Conecte-se agora

Amor e política

Publicado

em

“Um inimigo é muito: cem amigos é pouco”. Abro o BLOG DO CRICA com este ditado alemão, para dizer que, já passou da hora do governador Gladson Cameli (foto) sair do olho do furacão em que está se transformando a sua administração. Ou vai terminar isolado. A troca de acusações com adversários, em nada colabora para melhorar a imagem do seu governo. O que o Gladson deveria fazer era centrar todo o potencial em mostrar o seu perfil de conciliador, de alguém que respeita a liberdade de expressão, do muito que fez até aqui no combate a pandemia, de reconstruir pontes quebrada na eleição municipal, enfim falar de coisas boas do seu governo. Será que alguém ainda não fez as contas para o governador, e mostrou que, a “CPI da Educação” só existe porque cinco deputados que foram da sua base de apoio na ALEAC, assinaram a peça inicial da CPI? Isso mostra que, ele está perdendo aliados. A oposição não tem assinaturas necessárias para abrir uma CPI. Sei que já foi pedido a ele por alguns assessores centrados mais próximos, que não responda a mais a nenhum ataque, porque não existe nada melhor para desativar uma briga do que dar a resposta como silêncio. Quem tem que responder por atos supostamente ilegais praticados em algumas secretarias, é quem os praticou, mas ao que indica tem procurado ouvir o lado mais belicoso do seu governo. Certa feita – faz muito tempo que não falo com ele – o Gladson reclamou que estava ficando sem paz para governar. Mas, quem tem de buscar a paz é o próprio. Basta sair de foco e pedir que os seus assessores também saiam. Quando fica se respondendo de forma direta ou indireta ao vice-governador Major Rocha, a outros adversários políticos, é tudo que estes adversários querem, para criar novos capítulos da briga. A briga política tem que ser travada no seio da Assembléia Legislativa entre a sua base de apoio e a oposição. O que acontece é que o governador Gladson Cameli é ansioso, fala sem medir as consequências políticas, não sabe se conter, e tem um grave defeito: não ouve sugestões boas, e se as ouve, esquece de colocar em prática. As brigas com o vice Major Rocha, com o senador Sérgio Petecão, deputados, prefeitos, e outros políticos, como não existe mais retorno para uma conciliação deveriam ser esquecidas, e seguir o jogo. Ou vai terminar a sua gestão num confronto eterno sem um sentido prático.

AMOR E POLÍTICA
A PREFEITA de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), não mais será candidata á Câmara Federal em 2022, ficará na prefeitura para apoiar o namorado Israel Milani (SD) a deputado federal. Neste caso, a tendência é deixar o PT.

NÃO DARIA GAME
O PT é rígido na questão da fidelidade partidária, não aceitaria a prefeita Fernanda (PT) apoiar um candidato de direita, em detrimento das suas candidaturas naturais.

SITUAÇÕES DIFERENTES
A PREFEITA Fernanda Hassem (PT) candidata a deputada federal é uma coisa, seria forte; a outra é apoiar o namorado, sem vínculo com o município, sem uma base eleitoral, e que seria um estranho no ninho. Não existe nada mais difícil na política, que a transferência de votos.

PROS MUDARÁ DE MÃOS
O BLOG tem informação de que a executiva regional do PROS mudará de mãos, o grupo da deputada federal Vanda Milani, hoje no SD, assumirá o comando da sigla.

LEVARÁ O NOME
O PRESIDENTE do PROS, Francisco Deda, disse ontem ao BLOG de que, até o momento não recebeu nenhuma comunicação da direção nacional, mas se acontecer, sairá do PROS com todos os vereadores, a deputada Maria Antonia, os dois vice-prefeitos, e vai para outra sigla.

MERCADORIA COBIÇADA
UM MANDATO de deputado federal é moeda de valor de troca, em Brasília, não duvido que a deputada federal Vanda Milani (SD) barganhe a ganhe o PROS, mas levará só o nome da sigla. Haverá uma debandada geral.

APOSTAR PERDE
QUEM apostar que o senador Petecão (PSD) não será candidato ao governo em 2022, esqueça: ontem, estava em andanças políticas por Assis Brasil e Brasiléia, junto com o prefeito de Sena Madureira, Mazinho (MDB).

DISCURSO DE CANDIDATO

O DISCURSO do senador Sérgio Petecão (PSD) nas reuniões que vem realizando nos municípios do interior, é centrado na disputa do governo em 2022. Não há dúvida sobre seu foco para o próximo ano.

PERDEU A ESPERANÇA

O governador Gladson perdeu a esperança de manter a aliança de 2018 com o senador Sérgio Petecão (PSD), ontem, demitiu mais um da cota do Petecão no governo.

ESPERAVA OUTRO CENÁRIO

ONTEM, falei com um influente amigo no governo, e este se disse decepcionado com o MDB, que ganhou duas secretarias, e trouxe para o governo um pedaço da sigla.

TINHA CANTADO A PEDRA
QUANDO SE INICIARAM as conversas cantei a pedra aqui neste espaço que a direção do partido tinha vendido ao Gladson uma mercadoria que não tinha na prateleira, o MDB desembarcar em peso no seu governo. E, acertei!

ESTRADA DO PÓ
NÃO HÁ UM ARGUMENTO forte para a construção de uma estrada para devastar a Serra do Divisor, quem já é chamada de “Estrada do Pó”, por ligar o Juruá a uma região do Peru, que é uma grande produtora de cocaína.

NOVO COMANDO
PELA INFORMAÇÃO que o BLOG tem, a deputada federal Mara Rocha (PSDB) e seu grupo não só se mudará para o PL, mas assumirá o comando da sigla, que sairá da esfera de influência da ex-deputada federal Antonia Lúcia.

ALTAMENTE CONVICTO
QUEM CONVERSA com o senador Márcio Bittar (MDB) sente nele uma convicção forte de que a sua ex-mulher Márcia Bittar será a candidata ao Senado na chapa do governador Gladson Cameli. Deve ter ouvido a promessa.

UM MISTÉRIO
O QUE DESPERTA curiosidade é como é que, ambos vão convencer a senadora Mailza Gomes (PP), que está no mandato, é presidente do PP, e tem o apoio da nacional.

APOIO CERTO
SENDO candidata á reeleição, a senadora Mailza Gomes (PP) tem um apoio certo, o do prefeito Tião Bocalon, que só foi candidato á PMRB graças a firmeza da senadora.

FUNCIONANDO SEM CRÍTICAS
SE TEM um setor da prefeitura de Rio Branco que vem funcionando bem é o da coleta de lixo, que era feito de forma impecável na gestão anterior, e continua também na administração do prefeito Tião Bocalon.

ERRO DE ESTRATÉGIA
O GOVERNO deveria centrar a sua ação em reforçar no decorrer da “CPI da Educação,” que os erros cometidos foram de responsabilidade exclusiva de servidores, é não tem como vincular o governador Gladson aos fatos. É um erro de estratégia amador rebater uma CPI com outra.

NÃO SEI O MOTIVO DO FUROR
NÃO ENTENDO o motivo de tanto furor na base do governo. Em nenhum dos graves escândalos registrados na Educação, em nenhum o Gladson Cameli foi citado.

ISSO É PREOCUPANTE PARA O GOVERNO
NO QUE O GOVERNO deveria centrar as suas preocupações, é no fato de que, cinco deputados que eram da sua base de apoio, estarem validando esta CPI.

A POLÍTICA SEMPRE ENSINANDO
A POLÍTICA, sempre tem algo a ensinar de novo: quem é que diria que, o presidente Bolsonaro, com seus arroubos de “nova política”, iria procurar o velho cacique José Sarney, que representa como ninguém a “velha política,” e pedir apoio na “CPI da Pandemia”, que corre no Sendo?

SEM RELAÇÃO

O QUE HÁ entre o vice-governador Rocha e o governador Gladson, é uma briga política. Nada mais do que isso. Não há a mínima brecha para se aventar que isso termine em alguma tragédia, como no caso Edmundo Pinto.

NÃO SERÁ A ÚLTIMA​
NÃO É a primeira e nem será a última vez que dois aliados rompem politicamente, e o que vem em seguida são desfechos naturais da crise, que é prejudicial a ambos.

PAUTAS POSITIVAS
AGORA, o governo tem de sair desta pauta de bate-boca, porque esta estratégia, além de ser um equívoco, só alimenta o adversário. Não se apaga fogo com gasolina.

PESQUISA VAI NORTEAR
UMA pesquisa ampla em todos os municípios deverá ser feita pelo PT, em outubro, para sentir a viabilidade de uma candidatura do Jorge Viana ao governo em 2022. Se der liga, poderá ser o plus para o JV disputar o governo.

NÃO SE PRONUNCIA
O SENADO Petecão (PSD) se recusa a falar sobre a demissão dos seus indicados em cargos no governo, mas promete sair do mutismo assim que, os poucos do seu grupo ainda no governo sejam demitidos. “Minha fala tem hora certa”, disse ontem Petecão ao BLOG.

FRASE MARCANTE
“A panela cozinha a comida e o prato recebe todas as honras”. Ditado iídiche.

Blog do Crica

Salada de alho com bugalho

Publicado

em

NA POLÍTICA, quem fica pulando de galho em galho acaba por se espatifar no chão. Existem situações que não dão para contemporizar. Por exemplo, no Acre, o presidente do PSDB, Manoel Pedro, o Correinha, e os dois deputados estaduais tucanos; integram o grupo bolsonarista comandado pelo senador Márcio Bittar, que vai coordenar no estado a campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Em São Paulo, estes tucanos fizeram coro com o slogan: “O Acre é Dória”. Dória será candidato a presidente pelo PSDB. Afinal, quando os tucanos acreanos de alta plumagem falam a verdade: aqui, ou em São Paulo? São Bolsonaro ou Dória? Ou é um ou é outro. O mesmo acontece com o PDT. Seu principal dirigente no estado, o bem articulado deputado Luiz Tchê (PDT), foi citado esta semana como integrante do bloco bolsonarista do senador Márcio Bittar, que tem como candidata ao Senado a bolsonarista de carteirinha Márcia Bittar. Só que, o PDT tem como candidato a presidente o Ciro Gomes (PDT); um adversário ferrenho do Bolsonaro. Esta é uma equação ideológica que não bate. Os principais dirigentes nacionais da fusão PSL-DEM, ACM Neto e Luciano Bivar, já declararam que o partido que sair da fusão não apoiará a reeleição do Bolsonaro. A fusão no estado ou será comandada pelo senador Márcio Bittar ou pelo deputado federal Alan Rick. Vão apoiar o Bolsonaro ou o candidato a ser lançado por esta fusão? Diz a lei da Física que, dois corpos não cabem no mesmo espaço. Como vai terminar esta bagaça? É a pergunta que fica.

POUCOS SABEM
COSTUMO DIZER que, as paredes têm ouvidos. Dias antes da última reunião do Gladson Cameli com os dirigentes dos 10 partidos que apoiarão a sua reeleição, o mesmo fez um convite formal e oficial para a Márcia Bittar ser a vice da sua chapa. Márcia agradeceu gentilmente, e disse que o seu foco único para 2022 é disputar o Senado.

ESTAVA MORTA A COBRA
TIVESSE a Márcia Bittar aceitado o convite, a questão da escolha do candidato ao Senado do grupo do Gladson estaria hoje solucionada; e, esta cobra estaria morta.

ERA QUESTÃO DE TEMPO
QUEM ACOMPANHA este BLOG lembra que por diversas vezes comentei que, por ter menos prestígio no MDB que o vigia do prédio do diretório regional o senador Márcio Bittar deixaria o partido. E, acertei. Além deste fato, o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, nunca teve a mínima simpatia pelo Bittar, pelo contrário. Tanto é que impediu o MDB de entrar no grupo de partidos que estão sob a órbita do Márcio. É uma briga bem antiga. E, cujas feridas nunca foram saradas.

UNIÃO NATURAL
NUM EVENTUAL lógico segundo turno para o governo na eleição de 2022, será natural que o Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Jenilson Leite (PSB) e Mara Rocha (se filiará ao PL) estejam juntos. Será uma frente anti-Gladson Cameli.

POSIÇÃO REGISTRADA
O EX-PREFEITO de Senador Guiomard, James Gomes, mandou postagem ao BLOG para dizer que, em que pesem as questões familiares; ele e sua irmã, prefeita de Senador Guiomard, Rosana Gomes; apoiarão a senadora Mailza Gomes (PP) para mais um mandato. Também confirmou a sua candidatura a deputado estadual.

NÃO APOSTARIA NISSO
UM AMIGO do alto escalão do governo comentou ontem num papo em um supermercado da cidade, que estou errado quando coloco que a deputada federal Vanda Milani (PROS) não recuará. Falou que, na hora “h”, retira seu nome. Eu, escutei, mas não apostaria na desistência.

DAVID HALL, FIRME!
O CANDIDATO ao governo, David Hall (CIDADANIA), mandou postagem ao BLOG para desmentir estar o seu partido inserido no grupo partidário do senador Márcio Bittar, que apoia a reeleição do governador Gladson.

MAIOR RESPEITO
TENHO o maior respeito pelos candidatos ao governo de partidos pequenos; como o David Hall pelo CIDADANIA; e o Nilson Euclides, pelo PSOL; porque sei das dificuldades de ser ter candidaturas majoritárias em partidos de pouca estrutura partidária.

CORRENDO OS GROTÕES
O SENADOR Petecão (PSD) tem feito nesta sua campanha ao governo, o mesmo roteiro de campanhas anteriores, andando; conversando, e fazendo alianças, nos mais distantes grotões. Este sempre foi o forte do seu eleitorado. Sabe que o jogo não se decide nas elites.

SUA LÍNGUA É A SUA ADVERSÁRIA
NEM Lula e nem um outro candidato a presidente. O maior adversário do presidente Bolsonaro é a sua língua destemperada. Mesmo como 600 mil mortes por Covid, continua com o discurso que a ineficaz cloroquina cura. É incapaz de reconhecer e se penitenciar de um erro.

FOCO NO AGRONEGÓCIO
A CANDIDATA ao governo, deputada federal Mara Rocha, só deve entrar para valer na campanha no início de abril, data em que se filiará ao PL. Mara se mexe bem na área rural, principalmente, no setor de agronegócios, que como ela, seus integrantes são bolsonaristas. Dos candidatos ao governo, é sem dúvida a mais bolsonarista.

ELEIÇÕES DISTINTAS
ELEIÇÃO para deputado é diferente de eleição para governador e senador. Para deputado estadual o universo de votos para eleger é micro; já para governador e senador é macro. O que tem maior peso decisivo no campo majoritário é a empatia que o candidato conseguir com a população. Se cair na graça do povão, é vitória certa. Se não conseguir esta empatia, pode se pintar de ouro que será derrotado.

SONHO ANTIGO
O ASFALTAMENTO da estrada variante, ligação alternativa para Xapuri; sempre foi um sonho dos seus moradores. As promessas foram muitas. E ficou nisso. Só vai acontecer agora graças a uma emenda destinada pelo senador Márcio Bittar.

FRASE MARCANTE
“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a única que é capaz de imbecilizar o homem”. Nelson Rodrigues, jornalista e dramaturgo.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gato escaldado tem medo de água fria

Publicado

em

O GOVERNADOR GLADSON CAMELI (foto) ligou ontem ao BLOG para uma conversa política, e situar os seus próximos passos na corrida eleitoral de 2022. Começou dizendo que não aceitará fazer nenhum acordo político com partidos da sua base para indicar o candidato a vice-governador da sua chapa. “Eu sei o que passei e estou passando por ter aceitado um vice indicado por partido”, ressalvou, referindo-se a escolha do vice Major Rocha, com quem rompeu politicamente. Esticando o assunto, citou como um nome com perfil ideal para a vaga, o secretário de articulação política, Alysson Bestene. “O Alysson é da minha extrema confiança, todas as missões que lhe dei no governo foram cumpridas com lealdade, e tenho certeza de que, ele não me trará problemas caso seja escolhido vice”, complementou. Estas mesmas afirmações, ele fez ontem na reunião com os 10 partidos que integrarão a sua base de apoio, como que num recado explícito. Gladson confirmou ao BLOG que deve fechar o ano com este assunto resolvido, para não estender as especulações. Ao querer um vice da sua confiança, segue à risca o ditado de que: “gato escaldado tem medo de água fria”. Traduzindo o ditado: “novo Rocha, nunca mais”.

PERDEU O PIRULITO
O OUVIR ontem as declarações do governador Gladson sobre o vice, um deputado presente na reunião teceu uma fina ironia com um colega: “ Agora eu sei que, o Gladson vai ganhar a eleição, o Tchê não indicará seu vice”. É que, o Tchê indicou o vice do Marcus Alexandre ao governo; e, o vice da ex-prefeita Socorro. E nenhum dos dois foi eleito.

PORTA ABERTA E DATA CERTA
PARA ATENDER a um pedido da sua base parlamentar na ALEAC, revelou o governador Gladson ao BLOG que, ele estipulou a data de 12 dezembro para que os secretários e ocupantes de cargos de confiança que disputarão mandatos na eleição do próximo ano, apresentem seus pedidos de demissão ou serão demitidos. O único que ficará fora do pacote é o secretário Alysson Bestene, que tem tarefas políticas para cumprir. Só sairá em abril.

OU FICA OU PULA DO BARCO
PARA O GOVERNADOR GLADSON Cameli, se chegou ao momento máximo de definição política: “quem não for me acompanhar na eleição, se defina agora e pule fora do governo”, referindo-se aos que ficam em cima do muro.

MÁRCIA BITTAR, A FAVORITA
SOBRE A QUESTÃO DO NOME PARA O SENADO, não falou explicitamente, mas deu a entender (na política meia palavra basta) durante a conversa com o BLOG, que reconhece ter sido a Márcia Bittar a candidata que mais se fortaleceu politicamente, tendo hoje 10 partidos lhe apoiando; e mostrou inclinação em escolher seu nome.

DEMONSTRAÇÃODE FORÇA
NA REUNIÃO de ontem entre o governador e os 10 partidos que lhe apoiam, coordenados pelo senador Márcio Bittar; Gladson Cameli ouviu do grupo ser a Márcia Bittar o nome que vão apoiar para senadora.

TRABALHO PARA SER SUA CANDIDATA
MÁRCIA BITTAR, ouvida ontem sobre o cenário pelo BLOG, disse que tem o apoio através do senador Márcio Bittar do presidente Jair Bolsonaro, e espera ter também o do governador Gladson Cameli. “Trabalho para isso, sem pressão, tenho 10 partidos me apoiando, e me estruturei para ser a escolhida”, destacou. Ressalvou que há décadas vem trabalhando para candidatos a prefeito, a governador, tendo por isso experiência política para postular uma cadeira no Senado. Descartou aceitar ser vice ou candidata a deputada federal. O foco é o Senado.

NÃO PASSOU DESPERCEBIDO
NÃO PASSOU DESPERCEBIDA na reunião de ontem entre o governador Gladson Cameli e os dirigentes dos 10 partidos que lhe apoiam, uma advertência. “Se não estivermos todos unidos, tenho a opção de ir cuidar das empresas da minha família”. Houve um silêncio na reunião, e os presentes parece que entenderam o recado.

PRECISA CONVERSAR
MAS, antes de definir uma escolha da Márcia Bittar para ser a sua candidata ao Senado, o governador Gladson vai ter primeiro que convencer os demais postulantes à indicação, Alan Rick, Jéssica Sales, Vanda Milani, Mailza Gomes, a retirarem as suas candidaturas para ter candidatura única no grupo.

SALVO-CONDUTO
UM IMPORTANTE secretário do governo está colocando o seu nome para ser o candidato a deputado federal pelo grupo palaciano da região do Juruá. Na verdade, ele quer um mandato como salvo-conduto para seus problemas jurídicos. Foi o comentário ouvido ontem de um deputado.

ADESÃO EM BRASILÉIA
NA REUNIÃO de ontem do governador com os partidos que vão lhe apoiar, o senador Márcio Bittar anunciou o nome da ex-deputada Leila Galvão como integrante do grupo que defenderá no Alto Acre a reeleição de Cameli. Será candidata a deputada estadual pelo REPUBLICANOS.

NOMES DE CANDIDATOS
Jairo Carvalho, Nelson Sales, Élson Santiago, Alysson Bestene, Moisés Diniz, Israel Milani, são nomes de ocupantes de cargos de confiança no governo que disputarão cargos eletivos na eleição de 2022.

MINHA CONVERSA É COM O POVO
O SENADOR Petecão (PSD) diz não estar preocupado com as articulações políticas do governador Gladson, o anúncio de pacotes de obras, afirmando, ser a sua conversa com o povo que se encontra desempregado e sem amparo.

MÁGOA INDISFARÇÁVEL
AMIGO que conversou recentemente com o ex-senador Jorge Viana (PT), diz sentir nele uma mágoa indisfarçável pelo fato de não ter conseguido uma aliança com o senador Petecão (PSD), de quem esperava apoio ao Senado.

GRANDE BLEFADOR
EM RELAÇÃO ao ex-senador Jorge Viana (PT), este sempre blefou na mesa do jogo político, nunca foi candidato ao governo, seu foco sempre foi o de voltar ao Senado.

COMEÇA A MELHORAR
A LIMPEZA das praças e ruas, iluminação pública, é o ponto alto até aqui da gestão do prefeito Tião Bocalon, com o dirigente da Zeladoria, Joabe Lira. E, agora já é visível a ação da PMRB na recuperação de ruas, com um trabalho de tapa-buraco de qualidade.

NADA A COMEMORAR
O DEPUTADO Daniel Zen (PT) comentou em sua página que, os professores não têm muito o que comemorar. E, alfinetou: “é do governo a responsabilidade dos professores do Estado estarem sem reajuste ou reposição de perdas salariais, por mais de 3 anos, e ainda tendo de encarar essa vergonhosa volta às aulas”. O Zen foi um excelente secretário de Educação.

FRASE MARCANTE
“A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes.” Winston Churchill.

Continuar lendo

Blog do Crica

Hora de ver quem tem café no bule  

Publicado

em

EM ELEIÇÕES PASSADAS era muito mais fácil se eleger deputado federal. A legislação permitia se lançar até 16 candidatos, e os partidos podiam se juntar em coligações proporcionais, somar votos, e eleger parlamentares com baixa votação.

Com a lei eleitoral modificada, cada sigla só poderá lançar em 2022, 9 nomes. E destes, tem uma parcela reservada às mulheres. Como o teto para eleger alguém deve ficar entre 53 mil a 57 mil votos, terão que ser candidatos com boa votação, não se pode pegar qualquer um no laço como era comum – mas, ter uma chapa competitiva. 

Quem tiver menos de 10 mil votos não vai aparecer nem na foto. A nova lei é boa, porque vai exigir que cada candidatura terá que se virar só, porque não poderão mais fazer alianças.

 Na eleição para a Câmara Federal, no próximo ano, será a hora de saber quais dos atuais deputados federais terão café no bule. Os caminhos para Brasília ficaram mais estreitos e difíceis.

NOVOS CAMINHOS

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) tem um reduto forte e cativo no Juruá. Tem sido uma presença constante em eventos políticos no Alto Acre e, principalmente, na capital, na busca de novos caminhos, onde é pouco conhecida. Comunicativa, ela vai longe.

NÃO TEM FICHAS

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha não tem fichas para derrubar o senador Márcio Bittar e o deputado federal Alan Rick (DEM), pelo comando da fusão PSL-DEM.

FICHAS NA MESA

O SENADOR MÁRCIO BITTAR vai chegar na mesa de negociação com o governador Gladson, para defender que a Márcia Bittar seja a sua candidata ao Senado, com cinco siglas aliadas. São o PTB-PSC-REPUBLICANOS- Fusão do PSL-DEM, PSDB e SOLIDARIEDADE. São as suas cartas.

EXTREMAMENTE BOLSONARISTA

DOS CANDIDATOS AO GOVERNO em 2022 a deputada federal Mara Rocha (deve ir para o PL) é a única que pode ser chamada de “extremamente bolsonarista”.

ATÉ NAS PAUTAS NEGATIVAS

A DEPUTADA FEDERAL MARA ROCHA esteve sempre ao lado do presidente Jair Bolsonaro até nas suas pautas mais malucas, radicais, antidemocráticas e negativas.

CANDIDATURA DESCOLADA?

O EX-PREFEITO de Senador Guiomard, James Gomes, trabalha sua candidatura para deputado estadual. A  dúvida  no caso é saber se ele apoiará a senadora Mailza Gomes (PP), com quem foi casado por longos anos?

TEMPOS BICUDOS

A FPA teve até 13 partidos na sua composição apoiando as gestões do PT. Fora do poder, a aliança do PT para 2022 terá apenas o conglomerado PCdoB-PSB-PV. O PSOL vai de solo próprio, para o governo como para o Senado.

INVESTIU PESADO

NÃO SE PODE NEGAR que, o governador Gladson investiu pesado em pessoal e equipamentos no sistema de segurança. E, que o secretário Paulo Cézar tem seu mérito nas ações que reduziram os índices de criminalidade.

COMEÇAR A SE PREOCUPAR

O PROFESSOR MINORU KINPARA (PSDB), terceiro colocado na disputa da PMRB, tem de começar a se preocupar com a formação de uma chapa com nomes competitivos, se quiser se eleger deputado federal. Até aqui, o PSDB não tem nem o esboço de uma chapa.

ESPERANDO O RESCALDO

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) pretende antes ver o que virá do rescaldo dos descontentes da escolha do candidato ao Senado do grupo do Gladson Cameli, para definir quem vai figurar na sua chapa para senador.

ARTICULAÇÃO FORTE

QUEM ESTÁ numa articulação forte para deputado estadual é o advogado Eduardo Ribeiro (PSD). Vem de uma família de políticos. O pai, conselheiro do TCE, Valmir Ribeiro, foi deputado estadual pelo MDB. E, seu tio Delegado Messias Ribeiro (MDB), foi prefeito de Brasiléia.

FORTE EM DOIS CENÁRIOS

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) joga em dois cenários para voltar ao protagonismo político no estado. Primeiro é se eleger senador. Não se elegendo, mas o Lula sendo eleito, o JV entra no jogo como ministro. Só vai para o purgatório se não se eleger, e se o Lula não ganhar.

VAI PARA AS URNAS

O PRESIDENTE DO PT, Cesário Braga, que sempre esteve atuando na montagem de chapas do partido, desta feita vai para a briga pelos votos, como candidato à ALEAC.

PASSANDO LONGE

O GOVERNO do Gladson Cameli tem uma oposição que não é omissa, mas bem longe da oposição sofrida pelo tio e ex-governador Orleir Cameli, massacrado na sua honra, principalmente pelo time de parlamentares do MDB.

NA SOMA GERAL, É POSITIVA

A VACINAÇÃO pela prefeitura de Rio Branco teve os seus pontos fora da curva, mas no somatório dos prós e contra, teve mais acertos que erros. Hoje, funciona bem.

SEGURO MORREU DE VELHO

O DEPUTADO José Bestene (PP) não vai ser candidato a deputado federal, como andou ensaiando, disputará a reeleição. É a velha história que, seguro, morreu de velho.

GOLPE NOS NANICOS

A NOVA LEGISLAÇÃO eleitoral foi um golpe duro nos pequenos partidos. Como não haverá coligação proporcional, perderam a importância no jogo. E, se quiserem almejar algo, terão que ter candidatos próprios.

DOIS VÃO PULAR FORA

DOS cinco nomes do grupo do governador Gladson Cameli que estão postulando o Senado, dois deles devem acabar buscando uma reeleição para deputado federal.

SE NÃO FOR BLEFE…..

TENHO ENCONTRADO muitas pessoas que manifestam o voto no ex-prefeito Marcus Alexandre a deputado estadual. Se as intenções forem transformadas em votos, e não for blefe, deverá ter uma votação bem expressiva.

FORA DA POLÍTICA

O MP tem de ser livre. Imoral, pois, este projeto de emenda constitucional que permite a ação de deputados em ingerência na formação do Conselho Nacional do MP.

TEMPO CORRE

ATÉ O MOMENTO, não se tem um movimento claro do governador Gladson Cameli se vai anunciar o seu candidato ao Senado até dezembro, como querem alguns grupos políticos. O tempo corre e continua a indecisão.

CARA PRÓPRIA

PARTIDO que quer crescer não pode ser puxadinho dos grandes partidos. O PSOL vai no caminho certo, quando lança dois nomes qualificados para cargos majoritários. O do advogado Sanderson Moura ao Senado, e do professor Nilson Euclides para o Governo. O resto é com o eleitor.

FRASE MARCANTE

“Brigar por política no atual cenário, é o mesmo que ter crime de ciúmes na zona de prostituição”. Autoria desconhecida.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mãe de todas as batalhas

Publicado

em

OS VOTOS DO JURUÁ são decisivos numa eleição para governador ou senador. A afirmação é certa ou errada? Errada! São importantes, mas não definem quais serão os futuros governadores e senadores. 

A matemática é simples. A soma dos votos do Alto Acre, a saber Senador Guiomard, Acrelândia, Capixaba, Plácido de Castro, Xapuri, Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil anulam os números do Juruá. Não somos nem Sena Madureira, Feijó e Tarauacá.

 Decisivo para os candidatos ao Senado e ao Governo na eleição do próximo ano, continuará sendo Rio Branco, por ser o maior colégio eleitoral do estado. É o centro nervoso em qualquer eleição majoritária. É aqui que será travada a mãe de todas as batalhas na briga pelo Governo e da única vaga para o Senado. O resto é complemento.

CONVERSA FIADA

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) reage com ironia aos boatos de que vai acabar abrindo mão da sua candidatura a governador: “Isso é conversa fiada. Como é que vou desistir se os sinais que vejo em todo estado é de que serei o futuro governador do Acre? Em nenhuma das minhas campanhas fui tão bem aceito como agora. Não sou de me enganar”. Fica feito o devido registro.

POR ENQUANTO, SÓ BOATOS

O DEPUTADO FEDERAL Alan Rick (DEM) rebateu uma live do presidente do PSL, Pedro Valério, de que o senador Márcio Bittar vai assumir a fusão DEM-PSL, e ele continuará no comando das ações partidárias. “Não tem nada definido quanto ao comando. O Pedro Valério quer o Márcio. O time do Democratas quer o Alan. O que tenho dito é que tudo precisa passar pelo consenso local. Em não havendo a Executiva nacional conjunta arbitrará”, afirmou Alan ontem ao BLOG.

TRABALHO CONTINUANDO

ENQUANTO seu lobo não vem, nesta quinta-feira o deputado federal Alan Rick (DEL) fará a entrega de 7 ônibus adquiridos com suas emendas individuais para as Escolas Técnicas e Profissionais do IPTEC.

FORA DE COGITAÇÃO

QUEM APOSTAR que a Márcia Bittar (sem partido) está blefando, desistirá de ser candidata ao Senado, para disputar uma vaga de deputada federal, já perdeu. A sua candidatura ao Senado é um caminho sem volta.

IMPORTANTE, MAS ATRASADO

O BELO trabalho do secretário de Agricultura, Nenê Junqueira, de montagem de um diagnóstico sobre a área agrícola do estado, era para ter sido feito pelo antecessor. Não vai ter tempo para elaborar e aprovar projetos para suprir as carências dos agricultores. 2022 é ano eleitoral. O diagnóstico é importante, mas atrasado.

FATO QUE CONSOLIDA

A REJEIÇÃO ontem pela executiva nacional do PL de uma fusão com o PP, consolida a candidatura da deputada federal Mara Rocha (se filiará ao PL) ao governo. Se houvesse a fusão, teria que brigar com o governador Gladson Cameli pela indicação. Agora, ela está livre.

É COM O ELEITOR

PODE ter candidato ao governo que venha andando no estado igual ao deputado Jenilson Leite (PSB), mais do que ele, não creio. Se vai render votos, isso é lá com o eleitor.

PARTE CEDO

O DEPUTADO JENILSON LEITE (PSB) encampou o velho ditado de que: “Quem tem a perna curta, parte cedo”.

O CENÁRIO É OUTRO

O deputado Luiz Tchê (PDT) foi um craque na montagem de chapa para deputado federal na última eleição, quando elegeu dois parlamentares. Com o fim das coligações proporcionais acabou a água do poço. Tem de formar chapa própria e forte, o que não é fácil, no atual contexto.

DIFICULDADE REDOBRADA

NA ÚLTIMA eleição, cada partido poderia lançar 16 candidatos a deputado federal. Com a nova regra eleitoral só poderá lançar 9. E, tem que ser 9 nomes que juntos somem torno de 53 mil votos, para eleger um.

JV DE QUARENTENA

O EX-SENADOR Jorge Viana deu uma recolhida na língua e não tem falado sobre as ações do PT para a eleição de 2022, sobre sua candidatura e nem qual será a composição da chapa para a ALEAC e Câmara Federal.

DEPOIS QUE VER

O EX-PREFEITO Angelim (PT) é citado sempre como um nome que disputará uma vaga de deputado federal. Tenho minhas dúvidas. O cenário é diferente de quando foi eleito Federal, naquela época o PT estava no poder.

ETERNO PROBLEMA

ENTRA governo e sai governo e não se consegue resolver os problemas no HUERB, que volta a apresentar o dilema eterno de falta de médicos, funcionando com apenas um anestesista. A população é que sofre com a situação.

DADO COMO CERTO

QUE a candidata ao Senado, deputada federal Vanda Milani (PROS), terá o apoio da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), é até lógico; por questões familiares. Não será difícil o prefeito de Assis Brasil, Jerry (PT), também embarcar na mesma canoa.

PULANDO FORA

O VICE-PREFEITO de Cruzeiro do Sul, Henrique Afonso, foi eleito pelo PSD do senador Sérgio Petecão, mas fala-se que, ele tende a disputar uma vaga de Federal pelo PP.

NÃO SEGUE A LOUCURA

A DECISÃO do governador Gladson em sancionar o projeto do deputado Chico Viga (PODEMOS), que obriga as escolas do estado a fornecer absorventes às alunas, mostra a sua visão coerente com a saúde pública. Não seguiu a loucura do Bolsonaro, que vetou medida idêntica.

NENHUMA LUZ

ATÉ agora não há nenhuma luz no fim do túnel que dê a garantia de que o PCdoB vai conseguir formar uma federação com outros partidos, para ter chance de eleger parlamentares. Como alternativa, só a chapa própria.

NÃO ME LEMBRO DE OUTRO

O Pastor da IBB, Agostinho Gonçalves, foi o único que me lembro de que, quando botou a mão num candidato, este foi vitorioso. Elegeu deputados estadual e federal, e colaborou para a eleição de prefeitos. Hoje, está fora da política. Foi o único Pastor que vi com prestígio eleitoral.

FRASE MARCANTE

“FAÇA sempre amigos, as inimizades fazem mal à alma”. Máxima árabe.

  

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados