Menu

Bocalom admite que deve deixar o PP e diz que Veloso pode assumir saúde

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

A edição do programa Boa Conversa desta sexta-feira, 2, entrevistou o prefeito Tião Bocalom (PP), que conversou abertamente sobre diversos temas, entre eles, o Carnaval 2024, eleições municipais e sua busca de um novo amor esse ano.


O gestor revelou que espera fazer a maior festa carnavalesca da história do município. “Primeiro de tudo que nós vamos correr atrás de fazer desse carnaval o melhor que Rio Branco já teve até hoje, assim como a gente já fez como a iluminação de natal. Carnaval a gente fez o ano passado com o governo, segurança perfeita. Por não estar no centro, faltou pessoas e a gente sentiu lá. Aí a gente entendeu que o carnaval é em frente a prefeitura, resgatando a tradição”, comentou,


O chefe do executivo do município deixou claro que a segurança será reforçada no espaço, com mais de 100 seguranças privados todas as noites. “O que a gente quer ali é paz”, explicou.

Publicidade

Bocalom destacou que todos os detalhes acerca da logística já foram montados, como por exemplo, o carnaval voltado ao público infantil e idosos. “O infantil no domingo e para os idosos também, vai ter carnaval para todo mundo”, mencionou, citando as atrações principais do evento: Wanderley Andrade e Rafa do Tambor da Bahia.


Obras e políticas


Tião ressaltou na entrevista que não há outra alternativa a não ser deixar o partido Progressista – que já tem pré-candidato às eleições deste ano. “Eu acho que não tem outro caminho para mim, na recebi uma carta para sair do partido, a deputada federal Socorro Nery já foi no meu gabinete me orientar a sair. A gente ver outros movimentos que me deixa preocupado, então se é por esse caminho o mais correto é ir para o PL onde o Márcio Bittar deixou as portas abertas. O partido já tomou a decisão que o candidato é o Alysson Bestene, então o que posso fazer, se estou sentindo que não sou bem vindo na casa, de novo vou ter que deixar minha casa”, declarou.


O gestor ainda revelou que o ex-presidente da República, Jair Bolsonaro deverá vir ao Acre abençoar a sua chegada ao PL. “Eu acho que o Acre é direita e Bolsonaro mais o trabalho que estamos fazendo”, garantiu.



O prefeito reconheceu que a sua decisão de não apoiar Gladson Cameli na sua reeleição, contribuiu para o pedido para deixar o PP. “Eu já tinha problema com a turma do PT, e depois a turma do Gladson começou a bater no Bocalom”, disse falando da boa relação com Gladson Cameli. “A minha relação sempre foi boa, só tivemos um arranhão, quando terminou a eleição ele disse que zerou tudo”.


Falando da sua vida pessoal, o prefeito disse que pretende arrumar uma parceira em 2024. “Evidentemente eu estou pensando formar uma família, sou homem de família, vivi 46 anos com dona Beth, fiquei 4 anos cuidando dela. Eu acho que um homem dificilmente vive sem uma mulher, eu penso assim. Uma companheira é sempre bom, vou tentar arrumar uma esse ano”, argumentou.


Ao fim da entrevista, Bocalom não descartou que o deputado federal Eduardo Veloso possa assumir o cargo de secretário de saúde de Rio Branco. ‘Existe a possibilidade” afirmou.


VEJA O VÍDEO:

video
play-rounded-fill

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido