Conecte-se agora

Onde passa um boi, também passa uma boiada

Publicado

em

Até aqui o governador Gladson Cameli vem tendo uma conduta correta no enfrentamento da pandemia da Covid-19, tomando todas as medidas preconizadas pelas autoridades mundiais de saúde, como a OMS. Ao ler sua recente declaração de que pode criar um privilégio e transformar a atividade religiosa em atividade essencial, e reabrir os templos, é de se perguntar: o seu cérebro entrou em curto circuito de uma hora para outra? Quer incentivar a aglomeração em plena pandemia? Não basta a falta de consciência da maioria da população, em não seguir o decreto de isolamento social? De forma lúcida, o Padre Mássimo Lombardi se posicionou contra este projeto extemporâneo aprovado na Assembléia Legislativa de reabertura seletiva, o que indica que a Igreja Católica é contra isso ocorrer numa curva ascendente da pandemia. O Pastor Agostinho Gonçalves, da Igreja Batista do Bosque, uma das maiores do Acre, disse ontem ao BLOG DO CRICA que, se deve esperar os casos baixarem para implantar uma medida de reabertura dos templos com todos os cuidados, mesmo lembrando a importância do auxílio espiritual nos momentos difíceis da vida. E quando abrir deve ser dentro de medidas rígidas com normas sanitárias para evitar grandes aglomerações, disse. O MPF já se posicionou em nota contra a criação deste privilégio, sem seguir os ditames da Organização Mundial de Saúde. Deixando claro que ajuizará o fato, se for tornado concreto. Se o Gladson Cameli continuar em curto circuito, passar por cima de tudo e reabrir as igrejas, não poderá impedir que, as outras atividades não essenciais abram as sua portas e mandem o seu decreto de isolamento às favas, porque estará dando motivo a uma desobediência civil. Com a porteira aberta, onde passa um boi, também passa uma boiada, diz um velho ditado, aplicável ao caso.

DERRUBADA NA JUSTIÇA

No Rio de Janeiro o prefeito Marcelo Crivella decretou a revelia do aumento da pandemia, a reabertura das igrejas, e teve a sua medida anulada por uma decisão judicial. A mesma iniciativa judicial pode ocorrer no Acre, se o Gladson Cameli quiser pisotear na pandemia.

O DEBATE NÃO SERÁ ABERTO?

O debate da flexibilização das atividades não essenciais não está programado para depois do dia 15 próximo, quando encerra o prazo do decreto de isolamento? Por qual razão se criar um privilégio para beneficiar um setor? Só pode ser visto sob o prisma do benefício político.

NÚMEROS PULANDO

Os números da pandemia estão pulando. Já são 207 mortes e 7.983 casos de contaminações registrados pela Secretaria de Saúde. E os toscos continuam achando ser uma “gripezinha”.

CENÁRIO GRAVE

E o Acre é um dos cinco estados brasileiros com um quadro grave da pandemia. O nosso estado não está preparado para enfrentar um agravamento maior de contaminações pela Covid-19. Não se pode correr o risco de faltar vagas nas unidades de saúde aos contaminados.

PRIORIDADE É SAÚDE

A deputada federal Vanda Milani (SD) está certa em levar investimentos pelas emendas parlamentares para os municípios do interior, independente do partido do prefeito. Mas não vejo como prioridade destinar cerca de 900 mil reais para a prefeitura de Brasiléia comprar neste momento uma patrulha mecanizada, quando a prioridade numa pandemia é investir na saúde. E se a foto da deputada Vanda e da prefeita Fernanda Hassem for atual, ambas sem máscaras, deveriam se lembrar que como figuras públicas são vistas como exemplo ao povo. 

UM AVIÃO SEM PILOTO

O Brasil está uma loucura! O governo Bolsonaro alardeia uma idéia macabra de recontar os mortos. Voltamos ao obscurantismo da Idade Média. O Ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal baixou norma proibindo a polícia de fazer operações nas favelas para prender bandidos. O crime organizado deve estar agradecido. O país virou um avião sem o piloto.

PAÍS DIVIDIDO

Infelizmente, temos um país dividido pela intolerância, na sua mais grave crise na saúde.

O QUE PESA A FAVOR

O que ainda continua pesando a favor do presidente Bolsonaro, em meio a uma loucura cometida atrás da outra, é que não se conhece uma bandalheira com dinheiro público no seu governo. Ao contrário do que ocorria em governos anteriores, onde era uma marca registrada. O restante é um clima de hospício.

SEM ESTRELISMO

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, vem se conduzindo bem até o momento, agindo sem estrelismos. Os leitos foram aumentados, e a oferta deve ser maior ainda com a inauguração de hospitais de campanha em Rio Branco e Cruzeiro do Sul e triplicou o número de UTIS.

NÃO É A OITAVA MARAVILHA

O atendimento aos portadores da Covid-19 se não é a oitava maravilha do mundo, mas também não é o caos. Faltam médicos e profissionais de apoio, como enfermeiros. Acentuado com desfalque do grupo por contaminação pelo vírus. O importante é não haver omissão da SESACRE. 

CANSADO DE REPETIR

O senador Sérgio Petecão (PSD) diz que está cansado de repetir que é a favor da reeleição do governador Gladson Cameli, e somente numa situação do governador não disputar um novo mandato, é que ele seria candidato ao governo. Fora deste contexto vira boato sem nexo.

NÃO MIRA A PRESIDÊNCIA

O senador Márcio Bittar (MDB) negou ao BLOG mirar a presidência do Senado. Ressalta que mesmo se houver o impedimento do presidente Alcolumbre, no que não crê, ainda assim ele não seria a bola da vez dentro do MDB para a disputa do cargo. Alcolumbre deve ser reeleito.

ESTOU FORA

O Pastor Agostinho Gonçalves, da Igreja Batista do Bosque, que sempre teve participação política ativa, disse ao BLOG que nesta eleição nem só não apoiará candidatos, como também a IBB como igreja, também não terá candidato. “Vou me limitar a ir votar”, revelou Agostinho. 

 SAIU PELA CULATRA

Nada mais importante numa pandemia do que a participação da imprensa na divulgação dos dados. Num momento em que o Ministério da Saúde omite e retarda dados para não sair no “Jornal Nacional”, para se vingar das críticas da Rede GLOBO, longe de prejudicar a emissora, está agindo contra a ciência e a população. E o tiro acaba saindo pela culatra, porque a GLOBO divulga em edição especial, que desperta mais atenção do telespectador. Que coisa louca!

MUITO TRANSPARENTE

No contexto da divulgação dos dados da pandemia no Acre, o governo Gladson tem sido muito transparente ao soltar boletins periódicos com o número de contaminados e dos mortos.

ELEIÇÃO DIFERENTE

A eleição para prefeito e vereador, na capital, não terá somente a peculiaridade do temor de contaminação pela Covid-19, mas também o temor dos candidatos entrarem nos bairros dominados por facções, principalmente, na parte noturna. Daí a importância da rede social.

TRABALHO EFICIENTE

O diretor do PROCON, Diego Rodrigues, conseguiu com a sua posse tirar de fato o órgão da letargia em que se encontrava. Onde há uma denúncia de cobrança de preços abusivos o PROCON sempre se faz presente e toma as providências. O Gladson acertou em nomeá-lo.

QUEBRANDO A BANCA

A grande aposta dos dirigentes do PT era que o governo do Gladson Cameli depois dos primeiros seis meses já estaria atrasando os salários dos servidores. Aposta errada. Vai para o segundo ano pagando a folha em dias, e até antecipando o pagamento do 13º salário, como fará agora em julho.

UMA ALIANÇA QUE DARÁ TRABALHO

A aliança entre o PSDB e MDB, para disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul, com a candidatura do Fagner Sales (MDB) a prefeito dará trabalho para ser derrotada, mostram todas as pesquisas. E, principalmente porque os adversários nem o candidato definiram.

FOI UM PETARDO

A aliança entre PSDB e MDB, em Cruzeiro do Sul, foi um petardo no peito do Gladson

APENAS UMA ILAÇÃO

Não há nada de concreto, é apenas uma tendência sentida dentro do PT pelo BLOG, de que o candidato a prefeito de Rio Branco do partido deve ser o deputado Daniel Zen (PT), um dos melhores deputados da atual legislatura, e um quadro extremamente qualificado ao debate.

O ACRE PRECISA DE VOCÊ

O médico Thor Dantas, um ícone da saúde no combate à pandemia da Covid-19, contaminado pelo vírus e com o quadro agravado, foi numa UTI no ar para tratamento fora do Estado. O Thor é um médico humanista e espera-se que volte logo, o Acre precisa muito do seu serviço.

TUDO MUITO LAMENTÁVEL

Vivendo uma era da intolerância, em que o ódio prevalece com suas cores ideológicas, onde não existe solidariedade com o próximo, em que se mede o outro pelo partido a que pertence, é tudo muito lamentável. Nem a pandemia tocou o coração dos que só odeiam.  São os doentes da alma.  

FRASE MARCANTE

“A consciência é o melhor livro de moral que possuímos, é aquele que devemos consultar mais seguidamente”. Pascal, filósofo francês.

 

Blog do Crica

Critério da Aliança para Senado vai definir candidato a vice e apoio para candidatura a federal

Publicado

em

O PACTO entre os deputados federais Jéssica Sales (MDB), Alan Rick (DEM) e a senadora Mailza Gomes (PP), foi bem além que uma carta de princípios para regular as ações de cada um dos personagens, na disputa do Senado. 

O BLOG tem a informação que foi firmado um acordo entre os três políticos que, as pesquisas devem definir quais serão os candidatos a senador e vice. 

O melhor avaliado seria o candidato ao Senado o segundo colocado o vice, e o terceiro sairia a deputado federal com o apoio de todos os integrantes do pacto. Foi definido ainda que todos respeitarão o que for decidido. O deputado federal Alan Rick (DEM) explicou ontem ao BLOG que o grupo espera já no início do próximo ano chegar com esta decisão até ao governador Gladson Cameli. 

Segundo Alan, a iniciativa teve o aval do governador, que prometeu acatá-la. A medida, segundo ele, tem o objetivo de distensionar o debate sobre as escolhas dos candidatos a senador e a vice na chapa do governador. 

Será uma novela de muitos capítulos. A palavra fica com o protagonista da novela, o governador Gladson Cameli.

NÃO ENTRAM NO JOGO

A CANDIDATA ao Senado, Márcia Bittar (sem partido) e a deputada federal Vanda Milani (PROS) não aderiram ao pacto, que se fechado com sucesso, os exclui. Mas, Márcia e Vanda, segundo já declararam, disputarão o Senado em qualquer que sejam o cenário, e vão brigar por fora por uma indicação para ocupar a vaga de senador na chapa do governador Gladson. Estamos longe de uma definição.

AVAL ZERO

A INFORMAÇÃO de boa fonte é que Márcia Bittar (sem partido) e a deputada federal Vanda Milani (PROS), não vão aceitar colocar os seus nomes no pacto anunciado.

LONGE DE UMA SOLUÇÃO

O QUE se pode dizer de todas essas variantes da disputa do Senado é que, por mais que seja tentado, por mais fórmulas que se apresentem, o grupo palaciano não terá uma única candidatura a senador na eleição de 2022.

MEXIDA QUE VAI SACUDIR

A PRÓXIMA semana vai entrar com um anúncio de uma troca partidária que vai dar uma mexida completa no quadro político, com influência na disputa do Senado.

OUTRA MEXIDA IMPORTANTE

OUTRA mexida importante na próxima semana vai ocorrer em uma das pastas mais importantes do governo, com uma troca que até aqui não se imaginava que pudesse vir a ocorrer. Fato normal na gestão pública.

FONTE SE PRESERVA

COMO as fontes de informação das duas mudanças pediram para manter sigilo até a véspera do anúncio, o BLOG vai manter em anonimato o nome do santo e do milagre.

CANTO DO RINGUE

O MDB no entorno do deputado federal Flaviano Melo (MDB) pressiona o para que o governador Gladson indique o Flaviano como o seu vice. O grupo não tem voto, mas é quem toma as decisões dentro do MDB.

AUTORIZAÇÃO DADA

O DEPUTADO FEDERAL Flaviano Melo (MDB), que tinha declarado que estava fora deste debate e disputaria a reeleição, refluiu e deu aval à iniciativa sobre seu nome.

RASTEIRA NA JÉSSICA

CASO o grupo consiga emplacar o deputado federal Flaviano Melo (MDB) de vice, seria uma espécie de rasteira na candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ao Senado, porque ficaria uma chapa puro-sangue do MDB. E, naturalmente, despertaria reação nos aliados.

BASTIDORES DA TABA

O SENADOR Márcio Bittar (MDB), segundo boa fonte, apoiaria neste caso a indicação do MDB, que em contrapartida anunciaria o nome de Márcia Bittar (sem partido), como candidata a senadora pelo partido. São cenários em ebulição nos bastidores da política da taba.

FAZ PARTE DA POLÍTICA

O PREFEITO Tião Bocalom aceitar indicações de vereadores (desde que qualificadas) para ocupar cargos na PMRB, para a formação de uma base de apoio na Câmara Municipal de Rio Branco, faz parte da política.

PÁ DE CAL

A VOLTA das coligações proporcionais foi tirada do pacote da reforma eleitoral pelo Senado, o que já era o esperado. Os partidos corram agora para formar chapas próprias a deputado federal e deputado estadual.

CAFÉ NO BULE

SEM AS COLIGAÇÕES proporcionais o partido para eleger deputado federal ou deputado estadual, tem que se organizar, só vai eleger quem tiver café no bule.

VOLTO BISAR

COMO A ONDA DE RECLAMAÇÕES contra o péssimo atendimento nos transportes coletivos a cada dia toma corpo (as críticas pipocam nas rádios), volto a bisar que, ou o Bocalom atua firme por mais ônibus, ou vai afundar.

SEM MEDO DE CRÍTICAS

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) vai ser o Relator da privatização dos Correios, uma matéria polêmica bombardeada pela esquerda. Bittar é fiel às pautas do Planalto, não importando que lhe rendam críticas.

FRASE MARCANTE

“Quanto mais envelheço, mais sinto necessidade do trabalho. Ele se torna, pouco a pouco, o maior dos prazeres e substitui as ilusões da vida”. Voltaire.

Continuar lendo

Blog do Crica

A queda do último dos moicanos

Publicado

em

O ÚNICO caroço de farinha que ainda existia na relação política entre o governador Gladson Cameli e o senador Sérgio Petecão (PSD), foi raspado do tacho. O diretor da Cohab-Acre, Pedrinho Oliveira, sobrinho do senador, foi comunicado oficialmente esta semana por emissário do Palácio Rio Branco, que perderá o cargo no fim do mês em curso.

É a queda do último dos moicanos do senador no governo. Os demais cargos de relevância da sua indicação foram todos exonerados. Não chega a ser surpresa, a partir do momento em que Petecão se colocou como adversário do governador, a quem deverá disputar o governo na eleição do próximo ano; sendo assim, é natural que perca os espaços que tinha na administração.

Daqui para frente é o governador Gladson Cameli e o senador Sérgio Petecão (PSD), cada um no seu quadrado político. Só voltarão a se encontrar na campanha pelo governo do estado, nos palanques de 2022.

NATURAL DA POLÍTICA

AS exonerações não devem ser debitadas na conta da perseguição política. Acho que o senador Sérgio Petecão (PSD) entende assim. No momento que fez a opção de disputar o governo, sabia ser este o desfecho natural.

PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA

ATÉ que se tenha uma decisão sobre o processo administrativo a que responde na SEE, deve se aplicar à ex-diretora Denise Santos a presunção constitucional de inocência. É assim que funciona no mundo jurídico.

MUITO GRAVE

É DA MAIOR GRAVIDADE a fala do governador Gladson Cameli de que o Ministério da Saúde deverá suspender o envio de vacinas para o estado. Já foram enviadas mais de 1 milhão de doses, algumas prestes a vencer a validade. Em torno de 257.800 acreanos não tomaram a segunda dose. Há uma falha tremenda de comunicação por parte das prefeituras, que são as encarregadas das vacinações.

SERIA IRRESPONSABILIDADE

NADA VAI JUSTIFICAR se vacinas forem inutilizadas por chegarem a um prazo de validade vencida, e terem que ser descartadas. A responsabilidade será dos prefeitos.

RELAÇÃO INSTITUCIONAL

O PREFEITO de Sena Madureira, Mazinho Serafim, antes de ir para a reunião com o governador Gladson conversou com um dos assessores mais diretos do senador Sérgio Petecão (PSD), que o aconselhou a ir. No que fez certo. A relação é institucional. No próximo ano, cada um procure seu palanque. Não houve recuo no apoio ao senador Petecão.

RESPONSÁVEL DIRETO

O SECRETÁRIO Cirleudo Alencar é quem tem atuado como uma espécie de pacificador nas relações entre o prefeito Mazinho; de quem foi secretário, é o governador.

NÃO MORRE PAGÃO

UMA boa fonte política que conversou recentemente em Brasília com o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, ouviu dele que não aceitará o rifamento da candidatura da senadora Mailza Gomes (PP) na chapa oficial do PP. Quem tem padrinho, não morre pagão.

PLANTANDO PARA COLHER

HÁ também no PP, quem defenda um acordo que passe pela senadora Mailza Gomes (PP) ser a vice na chapa do Gladson. É que, o Gladson se reelegendo, ficaria dois anos; sairia para o Senado, e ela assumiria o restante.

QUESTÃO PESSOAL

SER candidata a um novo mandato, ser uma eventual vice na chapa do governador Gladson, tudo passa por uma questão pessoal. Em última instância, a decisão é pessoal.

CADA UM FAÇA SUA PARTE

A DEPUTADA FEDERAL Vanda Milani (PROS) fez a parte mais difícil que foi conseguir recursos para a prefeitura de Senador Guiomard. A prefeita Rosana Gomes é que deve viabilizar o uso dos recursos. É assim que funciona a coisa. Cada um faz a sua parte e ganha a população.

SE FISCALIZA A APLICAÇÃO

TODO projeto sem vícios jurídicos que implique em trazer recursos para o estado não deve ser brecado na ALEAC. O que se deve é fiscalizar com rigor a sua aplicação.

APOSTA NA RECUPERAÇÃO

O SENADOR Petecão (PSD)tem dito a amigos ter certeza de que o prefeito Tião Bocalom fará boa administração, e será um parceiro importante na eleição de 2022.

CALCANHAR DE AQUILES

O CALCANHAR DE AQUILES da gestão do prefeito Tião Bocalom vem sendo a questão dos transportes coletivos, que atendem mal e é unanimidade nas críticas dos usuários. Isso tem jogado sua popularidade para baixo.

ABRINDO VAGAS

O anteprojeto do deputado Daniel Zen (PT), que garante a determinadas carreiras do serviço público que sejam consideradas de natureza técnico-científica, deveria ser analisado com carinho pelo governo. “Se consideradas, o servidor vai poder acumular dois vínculos funcionais,  e ter um cargo técnico e outro de professor. Ganha o servidor e ganha também a Educação do estado”, enfatizou o Zen.

O ACRE VAI DE DÓRIA

O PSDB vai realizar prévias para a escolha do candidato a presidente do partido. Como vota a executiva do Acre: com o governador de São Paulo, Dória; ou com o governador do Rio Grande do Sul, Leite, Correinha? Fiz a pergunta, e ele respondeu: “Pró-Dória é uma tendência maior”.  

ATAQUE E RÉPLICA

A ATRIZ Global Cristine Torloni, que luta pela causa ambiental, considera a ligação do Acre com o Peru, via Cruzeiro do Sul-Pucallpa, como algo destruidor da natureza. A réplica veio do senador Márcio Bittar (MDB): “Não sabe do que fala e nos prejudica, eternizando a nossa pobreza”.

MONTOU ACAMPAMENTO

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) montou acampamento no Vale do Acre, onde tem visitado vários municípios, conversando sobre a sua candidatura ao Senado. Consolidada no Juruá, Jéssica parte agora para se fazer mais conhecida na capital e municípios da região.

RODADAS DE PESQUISAS

PELO MENOS quatro rodadas de pesquisas encomendadas por partidos estão programadas para o mês de outubro. Vão balizar as tendências para o Senado e Governo.

FRASE MARCANTE

“SEM o grão de areia, não existiriam os grandes desertos”. Ditado árabe.

Continuar lendo

Blog do Crica

PSOL não será puxadinho do PT no Senado

Publicado

em

FOI DECIDIDO no PSOL de que o partido não será um puxadinho do PT na questão do Senado, e vai para a disputa do próximo ano pela única vaga de senador com a candidatura do advogado Sanderson Moura. 

A confirmação foi feita ontem ao BLOG pelo próprio Sanderson. Enfatizou ainda que, embora tenha havido a consolidação da sua candidatura, o PSOL continua aberto ao diálogo, mas sem esperar pela boa vontade e o ritmo do PT. 

Com a decisão fica quase inviável uma aliança com o PT neste campo, já que o partido deve ter no ex-senador Jorge Viana (PT) o seu candidato ao Senado.

 A candidatura do advogado Sanderson Moura vai qualificar o debate. É um renomado advogado criminal e uma figura respeitada na sociedade, além de na vida pública sempre ter tido condutas éticas e democráticas. 

Com este novo cenário passa a ser oito o número de candidatos que sairão na busca da vaga de senador, no próximo ano.

MEDIDA CORRETA

É GRANDE o número de acreanos que não tomaram a segunda dose. Chega a 257 mil o total dos que não completaram a vacinação. E, mais de 200 mil os que não tomaram a primeira dose. Vejo então como uma ajuda no combate à proliferação da Covid-19, o anúncio do governador Gladson Cameli de baixar um decreto para obrigar a apresentação da caderneta de vacinação para entrar nos estabelecimentos públicos, comerciais e religiosos. O que está em jogo é a saúde pública.

FORÇA EXTRA

O SECRETÁRIO da SEINFRA, Cirleudo Alencar, tem feito um trabalho conjunto com o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, de quem já foi secretário municipal.

MUDOU DE MÃOS

O PL, que era comandado no estado pelo grupo da ex-deputada federal Antônia Lúcia, agora será dirigido pelo grupo da deputada federal Mara Rocha (PSDB), cuja filiação à sigla se dará na janela partidária, em março.

PRECISA CRESCER

PARA ser protagonista na eleição do próximo ano o PL precisa crescer, tem apenas um deputado na ALEAC, Vagner Felipe; é, nenhum vereador em Rio Branco.

MAIS QUE PROMESSA

O COMANDO DA PM precisa não só de promessa de que vai investigar supostos maus tratos no treinamento dos novos soldados, mas de providências. São muitas denúncias.

UM DADO PARA O DEBATE

O CANDIDATO ao Senado, Leandro Costa (CIDADANIA), se posiciona contra a reforma administrativa do governo federal, alegando que, o fim na estabilidade do emprego, deixará os servidores nas mãos dos de políticos no poder.

CONTINUA PEREGRINANDO

ALHEIA ao debate sobre quem será o candidato a senador na chapa do governador Gladson, a senadora Mailza Gomes (PP), continua sua peregrinação política conversando com os diversos segmentos da sociedade.

TERCEIRA VIA

O MBL joga com a bandeira de nem Lula e nem Bolsonaro, e trabalha por uma candidatura da chamada terceira via para a eleição presidencial de 2022. É muito difícil que surja apenas um candidato neste nicho.

MUITO IMPROVÁVEL

É improvável que em 2022 venha a ser quebrada a polarização entre o Lula e o Bolsonaro, isso só ocorrerá se   surgir algo novo, um nome que quebre a dobradinha.

CONHECE O JOGO

O DEPUTADO Jenilson Leite (PSB) conhece bem como funcionam as decisões no PT, sabe que o Jorge Viana para o Senado é pacote fechado; por isso, ele avança nas reuniões pelo estado, pondo seu nome para o governo.

NADA DE ESPECIAL

ESTAMOS CAMINHANDO para o final do ano, e até o seu fechamento não deve acontecer nada de especial em torno do debate pelo governo e para senador. As grandes decisões que vão balizar as eleições ficam para 2022.

VOLTANDO NO ASSUNTO

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) voltou a tirar da gaveta o projeto com a sua proposta de isenção de Imposto de Renda para os professores. É de difícil aprovação.

A CONFIRMAR

O PREFEITO Tião Bocalom tem prometido quebrar a tradição de que, no estado as grandes obras têm que ser feitas no verão, notadamente, na zona rural. O Bocalom já perdeu um verão. Aguardar as suas ações nas chuvas.

PARA TODOS OS GOSTOS

Sanderson Moura (PSOL), Márcia Bittar (sem partido), Alan Rick (DEM), Mailza Gomes (PP), Vanda Milani (PROS), Jéssica Sales (MDB), Leandro Costa (CIDADANIA), possivelmente, Jorge Viana (PT). Candidatos ao Senado para todos os gostos. Isso é bom para a democracia.

BEM PIANINHO

OS discursos do presidente Bolsonaro após a sua Carta à Nação, têm sido comedidos, bem pianinhos, sem a virulência do 7 de Setembro. Caiu na real que não é como ele quer. Vivemos numa democracia, não na ditadura.

SEM ESCÂNDALOS

A ESCOLHA da professora Socorro Neri para ser secretária de Educação foi uma das mais felizes do governador Gladson Cameli. Após sua posse, não se ouviu falar mais em escândalos na pasta. Antes, eram constantes.

FRASE MARCANTE

“A passagem do tempo deve ser uma conquista, não uma perda”. (Lya Luftt, escritora).

Continuar lendo

Blog do Crica

Vai que é tua, Jenilson! 

Publicado

em

HÁ DE FATO uma pressão regional nos movimentos de esquerda, para que o ex-senador Jorge Viana dispute o governo em 2022. Mas, é uma pressão pessoal, saudosista dos tempos áureos da FPA, sem avaliar o pró e o contra de uma candidatura no cenário atual, fora do poder, em que enfrentarão duas candidaturas muito bem posicionadas no tabuleiro da sucessão estadual: o governador Gladson Cameli e o senador Sérgio Petecão (PSD).

O JV tem entre os seus tributos ser pragmático, por isso não vai causar admiração se no primeiro mês de 2022 vier anunciar que será candidato à única vaga de senador em disputa. E, mesmo porque, a direção nacional irá nesta direção. A um eventual governo do Lula, ter um governador em um estado pequeno, sem expressão política relevante ou ter um senador para os grandes debates nacionais, a segunda opção é que prevalecerá.

O candidato ao governo da esquerda deve ser mesmo o deputado Jenilson Leite (PSB). Vai que é tua, Jenilson!

JOGO DE ADVINHAÇÃO

TODOS os candidatos ao Senado receberam a promessa do governador Gladson de que serão o candidato na sua chapa da reeleição. Chegará um momento em que, ele, vai ter que resolver esta confusão formada no seu grupo.

QUE MDB É ESTE?

O GRUPO mais próximo do deputado federal Flaviano Melo (MDB) insiste em tê-lo como vice na chapa do Gladson. Resta saber, que MDB é este? Sem o prefeito Mazinho, sem a deputada Meire Serafim, sem o deputado Roberto Duarte, sem o senador Márcio Bittar, MDB vai viver praticamente do nome, aqui no Vale do Acre.

IMBATÍVEL NO JURUÁ

PELAS pesquisas domésticas que vi sobre municípios do Juruá, a candidata ao Senado, deputada federal Jéssica Sales (MDB), virá com grande vantagem daquela região.

NADA BEM

O EX-SENADOR Jorge Viana, é forte na capital e no Alto Acre, mas o mesmo não se pode dizer da sua popularidade no Alto Juruá, onde não aparece bem na disputado Senado.

NENHUMA DÚVIDA

SOBRE o Jorge Viana, vai procrastinar a sua decisão, mas deverá no início do próximo ano anunciar que deverá disputar o Senado. É o que interessa à direção nacional.

ARTICULADA NO BOLSONARISMO

A CANDIDATA ao Senado, Márcia Bittar, tem se mostrado desenvolta na articulação dos movimentos pró-Bolsonaro, no estado. Foi a principal coordenadora da recente grande passeata que aconteceu na capital.

NÃO DECEPCIONA

AS INFORMAÇÕES que se tem destes primeiros oito meses do prefeito Zequinha no comando da prefeitura de Cruzeiro do Sul é que, ele não decepciona na gestão.

O DONO DA BOLA

O PT lembra aquele menino dono da bola, que só dá a bola se for a principal estrela do jogo. Ontem, por não ser protagonista no ato, não participou das manifestações do MBL no país contra o presidente Jair Bolsonaro.

FICOU MUITO CLARO

PELO que tenho lido, o recuo do presidente Bolsonaro com a carta com pedido de desculpa ao STF e ao ministro Alexandre de Moraes, isso aconteceu porque não teve o apoio das Forças Armadas para endurecer o regime, como queria. Os tempos não são mais de ditadura militar.

O CÉU NÃO É AZUL

OS DEPUTADOS Cadmiel Bonfin (PSDB) e Luiz Gonzaga (PSDB) apostavam suas fichas no Distritão ou na volta das coligações proporcionais. Nem uma coisa e nem outra. O PSDB terá dificuldade em montar uma chapa com ambos.

O MAIS ACERTADO

HÁ INDICATIVO de que o prefeito Bocalom poderá refluir em tocar o sistema de água, o que seria um recuo sábio. Devia deixar este porco espinho no colo do governo.

NEM DÚVIDA

POR TER MANDATO FEDERAL, não tenho nem dúvida que, consumada a fusão DEM-PSL, quem comandará a direção regional no estado será o deputado Alan Rick (DEM). Isso fortalecerá seu cacife em negociação para o Senado.

EQUÍVOCO POLÍTICO

É UMA APOSTA errada pensar de que, pelo fato de um prefeito ter sido bem votado, pode transferir estes votos a um candidato ao governo, a deputado ou senador. Voto é a mercadoria de mais difícil transferência na política.

OLHNDO PARA A ALEAC

A VEREADORA Michelle Melo (PDT) mira em disputar uma vaga de deputada estadual em 2022, sua atuação até aqui já a credencia. Pensar em deputada federal é arriscado.

NÃO SE CONFORMAM

OS BOLSÕES bolsonaristas mais radicais não se confirmam com o arrego do presidente Bolsonaro em relação ao ministro Alexandre de Moraes. Desancam o Bolsonaro nos seus comentários sobre esta decisão.

COMENDO PELAS BEIRADAS

NÃO HÁ um final de semana em que o senador Sérgio Petecão (PSD) não esteja num município, numa localidade distante, fazendo política. Petecão come pelas beiradas.

A DEFINIÇÃO É AQUI

A DEFINIÇÃO sobre quem será o futuro senador ou quem vai governar o estado, vai acontecer na capital, o maior colégio eleitoral. Nas demais regionais é complemento.

FRASE MARCANTE

“O ocioso é como relógio sem ponteiros; inútil se caminha ou se está parado”. (Wiliam Cowper)

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados