Menu

Pesquisar
Close this search box.

PL que dispõe sobre cotas regionais aguarda parecer de comissão na Câmara

Entrada da Ufac - Foto: Sérgio Vale
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Objeto de polêmica recente no Acre, o bônus regional que beneficia candidatos ao ingresso em várias universidades federais do país a partir da comprovação de terem frequentado o ensino médio na localidade em que pretende cursar a graduação, além de outros possíveis critérios, tem um projeto de lei que prevê a sua regulamentação tramitando na Câmara Federal.


No caso do Acre, um estudante paraibano candidato ao curso de medicina neste ano derrubou na justiça, por meio de um mandado de segurança, a bonificação de 15% concedida pela Universidade Federal do Acre aos candidatos “locais”. A decisão judicial causou uma reação de outros estudantes que estão tentando, também na justiça, reverter a sentença.

Anúncios


Links relacionados:


Paraibano derruba na Justiça cota em favor de acreanos no curso de Medicina da UFAC


Sem prazo para recurso, advogados tentam convencer juiz sobre cota para acreanos na Ufac


Juiz Federal diz que bônus regional não é para beneficiar acreanos e que decisão seguiu o STF


O bônus regional é uma modalidade praticada em algumas universidades com a finalidade de oferecer um acréscimo na nota do Enem em determinada situação. No caso em questão, a espécie de cota é destinada a alunos residentes no Acre e que fizeram o ensino médio em escolas do estado.


É uma valorização dos estudantes locais, com o claro objetivo de se evitar que a universidade local seja apenas uma “passagem” para estudantes que vêm de outros estados para concorrer no Acre, o que, teoricamente, aumenta a dificuldade para o ingresso dos candidatos e não garante a permanência na região de profissionais depois de formados.


Ocorre que, oficialmente falando, não há uma regulamentação específica que conceda o bônus regional à nota do exame – pelo menos por enquanto. Tramita na Câmara Federal desde 2021 um Projeto de Lei, de autoria do deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP), que dispõe sobre a concessão de bônus aos candidatos em processos seletivos para ingresso nas universidades federais, segundo critérios definidos por seus colegiados.


O Projeto de Lei 3230/21 estabelece que as instituições federais de ensino superior poderão, consideradas as vulnerabilidades regionais e sociais, conceder aos candidatos em processos seletivos um bônus entre 10% e 20% na pontuação geral obtida na nota final do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).


Conforme o texto em análise na Câmara dos Deputados, o bônus regional será concedido para efeito na classificação final dos candidatos no Enem e terá os critérios definidos pelos colegiados das instituições federais de ensino superior.


“As diferenças regionais têm se revelado fator determinante para o acesso às oportunidades educacionais”, afirmou o autor da proposta, deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP), ao avaliar os resultados dos atuais processos seletivos.


Atualmente, o PL se encontra aguardando o parecer do relator na Comissão de Educação. No último dia 12 de abril se encerrou o prazo de cinco sessões para apresentação de emendas ao projeto (de 27/03/2023 a 12/04/2023). No entanto, não foram apresentadas emendas à matéria, que também tramitará, em caráter conclusivo, nas comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Com informações da Agência Câmara de Notícias.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido