Menu

Pesquisar
Close this search box.

Ministério da Saúde incorpora vacina contra dengue ao Sistema Único de Saúde

Enfermeira prepara dose de vacina contra malária - REUTERS/Baz Ratner
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quinta-feira (21/12), a decisão de incorporar a vacina Qdenga, contra a dengue, ao Sistema Único de Saúde (SUS).


“O Brasil é o primeiro país do mundo a oferecer o imunizante no sistema público universal”, destaca a pasta. De acordo com a ministra da Saúde, Nísia Trindade, a vacinação deve começar em fevereiro.

Anúncios


A farmacêutica que fabrica o imunizante, Takeda, informou que a capacidade de fornecimento de doses ainda é limitada. Dessa forma, ainda não será possível disponibilizar a vacina em larga escala em um primeiro momento.


Teremos que priorizar áreas e grupos mais vulneráveis”, disse a ministra. “Estamos discutindo uma transferência de tecnologia com a empresa e é muito provável que consigamos um resultado positivo. Temos dois grandes laboratórios, Butantan e Fiocruz, com capacidade de produção para chegarmos à escala de que nosso país e população precisam.”


A incorporação foi analisada pela Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologias no SUS (Conitec), que recomendou a inclusão do imunizante na última quarta-feira (20/12).


“Agora, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) trabalhará junto à Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) para definir a melhor estratégia de utilização do quantitativo disponível, com público alvo prioritário e regiões com maior incidência da doença para aplicação das doses”, explica o ministério em nota.


O laboratório pretende entregar cerca de 5 milhões de doses em 2024, entre fevereiro e novembro. O esquema vacinal do imunizante é composto por duas doses.


“Para dar mais celeridade ao processo de incorporação, a consulta pública sobre a tecnologia foi realizada em caráter de urgência, por um período reduzido de 10 dias, e recebeu mais de 2 mil contribuições. Ainda durante as negociações com o fabricante, o Ministério da Saúde conseguiu uma redução de 44% no custo por dose: passando da oferta inicial de R$ 170 para R$ 95”, relata a pasta.


A Qdenga já é utilizada na União Europeia e países do chamado EEA (Islândia, Liechtenstein, Noruega), além da Grã-Bretanha, Irlanda do Norte, Indonésia, Tailândia e Argentina.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido