O jovem Vitor da Silva Souza Pinheiro, mais conhecido pelo nome artístico “Thug Dog”, está a menos de dois meses de realizar um grande sonho. Ele irá encarar músicos e compositores renomados no cenário do Hip-Hop nacional no Duelo de Mc’s que ocorre todos os anos. Entretanto, pela primeira vez, a classe artística local celebra a chance de um representante acreano vencer a competição após chegar à final.

Trata-se de uma das principais batalhas de freestyle rap do Brasil, que será realizada no próximo dia 3 de dezembro na ponte Santa Tereza, em Belo Horizonte (Minas Gerais). Vitor iniciou a carreira musical aos 14 anos de idade. Hoje, aos 21, é rapper, escritor e compositor, considerado um dos nomes mais influentes nas Batalhas de Rimas do Acre, sendo destaque pela Família de Rua.

O artista é conhecido pela sua lírica afiada, marginalizada e contextualizada pelo histórico do Hip-Hop, destacando-se por um diferencial: não usar palavras de baixo calão, nem atacar pessoas de forma desrespeitosa. “Cresci e me desenvolvi cercado pela criminalidade e violência. Nasci em uma comunidade carente, pelas regiões do bairro Calafate. Fui criado por mãe solteira e irmão mais velho, mas atualmente sozinho”.

 

Vitor se viu na obrigação de trabalhar desde cedo para ajudar a família a colocar o pão de cada dia na mesa. “Apesar disso, nunca deixei de lado meus sonhos e metas”. Estudante do curso de História pela Universidade Federal do Acre (Ufac), busca manter firme o seu amor pela arte, em particular, a arte da rima, a arte do Rap.

 

“Comecei competindo em batalhas de ruas proporcionadas nas comunidades de Rio Branco e nos primeiros seis meses, fui campeão por diversas vezes em uma roda cultural da época, conhecida como Batalha de Rima da Praça”.  Ele afirma que é preciso chamar atenção do público do próprio estado, antes de subir ao palco. “Grandes artistas brasileiros estarão de olho nos competidores. Precisamos que o nosso público nos dê força, reconheça, uma vez que, infelizmente, o Rap ainda busca relevância na cultura acreana”.

 

A competição de Minas Gerais terá presença de inúmeras pessoas da mídia, cantores, compositores, escritores e poetas. Inclusive, um dos principais nomes que acompanham o evento é o músico/rap Djonga.

 

“Sabemos que aqui no Acre, esse tipo de Arte não tem tanta visibilidade.  Então, estamos lutando por essa visibilidade porque o Acre nunca trouxe o troféu para casa. Até então, os representantes acreanos nunca chegaram na semifinal e, agora, temos grandes chances de alcançar a final e trazer o Nacional, trazer visibilidade para o Estado e para o Rap”.

 

Além da paixão pelas competições, Vitor não deixa de lado seu talento nos palcos, atuando também como integrante de um grupo de artistas locais, o Off Clã. O grupo surgiu em meados de 2018, formado por cinco artistas que compõem e produzem músicas autorais: Gilmar Júnior (cantor e produtor de áudio); Israel Jesse (cantor, compositor e produtor de logística); Fitz Gerald (cantor, compositor e produtor de áudio) e Cassiano Marques (produtor de audiovisual).

Para o grupo, o Hip-Hop sofre preconceito desde que surgiu no Brasil, em 1988 e a falta de oportunidades e a negação é vista como uma realidade desanimadora, tanto para os artistas, quanto para o público que consome o produto. “O rap brasileiro é, sem sombra de dúvidas, um divisor de águas. Seja pela sua inovação musical ou pela capacidade de dar voz à uma parcela periférica da população, espalhando seus personagens, sua visão de mundo sobre a realidade e se fazendo visível e atuante na sociedade”.

 

Por fim, Vitor destaca que a arte salva a humanidade desde a pré-história, a partir do primeiro desenho em paredes de caverna. “Infelizmente, crescer mediante a fome e dificuldades, nos traz muitas dúvidas. Dúvidas até mesmo sobre quem somos e nosso caráter. Sou um jovem negro, pobre, acreano, lutando todos os dias por aquilo que precisamos constantemente: arte, cultura e literatura”.

 

O artista contabiliza um histórico de vitórias ao longo dos últimos 7 anos. Desde então, foram aproximadamente 205 competições, onde Vitor manteve resultado positivo numa porcentagem média de 70%, sendo o atual campeão estadual no Duelo Nacional de Mc’s, onde se consagrou finalista para representar o Acre em Minas Gerais.

Conheça algumas das vitórias mais importantes da carreira de “Thug Dog”

 

2017 – Campeão BATALHARTE:  Roda cultural organizada pela ArteTattoSkate, em parceria com a Studio Beer. Campeão invicto 12 vezes seguidas na Roda Cultural conhecida como Batalha da Praça.

 

2018 – Campeão Estadual – Duelo Nacional de Mc’s: Semifinalista na competição regional, em Rio Branco-AC.

 

2019 – Campeonato Estadual – Duelo Nacional de Mc’s: Semifinalista na competição regional, em Manaus (AM).

 

Campeão na Edição Rei do Palácio -Competição recorrente nas localidades do Centro de Rio Branco -AC.

 

2021 – Campeão da Batalha organizada na Oitava Semana do Hip-hop: Competição recorrente nas localidades do Bairro Apolônio Sales, em Rio Branco -AC.

 

2022 – Campeão da Batalha do Canal, pós-pandemia: Campeão da Batalha na Primeira edição do Especial Hip-Hop, organizada no Recanto Food&Beer.

Previous
Next
error: Este conteúdo é protegido.