Conecte-se agora

Prefeitura tenta desqualificar informações repassadas pela comunidade

Publicado

em

Os secretários de educação, Marcio Batista e de Obras, Claudia Cunha, emitiram nota de esclarecimento ontem (06), desmentindo a paralisação das obras da escola Padre Peregrino, conforme foi veiculado pelo site ac24horas. Segundo a nota, a matéria estaria em desacordo com a ética e a técnica do bom jornalismo e fora de contexto.

DOS FATOS:
No dia 03 de outubro foi enviada à redação do ac24horas, uma carta assinada pela comunidade inserida na escola Padre Peregrino, reivindicando, entre outras coisas, a continuidade da obra, que segundo a denúncia “estar parada há mais de 2 (duas) semanas. Inicialmente, nos foi divulgado que a previsão de entrega da Escola pela empreiteira seria até o dia 20 de outubro de 2011, fato complicado a contar da pausa de semanas no andamento das obras”, diz o texto.

Esta carta foi protocolada na Secretaria de Educação do Município. De posse das informações, a reportagem foi até o local onde está sendo construída a escola, na quadra 21, do Conjunto Tucumã. No local, o apontador e o Mestre de Obras responsável pela execução dos trabalhos, confirmaram o que os pais dos alunos haviam denunciado: a paralisação por falta de pagamento. Estes, temendo represálias, pediram para não terem seus nomes identificados.

A empresa que realiza as obras de pinturas, referida na nota de esclarecimento dos secretários, também confirmou que havia paralisado os serviços. A pintura foi terceirizada à empresa que está instalada na casa 23, da quadra 21, a 100 metros da obra da escola Padre Peregrino, onde a reportagem esteve ouvindo os funcionários.

O fato vem sendo acompanhado de perto por dois vereadores, um deles, da base do prefeito Raimundo Angelim, o vereador Roger, que insistentemente, vem pedindo soluções para vários problemas criados a partir do atraso na entrega da obra. Tanto é, que no próximo sábado, a comunidade escolar irá se reunir junto com vereadores e a própria secretaria de educação para resolver as questões apontadas.

Para dirimir quaisquer dúvidas, a reportagem publica na integra, a carta denuncia enviada ao site [e ao secretário] e a nota de esclarecimento divulgada pela secretaria de educação.  

Ao Excelentíssimo Secretário Municipal de Educação,
Márcio José Batista.
Assunto: resolução dos transtornos causados pela reforma da Escola Municipal Padre Pelegrino e conseqüente uso de estabelecimentos de ensino provisórios e inadequados.

Excelentíssimo Secretário,
Por intermédio do presente documento, os pais e responsáveis pelos alunos da Escola Padre Pelegrino, abaixo assinados, solicitam que sejam saneados os transtornos causados pela reforma e interdição do espaço físico da Escola Municipal de Ensino Fundamental Padre Pelegrino. Sabemos que foi destinado recurso superior a 1 (um) milhão de reais pelo Ministério da Educação para reconstrução da escola, uma vez que a mesma estava com a engenharia condenada há anos, inclusive pelo Corpo de Bombeiros.

Nesse sentido, conforme deve ser do Vosso conhecimento há vários meses que a escola vem funcionando de forma improvisada em vários locais diferentes, a saber: na Paróquia Sagrada Família, no bairro Tucumã, com 3 (três) turmas, sendo que 2 (duas) delas ocupam o mesmo espaço. Destas, a outra está funcionando dentro de um “Chapéu de Zinco”, sendo que todas estão com ventilação inadequada para lecionar aulas. Foi preciso dois pais de alunos para doar à turma os ventiladores para reduzir o desconforto gerado pelo forte calor, que prejudica a concentração e aprendizado.

Continuando, há outras 2 (duas) turmas de alunos improvisadas na Escola Darcy Vargas, na Rodovia Dias Martins, bem distante do endereço da Escola Padre Pelegrino. Já outras 2 (duas) turmas estão na Escola Terezinha Kalume, no bairro Rui Lino. Por fim, 3 (três) turmas estão no SEJA do Rui Lino (4º e 5º anos).

Assim, além do desconforto do local inadequado para aulas em alguns casos, há também a questão da mudança brusca de endereço, dificultando o acesso dos alunos por causa da distância entre os espaços improvisados para aulas e a residência do aluno. Isso porque em geral quando um pai vai matricular seu filho em um estabelecimento de ensino leva em consideração a proximidade da escola com a sua moradia, facilitando a rotina da família e a segurança do estudante.

Até mesmo a Sala de Recursos para alunos portadores de alguma necessidade especial está funcionando na Escola Terezinha Kalume, prejudicando a integração e sociabilidade dos alunos que fazem acompanhamento em contra-turno.

Por outro lado, nós queremos e estamos ansiosos pela reconstrução da escola de nossa comunidade. Por esta razão não entendemos e pedimos explicações como cidadãos sobre o porquê da reforma da Escola Padre Pelegrino estar parada há mais de 2 (duas) semanas. Inicialmente, nos foi divulgado que a previsão de entrega da Escola pela empreiteira seria até o dia 20 de outubro de 2011, fato complicado a contar da pausa de semanas no andamento das obras.

Aproveitando o ensejo, solicitamos que haja preocupação e resolução da questão da ventilação no ato de reforma da Escola Padre Pelegrino com climatização das salas de aula através de condicionadores de ar.

Visando a melhoria em todos os aspectos, solicitamos que a rua que dá acesso à escola Padre Pelegrino seja transformada em rua de mão única (sentido único de tráfego), pois devido à mesma ser muito estreita, vem causando engarrafamento e gerando perigo de acidente nos horários de pico (chegada e saída dos alunos).

Por fim e não menos importante, tendo em vista o fim do ano letivo que se aproxima, requeremos da Secretaria de Educação a prorrogação do contrato da ótima Professora Sebastiana, do segundo ciclo, tendo em vista que a turma em apreço já teve 2 (duas) professoras distintas no mesmo ano e que uma troca de professora a essa altura poderá prejudicar o desenvolvimento dos alunos. Para evitar tal fato, pedimos que a atual professora (Sebastiana) seja mantida como tutora da turma em continuidade ao excelente trabalho desenvolvido, junto com a professora que está voltando de licença médica, sem prejuízo para a turma e para as educadoras envolvidas.

Sem mais para a ocasião, transcrevemos os votos de cordialidade.
Rio Branco – AC, 3 de outubro de 2011.

 NOTA DE ESCLARECIMENTO
Em função da veiculação de informações inverídicas  no site AC 24Horas,  em desacordo com a ética e a técnica do bom jornalismo e completamente fora de contexto acerca da obra de reconstrução da Escola Padre Peregrino, no Conjunto Tucumã, a Prefeitura de Rio Branco  vem a público repor a verdade:
1-      A obra, iniciada em 13 de maio de 2011, não está paralisada. Muito ao contrário, grupo de pintores realiza nesta semana serviço preparatório (raspagem, limpeza) para aplicação da pintura, que se constitui na penúltima fase da reforma.

2-      Obras públicas são pagas por medição. Do valor total de R$1.027.126,82, parte é de recursos de convênio com o Governo Federal (FNDE Nº702389/2010) no valor de R$784.817.569,18. Do restante, R$242.309,26 são de recursos próprios do Tesouro Municipal, incluindo a contrapartida legal.

3-      A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Seduop), responsável pelo acompanhamento da execução do projeto, já realizou duas medições que resultaram na efetuação do pagamento de R$544.120,31 ante a liberação de R$575.877,86 dos recursos próprios e conveniados.

4-      O prazo de execução da obra é de 10 meses, conforme contrato assinado entre a PMRB e a empresa Destak Construções Ltda que anunciou para o próximo mês de novembro a entrega completa dos serviços. Assim, ao invés de atrasada, a obra está com seu cronograma adiantado. Nesta quinta-feira, 06 de outubro, a obra atingiu 85% do total a ser executado.

5-      Na próxima semana, a empresa contratada inicia a construção do muro da escola, que é a última etapa para conclusão da obra. A partir daí, a PMRB define a data de inauguração.

6-      Por fim, a PMRB prima pela qualidade em suas obras. A comunidade usuária da Escola Padre Peregrino ganhará um espaço moderno, confortável e adequado à melhor aprendizagem.  Essa é a verdade. Esse é o compromisso do prefeito Raimundo Angelim e sua equipe.

Rio Branco, 06 de outubro de 2011

Marcio Batista
Secretário Municipal de Educação

Claudia Cunha
Secretária Municipal de Obras Públicas

Acre

Sem nenhum óbito, Acre registra oito novos casos da Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informou na tarde desta quarta-feira, 20, o registro de oito novos casos da covid-19, elevando o número de infectados para 88.019, em todo o Acre.

Segundo o boletim, nenhuma notificação de óbito foi registrada nesta quarta, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 permaneça em 1.842 em todo o estado. 86.067 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 10 seguem internadas até o fechamento deste boletim.

Até o momento, o Acre registra 248.776 notificações de contaminação pela doença, sendo que 160.709 casos foram descartados e 48 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux.

Continuar lendo

Acre

Em Xapuri, população reclama de condição de ruas em bairros

Publicado

em

Quando foi executado em Xapuri, entre os anos de 2010 e 2011, o programa Ruas do Povo, uma das principais obras de alcance estadual do ex-governador Sebastião Viana, abriu e pavimentou em tijolos maciços mais de 10 quilômetros de vias urbanas no município, chegando a lugares onde havia apenas “caminhos”.

Passados mais de dez anos, parte da população da cidade localizada a 182 quilômetros de Rio Branco se ressente de o programa governamental não ter se antecipado a um problema que viria no futuro: os alagamentos do período de verão amazônico que já destruíram grande parte das ruas que foram calçadas.

Um dos exemplos dessa situação é o bairro Cageacre, que tem esse nome por estar o entorno de onde se localiza a sede da Companhia de Armazéns de Entrepostos do Acre no município. Naquela localidade, os moradores enfrentam há muitos anos os problemas com as chuvas, que inviabilizam as ruas.

Uma das moradoras, que pede para ter o nome mantido em sigilo, diz que os problemas começaram logo com as primeiras chuvas após a pavimentação das ruas. A região, que já era alagadiça antes das obras, teve a situação agravada por conta dos aterros feitos para a pavimentação do programa Ruas do Povo.

“Todos os anos é esse sofrimento. Nós sempre pedimos para o pessoal da prefeitura vir aqui nos socorrer, mas nada tem sido feito. É uma situação muito difícil, pois sabemos que a solução para isso aqui só é possível com a realização de uma obra grande e não temos esperança disso”, diz.

Procurado, o secretário municipal de Infraestrutura, Josué Ferreira, informou que a prefeitura já está trabalhando no local com o objetivo de desobstruir as passagens de água para, posteriormente, resolver o problema com a utilização de uma camada de piçarramento para amenizar a situação no bairro.

Canal do Ginásio Coberto

Situação parecida ocorre também na região de influência de um córrego que passa ao lado do ginásio de esportes da cidade, mas ali há o agravante de os moradores ano a ano fazerem aterros de seus terrenos e quintais, o que vem provocando o represamento das águas que muitas vezes invadem as casas.

A propósito, é nessa área que a população de Xapuri anseia pela construção de uma estrutura como a que foi feita no Canal da Maternidade, em Rio Branco, resguardadas as proporções, com áreas de lazer, ciclovias e espaço para a prática de atividades físicas, entre outros benefícios.

O córrego em questão representa desde sempre uma grande dor de cabeça para moradores e governantes municipais. Em toda a sua extensão é destino lixo e esgotos domésticos, além de ser habitat de insetos e cobras venenosas. No período chuvoso, provoca inundações de quintais, facilitando a ocorrência dos mais básicos problemas de saúde.

O curso natural, que foi sufocado pela povoação desordenada, começa nos fundos das residências localizadas na rua Pio Nazário, e passa ao lado do ginásio de esportes até desaguar no Rio Acre, após atravessar a rua 24 de Janeiro, entre os bairros Pantanal e Constantino Melo Sarkis.

Continuar lendo

Acre

Diretor do Sebrae no Acre recebe honraria da Força Aérea Brasileira

Publicado

em

Em reconhecimento ao trabalho realizado pelo Sebrae no Acre, o Diretor Técnico da instituição, Lauro Santos, recebeu na noite da última segunda-feira, 18, no Teatro Amazonas em Manaus/AM a Comenda de Membro Honorário da Força Aérea Brasileira, das mãos do Brigadeiro do Ar, Luiz Magarão, que é atribuído àqueles que contribuem a sociedade e em especial as diversas missões do 7º COMAR do âmbito da Amazônia Ocidental.

Este título é resultado de diversas ações do Sebrae no Acre com a Força Aérea Brasileira com o objetivo de fomentar o empreendedorismo no Estado. “Pra mim tem um significado muito grande e uma responsabilidade de dar continuidade ao legado da minha família, do meu pai…do meu avó, que fizeram parte da Força Aérea, contribuindo com o engrandecimento da pátria. Foi um momento emocionante que me fez lembrar a eles e que me deixou muito feliz com esse reconhecimento e que também aumenta a nossa motivação, o nosso estímulo de fazer uma parceria institucional entre o Sebrae e a Força Aérea Brasileira e articular outras parcerias com as demais entidades do sistema S promovendo o desenvolvimento da parte de assistência social através da atuação do Sebrae com a educação empreendedora, com a formação , com a criação e desenvolvimento de pequenos negócios”, disse o Diretor Técnico do Sebrae no Acre, Lauro Santos.

Dentre essas ações de articulação e parceria destaca-se o projeto de educação empreendedora que em conjunto com o 7º COMAR, premiaram, no dia 13 de julho, os vencedores do concurso cultural realizado a partir da exposição “1936: A trajetória – um voo pela história da aviação no Acre”.

A exposição ocorreu, de 15 a 27 de junho, em comemoração ao aniversário de 59 anos de elevação do Acre à categoria de Estado, no Memorial dos Autonomistas, em Rio Branco (AC). O evento celebrou os feitos da Aeronáutica Brasileira no desenvolvimento e integração do estado acreano, e contou com a réplica do caça F-39 Gripen, o novo vetor da Força Aérea Brasileira (FAB).

Continuar lendo

Acre

Expo Dubai, biodiversidade e o Parque Tecnológico do Acre

Publicado

em

Por

Por Senadora Mailza Gomes

Com o objetivo de explorar ideias, avanços científicos e tecnológicos, a Expo Dubai acontece de 1º de outubro de 2021 a 31 de março de 2022, em Dubai, nos Emirados Árabes. O evento reúne empresas, ONGs e governos para discutir negócios, tecnologia, urbanismo, sustentabilidade, ciências, cultura, economia, dentre outros. A exposição tem por tema “Connecting Minds, Creating the Future” (Conectando Mentes, Criando o Futuro”) organizada em três eixos temáticos: oportunidade, mobilidade e sustentabilidade.

Neste evento, o Governo do Brasil apresenta ao mundo o que tem feito para preservação do planeta e expansão da oferta de alimentos.

O pavilhão brasileiro destacará a temática Together for Sustainable Development (Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável), dividido em natureza, pessoas e o amanhã (Together for Nature, Together for People e Together for Tomorrow).

Alinhada com as necessidades mundiais, observando a realidade acreana, iniciei em 2019 um intenso trabalho para criação do Parque Tecnológico do Acre, justamente para atender essas demandas. O nosso estado dispõe de uma gigantesca biodiversidade ainda não compreendida, mas imensamente cobiçada e valiosa mundialmente. O Parque Tecnológico do Acre é a ferramenta necessária para transformar as riquezas das nossas matas em melhoria de vida para nosso povo através da Inovação, Pesquisa, Tecnologia, Desenvolvimento, Extensão e Economia Criativa.

Atualmente, está sendo finalizado o Ecossistema de Inovação de Rio Branco, que é a formulação de ações e diretrizes necessárias para criar o ambiente propício para fortalecimento e crescimento das ações de Inovação, Pesquisa, Tecnologia, Desenvolvimento, Extensão e Economia Criativa.

No final de setembro, apresentamos o projeto ao Ministro da Educação, Milton Ribeiro, junto com o SEBRAE e os mais de 50 parceiros, a penúltima etapa do projeto. O projeto já conta com o apoio da Universidade Federal do Acre, Instituto Federal do Acre (IFAC), Governo do Acre e Prefeitura de Rio Branco.

Na mesma oportunidade o Sebrae lançou o edital Inova Amazônia para seleção de projetos nos estados da Amazônia para desenvolver pequenos negócios, startups, empreendimentos e ideias inovadoras que tenham como premissa a exploração e o uso sustentável dos recursos da biodiversidade Amazônica.

Para dar início ao marco da história do Acre, no dia 11 de novembro será apresentada a última etapa do projeto onde serão dispostas as ações de captação de recursos, investimentos em ações de fortalecimento e estruturação dos parceiros e aberturas de bolsas para pesquisa e extensão, bem como capital para projetos de economia criativa.

Pela primeira vez na história, nós teremos um ambiente favorável para criar negócios. Também conseguiremos saber como a floresta pode gerar renda a quem mora nela através de inovação, pesquisa e extensão da biodiversidade.

O projeto dá oportunidade ao estudante de ensino médio de Jordão, por exemplo, de pegar aquela ideia dele e transformar num negócio promissor. Mas também oportuniza o agricultor ou seringueiro, em parceria com as universidades, a ter acesso a instrução devida e com isso melhorar a renda e ter novos caminhos de desenvolvimento.

O Parque Tecnológico do Acre é agricultura, empreendedorismo, governo, universidades e acadêmicos, é oportunidade de geração de renda, parceria entre instituições, acesso à informação. O Parque Tecnológico do Acre é a mudança na vida de todos.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas