Conecte-se agora

Obra do PAC, no Acre, sequer saiu do papel

Publicado

em

Quando o assunto é acelerar o crescimento, no Acre, o freio é mais usado que o acelerador. E não são poucos os exemplos. Na capital e no interior do estado, obras financiadas com recursos do maior programa de financiamento para construção de obras publicas dos últimos tempos, caíram no esquecimento ou simplesmente estão paradas por diversos problemas, na maioria, incompatibilidade entre o projeto e a execução.

Em Rio Branco, as obras de urbanização das áreas ás margens do Igarapé Batista, na região do Conjunto Manoel Julião refletem bem esse quadro. Contratada pela Secretaria de Obras do Estado para executar o lote IV do projeto, a empresa Engecal abriu mão de R$ 2,8 milhões e abandonou o projeto ainda na planta. A empresa venceu a licitação, mas nunca executou um dia de trabalho na obra.

Os responsáveis pela Engecal alegaram “acúmulo de obras”e preferiram desistir do contrato, atrasando em mais de um ano o cronograma pré estabelecido para conclusão dos serviços.

A engecal ficou responsável por urbanizar um dos trechos ás margens do Igarapé Batista, numa área que compreende os bairros Nova Estação e Manoel Julião. Pelo contrato, a obra deveria está pronta para ser entregue as mais de seiscentas famílias que seriam beneficiadas com o projeto, mas nada foi executado.

“Nós estamos readequando o projeto para atender mais famílias”disse o diretor executivo de obras da Secretaria de Habitação, Marcelo Menezes, responsável pelo gerenciamento dos projetos.

Essa readequação, significa na verdade, a abertura de novo processo licitatório para a contratação urgente de nova empresa para executar a obra. Pelo calendário inicial, esse trecho está com um atraso superior a doze meses, o que compromete a liberação dos recursos, mas Menezes garante que tudo está dentro do programado.

“Nossa situação de governo com a Caixa não tem problema nenhum, sempre fizemos os projetos com o acordo da Caixa. Tivemos pequenos atrasos nas desapropriações e isso faz demorar o processo, mas não temos riscos de perdermos os recursos porque todos os contratos foram reprogramados”, explica Menezes.

Reprogramar contrato, é o mesmo que atrasar o cronograma da obra e adiar por meses a entrega  do benefício á população. No mesmo projeto, em outro trecho, está explicito o comprometimento das empresas com a responsabilidade do cumprimento nas datas.

Na região que divide os bairros Nova Estação e Vila Ivonete, o canal construído pela empresa Etenge está abandonado, coberto pelo mato, apesar de ter sido erguido recentemente. No local, o aspecto da obra nem  de longe lembra um novo investimento, que deveria chamar a atenção pela beleza, não pelo abandono.

Jairo Barbosa – [email protected]

Acre

Covid-19 reduz, mas síndromes gripais atormentam acreanos

Publicado

em

Divulgado nesta quinta-feira (12), o novo Boletim InfoGripe da Fiocruz mantém indícios de crescimento de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG) na população adulta no Acre e em diversos Estados ao final do mês de abril, assim como sinalizado na semana anterior.

Os casos de Sars-CoV-2 (Covid-19) apontam interrupção de queda entre as notificações com resultado laboratorial positivo para vírus respiratórios, correspondendo a 37% nas últimas quatro semanas. No entanto, as demais síndromes respiratórias representam perigo para a população.

A contribuição dos casos associados ao vírus sincicial respiratório (VSR) segue sendo a maior entre os vírus testados, correspondendo a 41,2% do total de casos de SRAG com resultado laboratorial positivo para vírus respiratório entre os casos das últimas quatro semanas, ainda que esteja fundamentalmente restrito a crianças pequenas.

Referente à Semana Epidemiológica (SE) 18 (período de 1 a 7 de maio de 2022), o estudo tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 9 de maio.

A Fiocruz alerta que conta do sinal de possível aumento de casos na população adulta, recomenda-se atenção especial na rede laboratorial em todo o território nacional para identificação adequada de qual(is) vírus está(ão) associados a essa mudança de tendência recente, em particular para diferenciação entre casos de Sars-CoV-2 (Covid-19) e Influenza A (gripe).

Atualmente, 17 das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento nos casos de SRAG na tendência de longo prazo: Em Minas Gerais, há sinal de crescimento apenas na tendência de curto prazo. Entre as capitais, 17 das 27 apresentam indício de crescimento na tendência de longo prazo, entre elas Rio Branco.

Continuar lendo

Acre

Caseiro é morto a golpes de terçado na cabeça em chácara na Vila Acre

Publicado

em

O caseiro Arnaldo Ferreira Matos Filho, de 58 anos, foi encontrado morto dentro de uma casa em uma chácara localizada na Rodovia AC-40, na região do bairro Vila Acre, em Rio Branco.

Segundo informações da polícia, o cunhado de Arnaldo chegou na chácara no início da tarde e foi até a casa chamá-lo. Arnaldo foi encontrado morto dentro do quarto com cortes profundo na cabeça.

A Polícia Militar foi acionada e isolou a área para os trabalhos do perito em criminalística. Inicialmente o perito constatou três cortes profundo de terçado na cabeça.

O corpo foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos. O caso segue sob investigação dos Agentes de Polícia Civil da Equipe de Pronto Emprego (EPE) da Delegacia Especializada de Investigação Criminal (DEIC).

Continuar lendo

Acre

Bocalom joga “bucha” do Ruas do Povo para Gladson Cameli

Publicado

em

O prefeito Tião Bocalom (Progressistas) declarou nesta sexta-feira, 13, em solenidade na sede da prefeitura de Rio Branco que não deverá realizar obras de pavimentação nas 605 ruas do Programa Ruas do Povo que estão judicializadas por conta de uma série de irregularidades ocorridas nas gestões anteriores.

De acordo com o chefe do executivo municipal, a responsabilidade em solucionar a má qualidade dos serviços prestados à população é do governo do Estado, no caso, do governador Gladson Cameli. “O Ruas do Povo é responsabilidade do governo. Foram gastos mais de R$ 400 milhões, sendo R$ 200 somente na capital. Como a prefeitura vai resolver esse problema? A rua não é responsabilidade da prefeitura é do governo. Não é justo. A prefeitura não vai entrar nessa. Quem tem que resolver é o governo”, declarou.

Bocalom fez questão de adiantar que deverá junto a Procuradoria Geral do Município (PGM) acionar a justiça para que os responsáveis executem as obras. “O que não pode é a população pagar o prejuízo. Os responsáveis pela obra admitiram que pagaram por 97% das obras e na sua grande maioria está deteriorada. Eles não conseguiram nem prestar contas. Quem pegou e gastou esse dinheiro foi o governo do Estado e não a prefeitura”, comentou.

O prefeito deixou claro que se a prefeitura fosse pavimentar as Ruas do Povo deveria gastar mais de R$ 300 milhões. “A prefeitura não pode assumir um negócio desse”, garantiu.

Ao fim da sua justificativa, Bocalom afirmou que teme ser alvo de processo da justiça o que poderia acarretar em impeachment. “Estou preocupado em não virar réu”, encerrou.

Continuar lendo

Acre

Julgamento do caso Jonhliane poderá ser assistido via Google Meet

Publicado

em

O Caso Jonhliane será levado a Júri Popular nos dias 17 e 18 de maio, a partir das 8h, no Fórum Criminal, situado na Cidade da Justiça em Rio Branco. Para acompanhar o julgamento de forma virtual é preciso realizar cadastro por meio do WhatsApp (68) 9.9235-8362. O cadastramento se encerra na próxima segunda-feira, dia 16,  ao meio-dia, tanto para acompanhamento presencial, quanto on-line.

Já os jornalistas interessados em realizar a cobertura das sessões devem encaminhar e-mail, até esta sexta-feira, 13, para a Gerência de Comunicação do Tribunal de Justiça do Acre: [email protected], com o assunto “Credenciamento Júri”,  informando a quantidade de pessoas da equipe e o meio de comunicação.

Conforme o rito estabelecido pela Lei n° 11.689/2008, primeiramente serão ouvidas as testemunhas de acusação, posteriormente as de defesa. Em seguida, os réus – Ícaro José da Silva Pinto e Alan Araújo de Lima – serão interrogados pelo Ministério Público e defesa.

Após depoimentos, começam os debates entre acusação e defesa, réplica e tréplica. Ao final, os jurados votarão e assim a sentença é definida pela maioria dos votos. Então, o juiz Alesson Braz encerra o julgamento lendo a sentença perante aos réus e todos presentes.

Relembre o caso

Jonhliane foi vitimada em um acidente de trânsito, na manhã do dia 6 de agosto de 2020, na Avenida Antônio da Rocha Viana da capital acreana. Os acusados estão presos preventivamente. Ícaro foi denunciado pelo cometimento de homicídio doloso, omissão de socorro e embriaguez ao volante. Alan, por homicídio doloso.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!