Menu

Jarude expõe acórdão em que TCE diz que Segov não deveria nem existir e base tenta minimizar

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O deputado Emerson Jarude (Novo) disse nesta quarta-feira (4) que após a denúncia da licitação de R$ 4 milhões com aquisição de veículos parece que teve gente que ficou com medo de ficar sem andar de carro novo. “Seu Donadoni, seu Calixto… segundo eles, o processo que trouxe aqui é uma carona e só utiliza 15% do contrato”, disse o deputado.


“Querem confundir a imprensa, a opinião pública. Segundo o TCE, eles sequer tiveram a preocupação de encaminhar a justificativa dessa licitação, de comprar tantos veículos”, destacou.

Publicidade

“Digam a verdade, que vocês estão deixando de comprar remédio, merenda, para bancar seus próprios luxos”, completou Jarude citando o acórdão do TCE dizendo que a Secretaria de Governo não deveria nem existir.


“Estávamos acima da LRF e sob um decreto por conta da Covid e o TCE disse que quanto a despesa com pessoal o Acre atingiu percentual de 51%, não foi observada LC 53 que estabeleceu o programa de enfrentamento ao Covid”, relatou, lendo o acórdão, que diz ainda que a postura de Gladson Cameli não adotou as medidas antes da criação de uma nova secretaria. “Gostaria que sabichão Calixto explicasse”, provocou Jarude.



A fala de Jarude provocou a reação do deputado Tanizio Sá (MDB), da base de apoio do governo. Ele afirmou que a Segov foi criada pela Aleac e diz que a gestão do governador Gladson Cameli é aprovada por 67% da população.


Para Sá, há problemas pontuais, como a questão das terceirizadas, que estão sendo resolvidas no governo, minimizou.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido