Estado estarem sem reajuste ou reposição de perdas salariais, por mais de 3 anos, e ainda tendo de encarar essa vergonhosa volta às aulas”. O Zen foi um excelente secretário de Educação.

FRASE MARCANTE
“A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes.” Winston Churchill.

Continuar lendo

Blog do Crica

Hora de ver quem tem café no bule  

Publicado

em

EM ELEIÇÕES PASSADAS era muito mais fácil se eleger deputado federal. A legislação permitia se lançar até 16 candidatos, e os partidos podiam se juntar em coligações proporcionais, somar votos, e eleger parlamentares com baixa votação.

Com a lei eleitoral modificada, cada sigla só poderá lançar em 2022, 9 nomes. E destes, tem uma parcela reservada às mulheres. Como o teto para eleger alguém deve ficar entre 53 mil a 57 mil votos, terão que ser candidatos com boa votação, não se pode pegar qualquer um no laço como era comum – mas, ter uma chapa competitiva. 

Quem tiver menos de 10 mil votos não vai aparecer nem na foto. A nova lei é boa, porque vai exigir que cada candidatura terá que se virar só, porque não poderão mais fazer alianças.

 Na eleição para a Câmara Federal, no próximo ano, será a hora de saber quais dos atuais deputados federais terão café no bule. Os caminhos para Brasília ficaram mais estreitos e difíceis.

NOVOS CAMINHOS

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) tem um reduto forte e cativo no Juruá. Tem sido uma presença constante em eventos políticos no Alto Acre e, principalmente, na capital, na busca de novos caminhos, onde é pouco conhecida. Comunicativa, ela vai longe.

NÃO TEM FICHAS

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha não tem fichas para derrubar o senador Márcio Bittar e o deputado federal Alan Rick (DEM), pelo comando da fusão PSL-DEM.

FICHAS NA MESA

O SENADOR MÁRCIO BITTAR vai chegar na mesa de negociação com o governador Gladson, para defender que a Márcia Bittar seja a sua candidata ao Senado, com cinco siglas aliadas. São o PTB-PSC-REPUBLICANOS- Fusão do PSL-DEM, PSDB e SOLIDARIEDADE. São as suas cartas.

EXTREMAMENTE BOLSONARISTA

DOS CANDIDATOS AO GOVERNO em 2022 a deputada federal Mara Rocha (deve ir para o PL) é a única que pode ser chamada de “extremamente bolsonarista”.

ATÉ NAS PAUTAS NEGATIVAS

A DEPUTADA FEDERAL MARA ROCHA esteve sempre ao lado do presidente Jair Bolsonaro até nas suas pautas mais malucas, radicais, antidemocráticas e negativas.

CANDIDATURA DESCOLADA?

O EX-PREFEITO de Senador Guiomard, James Gomes, trabalha sua candidatura para deputado estadual. A  dúvida  no caso é saber se ele apoiará a senadora Mailza Gomes (PP), com quem foi casado por longos anos?

TEMPOS BICUDOS

A FPA teve até 13 partidos na sua composição apoiando as gestões do PT. Fora do poder, a aliança do PT para 2022 terá apenas o conglomerado PCdoB-PSB-PV. O PSOL vai de solo próprio, para o governo como para o Senado.

INVESTIU PESADO

NÃO SE PODE NEGAR que, o governador Gladson investiu pesado em pessoal e equipamentos no sistema de segurança. E, que o secretário Paulo Cézar tem seu mérito nas ações que reduziram os índices de criminalidade.

COMEÇAR A SE PREOCUPAR

O PROFESSOR MINORU KINPARA (PSDB), terceiro colocado na disputa da PMRB, tem de começar a se preocupar com a formação de uma chapa com nomes competitivos, se quiser se eleger deputado federal. Até aqui, o PSDB não tem nem o esboço de uma chapa.

ESPERANDO O RESCALDO

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) pretende antes ver o que virá do rescaldo dos descontentes da escolha do candidato ao Senado do grupo do Gladson Cameli, para definir quem vai figurar na sua chapa para senador.

ARTICULAÇÃO FORTE

QUEM ESTÁ numa articulação forte para deputado estadual é o advogado Eduardo Ribeiro (PSD). Vem de uma família de políticos. O pai, conselheiro do TCE, Valmir Ribeiro, foi deputado estadual pelo MDB. E, seu tio Delegado Messias Ribeiro (MDB), foi prefeito de Brasiléia.

FORTE EM DOIS CENÁRIOS

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) joga em dois cenários para voltar ao protagonismo político no estado. Primeiro é se eleger senador. Não se elegendo, mas o Lula sendo eleito, o JV entra no jogo como ministro. Só vai para o purgatório se não se eleger, e se o Lula não ganhar.

VAI PARA AS URNAS

O PRESIDENTE DO PT, Cesário Braga, que sempre esteve atuando na montagem de chapas do partido, desta feita vai para a briga pelos votos, como candidato à ALEAC.

PASSANDO LONGE

O GOVERNO do Gladson Cameli tem uma oposição que não é omissa, mas bem longe da oposição sofrida pelo tio e ex-governador Orleir Cameli, massacrado na sua honra, principalmente pelo time de parlamentares do MDB.

NA SOMA GERAL, É POSITIVA

A VACINAÇÃO pela prefeitura de Rio Branco teve os seus pontos fora da curva, mas no somatório dos prós e contra, teve mais acertos que erros. Hoje, funciona bem.

SEGURO MORREU DE VELHO

O DEPUTADO José Bestene (PP) não vai ser candidato a deputado federal, como andou ensaiando, disputará a reeleição. É a velha história que, seguro, morreu de velho.

GOLPE NOS NANICOS

A NOVA LEGISLAÇÃO eleitoral foi um golpe duro nos pequenos partidos. Como não haverá coligação proporcional, perderam a importância no jogo. E, se quiserem almejar algo, terão que ter candidatos próprios.

DOIS VÃO PULAR FORA

DOS cinco nomes do grupo do governador Gladson Cameli que estão postulando o Senado, dois deles devem acabar buscando uma reeleição para deputado federal.

SE NÃO FOR BLEFE…..

TENHO ENCONTRADO muitas pessoas que manifestam o voto no ex-prefeito Marcus Alexandre a deputado estadual. Se as intenções forem transformadas em votos, e não for blefe, deverá ter uma votação bem expressiva.

FORA DA POLÍTICA

O MP tem de ser livre. Imoral, pois, este projeto de emenda constitucional que permite a ação de deputados em ingerência na formação do Conselho Nacional do MP.

TEMPO CORRE

ATÉ O MOMENTO, não se tem um movimento claro do governador Gladson Cameli se vai anunciar o seu candidato ao Senado até dezembro, como querem alguns grupos políticos. O tempo corre e continua a indecisão.

CARA PRÓPRIA

PARTIDO que quer crescer não pode ser puxadinho dos grandes partidos. O PSOL vai no caminho certo, quando lança dois nomes qualificados para cargos majoritários. O do advogado Sanderson Moura ao Senado, e do professor Nilson Euclides para o Governo. O resto é com o eleitor.

FRASE MARCANTE

“Brigar por política no atual cenário, é o mesmo que ter crime de ciúmes na zona de prostituição”. Autoria desconhecida.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mãe de todas as batalhas

Publicado

em

OS VOTOS DO JURUÁ são decisivos numa eleição para governador ou senador. A afirmação é certa ou errada? Errada! São importantes, mas não definem quais serão os futuros governadores e senadores. 

A matemática é simples. A soma dos votos do Alto Acre, a saber Senador Guiomard, Acrelândia, Capixaba, Plácido de Castro, Xapuri, Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil anulam os números do Juruá. Não somos nem Sena Madureira, Feijó e Tarauacá.

 Decisivo para os candidatos ao Senado e ao Governo na eleição do próximo ano, continuará sendo Rio Branco, por ser o maior colégio eleitoral do estado. É o centro nervoso em qualquer eleição majoritária. É aqui que será travada a mãe de todas as batalhas na briga pelo Governo e da única vaga para o Senado. O resto é complemento.

CONVERSA FIADA

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) reage com ironia aos boatos de que vai acabar abrindo mão da sua candidatura a governador: “Isso é conversa fiada. Como é que vou desistir se os sinais que vejo em todo estado é de que serei o futuro governador do Acre? Em nenhuma das minhas campanhas fui tão bem aceito como agora. Não sou de me enganar”. Fica feito o devido registro.

POR ENQUANTO, SÓ BOATOS

O DEPUTADO FEDERAL Alan Rick (DEM) rebateu uma live do presidente do PSL, Pedro Valério, de que o senador Márcio Bittar vai assumir a fusão DEM-PSL, e ele continuará no comando das ações partidárias. “Não tem nada definido quanto ao comando. O Pedro Valério quer o Márcio. O time do Democratas quer o Alan. O que tenho dito é que tudo precisa passar pelo consenso local. Em não havendo a Executiva nacional conjunta arbitrará”, afirmou Alan ontem ao BLOG.

TRABALHO CONTINUANDO

ENQUANTO seu lobo não vem, nesta quinta-feira o deputado federal Alan Rick (DEL) fará a entrega de 7 ônibus adquiridos com suas emendas individuais para as Escolas Técnicas e Profissionais do IPTEC.

FORA DE COGITAÇÃO

QUEM APOSTAR que a Márcia Bittar (sem partido) está blefando, desistirá de ser candidata ao Senado, para disputar uma vaga de deputada federal, já perdeu. A sua candidatura ao Senado é um caminho sem volta.

IMPORTANTE, MAS ATRASADO

O BELO trabalho do secretário de Agricultura, Nenê Junqueira, de montagem de um diagnóstico sobre a área agrícola do estado, era para ter sido feito pelo antecessor. Não vai ter tempo para elaborar e aprovar projetos para suprir as carências dos agricultores. 2022 é ano eleitoral. O diagnóstico é importante, mas atrasado.

FATO QUE CONSOLIDA

A REJEIÇÃO ontem pela executiva nacional do PL de uma fusão com o PP, consolida a candidatura da deputada federal Mara Rocha (se filiará ao PL) ao governo. Se houvesse a fusão, teria que brigar com o governador Gladson Cameli pela indicação. Agora, ela está livre.

É COM O ELEITOR

PODE ter candidato ao governo que venha andando no estado igual ao deputado Jenilson Leite (PSB), mais do que ele, não creio. Se vai render votos, isso é lá com o eleitor.

PARTE CEDO

O DEPUTADO JENILSON LEITE (PSB) encampou o velho ditado de que: “Quem tem a perna curta, parte cedo”.

O CENÁRIO É OUTRO

O deputado Luiz Tchê (PDT) foi um craque na montagem de chapa para deputado federal na última eleição, quando elegeu dois parlamentares. Com o fim das coligações proporcionais acabou a água do poço. Tem de formar chapa própria e forte, o que não é fácil, no atual contexto.

DIFICULDADE REDOBRADA

NA ÚLTIMA eleição, cada partido poderia lançar 16 candidatos a deputado federal. Com a nova regra eleitoral só poderá lançar 9. E, tem que ser 9 nomes que juntos somem torno de 53 mil votos, para eleger um.

JV DE QUARENTENA

O EX-SENADOR Jorge Viana deu uma recolhida na língua e não tem falado sobre as ações do PT para a eleição de 2022, sobre sua candidatura e nem qual será a composição da chapa para a ALEAC e Câmara Federal.

DEPOIS QUE VER

O EX-PREFEITO Angelim (PT) é citado sempre como um nome que disputará uma vaga de deputado federal. Tenho minhas dúvidas. O cenário é diferente de quando foi eleito Federal, naquela época o PT estava no poder.

ETERNO PROBLEMA

ENTRA governo e sai governo e não se consegue resolver os problemas no HUERB, que volta a apresentar o dilema eterno de falta de médicos, funcionando com apenas um anestesista. A população é que sofre com a situação.

DADO COMO CERTO

QUE a candidata ao Senado, deputada federal Vanda Milani (PROS), terá o apoio da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), é até lógico; por questões familiares. Não será difícil o prefeito de Assis Brasil, Jerry (PT), também embarcar na mesma canoa.

PULANDO FORA

O VICE-PREFEITO de Cruzeiro do Sul, Henrique Afonso, foi eleito pelo PSD do senador Sérgio Petecão, mas fala-se que, ele tende a disputar uma vaga de Federal pelo PP.

NÃO SEGUE A LOUCURA

A DECISÃO do governador Gladson em sancionar o projeto do deputado Chico Viga (PODEMOS), que obriga as escolas do estado a fornecer absorventes às alunas, mostra a sua visão coerente com a saúde pública. Não seguiu a loucura do Bolsonaro, que vetou medida idêntica.

NENHUMA LUZ

ATÉ agora não há nenhuma luz no fim do túnel que dê a garantia de que o PCdoB vai conseguir formar uma federação com outros partidos, para ter chance de eleger parlamentares. Como alternativa, só a chapa própria.

NÃO ME LEMBRO DE OUTRO

O Pastor da IBB, Agostinho Gonçalves, foi o único que me lembro de que, quando botou a mão num candidato, este foi vitorioso. Elegeu deputados estadual e federal, e colaborou para a eleição de prefeitos. Hoje, está fora da política. Foi o único Pastor que vi com prestígio eleitoral.

FRASE MARCANTE

“FAÇA sempre amigos, as inimizades fazem mal à alma”. Máxima árabe.

  

Continuar lendo

Blog do Crica

Mailza não tem plano  B

Publicado

em

“A SENADORA Mailza Gomes (PP) não tem um “Plano B” para abrir mão de disputar o Senado, para ser candidata a deputada federal ou ser a vice na chapa da reeleição do governador Gladson Cameli”. A informação foi passada ontem ao BLOG por um dos mais influentes assessores da Mailza, que falou nunca ter sido discutido nenhuma das hipóteses alternativas. 

Para a fonte credenciada, não há outro caminho para a senadora ao não ser de ser candidata a um novo mandato, citando ainda que ela tem o aval do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira; está no mandato, é fiel ao projeto do governador Gladson Cameli; tem votado com o presidente Jair Bolsonaro; não havendo assim, argumento para brecar a sua candidatura. 

Sobre a possibilidade da professora Márcia Bittar – também candidata ao Senado – entrar no PP; ressaltou a fonte que, ela pode entrar, mas para enriquecer a chapa de deputados federais, jamais como candidata a senadora pelo PP.  Assegurou que a senadora Mailza Gomes (PP) só tem uma meta no momento, que é de tornar seu mandato mais conhecido e ter assim uma maior interação popular para chegar em 2022, num bom patamar de aceitação.

A CONFUSÃO ESTÁ FORMADA

COM A POSIÇÃO firmada da senadora Mailza Gomes (PP) de não abrir mão de disputar um novo mandato em 2022, a confusão está formada. Não se sabe ainda como é que o governador Gladson vai dissolver o angu até dezembro, com cinco candidatos ao Senado dentro do seu grupo.

PERGUNTA NO AR

ASSESSORES da senadora Mailza Gomes (PP) vêm ingratidão do presidente da Fundação Cultural, o Correinha. Argumentam que, a senadora foi quem mais destinou recursos para a sua pasta, mas ele apoia a Márcia Bittar para o Senado.

APOSTANDO NO ANÚNCIO

O grupo do senador Márcio Bittar, tem nas suas contas que o governador Gladson deverá apontar a Márcia Bittar (sem partido) como a sua candidata a senadora até o final de dezembro. Estão todos apostando neste anúncio.

VERSÃO OFICIAL

SOBRE a entrega de 41 toneladas de alimentos pelo governo, o secretário de Agricultura, Nenê Junqueira, esclareceu ao BLOG que, os produtos foram comprados dos produtores rurais e doados às famílias carentes.

CHAPAS PRONTAS

O dirigente do PROS, Israel Milani, diz já estar com a chapa de deputado estadual completa, com nomes excedentes, já que só poderão ser lançados 25 candidatos. E, a chapa de deputado federal está quase fechada, com previsão de eleger dois deputados. O que facilitou a montagem foi o fato da deputada federal Vanda Milani ser vista como uma política que cumpre sua palavra.

FORA DA META

ESTÁ fora da meta do senador Petecão (PSD) ter o Jorge Viana (PT) como candidato ao Senado numa aliança, tampouco deixar de lançar candidato para lhe favorecer. Uma conversa eventual, só num segundo turno.

JOGANDO PARA 2024

ALIADOS do deputado Jenilson Leite (PSB) focam no desfecho alternativo do parlamentar ser bem votado na capital, e formar base para disputar a PMRB em 2024; isso, no caso dele não ser eleito governador.

UMA EUFORIA

OS PARTIDOS de oposição vivem uma euforia por a gestão do prefeito Bocalon, não ter até aqui decolado. Acham que podem tomar a PMRB na eleição de 20224.

SAIR DA BOLHA

FONTE não se revela. Conversei ontem com um assessor próximo do Bocalon, e este me disse que, ou o prefeito sai da bolha em que governa, descentraliza a sua administração, ou terá dificuldade de encerrar bem o mandato. Tem o tempo ao seu favor, mais de três anos.

NINGUÉM GOVERNA

NINGUÉM governa só uma prefeitura como a de Rio Branco, para cuidar de uma cidade com problemas antigos e maiores do que o orçamento municipal.

GANHAR NA CAPITAL E ALTO ACRE

AS PESQUISAS mostram que o governador Gladson Cameli virá liderando a votação nos municípios do Juruá; e, se os seus adversários quiserem tirar a diferença e levar a eleição para o segundo turno, terão de ganhar na capital, municípios do Alto Acre e Sena Madureira. Havendo segundo turno, em qualquer cenário o Gladson estará nele. A não ser que ocorra um ponto fora da curva. É um quadro que se mostra muito claro.

BOBAGEM INFANTIL

É DA MAIOR infantilidade se dizer que se o Lula ganhar vai implantar o comunismo no Brasil. O Lula na presidência, foi quando mais os banqueiros lucraram. Não voto no Lula, mas é uma bobagem este argumento tosco.

A VOLTA DO CIPÓ

COM os escândalos financeiros nos governos do Lula e da Dilma, a esquerda entregou o poder para o Bolsonaro. E, com a inaptidão do Bolsonaro para ser presidente, ele está dando de volta (as pesquisas mostram) o poder para a esquerda. E, a volta do cipó no lombo de quem deu.

QUEM TEM MAIS INFLUÊNCIA?

O DEPUTADO FEDERAL Luciano Bivar será o presidente do partido que sair da fusão DEM-PSL. O secretário-geral será o prefeito da Bahia, ACM Neto. Ambos já disseram que a nova sigla não apoiará a reeleição de Bolsonaro. Quando vejo uma live do presidente regional do PSL, Pedro Valério, garantindo que a fusão apoiará o Bolsonaro, fica a pergunta: quem tem mais influência? 

NOME FORTE

A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO, Socorro Neri, pode ser um nome forte para a próxima disputa da prefeitura da capital. Perdeu a eleição, mas saiu e continua bem avaliada, o que será reforçado se chegar ao fim da gestão na Secretaria Estadual de Educação, com altos índices de aceitação. É um nome que fica em stand by para futuras disputas.

ULTIMATO AO MDB

O DEPUTADO Roberto Duarte (MDB) diz que deu um ultimato ao MDB: ou forma uma chapa competitiva para deputado federal ou deixa o partido. Quer ser Federal.

SEM PROBLEMA

SOBRE nota na coluna, Duarte falou não ver nenhum problema em apoiar a reeleição do Gladson; de quem diz   ser dele um crítico, mas não adversário político.

ACABOU A BRINCADEIRA

NA próxima eleição não terá mais a brincadeira de deputado estadual se eleger com 3 mil votos. Se o quociente eleitoral for 18 mil votos, para o candidato começar a disputar uma vaga é de 3.600 votos em diante.

QUADRO FORMADO

GLADSON Cameli (PP), Sérgio Petecão (PSD), David Hall (Cidadania), Jenilson Leite (PSB), Mara Rocha (PL), Nilson Euclides (PSOL), são os nomes que disputarão o governo.

O CARGO É JURÍDICO

SOBRE a polêmica envolvendo a nomeação do novo ministro do STF. Não tem que se indicar um nome “terrivelmente evangélico” e nem “terrivelmente católico” e por aí em diante. Não é um cargo religioso, mas sim jurídico. Ninguém vai para o STF fazer culto ou rezar missa.

FRASE MARCANTE

“O ser humano planeja e Deus Maneja”. (Provérbio russo).

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados