Conecte-se agora

Safra da castanha começa com preço em alta no Acre

Publicado

em

Depois de enfrentar um período de queda no preço, motivado entre outros fatores pela pandemia, um dos produtos símbolo do extrativismo amazônico volta a ter uma boa expectativa de valor de mercado neste ano, de acordo com Cooperativa Agroextrativista de Xapuri (Cooperxapuri), que é associada à Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre).

A previsão para a safra da castanha em 2022 no Acre é animadora, segundo Sebastião Aquino, presidente da Cooperxapuri. Segundo ele, a expectativa de produção do estado nesta safra gira em torno de 1 milhão de latas (unidade de medida de venda da castanha in natura que corresponde a 11 quilogramas) – um montante superior a 10.000 toneladas.

Ainda de acordo com Aquino, apenas em Xapuri, que costuma, segundo ele, contribuir com um percentual que varia entre 15% e 20% da produção do estado, a castanha pode fazer circular na economia local cerca de R$ 10 milhões no decorrer de 2022. Isso porque a safra largou com o preço da lata sendo praticado acima do esperado no começo de janeiro.

“A previsão é de que seja uma safra de média a grande, o que significa cerca de 1 milhão de latas em todo o estado. Em Xapuri, a estimativa é de que a produção atinja entre 150 e 200 mil latas, fazendo circular cerca de R$ 10 milhões no município, em razão do bom preço com que a safra começou”, disse.

Nesse começo de janeiro, a lata da castanha está sendo comprada ao produtor pelo preço médio de R$ 70 reais. Dependendo da dificuldade de acesso ao local onde o comprador precisa ir buscar a castanha, o valor praticado pode ser um pouco menor, como uma espécie de compensação pelo maior esforço e custo despendidos para a retirada do produto.

Em setembro passado, em conversa com o ac24horas, o presidente da cooperativa de Xapuri já havia feito a previsão de que o preço da castanha largaria acima dos R$ 50 reais nesta safra. Nos últimos dois anos, entre uma safra e outra, o valor da lata da castanha chegou a cair pela metade, fazendo, em muitos casos, com que não compensasse a sua coleta pelo extrativista.

Na época, o presidente da Cooperacre, Manoel Monteiro, explicou em uma conversa com uma equipe da Embrapa que os motivos da queda do valor de mercado da castanha nesse período foram a existência de estoques do produto nas usinas e cooperativa – o que fez com que a busca pela compra ao produtor caísse – e a pandemia da Covid-19.

“Com os efeitos da crise sanitária, a Cooperacre, que é a principal indústria de beneficiamento da castanha do Acre, reduziu em 60% a capacidade de compra dos seus associados. Em números, isso correspondeu a uma queda superior a metade do que a cooperativa comprava antes do começo da pandemia”, explicou, à época, Manoel Monteiro.

Em 2022, o bom preço que vem sendo praticado no começo da safra se deve a uma corrida de empresas de fora do estado pela compra da castanha, principalmente do Peru, que não conseguiram cumprir com os contratos de exportação referentes à produção passada. Há, atualmente, uma concorrência pelo produto, cujo preço tende a continuar subindo.

Como ainda não comprou matéria-prima suficiente para iniciar o processamento, a Cooperacre ainda não pôs para funcionar as suas usinas de beneficiamento de castanha, o que deve ocorrer a partir do fim de janeiro. A empresa possui uma indústria em Rio Branco e outra em Xapuri que funcionam por um período de cerca de 8 meses por ano.

As safras da castanha sempre começam no mês de janeiro e se estendem por mais dois ou três meses, dependendo da região e do tamanho da produção. As castanheiras começam a soltar os ouriços a partir de dezembro, período em que não ocorre a coleta. Nos meses seguintes, os extrativistas começam o trabalho de quebrar os invólucros e retirar a castanha no meio da floresta.

Destaque 7

Eclipse total da Lua é visto no Acre

Publicado

em

Quem olhou para o céu na noite deste domingo, 15, conseguiu ver o primeiro e único eclipse lunar total em 2022. O fenômeno também é conhecido como “lua de sangue”, e acontece quando a Lua Cheia fica oculta pela sombra da Terra.

Com início as 21h27, o ponto máximo do eclipse ocorreu as 23h11, com o disco lunar completamente encoberto, fazendo com que o satélite natural ficasse com a cor avermelhada.

Fotos de Sérgio Vale e Daniel Cruz.

Continuar lendo

Destaque 7

No Acre, mãe e filho vivem drama de enfrentar o câncer e não ter apoio para tratamento

Publicado

em

O videomaker Kennedy Santos, do ac24horas, conta a história nesta semana dos servidores públicos Francilene Domingos e Kennedy Domingos – mãe e filho, que lutam para tratar um câncer descoberto recentemente.

Dona Francilene disse que dedicou toda sua vida aos pacientes da rede pública que acabou esquecendo da sua própria saúde – momento na qual foi diagnosticada com o câncer. Porém, a matriarca relatou que a pior fase foi descobrir que o filho também adquiriu um problema cancerígeno. “Cuidava tanto das pessoas que esqueci de mim”. Disse.

A servidora ressaltou que pouco tempo depois ela olhou para o filho, Kennedy Domingos e descobriu que ele também tinha a doença, após realização de exames, foi confirmado que Kennedy tinha o mesmo problema da mãe. “Fiquei triste e foi quando eu adoeci. No começo a gente não acredita, mas depois a ficha vai caindo, é difícil se manter firme”.

O militar destacou que o mais difícil, além da doença, é ter que lidar com o descaso na saúde pública. Segundo ele, a demora na marcação da quimioterapia atrapalha o tratamento. “Estou há 2 meses com o tratamento suspenso. Tem me prejudicado porque eu comecei a sentir bastante dores na cabeça e escarrando sangue. Acredito que a doença esteja aumentando”, declarou.

Com isso, o jovem acredita que os primeiros resultados no tratamento não foram satisfatórios e por isso buscou novas alternativas – um imunoterápico, porém, se deparou com o alto preço no mercado. “Através da internet comecei a pesquisar e ouvi falar desse imunoterápico. O médico disse que a medicação poderia surtir efeito. Ele me indicou uma clínica particular para indicar o remédio”, desabafa.

Entretanto, sensível à causa, diversos amigos de Kennedy resolveram criar uma vaquinha virtual com intuito de arrecadar cerca de R$ 200 mil reais. “Custa R$ 19 mil comprando do fornecedor na Europa”, explicou.

Bastante emocionada, a servidora mãe do jovem PM, relatou que não se preocupa tanto na sua saúde, mas sim, na recuperação do filho. “Ele vai conseguir esse dinheiro e vai ficar bom. Quando temos filho nos preocupamos mais com ele”, encerrou.

Assista o vídeo: 

video

RESPOSTA DO GOVERNO APÓS DIVULGAÇÃO DE VÍDEO:

Em resposta ao conteúdo da matéria exibida no ac24horas, onde relata o descaso do serviço público com os pacientes oncológicos. O medicamento Pembrolizumabe 200mg é aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), e incorporado pelo SUS no final de 2020 e incluído no padrão de medicamentos oncológicos da Unidade de Alta complexidade em Oncologia – Unacon em 2021.

A Sesacre não está medindo esforços para fazer a aquisição. Para isso, licitado nos pregões 154/2021 e 230/2021 e não teve sucesso. O item deu fracassado, diante disto, foi feito três processos de compra emergencial. Nos dois primeiros não houve cotação, no final de março de 2022 a Sesacre conseguiu adquirir e ordem de entrega foi emitida. Hoje estamos aguardando o fornecedor fazer a entrega do medicamento.

Kelcinéia Araújo de Souza
Gerente Geral da Unacon

Continuar lendo

Destaque 7

Custo para se construir no Acre subiu 1,34% em abril

Publicado

em

Os preços da construção subiram 1,34% em abril no Acre, mantendo a trajetória de aumento registrada desde o começo de 2022. Para se construir no Acre em março gastava-se R$1.648,13 (com a desoneração da folha de pagamento) mas no mês seguinte o custo já foi de R$1.673,57.

A situação é a mesmo em praticamente todo o país: o custo aumentou 1,21% em abril, alta de 0,22 ponto percentual em relação a março (0,99%) no Brasil. É a maior taxa desde agosto do ano passado. Mesmo assim, o acumulado nos últimos doze meses ficou em 15,00%, abaixo dos 15,75% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. No ano, o indicador atinge 3,52%. Em abril de 2021, o índice geral foi de 1,87%.

Os dados são do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) divulgados na 2ª semana de maio pelo IBGE.

Em abril, a parcela da mão de obra, com taxa de 0,24%, e apenas dois reajustes observados, caiu 1,51 ponto percentual em relação a março (1,75%), voltando ao patamar da taxa de fevereiro. Comparando com abril do ano anterior (0,18%), houve aumento de 0,06 ponto percentual.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, foi de R$ 1.567,76 em abril, sendo R$ 944,49 relativos aos materiais e R$ 623,27 à mão de obra. Em março, fechou em R$ 1.549,07.

A Paraíba foi o estado com a maior variação mensal, 4,57%, seguido pelo Rio Grande do Norte, com 3,64%. Apesar das duas maiores taxas dentre os estados estarem no Nordeste, devido aos reajustes nas categorias profissionais, o Centro-Oeste (1,51%) apresentou a maior variação entre as regiões, pelo segundo mês consecutivo, por conta das altas expressivas no setor de materiais de seus Estados.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 1,28% (Norte), 1,09% (Nordeste), 1,13% (Sudeste), e 1,43% (Sul). Já os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.570,98 (Norte); R$ 1.468,90 (Nordeste); R$ 1.624,46 (Sudeste); R$ 1.637,91 (Sul) e R$ 1.572,30 (Centro-Oeste).

O Sinapi, uma produção conjunta do IBGE e da Caixa, tem por objetivo a produção de séries mensais de custos e dies para o setor habitacional, e de séries mensais de salários medianos de mão de obra e preços medianos de materiais, máquinas e equipamentos e serviços da construção para os setores de saneamento básico, infraestrutura e habitação.

Em doze meses, construir no Acre acumula alta de 16,72%, uma das maiores do país.

Continuar lendo

Destaque 7

Nenhum petista do Acre foi convidado para o casamento de Lula e Janja que será no dia 18

Publicado

em

Por

A menos de uma semana do casamento, os convidados do pré-candidato a presidência Lula e da socióloga Rosângela Silva, a Janja, começaram a receber os convites com o horário da festa, que até então estava em sigilo. O evento será às 19h da próxima quarta-feira (18), mas o endereço segue em segredo. O vestido da noiva é assinado pela estilista Helô Rocha. A indicação foi da chef Bela Gil, que é amiga do casal e está entre os 150 convidados da festa.bJanja já acompanhava o trabalho de Helô Rocha e quis que ela fosse a responsável pelo modelo.

O casal, até agora, não tem planos de lua de mel. Lula e Janja vão tirar uns dias de folga e permanecerão em São Paulo, onde vivem desde o início do ano. Em uma reunião do PT, no início do mês, Lula falou sobre o tema. Disse aos presentes que está em “eterna lua de mel com Janjinha”, como se refere à noiva. O ex-presidente já tem agendas de campanha marcadas para a semana do dia 23 de maio no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Janja, como sempre, vai acompanhá-lo.

Os convidados que vêm de outras cidades foram sendo recomendados a chegar em São Paulo no dia 17 e bloquear a agenda do dia 18 de maio. Um dos poucos deputados que entraram na lista foi Alexandre Padilha, que é médico e atende os filhos do ex-presidente. O coordenador da campanha de Lula, o deputado Rui Falcão, também foi convidado. A escolha de poucos nomes para o evento tem causado ciumeira entre os parlamentares.
Na mesma reunião no PT, Lula falou sobre a importância da cerimônia, que será civil e religiosa. Disse que é “apegado às tradições” e que queria receber uma bênção e casar de papel passado, como fez nas suas duas uniões anteriores.

O casal não quer que o casamento seja um ato político, mas a celebração deve ser usada na campanha, segundo integrantes do PT. A ideia é contrapor Lula a Bolsonaro, dizendo que o presidente se apresenta como um homem de família, mas é petista que teve seus três casamentos realizados na esfera religiosa e civil e religiosa.

O ac24horas apurou que nenhum petista do Acre foi convidado para a festa. A reportagem consultou o ex-senador Jorge Viana, que confirmou que não foi convidado, mas que entende que é uma festa mais para a família dos noivos. “É uma lista que a Janja mesma está cuidando. Muitos familiares, é algo mais íntimo, é natural isso. Desejo a felicidade desse casal”, pontuou.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!