Conecte-se agora

Desfecho de uma comédia pastelão

Publicado

em

A coluna tinha dado em primeira mão que o anúncio aconteceria. É ontem foi a primeira a dar oficialmente a notícia. Enfim, o que era esperado da comédia pastelão, que foi a participação do PT na última eleição no Acre, aconteceu: o deputado Ney Amorim saiu de malas e cuias do Partido dos Trabalhadores, onde militou por longos anos e cujo pai Josué Amorim, foi o primeiro vereador da sigla na Câmara Municipal de Rio Branco. A cúpula petista foi protagonista na eleição deste ano de uma série de trapalhadas políticas, que culminaram com a perda do governo, da vaga de senador e das três vagas de deputado federal. A arrogância não deixou os cardeais do PT fazer uma análise fria do novo momento eleitoral. Achavam que a eleição já estava ganha e cometeram a burrice de sair com dois candidatos a senador, na certeza que elegeriam os dois. Não avaliaram que o atual governo tinha um alto desgaste popular e que redundou numa onda anti-PT avassaladora. O PT, outrora poderoso, saiu da eleição como um partido nanico, com apenas dois deputados estaduais. A saída do Ney Amorim do PT começou a se desenhar no momento em que o governador, e por ordem dele os seus s secretários, partiram para destruir a sua candidatura e jogar todo o peso da máquina para reeleger o senador Jorge Viana. Não combinaram com o eleitor. Nem mel e nem cabaça. Morreram abraçados. Depois deste episódio da operação detona o Ney, deixou de haver espaço para ele e os irmãos Vianas no mesmo partido. O PT, que saiu pequeno da eleição, encolhe mais ainda com o adeus do deputado Ney Amorim (PT). E junto com ele levará um numeroso grupo de aliados petistas.

NÃO FOI O ZÉ DAS COUVES
O dirigente petista Cesário Braga tentou minimizar a saída do deputado Ney Amorim (PT), numa nota em que diz ser o PT maior do que os que o abandonam. Acontece é que o Ney não é nenhum Zé das Couves, teve mais de 100 mil votos com a máquina do governo contra ele.

RUMO INDEFINIDO
O deputado Ney Amorim adiantou que por enquanto não vai se filiar em nenhum partido e que só pensará no assunto adiante. Há a possibilidade de vir a se filiar com o seu grupo a um partido pequeno, aonde possa sentar na cadeira e não ter ninguém que peça para levantar.

CHUVA DE CONVITES
Ney Amorim recebeu uma chuva de convites de grandes partidos para se filiar. Até do futuro governador Gladson Cameli, que o chamou para entrar no PROGRESSISTA. Difícil que aceite.

NÃO TEM OUTRO CAMINHO
A prefeita Socorro Neri, a única que saiu incólume do desastre da FPA, por não transformar a PMRB em curral eleitoral, não tem outro caminho ao não ser acabar com o aparelhamento que o PT fez na máquina municipal, cortando cargos graciosos se não quiser afundar a sua imagem.

CUSTO BENEFÍCIO
É natural que dirigentes partidários se insurjam com a perda de espaços que tinham na gestão do prefeito Marcus Alexandre, mas isso não vai lhe desgastar, serão reações isoladas, a prefeita Socorro tem de ficar bem com o macro, com o povo. Novos tempos, novas práticas.

MOSTROU-SE FALIDO
O sistema de dar cargos graciosos para dirigentes partidários, líderes comunitários, politicamente, mostrou-se falido na última eleição, a prova é que o ex-prefeito Marcus Alexandre (PT) sofreu uma fragorosa derrota em Rio Branco. Cadê o voto dessa turma?

IMAGEM DE SERIEDADE
O que tem mantido a prefeita Socorro Neri com uma boa imagem perante a população é o seu trabalho de qualidade nas obras pela cidade e o fato da sua imagem popular ser o de uma gestora séria e que não transforma a máquina pública num convescote de afilhados políticos.

DEPÓSITO DE DERROTADOS
Mas, no momento em que transformar a PMRB num depósito de derrotados na última eleição, a prefeita Socorro Neri pode ficar na certeza que a sua imagem desabará para impopularidade.

NADA DO ALARMISMO PREVISTO
Os que apostaram que o futuro presidente Jair Bolsonaro seria um desastre e que não teria a capacidade de montar uma boa equipe de ministros, nesta primeira mexida das pedras no tabuleiro do xadrez político, perderam a aposta. Bolsonaro tem mostrado muita habilidade.

JOGADA DE MESTRE
A escolha do Juiz Sérgio Moro para Ministro da Justiça foi uma jogada de mestre. Só quem não gosta do Moro são os petistas, por ter prendido o Lula. Mas em contrapartida teve o amplo apoio popular, pelo fato da sua imagem ser a de um magistrado que não poupa os poderosos.

NÃO SABE DE NADA
Pela entrevista do professor Carlito Cavalcante ao BAR DO VAZ, mesmo na equipe de transição indicada pelo governador eleito Gladson Cameli, conhece pouco dos bastidores, ao ponto de dizer que não sabe nem onde ficará no futuro governo.  Só que não irá para Educação.

DESDE QUE NÃO SEJA O MÂNCIO LIMA
Amigos do futuro governador Gladson Cameli dizem que, ele não vai apontar nenhum candidato para a disputa do SEBRAE, mas que trabalhará para não permanecer o Mâncio Cordeiro.

NÃO VAI PROCURAR NINGUÉM
O senador Sérgio Petecão (PSDS) me disse ontem que não foi consultado e tampouco irá procurar o futuro governador para discutir indicar cargos no governo. Estou na minha, disse.

UMA OBSERVAÇÃO
Fez apenas a observação de que espera que não venha aproveitar ninguém ligado ao PT.

BOM TAMANHO
Um secretário de ponta do governo revelou ontem que, o único objetivo do governador no pouco mais de um mês que falta para terminar o seu mandato é pagar dezembro e o 13º salário. Na verdade é isso mesmo, mal vai sobrar tempo para arrumar as gavetas.

EM BOAS MÃOS
A Comunicação do governo Cameli não poderia estar em melhores mãos que as da jornalista Silvânia Pinheiro. Passou por redações e não tem arestas entre os colegas de profissão. Se acabar com o cabide de emprego que é atualmente o sistema de comunicação, começará bem.

POSIÇÃO DE ESPECTADOR
A posição dos dirigentes do PSL em relação ao governo Gladson Cameli é a de espectador. Caso estejam de olho na disputa da PMRB em 2020 não estão errados, terão que caminhar por uma vereda própria pelo fato de que o futuro governador apoiará um nome da sua coligação.

CHAPOLIM COLORADO
Quem poderá nos salvar? É o brado hoje dentro do PT. Acho que o senador Jorge Viana (PT), que deixa o mandato após o fim do ano, terá que se vestir de Chapolim Colorado para ser o salvador do barco adernado. Tem todo um passado de luta no partido que o credencia a isso

BEM LONGE
O atual governador findará o mandato com a impopularidade recorde e não será este nome.

RECONHECER OS ERROS
O PT não fez ainda uma avaliação da derrota. Mas quando for fazer, os seus dirigentes terão que para início de conversa se despir do manto da arrogância e reconhecer os seus erros.

NINGUÉM CHAMADO
Todos os nomes anunciados até aqui para compor a equipe de secretários do futuro governo foram escolhas pessoais do Gladson Cameli. Políticos com mandato andam reclamando que, até o momento não foram chamados para nenhuma consulta para indicação de um secretário.

PAGANDO O PREÇO
O deputado Jonas Lima (PT) diz que os dirigentes PT não podem reclamar que perderam dois deputados estaduais: “somente eu e o Lourival Marques fomos contra a aliança com o PCdoB, perderam estas vagas porque quiseram”. Neste ponto, o deputado Jonas está certo na análise.

LÁBIA DE DERRUBAR AVIÃO
Mas foi mesmo uma grande burrice política o PT abrir a sua chapa para o Edvaldo Magalhães (PCdoB) e o Jenilson Lopes (PCdoB) se juntarem só para usufruir do benefício. Conheço poucos deputados com a lábia do Magalhães, não é qualquer um que engabela os cardeais do PT.

MUDANÇA DE VERTENTE
Pelo que se tem escutado de quem anda pelos bastidores do futuro governo haverá uma mudança drástica no desenho da comunicação, que sairá da mídia tradicional para a mídia eletrônica. Ou seja, vai investir mais em quem consegue alcançar um maior público.

A VAGA É MINHA
O deputado Jairo Carvalho (PSD) está de olho em uma vaga de secretário no futuro governo. Diz que ficou acertado que se o partido foi aquinhoado com um espaço no primeiro escalão o indicado será ele.

CAMINHANDO PARA A BRANCA
A ex-vice-prefeita Branca Menezes (PSDB) pode chegar em 2020 com o apoio até do PSD do prefeito de Senador Guiomard, André Maia, na disputa da sua sucessão. É o que garante o deputado Jairo Carvalho (PSD). A cada dia o prefeito André vai ficando mais isolado.

NÃO PODE SER AFILHADO POLÍTICO
É natural que o governador eleito venha mais à frente pedir sugestões dos dirigentes partidários da sua coligação que lhe ofereçam opções de nomes para a ocupação de cargos no primeiro e segundo escalão. Quem teve o ônus de uma disputa dura contra o PT, tem de ter o bônus do poder. Não podem é repetir o erro de governos anteriores da oposição em que a maioria das escolhas se deu mais pelo compadrio. A indicação pode ser política, mas o indicado não pode ter como critério apenas ser amigo do político, tem de ter qualificação técnica. Não há outro norte a ser seguido: ou o governo monta uma equipe qualificada ou corre o risco de ser um desastre na gestão e ser tirado pelo mesmo povo que o pôs no poder.

Blog do Crica

Ninguém vai meter a cabeça agora

Publicado

em

NÃO ESPEREM no decorrer deste ano uma batida de martelo final por parte do governador Gladson Cameli e do senador Sérgio Petecão (PSD), os dois principais personagens que devem disputar o governo em 2022, sobre quem serão os candidatos das suas chapas para Vice e para o Senado. Vai ficar para o próximo ano. No caso do governador, terá que desatar o nó de ter quatro candidatos a senador do seu grupo político, para uma única vaga em disputa. E ver como vai conduzir as discussões com o MDB, que quer indicar o Vice da sua chapa. Já o Petecão, vai esperar a sobra do que vier de algum descontente por não ser o escolhido de candidato a senador pelo governador Gladson. Ao empurrarem a discussão sobre as composições de suas chapas para 2022, agem com sabedoria e prudência. 2021 é ano para se se buscar aliados, formação de chapa majoritária é para 2022. Até lá, vão continuar as discussões periféricas.

LUZ NO FIM DO TÚNEL
DIRIGENTES DO MDB viram no recuo do secretário Alysson Bestene de não se filiar no PSL, a mão do governador Gladson Cameli, para não dar como fato consumado a sua indicação para vice. Acham os emedebistas que, assim, fica aberto o caminho para a sigla discutir um nome seu para vice na chapa de Cameli.

NOME DO PARTIDO
O BLOG apurou ontem que, o nome que o MDB deve apresentar no próximo ano para vice do Gladson, quando as discussões forem abertas, é o da deputada federal Jéssica Sales (MDB). Só não querem antecipar o debate.

DADO COMO CERTA
É DADO COMO certa a reaproximação do governador Gladson com o grupo do ex-prefeito Vagner Sales, com o qual deve manter uma conversa final de recomposição.

LULA NA FRENTE
MAIS UMA pesquisa de opinião pública coloca o Lula na frente do Bolsonaro na corrida presidencial, a da XP IPESP. Lula aparece com 32%, contra 28% do presidente.

NINGUÉM GANHOU A ELEIÇÃO
A pequena diferença entre Lula e Bolsonaro, na verdade um empate técnico, mostra que o PT não está morto, mesmo alvo de escândalos e estando fora do poder.

SEM NOME ALTERNATIVO
EM TODAS as pesquisas que saíram este ano ficou caracterizada a ausência de um nome alternativo forte, para ameaçar as posições de Lula e do Bolsonaro.

O TEMPO VOA
NÃO ESPEREM ver o nome do prefeito Tião Bocalon em qualquer bandalheira. Mas só isso não é suficiente para deslanchar a sua administração, ele tem que ser mais humilde, dialogar com o povo, e fazer o feijão com arroz.

MUITO DESGASTE
O PREFEITO Tião Bocalon acumulou um desgaste muito grande, em pouco tempo de prefeitura de Rio Branco.

GARANTIDO EM LEI
SOBRE a greve dos professores, muito coesa na categoria, o deputado Daniel Zen (PT) argumenta que, o que o governo está apresentando como proposta, já está garantido em lei e são obrigações da Secretaria de Educação, e como tal têm que ser cumpridas.

BELO DE UM ABACAXI
A SECRETÁRIA de Educação, Socorro Neri, navega como pode nas discussões com os professores, mas o seu poder de decisão tem limites, ela esbarra na lei e nas finanças estaduais. Ganhou, ao assumir, um abacaxi de Tarauacá.

NÃO FECHOU AS PORTAS
A SECRETÁRIA Socorro Neri tem pontos ao seu favor: não fechou as portas do diálogo e não defendeu o corte de pontos dos grevistas. Diálogo sempre, é o caminho certo.

SEM CULPA NO CARTÓRIO
DADOS mostram Rio Branco com mais de 15% dos que tomaram a primeira dose da vacina, não tendo voltado para tomar a segunda dose. Não cabe neste contexto, criticar o secretário municipal de Saúde, Frank Lima.

PELO MENOS MONTOU
AO dar uma olhada nos nomes da chapa de deputado federal do PSL, nota-se que, se não é uma chapa dos sonhos, pelo menos o partido foi o primeiro a montar.

DIFICULDADES SÉRIAS
EXISTEM partidos grandes com sérias dificuldades de encontrar nomes que aceitem ser candidato a deputado federal, na eleição do próximo ano. Não será fácil.

NÃO ESTÁ PARADO
O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) tem feito visitas a bairros da capital, conversando sobre política. Fora do poder, o petista está naquela de, se não tem cão, caça com o gato.

SIBÁ ANIMADO
A VOLTA do Lula para a disputa presidencial animou o ex-deputado federal Sibá Machado (PT) a ser candidato em 2022. Sibá é PT de DNA, com prestígio na direção nacional, principalmente, com a ala mais ideológica.

EXPERT EM CHAPAS
O PRESIDENTE DO PDT, Luiz Tchê, trabalha para o partido ter chapas competitivas para a ALEAC e Câmara Federal. Tchê é expert em montar chapas para conquistar vagas.

HOMEM DO EMPRESARIADO
O ex-presidente do BASA, Marivaldo Melo, é quem tem ajudado o senador Sérgio Petecão (PSD), a buscar apoio junto ao empresariado, para sua candidatura ao governo.

DÊDA CERTO
O EX-PREFEITO Dêda está correto em esperar como ficarão as composições de chapas para filiar seu grupo. Não vai jogar a esposa e deputada Maria Antonia, numa chapa em que só ela tenha votos, e não se reeleja.

TENDÊNCIA NATURAL
A TENDÊNCIA natural, mantida a proibição de coligações proporcionais, é de que boa parte dos deputados estaduais se juntem num só partido, pela dificuldade em formar chapas próprias. Como aconteceu como PEN.

NEM UM PIO
A EX-PREFEITA de Brasiléia, Leila Galvão (MDB), não deu nem um pio sobre seu futuro político, se será candidata ou não no próximo ano. Não está errada, é muito cedo.

FRASE MARCANTE
“Guarda uma semente na terra que a terra te dará uma flor”. (Gibran Kahilil).

Continuar lendo

Blog do Crica

Uma disputa embolada sem favorito 

Publicado

em

PODEREMOS ter na eleição do próximo ano uma das disputas mais emboladas para o Senado, com seis candidaturas, sem um pré-favorito: Alan Rick (DEM), Vanda Milani (PRO), Márcia Bittar (partido a definir), Mailza Gomes (PP), Sanderson Moura (PSOL) e Jorge Viana (PT). 

O problema maior fica por conta do grupo do governador Gladson Cameli, que tem quatro dos seis candidatos sendo seus aliados.

 É incerto, pois, como este assunto será resolvido pelo governador, para conseguir apenas uma candidatura de consenso para integrar a sua chapa. Não há por parte de nenhum deles a inclinação até agora para recuar. Com os seis nomes postos na mesa vai ganhar o eleitor, que terá uma gama grande de opções para votar. 

É prematuro apontar um nome que entrará na disputa da única vaga do Senado, ostentando a capa do favoritismo. Isso será definido na campanha. Jogo feito.

FATO INDISCUTÍVEL

PODE-SE criticar o Gladson em outras facetas da sua administração, mas não se pode deixar de reconhecer que, ele foi incisivo em suas ações de combate da pandemia do Covid, e não seguiu os negacionistas.

TEVE VONTADE POLÍTICA

PODE-SE se falar que veio muito recurso do governo federal. Mas, em outros estados, muitos governadores usaram mal a verba, o que não ocorreu no Acre. Se o Gladson não foi perfeito, também não foi um omisso.

NINGUÉM ENTENDE O BOLSONARO

A CAMPANHA do presidente Jair Bolsonaro de acabar com o uso de máscaras para evitar a infecção pelo Covid, vai contra todas as recomendações médicas mundiais.

E TEM GENTE QUE APLAUDE

E, o mais grave é que, os seus seguidores o aplaudem.

OUTRO CONTEXTO

O ARGUMENTO que, nos EUA acabou a recomendação do uso de máscaras, não pode ser usado no Brasil. Lá, boa parte do povo foi vacinada e o número de casos caiu.

NÃO É PARA CURTO PRAZO

FOI POSITIVA a largada da construção do Anel Viário, em Brasiléia, pelo governador Gladson. Mas, esta não será uma obra de conclusão curta, vai entrar por todo 2022.

15 DE CARA NOVA

OS recursos estão garantidos. O governo deveria correr para acelerar o início do projeto de revitalização da orla do 15, que mudará a cara de um dos bairros mais tradicionais da capital. O projeto é da deputada federal Vanda Milani (PROS), que alocou a verba para a obra.

CAMPO DA ESPECULAÇÃO

ATÉ O RESTANTE deste ano, tudo o que se falar sobre candidaturas ao Senado e do espaço de vice no grupo do governador Gladson, ficará no campo da especulação.

O JOGO É PARA 2022

NEM o portão do estádio onde se dará a disputa da escolha dos candidatos ao Senado e de vice, na chapa do Gladson, foi aberto. O jogo só começa no próximo ano.

OPÇÃO POLÍTICA

O Jenilson Leite (PSB) é um bom deputado, e teria uma reeleição bastante favorável. Mas, disputar o governo é uma decisão que deve ser pensada, ele entra de zebra.

PURGATÓRIO DOS SEM MANDATOS

SE ELEITO governador, aleluia! Mas caso não ganhe, ficará um bom tempo no purgatório dos políticos sem mandato. Teria que esperar 2024 para, se quiser, disputar a PMRB.

QUASE CERTA

A POLARIZAÇÃO na ponta entre as candidaturas ao governo do Gladson Cameli e do Sérgio Petecão, é quase certa. Não será fácil a outro candidato quebrar este polo.

ELEIÇÃO DURA

E, não tenham dúvida que, será uma disputa muito dura.

COISAS DO MDB

O MDB está assim: o grupo do Flaviano Melo (MDB) e do Márcio Bittar (MDB), fechou com a reeleição do Gladson. O do prefeito Mazinho, com o senador Petecão (PSD), e o grupo do Vagner Sales (MDB), ainda não definiu o rumo.

NINGUÉM LEVA INTEIRO

NENHUM candidato ao governo levará o MDB inteiro para o seu palanque, na eleição do próximo ano.

PROJETO SOCIAL

O projeto “Passaporte para a Vitória,” do lateral direito do Flamengo, Léo Moura, vai ter dois núcleos no Acre, atendendo em média 300 crianças. Emenda do deputado federal Alan Rick (DEM) vai bancar viabilidade da ação.

NOMES DE PESO

O JURUÁ vem com três nomes de peso para deputado estadual, em 2022, todos eles com ampla chance de conseguir a reeleição: Luiz Gonzaga (PSDB), Nicolau Junior (PP) e Antônia Sales (MDB).

PANORAMA INDEFINIDO

A GRANDE expectativa da classe política, principalmente, os deputados federais, é de como ficará a legislação eleitoral. Se mantidas as regras, sem coligação proporcional, forçará os partidos a terem chapa própria.

APOSTA NA PULVERIZAÇÃO

O PT aposta na pulverização dos votos do grupo do governador, com vários nomes ao Senado, para inflar a candidatura do Jorge Viana (PT), com a esquerda unida.

FRASE MARCANTE

“Não arriscar nada é arriscar tudo”. (Césare Cantú)

Continuar lendo

Blog do Crica

Jéssica toca fogo na escolha do vice

Publicado

em

O ALVO principal da deputada federal Jéssica Sales (MDB), foto, na sua entrevista de ontem ao programa “Boa Conversa” do ac24horas, foi o secretário de Saúde Alysson Bestene, aos quais fez duras críticas ao seu trabalho. 

Jéssica, ao mesmo tempo em que procurou mostrar o que chamou de “incompetência” de Alysson, se colocou como uma opção de qualidade para ser a vice, numa eventual escolha do seu nome para estar na chapa do governador Gladson Cameli, na eleição do próximo ano. O que dá para se deduzir? Ficou bastante claro que o grupo da parlamentar não avaliza a indicação do secretário para vice do Gladson Cameli, que deve brigar dentro do MDB para que o partido ocupe o espaço da vice na chapa do governador. 

Isso mostra que a disputa para ser o vice na chapa de Cameli ainda vai ter desdobramentos até que venha ser oficializada. Apontar o vice continua sendo o cenário pelo qual o MDB vai brigar até o último round.

CHAMOU ATENÇÃO

O QUE CHAMOU também atenção na entrevista da desenvolta deputada federal Jéssica Sales (MDB), foi o relato das conversas de bastidores. Já conversaram com o grupo Sales o governador Gladson Cameli, o senador Sérgio Petecão (PSD), e o ex-senador Jorge Viana, mas com a ressalva que não houve acordo com nenhum deles.

APOIADA EM FORTE BASE

CONVERSEI ontem com importante figura política da oposição, e essa me disse que, a indicação da deputada federal Jéssica Sales (MDB) para ser a vice da chapa do governador Gladson deverá ser ancorada no apoio do MDB, PTB, REPUBLICANOS e PSDB. Ou seja, o jogo para vice ainda será jogado até a prorrogação.

CHAPA NA MESA

NO ATO da manutenção do Pedro Valério na presidência do PSL, a acontecer segunda-feira, deverão ser apresentados alguns nomes com nichos eleitorais de candidatos a deputado federal como Ulysses Araújo, Eduardo Veloso, Ana Beirute, Sargento Adonis, Fernando Lage, Lucila Brunetta, o próprio Valério e Rodrigues Pires.

A SE DESTACAR

É BOM RESSALVAR ser o PSL um dos partidos com maior Fundo Eleitoral para financiar as suas candidaturas proporcionais. O que interessa a uma sigla é ter em Brasília um maior número de deputados federais.

LARGADA DA OPOSIÇÃO

A OPOSIÇÃO faz a sua primeira grande reunião para discutir a eleição de 2022 e a chapa majoritária, só na próxima segunda-feira, a pedido do presidente do PSB, César Messias. PSB, PCdoB, PSOL e PT comporão o grupo.

APENAS NOS BASTIDORES

A OPOSIÇÃO vinha tendo manifestações pontuais, mas não discutiu ainda o projeto do grupo para 2022. Uma alternativa é uma chapa com o deputado Jenilson Leite (PSB) para o governo e Jorge Viana (PT) ao Senado.

QUESTÃO DECIDIDA

AMIGO próximo do ex-prefeito Raimundo Angelim revelou ontem ser questão decidida que este não seja candidato a deputado federal. Ficará apenas nos bastidores, ajudando as candidaturas do PT.

NOME MUITO FORTE

COSTUMO ouvir muitos comentários positivos sobre a candidatura do ex-prefeito Marcus Alexandre a deputado estadual. Deixou o poder, mas não perdeu a simpatia do povo. O que não é muito comum por estas bandas.

NÃO ME PERGUNTE

QUEM será o candidato ao Senado ao compor na chapa do governador Gladson Cameli, não sei responder. Acho que, hoje nem o Gladson tem resposta para a indagação.

NÃO VEJO ALTERNATIVA

AO NÃO ser que, surja algum nome fora do ponto da curva na disputa presidencial como alternativa, a polarização deve acontecer entre o Lula e o Bolsonaro.

GANHOU TODAS

OS BOLSONARISTAS querem a todo custo tirar o Tite do comando da seleção brasileira, sob o cômico argumento que, ele é “comunista” e ligado ao Lula. Querem tirar um técnico que ganhou todas partidas das Eliminatórias para a próxima Copa do Mundo. 

PÉS NO CHÃO

O GOVERNADOR Gladson Cameli está com os pés no chão. Foi taxativo na sua última entrevista de que não tem reeleição ganha, e que não se baseia na aceitação do governo.

LEI IMPEDE

POR MAIS boa vontade que o governador Gladson Cameli tenha de resolver as pautas da Educação e Saúde, ainda assim será difícil: o governo passou do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal com o gasto de pessoal.

 PP CALADO

ATÉ aqui o PP é o partido que não tem se manifestado sobre a disputa do Senado e da vice na chapa do governador Gladson Cameli. Seus dirigentes querem ver primeiro que rumo as discussões vão tomar em 2022.

NÃO ESTÃO ERRADOS

OS DIRIGENTES do PP não estão errados quando ficam calados, tudo o que se falar no momento é baseado em suposições, sobre como ficarão as composições eleitorais.

FRASE MARCANTE

“Não há prazer mais complexo do que o de pensar”. (Roberto Shinyaschiki).

Continuar lendo

Blog do Crica

Oposição sai do armário após carão

Publicado

em

DEPOIS da reprimenda pública do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB),  que criticou o papel passivo da oposição no tocante às eleições de 2022, os dirigentes dos partidos oposicionistas resolveram sair do armário. 

O carão dado pelo parlamentar comunista pautou uma reunião, que deve acontecer amanhã, em local a ser definido, com representantes do PT, PCdoB, PSOL e PSB, para abrir uma discussão inicial sobre metas a serem definidas para a eleição do próximo ano, principalmente, no que diz respeito às candidaturas majoritárias.

 O que se tem até aqui são especulações acerca da oposição lançar como candidatos majoritários, o deputado Jenilson Leite (PSB) ao governo e, o ex-senador Jorge Viana (PT) ao Senado. Para o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), o tempo de hibernação da oposição, após o fracasso retumbante nas eleições estadual e municipal, chegou ao limite, e propagou que, a hora é de sair da arquibancada.

NÃO FALTOU COM A VERDADE

O DEPUTADO Edvaldo Magalhães (PCdoB) não falta com a verdade; o PT, o principal partido da oposição, tem se limitado a uma ou outra crítica pontual ao governo do Gladson, ou a entrevistas do ex-senador Jorge Viana.

O BURACO É MAIS EMBAIXO

VÁLIDAS as visitas do secretário de Agricultura, Nenê Junqueira, aos municípios para traçar um plano agrícola. Uma coisa é você fazer reuniões, outra é prometer e cumprir. Acima da vontade, está a viabilização financeira. Por isso, é bom o secretário não fazer muitas promessas.

NÃO FOI BEM

As ações do deputado Roberto Duarte (MDB) têm sido no sentido de uma candidatura a deputado federal. Na eleição para prefeito da capital fracassou feio; por isso, é bom medir o tamanho das pernas, antes de novo desafio.

GREVE COM PAUTA

A GREVE puxada pelos professores pode até ser num momento inoportuno de pandemia, mas todas as suas pautas defendidas são justas, e exige uma posição mais clara do governo, se vai ou não atender as reivindicações.

FORTIFICA O MOVIMENTO

AO NÃO DAR uma pronta resposta decisiva sobre as reivindicações dos professores, o governo só fortifica o movimento, que continua forte nas ruas protestando.

CONVERSA ABERTA

O SENADOR Petecão (PSDS) ligou ontem para dizer que a conversa com o professor Minoru Kinpara foi só de convite para integrar o PSD, mas que, em momento algum ficou amarrada a sua vinda a ser candidato ao Senado. “Esta, é uma decisão do partido, e só em 2022”, disse o senador ao BLOG.

POSSIBILIDADE ZERO

SOBRE montar uma chapa que o tenha como candidato ao governo, e Jorge Viana para o Senado, o senador  Petecão (PSD) disse ser a possibilidade zero, e que nunca conversou com o PT sobre esta configuração em 2022.

NENHUMA DÚVIDA

O SENADOR Petecão (PSD) está agindo politicamente correto ao empurrar a escolha do candidato ao Senado do partido, para 2022. Mas, não tenho dúvida de que o  Minoru vai emplacar como candidato da chapa, quando a discussão for aberta no PSD, no início do próximo ano.

GOVERNO MUITO LOUCO

O MINISTRO da SAÚDE, Marcelo Queiroga, disse ontem na “CPI da Pandemia,” que a cloroquina é ineficaz contra o Covid-19. E, o presidente Bolsonaro insiste em chancelar a droga. É, ou não é, um governo muito louco?

MANDATO COM DESTAQUE

DESVINCULADA do poder, a vereadora Michele Melo (PDT), tem sido um dos destaques positivos da Câmara Municipal de Rio Branco, neste início de legislatura.

A HISTÓRIA NÃO REGISTRA

A HISTÓRIA não registra de forma positiva os políticos que se elegem para apenas dizer amém e sim senhor a quem está no poder. A bajulação é para os medíocres.

OCUPANDO ESPAÇOS

A esquerda avança na ocupação de espaços na América do Sul. Ganhou os governos da Bolívia, Argentina, Chile, e agora o governo peruano com o marxista Pedro Castillo.

CÚMULO DA HIPOCRISIA

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) se insurge com razão contra um projeto em discussão no parlamento, que veda qualquer ação contra quem invadiu propriedades rurais ou urbanas, enquanto perdurar a pandemia. Seria chancelar uma carta branca ao crime de invasões.

TENDÊNCIA É DERRUBAR

A AÇÃO que pede o fim do pagamento de pensões a ex-governadores, tende a ser acolhida esta semana no STF, e pôr fim ao benefício. Já existe jurisprudência no STF.

SINUCA DE BICO

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha está numa sinuca de bico. Se quiser ser candidato a um mandato parlamentar no próximo ano, terá que se afastar do cargo em março.

OUTROS TEMPOS

A DERROTA do professor Manoel Lima na disputa do SINTEAC mostrou ao PT que, os tempos mudaram, de quando elegiam quem queriam para dirigir sindicatos.

NÃO DEIXA DE LADO

MAIS UMA VEZ o deputado federal Alan Rick (DEM) se posiciona sobre um REVALIDA justo, ninguém defendeu mais os formados em Medicina no exterior do que ele.

SERÁ BRECADA

UMA DAS figuras que estacionou há décadas no diretório regional do MDB, disse ontem ao BLOG que, não há espaço para avalizar a candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ao Senado, na eleição de 2022.

SEM CRÍTICAS

A ESCOLHA DO veterano jornalista Antonio Muniz para ocupar cargo de confiança na SECOM do governo, foi justa. Muniz foi sempre a favor do projeto no poder.

TIROU DO BURACO

FALANDO em colegas jornalistas, o Raimundo Fernandes, ao assumir recebeu a Rádio Difusora Acreana sucateada, fez a emissora aumentar o alcance da potência e retomar a audiência. A Difusora voltou a ser a voz dos rincões.

NÃO É PARA BARGANHAR

AVALIAM MAL os que estão achando que, a candidatura da deputada federal Vanda Milani (PROS) ao Senado, é para barganhar espaços. É uma candidatura para valer.

FRASE MARCANTE

“A felicidade do corpo consiste na saúde e a do espírito na sabedoria”. (Tales de Mileto).

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.