Menu

Família de preso que morreu no Juruá promete ação contra Iapen: “davam 3 remédios por dia”

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Familiares do detento Cristiano Dias, de 46 anos, que foi encontrado morto nesta segunda-feira, 22, numa cela do presídio Manoel Nery, em Cruzeiro do Sul, prometem entrar com uma ação na justiça contra o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen).


A família afirma que Cristiano só deveria tomar um medicamento por dia, no entanto, tomava até três.

Publicidade

Em nota de esclarecimento, o Iapen informou que a provável causa da morte do preso seria parada cardíaca.


Segundo o Iapen, Cristiano fazia acompanhamento no Centro de Assistência Psicossocial (Caps) e estava sozinho na cela quando foi encontrado sem vida. “Ele esteve no Hospital do Juruá na sexta-feira (19), foi medicado e trazido de volta para a unidade prisional. Tinha um cuidador na ala dele”, contou o diretor da unidade prisional, Elves Barros.


Barros cita ainda que exames cadavéricos vão atestar a real causa da morte do detento. O Iapen garante dar suporte à família de Cristiano com o caixão. “Vamos fazer todos os procedimentos administrativos”, contou.


Esta é a segunda morte de detento ocorrida em Cruzeiro do Sul em 2024. No último dia 14, Ivan Souza da Silva, morreu por dengue, no Hospital Regional do Juruá, onde ficou internado por 18 dias. Segundo consta na Certidão de Óbito, as causas da morte foram hemorragia intraparenquimatosa, plaquetopenia e dengue. O Iapen disse por meio de Nota que havia pedido a transferência do preso para Rio Branco por meio do Tratamento Fora do Domicílio (TFD).


Já no dia 6, um indígena de 44 anos foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruzeiro do Sul, após apresentar sangramento anal. Ele disse ter sido estuprado no presídio Manoel Nery, na cela onde estavam outros 4 indígenas.


Tentativas de fuga

O mesmo presídio tem sido notícia também nos últimos dias devido às tentativas de fuga. Em 30 dias, foram 4 tentativas.


A segunda tentativa de fuga de 2024 do presídio Manoel Nery, em Cruzeiro do Sul, foi descoberta neste sábado,20, quando mais um buraco na parede foi encontrado pelos Policiais Penais, desta vez no Bloco 8.


Segundo a direção da unidade, durante procedimento de rotina, os Policiais notaram uma movimentação estranha na cela 810. Na verificação encontraram um buraco em uma das paredes da cela, frustrando o plano de fuga, de 13 detentos do local.


Assim como o 2 e o 7, o bloco 8 abriga faccionados. Desde o último dia 15, o Grupo Penitenciário de Operações Especiais- Gpoe, assumiu a segurança do bloco 7, de onde aconteceram duas tentativas de fuga. Celulares, chips, carregadores e barras de ferro foram encontrados no local, onde também ficam os faccionados. As visitas ao bloco 7 estão suspensas.


As últimas tentativas de fugas haviam sido registradas nos 21 e 27 de dezembro de 2023 e no dia 8 de janeiro deste ano, frustrando a fuga de 24 detentos.

Publicidade

Elves Barros disse que o Iapen já enviou reforço para Cruzeiro do Sul e vai mandar mais.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido