Conecte-se agora

Gladson Cameli se encontra com presidente eleito Lula ao entregar Carta da Amazônia

Publicado

em

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP) foi um dos governadores da Região Norte a aparecer na foto de entrega oficial da Carta da Amazônia ao presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. O encontro ocorreu nesta quarta-feira, 16, no estande do Consórcio de Governadores, durante a realização da COP27.

A carta pede uma agenda comum de transição climática para Amazônia e o documento assinado pelos nove governadores que compõem o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal contém todas as propostas de desenvolvimento sustentável da região, que precisam do apoio do governo federal e de países e empresas internacionais.

Cameli reforçou a Lula o compromisso de que o governo federal deve continuar tendo com todos os moradores da região amazônica e enfatizou que é preciso que os diversos agentes que participam da COP27 e que buscam soluções para o problema das alterações climáticas do planeta tenham em mente que a preservação da biodiversidade amazônica passa pela valorização humana.

“As pessoas que vivem na Amazônia precisam ter recursos para uma sobrevivência com qualidade de vida. E isso passa não só pela geração de empregos, mas também pela melhoria da nossa educação, da saúde pública, da segurança dos cidadãos e cidadãs, através de uma vigilância efetiva das nossas fronteiras”, completou.

Lula disse aos governadores, que “assinaria a carta sem reparos” e se comprometeu a estabelecer o diálogo entre o governo federal, os estados e os municípios. “É preciso dar aos estados e aos municípios as condições de cumprir as obrigações constitucionais”.

Participaram, ainda, da solenidade os governadores Mauro Mendes (MT) e Wanderlei Barbosa (TO). Como integrante da comitiva de Lula, a governadora Fátima Bezerra (RN) também esteve presente, além da futura primeira-dama, Rosângela Silva, a Janja, senadores, deputados federais e estaduais e secretários de Estado.

Veja a íntegra da carta:

“Carta dos governadores pela Amazônia

Sabedores da importância estratégica da Amazônia para o desenvolvimento nacional, os Governadores dos nove estados da Amazônia Legal reafirmam seu compromisso e seu espírito de cooperação em favor de políticas orientadas à conservação e ao desenvolvimento sustentável da Região.

Nesse novo quadro político resultante das eleições de outubro de 2022, expressamos a disposição em construir uma relação profícua e eficaz com o Governo Federal, baseada no respeito democrático, na observância da Constituição e do diálogo com os poderes constituídos nas esferas estadual e federal.

A urgência colocada pela emergência climática exige, igualmente, urgência na busca de soluções. Esse imperativo requer um diálogo com a comunidade internacional, com vistas a estruturar parcerias mais eficazes, bem como a observância dos princípios e o cumprimento dos compromissos assumidos na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima e nos Acordos de Paris.

A Amazônia é uma região de superlativos, contradições, desafios e oportunidades. A Amazônia também é um espaço multicultural cuja diversidade é um dos elementos que definem a identidade brasileira. A riqueza dos seus recursos naturais foi o motor, em diferentes momentos históricos, do desenvolvimento econômico e da projeção geopolítica do Brasil.

As transformações econômicas então geradas foram, porém, incapazes de reduzir as desigualdades e erradicar a pobreza extrema. O modelo de desenvolvimento vigente, para ser economicamente pujante, trouxe o custo de ser ambientalmente devastador e socialmente excludente.

Mudar isso requer uma nova cooperação entre os Estados da Amazônia legal e o Governo federal, orientada pela ciência, pela estabilidade e reforço institucional e impulsionada pela determinação e pela vontade política de ambas as partes. Essa cooperação demanda retomar o diálogo construtivo com os demais países amazônicos de modo a fortalecer sua concertação, bem como reforçar a capacidade de atuação da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA).

Um aspecto importante: nos últimos quatro anos os Estados da Amazônia alcançaram um nível de capacidade de relacionamento com organismos internacionais, com a sociedade civil, com instituições financeiras e até mesmo entre si que deve ser incentivado não pode mais retroceder e apoiado pelo novo governo federal no afã de se alcançar a melhor cooperação possível.

Urge superar a assimetria entre as responsabilidades legais assumidas pelas unidades subnacionais e suas precárias capacidades estruturais e financeiras. Esta contradição prejudica a presença e a efetividade de nossas ações no território, derivadas, em grande parte, da histórica centralização e do distanciamento do ente federal em relação à realidade amazônica.

No contexto dessa colaboração, propomos um esforço conjunto que permita maior celeridade na tramitação dos apoios internacionais, em particular aqueles na área financeira, de modo a transformar a realidade da floresta e das comunidades locais em prazos mais curtos. Precisamos da floresta viva, isto é, capaz de prover serviços ambientais e gerar remuneração por eles e pelos produtos dela derivados. Essa noção de vida” é o marco que nos permitirá a monetização da floresta enquanto nova “commodity” no mercado de bens e serviços ambientais.

A posição de liderar uma região vasta, complexa e essencial para o desenvolvimento do Brasil e a manutenção de fatores determinantes à existência humana neste planeta, como é a Amazônia, requer de cada Governador alto senso de responsabilidade pública neste Consórcio. Este mesmo compromisso esperamos das altas autoridades do Executivo federal e dos membros do Congresso Nacional na apreciação e tratamento de matérias de interesse da região.

Cumpre alavancar os meios para promoção do desenvolvimento sustentável da Região, particularmente com ênfase na inovação, no reforço da agregação de valor aos produtos florestais e da biodiversidade, por meio da bioeconomia. Tornar isso realidade exige aperfeiçoar as capacidades humanas e institucionais e mobilizar a ação empresarial. Ao mesmo tempo, é necessário conjugar os saberes técnico e ancestral para que o potencial produtivo da Amazônia se expresse por meio do aproveitamento racional das vocações da Região e com retorno justo e equânime para as populações locais. Esses esforços – nos planos doméstico e internacional – devem ter como premissa soluções práticas orientadas a dar maior dignidade aos 29,6 milhões de habitantes de uma região- chave para a conservação da biodiversidade e da estabilidade climática do planeta.

A saída para a adequação da economia brasileira no pós-pandemia passa, necessariamente, pela Amazônia. Não poderá haver um Brasil verdadeiramente desenvolvido, convivendo com uma Amazônia cuja maioria da população permaneça em condições que afrontam a sua dignidade, pela falta de saneamento, pela desnutrição e pelas carências nas áreas de saúde, educação e infraestrutura.

Um Brasil desenvolvido passa, necessariamente, por uma Amazônia viva, pulsante e conservada, capaz de expressar suas potencialidades ao mundo. Ainda é possível, mas a Amazônia que queremos, precisa acontecer agora.

Sharm El-Sheikh, Egito, 16 de novembro de 2022.”

Cotidiano

IBGE disponibiliza disque-censo para quem não participou do levantamento no Acre

Publicado

em

Para as pessoas que ainda não responderam ao Censo 2022, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está disponibilizando o disque-censo, canal com agendamento para a realização da atividade.

O atendimento ocorre por meio do número 137, das 06h às 19h30, para o cidadão responder o questionário novamente em formato presencial.

O morador escolhe o melhor horário para participar da pesquisa, que deve ser feita até o final de janeiro. Será necessário informar telefone, e-mail, endereço, nome do informante e ponto de referência. O sigilo das informações prestadas é garantido por lei.

Com a confirmação de que nenhum recenseador tenha visitado a moradia, uma nova data será marcada para a presença do IBGE na localidade.

O Censo constitui a principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios do País e em seus recortes territoriais internos, tendo como unidade de coleta a pessoa residente, na data de referência, em domicílio do Território Nacional.

Continuar lendo

Cotidiano

Chuvas podem chegar a 100 milímetros no Acre até 5 de fevereiro, aponta previsão

Publicado

em

Uma nova previsão climatológica para os próximos dias foi divulgada nesta segunda-feira (30) pelo Governo do Estado, mostrando que até o próximo dia 5 de fevereiro o prognóstico é de chuva com volume acumulado de 20 a 100 milímetros, “com indicativo de anomalia negativa” nos Vales do Juruá, Purus, Alto Acre e Baixo Acre, onde as chuvas deverão estar abaixo do esperado para o período.

“Há indicativo de anomalia positiva nas localidades dos municípios de Tarauacá, Feijó, Santa Rosa do Purus e Marechal Thaumaturgo, onde as chuvas deverão estar acima do esperado para o período”, relata a Secretaria de Meio Ambiente do Acre, que utiliza dados de diferentes agências para o prognóstico.

Segundo o informe repassado nesta segunda-feira ao Governo do Acre pela Agência Nacional de Águas (ANA), houve registro significativo de chuva nas últimas 24 horas em Rio Branco, onde choveu 48,2 mm; Brasiléia (40,4 mm), Capixaba (29,6 mm), Assis Brasil (25,4 mm), Espalha (21,0 mm) e Xapuri (18,4 mm).

Essas chuvas elevou o nível do Rio Acre em várias regiões, incluindo Rio Branco, que chegou à tarde desta segunda medindo 5,96 metros -longe de trazer algum risco de transbordamento.

Continuar lendo

Cotidiano

Gladson, Mailza e deputados do PP repudiam ameaça de agressão contra vereadora

Publicado

em

Em uma nota assinada por suas principais lideranças, o Partido Progressista repudiou, nesta segunda-feira, 30, a tentativa de agressão sofrida pela vereadora Eliane Rosita na última sexta-feira, 27, na Câmara de Vereadores de Bujari.

A vereadora teria sido agredida verbalmente e ameaçada de agressão física por um colega de parlamento, o vereador Gilvan de Souza (PCdoB). De acordo com relato da parlamentar, um outro vereador teria contido Gilvan, impedindo que a agressão se consumasse.

Eliane foi nesta segunda-feira, 30, à delegacia do município onde registrou uma queixa contra Gilvan.

Na nota, assinada pelo governador Gladson Cameli e pela vice Mailza de Assis, além dos deputados estaduais e federais, o Partido Progressista lembra que Gilvan já tem outras acusações parecidas e afirma que conta com o posicionamento do PCdoB e da presidência da Câmara Municipal de Bujari em relação às medidas que serão adotadas.

Confira a nota

NOTA DE REPÚDIO

Nós, do partido Progressistas do estado do Acre, vimos a público repudiar as declarações do vereador Gilvan de Souza (PCdoB) da cidade de Bujari que ameaçou e agrediu verbalmente a vereadora Eliane Rosita (PP).

No momento em que todos lutamos para livrar-nos da incômoda e vergonhosa posição entre os estados com os maiores índices de agressão e desrespeito às mulheres, a postura do vereador evidencia seu despreparo para representar homens e mulheres de sua comunidade.

O agressor é reincidente, tendo acumulado outros 2 Boletins de Ocorrência por agressão a mesma vereadora e uma assessora da Câmara Municipal de Bujari.

O partido Progressistas declara que oferecerá a vereadora Eliane Rosita todo o apoio inclusive com assessoria jurídica para dar ao infeliz acontecimento a punição justa e necessária.

Essa é uma agressão a todas as mulheres acreanas.

Aguardamos e confiamos no posicionamento do partido ao qual o agressor faz parte bem como da Câmara Municipal do Bujari a respeito das medidas que serão tomadas diante da absoluta falta de decoro político e parlamentar.

GLADSON DE LIMA CAMELI

Presidente Estadual Progressistas

MAILZA ASSIS DA SILVA
Presidente de Honra

Socorro Neri – Deputada Federal

Zezinho Babary – Deputado Federal

Gerlen Diniz – Deputado Federal

Maria Antônia – Deputada Estadual

Manoel Moraes – Deputado Estadual

Nicolau Junior – Deputado Estadual

José Bestene – Deputado Estadual

Continuar lendo

Cotidiano

ICMbio convoca mais técnicos para atuar no Acre e três Estados; veja lista

Publicado

em

O ICMBio publicou neste fim de janeiro mais uma chamada com servidores do concurso de 2022. Serão sete técnicos ambientais convocados para atuar no Acre, Amazonas, Pará e Rondônia.

Os novos servidores vão atuar nos Núcleos de Gestão Integrada (NGI) Alto Tarauacá-Santa Rosa do Purus, no Acre; Reserva Biológica do Abufari, no Amazonas; NGI Trombetas, no Pará; NGI Porto Velho, Base Avançada Porto Velho e NGI Guajará-Mirim, em Rondônia.

Eles terão até o dia 22 de fevereiro para tomar posse e, depois desta, 15 dias para entrada em exercício.

A lista completa com os convocados e a lista de documentos e exames de admissão pode ser acessada aqui

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.