Conecte-se agora

Em menos de três anos Prefeitura de Cruzeiro do Sul mecaniza quase quatro mil hectares de terra

Publicado

em

Alternativa tem resultado em um aumento significativo na produção de frutas, legumes e culturas tradicionais como a da mandioca.

O período de estiagem esse ano na Região do Juruá foi mais curto, as chuvas intensas que geralmente caiam a partir de novembro, vieram dois meses antes do esperado. Com a terra encharcada, a mecanização da terra fica quase impraticável, mesmo assim, a Prefeitura de Cruzeiro do Sul ainda insiste com o trabalho em algumas comunidades rurais. A meta é atingir pelo menos 1 mil hectares ainda este ano, atendendo o maior número possível de produtores.

A Secretaria Municipal de Agricultura segue um calendário obedecendo ao tipo de produto cultivado por cada comunidade. No início do verão são priorizadas, as áreas de produtores que plantam melancia e jerimum, a safra é rápida. Após a colheita desses produtos, a mesma terra é mecanizada e reaproveitada para o plantio da mandioca.

Todos os tratores utilizados são velhos, depois de cada jornada forçada passam por um rigoroso processo de manutenção para a próxima temporada. Mas o maquinário ganhará reforço nos próximos dias, pelo menos dois tratores novos adquiridos com recursos de emenda parlamentar estão assegurados para o próximo verão.

O secretário municipal de agricultura, Erni Dombroswski, enfatiza também, o auxílio que os microtratores têm dado as atividades mais voltadas para a agricultura familiar no plantio de hortaliças e legumes. “Além disso, os microtratores estão sendo utilizados na preparação dos roçados de mandioca em áreas que os agricultores chamam de arrancadores. Eles servem tanto para limpar como para roçar e revolver a terra”, explica Dombroswsk.

Estatística recorde
Nunca os produtores rurais de Cruzeiro do Sul tiveram tanto auxílio na parte de mecanização de terra. Desde o início da administração do prefeito, Vagner Sales até agora, já são quase 4 mil hectares de áreas mecanizadas e centenas de produtores atendidos. A reutilização das áreas degradas tem sido a alternativa encontrada pelos agricultores para seguir produzindo sem desmatar.

Este ano, apenas os barcos e caminhões a serviço da Prefeitura transportaram mais de 60 mil unidades de melancia, fruta que chegava a ser escassa nos mercados da cidade em alguns períodos. A produção de abacaxi, maracujá e pimenta do reino também já começa a crescer, com a aragem da terra.

“Uma das grandes preocupações da nossa administração sempre foi o incentivo a produção rural que gera emprego, renda e ainda abastece o mercado local. Mesmo com as dificuldades que temos com relação a maquinário, estamos alcançando estatísticas importantes nessa área de mecanização. Em comunidades ribeirinhas onde não é necessário mecanizar, levamos assistência técnica e distribuição de algumas qualidades de sementes. A minha luta agora é para conseguir a liberação de recursos para a aquisição de equipamentos e implementos agrícolas para tornar mais fácil a vida desses nossos bravos trabalhadores”, resume o prefeito, Vagner Sales.

Neto Vitalino, de Cruzeiro do Sul-Ac

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Vacinação da indústria e construção civil registra filas no Ginásio do Sesi

Publicado

em

A vacinação no Ginásio do Sesi contra à Covid-19 segue em ritmo intenso nesta quarta-feira (16). Imagens enviadas por populares mostram uma intensa movimentação de funcionários da indústria e construção civil em busca do imunizante.

No local, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) dividiu em dois lados a campanha de vacinação.

Do lado direito, os integrantes da construção civil podem ser vacinados sem restrição de idade, ou seja, dos 18 aos 59 anos, a categoria compõem a 4º fase de vacinação do Ministério da Saúde. Do lado esquerdo, a vacinação é para a população em geral que tenha entre 50 a 59 anos.

De acordo com informações repassadas por populares, a vacinação do grupo que tem de 50 a 59 anos, ocorre de forma célere pela baixa procura da população, já o público da construção e indústria de 18 a 59 anos, esperam até uma hora para receber a primeira dose contra à covid-19.

Continuar lendo

Acre

Pedro Longo pede posto de vacinação na Cidade do Povo

Publicado

em

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Pedro Longo (PV), disse nesta quarta-feira (16) em sessão virtual que considera a questão da vacina contra Covid-19 concentradora da atenção dos deputados e da sociedade.

“A vacinação é o caminho mais efetivo para que possamos deixar para trás estes tempos”, disse, relatando a questão da Cidade do Povo, cuja população passa por grande dificuldade devido à distância dos postos de vacinação.

Ele indica ao Governo do Estado criar um posto naquele bairro. O município de Rio Branco, destacou, já anuncia mutirão de vacinação, mas o parlamentar cobrou um Dia D da 2ª Dose.

“Só aqui em Rio Branco mais de 5 mil pessoas não tomaram a 2ª dose”, disse, pedindo busca ativa para localizar os faltosos.

Longo destacou também o ato do Instituto Ecumênico, que lançou manifesto pela vacinação geral.

Continuar lendo

Acre

Duarte considera desumano atendimento do 190 em Feijó

Publicado

em

O deputado Roberto Duarte (MDB), que se encontra em Feijó, disse na sessão virtual da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (16) que mais uma manifestação ocorre por falta de gestão e planejamento do governo. Os policiais penais reivindicam o “soldão” e a Lei Orgânica da categoria.

Duarte denunciou a situação crítica do Hospital de Feijó, que foi inaugurado em más condições pela gestão governamental anterior. Segundo o deputado do MDB, é necessário reconstruir a unidade.

Outra situação, disse ele, é quanto ao 190, o telefone de emergência da segurança pública. “As chamadas são atendidas em Rio Branco, que repassa para Tarauacá, que aciona, via WhatsApp, a polícia ou os Bombeiros de Feijó na ocorrência em questão. Não é culpa dos policiais daqui, mas do sistema implementado. Falta gestão”, criticou.

Continuar lendo

Acre

Acre fica de fora em autorização de nova importação da Sputnik V

Publicado

em

Mais uma vez o Acre não foi contemplado com a autorização para a importação excepcional da vacina Sputnik V. Após aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nessa terça-feira, 15, irão receber o imunizante os estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

A importação aprovada nesta quarta-feira também deverá ser realizada sob condições controladas. Para isso, foram estabelecidas as mesmas responsabilidades e condicionantes aos requerentes.

As principais condições preveem que a vacina deverá ser utilizada apenas na imunização de indivíduos adultos saudáveis; todos os lotes das vacinas importados somente poderão ser destinados ao uso após liberação pelo INCQS; a Anvisa receberá relatórios periódicos de avaliação benefício-risco da vacina; a vacina deverá ser utilizada em condições controladas com condução de estudo de efetividade, com delineamento acordado com a Anvisa e executado conforme Boas Práticas Clínicas; a Anvisa poderá, a qualquer momento, suspender a importação, distribuição e uso das vacinas importadas; dentre outros aspectos destacados no Voto do relator.

Na deliberação da Anvisa, também foram autorizados quantitativos reduzidos de doses a serem importadas para vacinação de 1% da população de cada um dos estados, o que permitirá o adequado monitoramento e ação imediata da Agência, caso seja necessário.

Veja os quantitativos da Sputnik V para os estados:

Rio Grande do Norte – 71.000 doses;

Mato Grosso – 71.000 doses;

Rondônia – 36.000 doses;

Pará – 174.000 doses;

Amapá – 17.000 doses;

Paraíba – 81.000 doses;

Goiás – 142.000 doses.

Fonte: CNN BRASIL 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas