Menu

Bebedeiras e futilidades elevam assassinatos e são 25,7% das mortes violentas no Acre em 2023

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Bebedeiras e futilidades responderam por 25,7% dos assassinatos ocorridos no Acre entre janeiro e abril de 2023. Esse percentual é maior do que o período anterior (jan-ma) revelando que os motivos torpes, em geral, turbinados pelas rodadas de bebidas alcoólicas, seguem crescentes entre as motivações de mortes violentas intencionais (MVIs).


É o que se depreende dos dados do Observatório de Análise Criminal do Ministério Público do Acre. Entre janeiro e março, as MVIs decorrentes de bebedeiras e motivos fúteis somaram 23,6%. Assim sendo, em abril essa justificativa ‘assassinou’ 2,1% a mais que no período anterior.

Publicidade

Bebedeiras e futilidades são a segunda maior causa de mortes violentas intencionais no Acre, perdendo apenas para a matança promovida pelas organizações criminosas.


Apesar do intenso enfrentamento -só nesta quarta-feira (17) foram detidos oito integrantes de facções -as organizações criminosas promovem regularmente um banho de sangue nas cidades do Acre, especialmente em Rio Branco. Esse é um grande problema de segurança pública no Acre.


No que se refere à taxa de MVI por grupo de 100 mil habitantes, o Estado do Acre, que vinha se mantendo até 2015 abaixo da taxa nacional, apresentou em 2016 e 2017 crescimentos expressivos que resultaram em taxas sem precedentes históricos. Especificamente em 2017, o Acre teve a segunda maior taxa dentre os Estados brasileiros.


Em dois anos (2016 a 2017), o aumento na taxa foi de 142% em relação a 2015. A partir do ano de 2018, a taxa de MVI por grupo de 100 mil habitantes no Acre começou a apresentar redução, resultado que se repetiu em 2019, 2020 e 2021, voltando a recrudescer somente em 2022. “Releva dizer que a taxa apontada no gráfico para 2023 é resultante de um cálculo básico que envolve o número atuais de vítimas projetado para o final do ano, assim como a população projetada pelo IBGE para o ano 2023”, explica o Observatório de Análise Criminal do MPAC.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido