Menu

Gerlen Diniz x Alípio Gomes: a guerra em Sena Madureira

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O deputado federal Gerlen Diniz (PP) anunciou ao BLOG que a sua candidatura a prefeito de Sena Madureira será lançada dia 5 de abril, em um ato público que contará com a presença do senador Alan Rick (UB) e do deputado federal Roberto Duarte (REPUBLICANOS). Gerlen liderou as pesquisas feitas ano passado. Com a confirmação da sua candidatura, a previsão de tempo para a campanha da Prefeitura de Sena Madureira será de chuvas e trovoadas. Do outro lado, estará na polarização o vereador Alípio Gomes (PSD), que será apoiado pelo prefeito Mazinho Serafim. Sena Madureira será palco de uma das eleições mais tensas do estado, com muita confusão, pode anotar. A entrada no Gerlen joga gasolina na fogueira.


PATINHO FEIO
A Rádio Difusora Acreana, que poderia ser o mais poderoso veículo de comunicação do Acre, está com o som sucateado e a potência reduzida, pela falta da implantação de radiais. Tem a liberação para virar FM, que vai acabar perdendo. As emendas parlamentares liberadas para emissora não são transformadas em projetos e acabam engavetadas. A RDA virou o patinho feio do governo. Ninguém cuida. Está virando sucata.


ESTÁ LASCADO
O candidato a prefeito ou a vereador que pensar que pode se eleger só porque tem um padrinho forte ou porque seu apoiador se encontra no poder está lascado. Nada é mais difícil na política do que a transferência de voto. O poder ajuda, mas não é garantia de vitória para nenhum candidato. O eleitor costuma votar no nome, sem olhar para quem está lhe apoiando.


ENQUANTO ISSO…
E, enquanto isso, com uma equipe de profissionais reduzida, a ASSECOM da Prefeitura de Rio Branco, continua dando um banho de comunicação na numerosa equipe de mídia do governo, com seu batalhão de jornalistas.


EXTREMA CONFIANÇA
Fala-se muito que o vice na chapa do prefeito Tião Bocalom (PL) na disputa da reeleição deve ser o secretário Joabe Lira, que se filiaria a outro partido, para não ficar uma chapa puro-sangue. Bocalom não colocará jamais de seu vice alguém que não conhece. Vamos ver a filiação do Joabe no próximo dia 6, para se saber se a notícia se confirma.


NADA MUDOU
A bajulação feita por políticos acreanos ao Bolsonaro é a mesma que os petistas faziam quando o Lula visitava o Estado. Nenhum dos dois lados pode atirar a primeira pedra, acusando o outro de puxar saco de seus ídolos.


FORA DA MUVUCA
O governador Gladson Cameli não esteve presente aos atos de Bolsonaro, por não ser a visita de uma autoridade federal, mas um ato político particular de uma candidatura a prefeito de Rio Branco. Passou longe da muvuca, para não ficar mal com o Lula.


FILIAÇÃO MANTIDA
Está mantida para amanhã (segunda-feira, 25), em Rio Branco, a filiação no PP da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, e da sua candidata a prefeita, Suly Guimarães, que disputará a sua sucessão. O ato será na sede do PP.


DEMOCRACIA É DE DUAS MÃOS
Ninguém é obrigado a gostar do Bolsonaro. Por isso, a sua presença em Rio Branco deve ser vista como um ato da democracia. Não é a sua visita que vai ditar quem ganhará ou não a disputa da PMRB.


PRECISO LEMBRAR
Quando se debitar as mazelas do Acre ao PT, é bom lembrar aos políticos que costumam apontar o dedo nesta direção, que PT está há 6 anos fora do poder, no Estado. Preciso lembrar? Quem casa com a viúva cria os filhos, diz o ditado.


OUTRA BOBAGEM
Uma outra bobagem dos políticos de direita é acusar a quem é de esquerda de ser “comunista”, partido que nunca chegou ao poder no Brasil. E “comunismo” não se “implanta” por decreto presidencial.


NINGUÉM GANHOU NADA
Ninguém ganhou nada na disputa da Prefeitura de Cruzeiro do Sul. A projeção na última eleição era que, a Jéssica Sales (MDB) se reelegeria com 50 mil votos. Teve metade e não se reelegeu. A política é imprevisível.


MARFISA VAI PARA O JOGO
Recebi a seguinte postagem da vice-prefeita Marfisa Galvão (PSD): “Luiz, tenho interesse em ser candidata a vereadora, porém, quem decide é o partido”. Pela mensagem, fica claro que será candidata. O PSD não vai lhe negar legenda. Sendo candidata, será altamente competitiva, e pode ajudar a chapa do PSD a eleger mais vereadores.


MIRANDO DIA 6
Todo mundo de olho no dia 6 de abril, última data para filiações e para desincompatibilização dos ocupantes de cargos de confiança ordenadores de despesas, para disputar a eleição.


FOCO PRINCIPAL
O foco principal está voltado para o secretário Alysson Bestene (PP). Para ser candidato, ele tem que deixar o cargo no próximo dia 6.


ANOTEM PARA CONFERIR
Caso o prefeito Bocalom (PL) consiga a reeleição, anotem para conferir: disputará o governo em 2026. Com o Marcio Bittar (UB) para o Senado.


QUESTÃO DE TEMPO
A entrada do senador Marcio Bittar (UB) no PL – partido que já é presidido pelo filho João Paulo – é questão de tempo. Não se filiou ainda porque no UB é mais fácil destravar emendas parlamentares. Quem manda no PL é o Marcio.


AGRADECER AO PP
O prefeito Bocalom deveria emitir uma nota de agradecimento ao PP, por tê-lo colocado na rua da amargura política. Está tendo mais projeção no PL com a visita do Bolsonaro do que se estivesse no PP, mesmo a chuva tendo flopado o principal ato político da sua filiação em praça pública.


NÃO VALE NADA
Há uma previsão de que seis secretários do prefeito Tião Bocalom (PL) deixarão os cargos para disputarem mandatos de vereador. Tudo bem. Se não tiverem estrutura financeira para bancar a campanha, serão sérios postulantes a embarcar na balsa. A maioria esmagadora do eleitorado da Capital foi acostumada a votar pelos favores recebidos; e não, pelo que um secretário fez ou deixou de fazer no cargo. Infelizmente, essa é a realidade. Na campanha, o verbo vale muito pouco, o que vale é a verba.


DECISÃO TOMADA
A decisão está tomada dentro do PSD: se Alysson Bestene (PP) não chegar ao segundo turno, o partido apoiará a candidatura de Marcus Alexandre (MDB). O senador Sérgio Petecão (PSD) já fez a comunicação na última reunião do PSD.


OUTROS TEMPOS
O Lula não acordou para a realidade que os tempos políticos são outros. No primeiro mandato, o PT estava em alta, hoje, se encontra em queda livre na população. Essa sua queda na popularidade, é porque se afastou do povo, espaço que vem sendo ocupado por políticos de direita. Se não voltar a ficar mais próximo do povo, Lula pode afundar com o PT em 2026, mesmo o Bolsonaro não sendo o adversário.


DIREITA ACORDOU
Mesmo o ex-presidente Bolsonaro estando inelegível, o seu legado de ter conseguido acordar a direita no país continua, mesmo após ficar fora do jogo de 2026. O fato dele continuar arrastando multidões, é uma prova disso.


FORA DO PROTAGONISMO
O PT deverá ter candidatos próprios a prefeito em alguns municípios, mas nenhum deles entrará na disputa como protagonista, e sim como zebras.


COM ÉTICA
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha Lima (PP), recebeu a notícia da candidatura de Jéssica Sales (MDB) a prefeita, com uma postura ética. Disse que via como normal, e que na política não se escolhe o adversário. Está certo, eleição se decide na campanha e não fora dela.


FRASE MARCANTE
“A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar”. Cardeal Dom Helder Câmara.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.