Menu

67% das acreanas dizem que ter filhos há dez anos seria melhor

Foto: reprodução
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Uma pesquisa do portal Famitiva, especializado em planejamento familiar, diz que 67% das acreanas dizem que teria sido melhor ter filhos há dez anos. É a quarta maior taxa do País, perdendo para Amapá (80%), Rio Grande do Norte(75%) e Piauí(68%).


O estudo diz que as últimas décadas do século 20 foram marcadas por uma série de mudanças nas práticas e papéis sociais, atingindo várias esferas que compõem o cotidiano. “Uma delas foi a família: não por acaso, é comum nos dias de hoje escutarmos as pessoas dizerem que antigamente era mais fácil a criação dos filhos”.

Publicidade

Especialmente aquelas mães que vêm das gerações anteriores comentam as diferenças entre ter uma criança na atualidade e no passado.


“Muitos são os questionamentos feitos sobre a criação dos filhos na contemporaneidade e entre os fatores contrastantes entre ´o hoje e o ontem´, podem ser citados maiores índices de violência, assim como a maior carga de trabalho, sendo que muitas mulheres ainda não haviam adentrado o mercado profissional também. Outro aspecto frequente, com o qual é necessário lidar, diz respeito à tecnologia e a exposição excessiva dos pequenos a ela, que costuma entrar nos lares muito cedo”, diz a pesquisa.


Além disso, como apontam especialistas, acontece igualmente de haver uma cobrança excessiva às mães, tanto da parte das pessoas como vinda delas mesmas, em relação à criação que estão dando aos filhos, já que hoje existem tantos métodos e até mesmo manuais para isso, conferindo uma espécie de “busca por resultados” — o que consequentemente traz mais ansiedade e insegurança a elas. A lista do que deve ser feito para uma mulher ser considerada uma boa mãe pode ser grande e não é incomum encontrarmos na internet modelos prontos para isso. Pertinente ao assunto, em nosso último estudo, 58% das mulheres disseram considerar que há 10 anos atrás era mais fácil ter filhos.


O estudo teve abrangência nacional e foi realizado com mais de 2.500 pessoas, entre mulheres e homens, no período entre 11 e 25 de setembro de 2023. O método de coleta de dados foi feito por meio de questionário em formulário na internet.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido