Conecte-se agora

O homem forte da república e o olho de boto 

Publicado

em

Um dos postos mais cobiçados pelos deputados federais e senadores é ser indicado pelo presidente para ser o Relator do Orçamento da União. Nesta disputa entram políticos dos grandes centros, com maior representatividade eleitoral. Para conseguir entrar na Comissão do Orçamento já é uma briga de foice. Imagine os interesses partidários em conflito para a escolha do Relator. O Relator vira uma espécie de homem forte da República, porque é quem vai manejar todo o orçamento da Nação. A missão fica mais difícil quando se trata da postulação da relatoria por um senador de um estado com um pequeno colégio eleitoral, como o Acre. Por, isso, essa escolha pelo presidente Bolsonaro do senador Márcio Bittar (MDB), para ser o Relator do Orçamento da União, foi uma jogada de mestre do Bittar. Uma indicação deste porte só acontece quando alguém tem a confiança extrema do presidente e do ministro da Economia. E o Márcio Bittar é hoje um dos políticos mais próximos do Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes. Vai virar figura carimbada e um dos políticos mais comentados do Congresso e procurado para entrevistas pela imprensa. No meu tempo de criança costumava ouvir da crendice popular que, quando alguém era atraente, conseguia as coisas, era por estar usando olho de boto (tido pelos ribeirinhos como hipnotizante) no bolso. Não duvido nada. Não acredito em bruxas, mas que existem, existem, já diz um velho ditado

“PROPOSTA INDECENTE”

Foi a reação ontem do deputado federal Alan Rick (DEM) ante a proposta dos coordenadores políticos do governo de retirada da candidatura de Abdias da Farmácia (DEM) a prefeito de Tarauacá, para ser vice da candidata do PDT, Néia. A “proposta indecente” não será aceita, disse Alan ontem á noite ao BLOG DO CRICA. Não aceito ser tratado como tolo, advertiu.

INVERSÃO DE VALORES

Se formos para os números o deputado federal Alan Rick (DEM) está correto em rejeitar a aliança, nos termos propostos. E pelo simples fatos: o Abdias está na frente da Néia em todas simulações feitas até o momento em Tarauacá. O Abdias de vice seria uma inversão de valores.

VALEU A LUTA

O deputado federal Alan Rick (DEM) vem brigando desde o primeiro mandato para que sejam aplicadas as provas do Revalida, para permitir aos médicos formados no exterior que façam as provas, e se aprovados, tirem o CRM, Enfim, o Revalida foi marcado para o dia 6 de dezembro.

NINGUÉM MAIS QUE ELE

Ninguém mais do que o deputado Alan Rick (DEM) lutou para a realização do Revalida.

SEM PERSEGUIÇÃO

O governador Gladson prometeu ontem em entrevista no programa “Boa Conversa”, do colega Astério Moreira, que não vai mover uma palha para retirar nenhuma candidatura de aliado posta para a prefeitura de Rio Branco, mas que se sente no direito de ficar com a Socorro Neri.

FORA DO JOGO

Durante a entrevista Gladson destacou também que, em Cruzeiro do Sul vai “recolher o trem de  pouso,” deixando bem claro que não apoiará ninguém para a prefeitura do município. Venceu a posição do grupo palaciano que era pela neutralidade e contra  aliança com o MDB.

NÃO PONHAM NA MINHA CONTA

O senador Márcio Bittar (MDB) me disse ontem que interferiu na vinda do PTB, PL e REPUBLICANOS para uma coligação com o MDB, conversou com o Gladson antes dos fechamentos, teve a sua ajuda, mas nega ter tentado tirar a candidatura do Bocalon.

DENISE BORGES

Um dos nomes oferecidos como opção para ser o vice na chapa do candidato a prefeito de Rio Branco, Roberto Duarte (MDB), pela presidente do PL, Antonia Lúcia, foi o da empresária Denise Borges. O nome da sua filha Gabriela Câmara não foi dado como sugestão.

PRECISA SE CONTER

O vereador Juruna (AVANTE) precisa conter os seus rompantes de valentão. Já houve o episódio de incentivo à violência dos camelôs por conta de uma greve, e veio este agora de sugerir aos camelôs que dêem alguns “empurrões” no candidato à PMRB, Jamil Asfury (PSC).

DIREITO LEGÍTIMO

O vereador Juruna (AVANTE) tem de entender que a área dos camelôs não uma propriedade sua, um feudo, e que, qualquer candidato tem o direito legítimo de pedir votos aos camelôs. E o candidato Jamil Asfury (PSC), apenas exerceu este direito.  Vai com calma, Juruna!

NA MACHADADA

Conversando ontem com um dirigente do MDB sobre a situação de Xapuri, ele falou que o problema é que, o deputado Antônio Pedro (PROGRESSISTAS) quer empurrar sua vontade na marra, como se os outros partidos tivessem a obrigação de apoiar a Carla, sua mulher, a prefeita. O certo é que se a oposição não se unir vai levar uma lapada do prefeito Bira (PT).

FATO BIZARRO

O deputado Marcos Cavalcante (PTB) denunciou ontem numa postagem na internet um fato que pode ser considerado bizarro. Quando uma mulher grávida precisa fazer uma cesariana para ter o filho, tem que ser levada para o hospital da vizinha Tarauacá, o que é um disparate.

PLEBISCITO

A eleição para a prefeitura de Sena Madureira. Está sendo trabalhada uma chapa com o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) para prefeito e Toinha Vieira (PSDB), como vice. O restante da oposição se espatifou no caminho. O que favorece o prefeito Mazinho (MDB).

FICOU SURPRESO

O governador Gladson Cameli não esconde a sua surpresa com a habilidade que teve o cunhado e presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), em costurar uma aliança política para a prefeitura de Cruzeiro do Sul, que se mostrava muito complicada.

DEMOCRACIA NUNCA VISTA

O que chamou a atenção no Gladson foi exercer uma democracia política nunca vista em nenhum outro governador, ao dizer que não vai pressionar secretários e nem cargos de confiança a votar na candidata Socorro Neri. Isso jamais aconteceu num governo do PT.

VIROU UM FORNO

Rio Branco virou um forno com o calor das queimadas, que este ano são mais amplas que no ano passado. Faltou um combate mais eficaz às queimadas pela secretaria de Meio Ambiente.

PRIMEIRO A LARGAR

O MDB foi o primeiro partido a realizar uma convenção municipal. Foi em Manuel Urbano, referendando o nome do prefeito Tanízio de Sá (MDB) para a reeleição. Diga-se: forte.

MELANDO A UNIDADE

O ex-prefeito Ilderlei Cordeiro procurou os dirigentes do SOLIDARIEDADE para fazer um acordo e lançar a candidatura da irmã Ildecleide Cordeiro, para prefeita de Cruzeiro do Sul. Isso melaria a unidade em torno do Zequinha (PROGRESSISTAS), e tornaria mais fácil a vitória do Fagner Sales (MDB) a prefeito. Sinceramente, não sei o que o Ilderlei ganhará com a manobra.

MEIO COMPLICADO

Com apenas o PSL e o PSDB na coligação não está sendo fácil para os dirigentes dos dois partidos encontrarem um vice com densidade eleitoral e que tenha um perfil conciliador.

NÃO TENTARIA

Numa campanha majoritária os ataques pessoais costumam ser rotineiros. Por conta disso, fosse o médico Eduardo Veloso (PL) não me arvoraria em ser vice do Roberto Duarte (MDB).

NÃO OLHO IDEOLOGIA

Quando faço comentários não foco na ideologia, mas na competência, nas lutas que já teve no campo da política, é se poderá exercer um bom mandato na Câmara Municipal de Rio Branco. A militante petista Rose Scalabrin, se enquadra no perfil de que poderia ser boa vereadora.

DEIXANDO POLÍTICA DE LADO

O Acre está prestes a passar para a fase verde. Goste-se ou não do governador Gladson, da prefeita Socorro Neri, do secretário Alysson Bestene, mas desempenharam um bom papel no combate à pandemia. Destaque também para a divulgação pela ASSECOM de todas as ações.

BEM CITADO 

Tenho encontrado muitos formadores de opinião defendendo o nome do professor Marcos Luís para vereador de Rio Branco. É um nome que pode entrar com chance nesta disputa. Fico feliz quando vejo candidatos qualificados disputando mandatos eletivos, a política anda suja.

DOIS COLEGAS

Dois colegas de profissão que este ano estarão disputando mandatos na Câmara Municipal de Rio Branco: jornalistas Rose Costa (PSDB) e Evandro Cordeiro (PROGRESSISTAS), duas figuras queridas e do bem. E ambos evangélicos.

FRASE MARCANTE

“Trabalha sempre! Se não necessitas do trabalho como alimento, necessitas dele como remédio”. Wiliian Pen.

Blog do Crica

Ao velho Boca o que é do velho Boca

Publicado

em

O PREFEITO TIÃO BOCALOM tem sido muito criticado pela sua forma centralizadora de administrar a capital, com uma visão atrasada de quando foi prefeito de Acrelândia, há três décadas; época em que, o município tinha meia dúzia de ruas. Mas, quando acerta, não se pode deixar de lhe outorgar os méritos. 

Todos os prefeitos que passaram pela prefeitura de Rio Branco não conseguiram baixar o preço das passagens de ônibus, pelo contrário, sempre fizeram coro com os empresários, sancionando um reajuste do bilhete atrás do outro. E, o usuário do transporte coletivo pagando o pato dos aumentos.

 Numa cidade onde é grande o índice de desempregados, baixar em 50 centavos o preço da passagem, é um avanço considerável. Não interessa de onde saiu o custeio, mas sim que o benefício foi coletivo. Para quem usa este tipo de transporte duas vezes por dia, é uma economia diária de 1 real. Multipliquem isso por 12 meses e teremos uma economia razoável no bolso da população de baixa renda. 

Tem que atacar agora a questão do serviço de péssima qualidade prestado pelas empresas de ônibus. Mas, isso é outro passo. O certo é que, o prefeito quebrou a castanha dos que lhe atacaram na campanha, lhe chamando de mentiroso, quando fez a promessa de reduzir o valor das passagens. Então, ao velho Boca o que é do velho Boca. 

SEM NENHUM SENTIDO

O PREFEITO Bocalom é um declarado negacionista do ambientalismo, por isso, não tem sentido participar da conferência do clima na Noruega, a COP 26, onde líderes mundiais discutirão o combate às mudanças climáticas. Pelo Bocalon, a Amazônia estaria hoje toda pavimentada de lajotas. A viagem vai trazer o que de benefício para a sua gestão? Isso é coisa do secretário Normando Sales!

NENHUM SINAL

A SENADORA MAILZA GOMES (PP) não dá nenhum sinal de que vai recuar na sua intenção de buscar mais um mandato, em 2022. Colocou um batalhão de pessoas nos bairros distribuindo panfletos contendo informações sobre seu mandato, espécie de prestação de contas.

A MAILZA É TINHOSA

A SENADORA MAILZA GOMES (PP) é tinhosa. Segurou todas as pressões do governador Gladson e manteve o seu apoio à candidatura do prefeito Tião Bocalom à PMRB. E, agora a candidata é ela, mais um motivo para manter.

FARINHA APARTADA

OS HASSEM, para variar, vão entrar divididos na eleição. Os ex-prefeitos Luiz Hassem e André Hassem, pai e filho, não apoiarão candidatos da família a deputado estadual, mas a reeleição do deputado Nicolau Júnior (PP).

VISÃO MAIS CLARA

VÁRIAS pesquisas de institutos diferentes estão programadas para serem realizadas e fechadas, no mês de novembro. Poderemos ter uma nova visão de como é que estão na opinião pública os candidatos ao Senado.

IMBATÍVEL NO JURUÁ

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) aparece como imbatível ao Senado em recentes pesquisas no Juruá, notadamente, nos municípios no entorno de Cruzeiro do Sul. Se não sair ao Senado, terá uma reeleição segura.

ANIMADO

FALANDO em pesquisas no Juruá, o senador Sérgio Petecão (PSD) se mostra animado com resultados positivos, em três dos seus municípios. Quer reduzir a vantagem do governador Gladson na região, para trazer a decisão da disputa do governo para seu terreiro, a capital.

QUESTÃO DE TEMPO

A DECISÃO já está tomada, o Jorge Viana (PT) vai mesmo disputar a única vaga do Senado; não ter feito o anúncio até aqui é apenas uma estratégia para não antecipar a campanha, deixando a declaração para o início de 2022.

SOBRE PESQUISA

LEITOR manda um comentário sobre pesquisa, que transcrevo: “Pesquisa é como nota de 500 reais. O Bocalom aparecia na rabada na eleição de governador, e perdeu por uma mixaria de votos. O Bocalom aparecia na rabeira das pesquisas para prefeito, e ganhou a eleição. A melhor pesquisa é a das urnas”. Feito o registro.

UMA BELA MEXIDA

COM A ABERTURA da janela partidária para a troca de filiações, o quadro político para deputado federal, deputado estadual, deve dar uma bela mexida no estado.

CANDIDATURA MANTIDA

O DEPUTADO FEDERAL Alan Rick (DEM), que cumpre um mandato propositivo, continua com dois focos: presidir o partido que sair da fusão DEM-PSL; e, viabilizar sua candidatura ao Senado. Uma aspiração depende da outra.

CHEIO DE ZÉ PAGAMELA

A DISPUTA nos bastidores para saber quem será o vice do governador Gladson Cameli, mira 2026. Os postulantes acreditam que, o Gladson se reelege; se afastará no tempo certo para ser candidato ao Senado, e o vice será governador por um ano e oito meses. Está cheio de Zé Pagamela, de olho na boutique palaciana.

DEBANDADA NO PSL

ARTICULISTAS políticos da grande imprensa estão prevendo uma debandada de deputados bolsonaristas do PSL, para se filiarem ao partido que o presidente Bolsonaro escolher. A fusão PSL-DEM terá candidato próprio para a presidência.

TUDO PASSA PELA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL

CASO se confirmem as pesquisas e o Lula ganhe a eleição de presidente, o próximo governador do estado que defender o Bolsonaro na campanha vai comer da banda podre para liberar recursos. É assim que o jogo é jogado.

REDUTOS FECHADOS

TODAS as pesquisas que vi até o momento sobre a preferência para governador em Feijó e Tarauacá, quem aparece liderando é o deputado Jenilson Leite (PSB). Normal, são seus redutos eleitorais fechados.

SINAL DE ALAGAÇÃO

A METEREOLOGIA mostra que tem chovido mais que o normal em outubro, o que pode ser prenúncio de alagação no pique do inverno. Péssimo para os prefeitos e os que moram em áreas alagadiças.

FRASE MARCANTE

“Os políticos não conhecem nem o ódio e nem o amor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento”. Philip Chesterfield.

 

Continuar lendo

Blog do Crica

Salada de alho com bugalho

Publicado

em

NA POLÍTICA, quem fica pulando de galho em galho acaba por se espatifar no chão. Existem situações que não dão para contemporizar. Por exemplo, no Acre, o presidente do PSDB, Manoel Pedro, o Correinha, e os dois deputados estaduais tucanos; integram o grupo bolsonarista comandado pelo senador Márcio Bittar, que vai coordenar no estado a campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Em São Paulo, estes tucanos fizeram coro com o slogan: “O Acre é Dória”. Dória será candidato a presidente pelo PSDB. Afinal, quando os tucanos acreanos de alta plumagem falam a verdade: aqui, ou em São Paulo? São Bolsonaro ou Dória? Ou é um ou é outro. O mesmo acontece com o PDT. Seu principal dirigente no estado, o bem articulado deputado Luiz Tchê (PDT), foi citado esta semana como integrante do bloco bolsonarista do senador Márcio Bittar, que tem como candidata ao Senado a bolsonarista de carteirinha Márcia Bittar. Só que, o PDT tem como candidato a presidente o Ciro Gomes (PDT); um adversário ferrenho do Bolsonaro. Esta é uma equação ideológica que não bate. Os principais dirigentes nacionais da fusão PSL-DEM, ACM Neto e Luciano Bivar, já declararam que o partido que sair da fusão não apoiará a reeleição do Bolsonaro. A fusão no estado ou será comandada pelo senador Márcio Bittar ou pelo deputado federal Alan Rick. Vão apoiar o Bolsonaro ou o candidato a ser lançado por esta fusão? Diz a lei da Física que, dois corpos não cabem no mesmo espaço. Como vai terminar esta bagaça? É a pergunta que fica.

POUCOS SABEM
COSTUMO DIZER que, as paredes têm ouvidos. Dias antes da última reunião do Gladson Cameli com os dirigentes dos 10 partidos que apoiarão a sua reeleição, o mesmo fez um convite formal e oficial para a Márcia Bittar ser a vice da sua chapa. Márcia agradeceu gentilmente, e disse que o seu foco único para 2022 é disputar o Senado.

ESTAVA MORTA A COBRA
TIVESSE a Márcia Bittar aceitado o convite, a questão da escolha do candidato ao Senado do grupo do Gladson estaria hoje solucionada; e, esta cobra estaria morta.

ERA QUESTÃO DE TEMPO
QUEM ACOMPANHA este BLOG lembra que por diversas vezes comentei que, por ter menos prestígio no MDB que o vigia do prédio do diretório regional o senador Márcio Bittar deixaria o partido. E, acertei. Além deste fato, o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, nunca teve a mínima simpatia pelo Bittar, pelo contrário. Tanto é que impediu o MDB de entrar no grupo de partidos que estão sob a órbita do Márcio. É uma briga bem antiga. E, cujas feridas nunca foram saradas.

UNIÃO NATURAL
NUM EVENTUAL lógico segundo turno para o governo na eleição de 2022, será natural que o Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Jenilson Leite (PSB) e Mara Rocha (se filiará ao PL) estejam juntos. Será uma frente anti-Gladson Cameli.

POSIÇÃO REGISTRADA
O EX-PREFEITO de Senador Guiomard, James Gomes, mandou postagem ao BLOG para dizer que, em que pesem as questões familiares; ele e sua irmã, prefeita de Senador Guiomard, Rosana Gomes; apoiarão a senadora Mailza Gomes (PP) para mais um mandato. Também confirmou a sua candidatura a deputado estadual.

NÃO APOSTARIA NISSO
UM AMIGO do alto escalão do governo comentou ontem num papo em um supermercado da cidade, que estou errado quando coloco que a deputada federal Vanda Milani (PROS) não recuará. Falou que, na hora “h”, retira seu nome. Eu, escutei, mas não apostaria na desistência.

DAVID HALL, FIRME!
O CANDIDATO ao governo, David Hall (CIDADANIA), mandou postagem ao BLOG para desmentir estar o seu partido inserido no grupo partidário do senador Márcio Bittar, que apoia a reeleição do governador Gladson.

MAIOR RESPEITO
TENHO o maior respeito pelos candidatos ao governo de partidos pequenos; como o David Hall pelo CIDADANIA; e o Nilson Euclides, pelo PSOL; porque sei das dificuldades de ser ter candidaturas majoritárias em partidos de pouca estrutura partidária.

CORRENDO OS GROTÕES
O SENADOR Petecão (PSD) tem feito nesta sua campanha ao governo, o mesmo roteiro de campanhas anteriores, andando; conversando, e fazendo alianças, nos mais distantes grotões. Este sempre foi o forte do seu eleitorado. Sabe que o jogo não se decide nas elites.

SUA LÍNGUA É A SUA ADVERSÁRIA
NEM Lula e nem um outro candidato a presidente. O maior adversário do presidente Bolsonaro é a sua língua destemperada. Mesmo como 600 mil mortes por Covid, continua com o discurso que a ineficaz cloroquina cura. É incapaz de reconhecer e se penitenciar de um erro.

FOCO NO AGRONEGÓCIO
A CANDIDATA ao governo, deputada federal Mara Rocha, só deve entrar para valer na campanha no início de abril, data em que se filiará ao PL. Mara se mexe bem na área rural, principalmente, no setor de agronegócios, que como ela, seus integrantes são bolsonaristas. Dos candidatos ao governo, é sem dúvida a mais bolsonarista.

ELEIÇÕES DISTINTAS
ELEIÇÃO para deputado é diferente de eleição para governador e senador. Para deputado estadual o universo de votos para eleger é micro; já para governador e senador é macro. O que tem maior peso decisivo no campo majoritário é a empatia que o candidato conseguir com a população. Se cair na graça do povão, é vitória certa. Se não conseguir esta empatia, pode se pintar de ouro que será derrotado.

SONHO ANTIGO
O ASFALTAMENTO da estrada variante, ligação alternativa para Xapuri; sempre foi um sonho dos seus moradores. As promessas foram muitas. E ficou nisso. Só vai acontecer agora graças a uma emenda destinada pelo senador Márcio Bittar.

FRASE MARCANTE
“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a única que é capaz de imbecilizar o homem”. Nelson Rodrigues, jornalista e dramaturgo.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gato escaldado tem medo de água fria

Publicado

em

O GOVERNADOR GLADSON CAMELI (foto) ligou ontem ao BLOG para uma conversa política, e situar os seus próximos passos na corrida eleitoral de 2022. Começou dizendo que não aceitará fazer nenhum acordo político com partidos da sua base para indicar o candidato a vice-governador da sua chapa. “Eu sei o que passei e estou passando por ter aceitado um vice indicado por partido”, ressalvou, referindo-se a escolha do vice Major Rocha, com quem rompeu politicamente. Esticando o assunto, citou como um nome com perfil ideal para a vaga, o secretário de articulação política, Alysson Bestene. “O Alysson é da minha extrema confiança, todas as missões que lhe dei no governo foram cumpridas com lealdade, e tenho certeza de que, ele não me trará problemas caso seja escolhido vice”, complementou. Estas mesmas afirmações, ele fez ontem na reunião com os 10 partidos que integrarão a sua base de apoio, como que num recado explícito. Gladson confirmou ao BLOG que deve fechar o ano com este assunto resolvido, para não estender as especulações. Ao querer um vice da sua confiança, segue à risca o ditado de que: “gato escaldado tem medo de água fria”. Traduzindo o ditado: “novo Rocha, nunca mais”.

PERDEU O PIRULITO
O OUVIR ontem as declarações do governador Gladson sobre o vice, um deputado presente na reunião teceu uma fina ironia com um colega: “ Agora eu sei que, o Gladson vai ganhar a eleição, o Tchê não indicará seu vice”. É que, o Tchê indicou o vice do Marcus Alexandre ao governo; e, o vice da ex-prefeita Socorro. E nenhum dos dois foi eleito.

PORTA ABERTA E DATA CERTA
PARA ATENDER a um pedido da sua base parlamentar na ALEAC, revelou o governador Gladson ao BLOG que, ele estipulou a data de 12 dezembro para que os secretários e ocupantes de cargos de confiança que disputarão mandatos na eleição do próximo ano, apresentem seus pedidos de demissão ou serão demitidos. O único que ficará fora do pacote é o secretário Alysson Bestene, que tem tarefas políticas para cumprir. Só sairá em abril.

OU FICA OU PULA DO BARCO
PARA O GOVERNADOR GLADSON Cameli, se chegou ao momento máximo de definição política: “quem não for me acompanhar na eleição, se defina agora e pule fora do governo”, referindo-se aos que ficam em cima do muro.

MÁRCIA BITTAR, A FAVORITA
SOBRE A QUESTÃO DO NOME PARA O SENADO, não falou explicitamente, mas deu a entender (na política meia palavra basta) durante a conversa com o BLOG, que reconhece ter sido a Márcia Bittar a candidata que mais se fortaleceu politicamente, tendo hoje 10 partidos lhe apoiando; e mostrou inclinação em escolher seu nome.

DEMONSTRAÇÃODE FORÇA
NA REUNIÃO de ontem entre o governador e os 10 partidos que lhe apoiam, coordenados pelo senador Márcio Bittar; Gladson Cameli ouviu do grupo ser a Márcia Bittar o nome que vão apoiar para senadora.

TRABALHO PARA SER SUA CANDIDATA
MÁRCIA BITTAR, ouvida ontem sobre o cenário pelo BLOG, disse que tem o apoio através do senador Márcio Bittar do presidente Jair Bolsonaro, e espera ter também o do governador Gladson Cameli. “Trabalho para isso, sem pressão, tenho 10 partidos me apoiando, e me estruturei para ser a escolhida”, destacou. Ressalvou que há décadas vem trabalhando para candidatos a prefeito, a governador, tendo por isso experiência política para postular uma cadeira no Senado. Descartou aceitar ser vice ou candidata a deputada federal. O foco é o Senado.

NÃO PASSOU DESPERCEBIDO
NÃO PASSOU DESPERCEBIDA na reunião de ontem entre o governador Gladson Cameli e os dirigentes dos 10 partidos que lhe apoiam, uma advertência. “Se não estivermos todos unidos, tenho a opção de ir cuidar das empresas da minha família”. Houve um silêncio na reunião, e os presentes parece que entenderam o recado.

PRECISA CONVERSAR
MAS, antes de definir uma escolha da Márcia Bittar para ser a sua candidata ao Senado, o governador Gladson vai ter primeiro que convencer os demais postulantes à indicação, Alan Rick, Jéssica Sales, Vanda Milani, Mailza Gomes, a retirarem as suas candidaturas para ter candidatura única no grupo.

SALVO-CONDUTO
UM IMPORTANTE secretário do governo está colocando o seu nome para ser o candidato a deputado federal pelo grupo palaciano da região do Juruá. Na verdade, ele quer um mandato como salvo-conduto para seus problemas jurídicos. Foi o comentário ouvido ontem de um deputado.

ADESÃO EM BRASILÉIA
NA REUNIÃO de ontem do governador com os partidos que vão lhe apoiar, o senador Márcio Bittar anunciou o nome da ex-deputada Leila Galvão como integrante do grupo que defenderá no Alto Acre a reeleição de Cameli. Será candidata a deputada estadual pelo REPUBLICANOS.

NOMES DE CANDIDATOS
Jairo Carvalho, Nelson Sales, Élson Santiago, Alysson Bestene, Moisés Diniz, Israel Milani, são nomes de ocupantes de cargos de confiança no governo que disputarão cargos eletivos na eleição de 2022.

MINHA CONVERSA É COM O POVO
O SENADOR Petecão (PSD) diz não estar preocupado com as articulações políticas do governador Gladson, o anúncio de pacotes de obras, afirmando, ser a sua conversa com o povo que se encontra desempregado e sem amparo.

MÁGOA INDISFARÇÁVEL
AMIGO que conversou recentemente com o ex-senador Jorge Viana (PT), diz sentir nele uma mágoa indisfarçável pelo fato de não ter conseguido uma aliança com o senador Petecão (PSD), de quem esperava apoio ao Senado.

GRANDE BLEFADOR
EM RELAÇÃO ao ex-senador Jorge Viana (PT), este sempre blefou na mesa do jogo político, nunca foi candidato ao governo, seu foco sempre foi o de voltar ao Senado.

COMEÇA A MELHORAR
A LIMPEZA das praças e ruas, iluminação pública, é o ponto alto até aqui da gestão do prefeito Tião Bocalon, com o dirigente da Zeladoria, Joabe Lira. E, agora já é visível a ação da PMRB na recuperação de ruas, com um trabalho de tapa-buraco de qualidade.

NADA A COMEMORAR
O DEPUTADO Daniel Zen (PT) comentou em sua página que, os professores não têm muito o que comemorar. E, alfinetou: “é do governo a responsabilidade dos professores do Estado estarem sem reajuste ou reposição de perdas salariais, por mais de 3 anos, e ainda tendo de encarar essa vergonhosa volta às aulas”. O Zen foi um excelente secretário de Educação.

FRASE MARCANTE
“A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes.” Winston Churchill.

Continuar lendo

Blog do Crica

Hora de ver quem tem café no bule  

Publicado

em

EM ELEIÇÕES PASSADAS era muito mais fácil se eleger deputado federal. A legislação permitia se lançar até 16 candidatos, e os partidos podiam se juntar em coligações proporcionais, somar votos, e eleger parlamentares com baixa votação.

Com a lei eleitoral modificada, cada sigla só poderá lançar em 2022, 9 nomes. E destes, tem uma parcela reservada às mulheres. Como o teto para eleger alguém deve ficar entre 53 mil a 57 mil votos, terão que ser candidatos com boa votação, não se pode pegar qualquer um no laço como era comum – mas, ter uma chapa competitiva. 

Quem tiver menos de 10 mil votos não vai aparecer nem na foto. A nova lei é boa, porque vai exigir que cada candidatura terá que se virar só, porque não poderão mais fazer alianças.

 Na eleição para a Câmara Federal, no próximo ano, será a hora de saber quais dos atuais deputados federais terão café no bule. Os caminhos para Brasília ficaram mais estreitos e difíceis.

NOVOS CAMINHOS

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) tem um reduto forte e cativo no Juruá. Tem sido uma presença constante em eventos políticos no Alto Acre e, principalmente, na capital, na busca de novos caminhos, onde é pouco conhecida. Comunicativa, ela vai longe.

NÃO TEM FICHAS

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha não tem fichas para derrubar o senador Márcio Bittar e o deputado federal Alan Rick (DEM), pelo comando da fusão PSL-DEM.

FICHAS NA MESA

O SENADOR MÁRCIO BITTAR vai chegar na mesa de negociação com o governador Gladson, para defender que a Márcia Bittar seja a sua candidata ao Senado, com cinco siglas aliadas. São o PTB-PSC-REPUBLICANOS- Fusão do PSL-DEM, PSDB e SOLIDARIEDADE. São as suas cartas.

EXTREMAMENTE BOLSONARISTA

DOS CANDIDATOS AO GOVERNO em 2022 a deputada federal Mara Rocha (deve ir para o PL) é a única que pode ser chamada de “extremamente bolsonarista”.

ATÉ NAS PAUTAS NEGATIVAS

A DEPUTADA FEDERAL MARA ROCHA esteve sempre ao lado do presidente Jair Bolsonaro até nas suas pautas mais malucas, radicais, antidemocráticas e negativas.

CANDIDATURA DESCOLADA?

O EX-PREFEITO de Senador Guiomard, James Gomes, trabalha sua candidatura para deputado estadual. A  dúvida  no caso é saber se ele apoiará a senadora Mailza Gomes (PP), com quem foi casado por longos anos?

TEMPOS BICUDOS

A FPA teve até 13 partidos na sua composição apoiando as gestões do PT. Fora do poder, a aliança do PT para 2022 terá apenas o conglomerado PCdoB-PSB-PV. O PSOL vai de solo próprio, para o governo como para o Senado.

INVESTIU PESADO

NÃO SE PODE NEGAR que, o governador Gladson investiu pesado em pessoal e equipamentos no sistema de segurança. E, que o secretário Paulo Cézar tem seu mérito nas ações que reduziram os índices de criminalidade.

COMEÇAR A SE PREOCUPAR

O PROFESSOR MINORU KINPARA (PSDB), terceiro colocado na disputa da PMRB, tem de começar a se preocupar com a formação de uma chapa com nomes competitivos, se quiser se eleger deputado federal. Até aqui, o PSDB não tem nem o esboço de uma chapa.

ESPERANDO O RESCALDO

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) pretende antes ver o que virá do rescaldo dos descontentes da escolha do candidato ao Senado do grupo do Gladson Cameli, para definir quem vai figurar na sua chapa para senador.

ARTICULAÇÃO FORTE

QUEM ESTÁ numa articulação forte para deputado estadual é o advogado Eduardo Ribeiro (PSD). Vem de uma família de políticos. O pai, conselheiro do TCE, Valmir Ribeiro, foi deputado estadual pelo MDB. E, seu tio Delegado Messias Ribeiro (MDB), foi prefeito de Brasiléia.

FORTE EM DOIS CENÁRIOS

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) joga em dois cenários para voltar ao protagonismo político no estado. Primeiro é se eleger senador. Não se elegendo, mas o Lula sendo eleito, o JV entra no jogo como ministro. Só vai para o purgatório se não se eleger, e se o Lula não ganhar.

VAI PARA AS URNAS

O PRESIDENTE DO PT, Cesário Braga, que sempre esteve atuando na montagem de chapas do partido, desta feita vai para a briga pelos votos, como candidato à ALEAC.

PASSANDO LONGE

O GOVERNO do Gladson Cameli tem uma oposição que não é omissa, mas bem longe da oposição sofrida pelo tio e ex-governador Orleir Cameli, massacrado na sua honra, principalmente pelo time de parlamentares do MDB.

NA SOMA GERAL, É POSITIVA

A VACINAÇÃO pela prefeitura de Rio Branco teve os seus pontos fora da curva, mas no somatório dos prós e contra, teve mais acertos que erros. Hoje, funciona bem.

SEGURO MORREU DE VELHO

O DEPUTADO José Bestene (PP) não vai ser candidato a deputado federal, como andou ensaiando, disputará a reeleição. É a velha história que, seguro, morreu de velho.

GOLPE NOS NANICOS

A NOVA LEGISLAÇÃO eleitoral foi um golpe duro nos pequenos partidos. Como não haverá coligação proporcional, perderam a importância no jogo. E, se quiserem almejar algo, terão que ter candidatos próprios.

DOIS VÃO PULAR FORA

DOS cinco nomes do grupo do governador Gladson Cameli que estão postulando o Senado, dois deles devem acabar buscando uma reeleição para deputado federal.

SE NÃO FOR BLEFE…..

TENHO ENCONTRADO muitas pessoas que manifestam o voto no ex-prefeito Marcus Alexandre a deputado estadual. Se as intenções forem transformadas em votos, e não for blefe, deverá ter uma votação bem expressiva.

FORA DA POLÍTICA

O MP tem de ser livre. Imoral, pois, este projeto de emenda constitucional que permite a ação de deputados em ingerência na formação do Conselho Nacional do MP.

TEMPO CORRE

ATÉ O MOMENTO, não se tem um movimento claro do governador Gladson Cameli se vai anunciar o seu candidato ao Senado até dezembro, como querem alguns grupos políticos. O tempo corre e continua a indecisão.

CARA PRÓPRIA

PARTIDO que quer crescer não pode ser puxadinho dos grandes partidos. O PSOL vai no caminho certo, quando lança dois nomes qualificados para cargos majoritários. O do advogado Sanderson Moura ao Senado, e do professor Nilson Euclides para o Governo. O resto é com o eleitor.

FRASE MARCANTE

“Brigar por política no atual cenário, é o mesmo que ter crime de ciúmes na zona de prostituição”. Autoria desconhecida.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados