Conecte-se agora

Abraços e sorrisos entre Gladson e Petecão acenam fim do “racha”

Publicado

em

Aparentemente, o conflito ocasionado entre o senador Sérgio Petecão (PSD) e a Segurança Pública do Estado não atingiu sua relação com o governador Gladson Cameli (Progressistas). Pelo menos não em público. É isso que indica um vídeo propagado nesta quinta-feira, 19, durante inauguração de uma escola de ensino integral na Cidade do Povo, em Rio Branco.

Nas imagens, o governador aparece abraçando o senador Petecão em meio à solenidade. Cameli chegou a chamar Petecão de “meu senador” antes de se abraçarem.

Na inauguração de hoje, o senador anunciou o repasse de R$ 20 milhões para a área da Segurança Pública do Acre. Ao ouvir a notícia, Gladson comemorou. Nas últimas semanas, a Segurança Pública vinha travando uma quebra-de-braço com Petecão após o senador afirmar que tem medo de andar por bairros periféricos de Rio Branco por conta da insegurança.

Notas públicas assinadas e até sem assinaturas foram emitidas de dentro da Segurança. Houve trocas de farpas entre o governo e o senador pela questão “criminalidade”. Nesta quinta, o gesto entre Cameli e Petecão contrariou o que se comenta nos bastidores do palácio Rio Branco sobre um possível “racha” entre o senador e o governo Gladson.

Veja o vídeo:

[videopress OyLbmstM]

 

Acre

Varejo do Acre cresce acima da média nacional e avança 2,0%

Publicado

em

Em outubro de 2022, o volume de vendas no comércio varejista do Acre teve variação de 2,0%, 3º melhor resultado do País no período, perdendo apenas para Amapá (5,1%) e Roraima (2,1%). Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nesta quinta-feira (8) pelo IBGE.

O crescimento do varejo acreano foi bem maior que a média nacional, de 0,4% frente a setembro, na série com ajuste sazonal. Com isso, a média móvel trimestral avançou em 0,6% no trimestre encerrado em outubro no País. Na série sem ajuste, frente a outubro de 2021, o comércio cresceu 2,7%, terceiro resultado positivo consecutivo. No ano, acumulado foi de 1,0% e, nos últimos doze meses, ficou em 0,1%, primeiro resultado no campo positivo após 5 meses seguidos de quedas.

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas avançou 0,5% frente a setembro. A média móvel trimestral foi de 0,7% no trimestre encerrado em outubro. O volume de vendas frente a outubro de 2021 cresceu 0,3%. O acumulado no ano foi de -0,5% e o nos últimos 12 meses, de -1,0%.

Em outubro de 2022, na série com ajuste sazonal, cinco das oito atividades pesquisadas estavam no campo positivo: Móveis e eletrodomésticos (2,5%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (2,0%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,0%), Combustíveis e lubrificantes (0,4%) e Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,2%).

Por outro lado, os três grupamentos que mostraram queda foram: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (-0,4%), Tecidos, vestuário e calçados (-3,4%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (-3,8%).

Já as atividades do comércio varejista ampliado apresentaram resultados negativos: Veículos e motos, partes e peças, com -1,7% e Material de construção, com -3,5%.

Continuar lendo

Acre

Vídeo mostra alunas brigando em saída de escola da capital

Publicado

em

Um vídeo ganhou repercussão nas redes sociais nesta quinta-feira, 8, em Rio Branco. As imagens mostram a briga de duas estudantes, que discutiram e chegaram às vias de fato na pracinha de mototáxi, localizado no bairro Rui Lino, em Rio Branco.

A briga teria ocorrido no fim da tarde de quarta-feira, 7. O vídeo foi gravado com um celular de outro aluno, mostra que a discussão das meninas ocorre enquanto vários outros estudantes assistem a briga.

Contudo, a confusão inicia após uma delas ser empurrada e, após puxões de cabelo e tapas, populares se aproximam e separam as garotas.

VEJA O VÍDEO:

play-rounded-fill

 

Continuar lendo

Acre

Comissão é criada para apoiar o cooperativismo no Acre

Publicado

em

A partir desta quinta-feira, 8, como forma de incentivar a geração de emprego, trabalho e renda, o Acre conta com a criação da Comissão de Apoio ao Desenvolvimento do Cooperativismo no Estado do Acre – CADCOOP Comissão de Apoio ao Desenvolvimento do Cooperativismo no Estado do Acre (CADCOOP). O mecanismo terá como objetivos apoiar e auxiliar na concepção e execução de programas, projetos, planos e ações que visem o desenvolvimento da política estadual de apoio ao cooperativismo.

De acordo com a portaria de criação, a comissão vai apoiar na administração do Fundo de Apoio ao Cooperativismo – FAC, apoiar na captação de recursos para alimentar o FAC, apoiar na concepção e execução de programas, projetos, planos e ações voltados para o desenvolvimento do cooperativismo e apoiar na concepção e adequação de marcos legais e instrumentos normativos.

A Comissão de Apoio ao Desenvolvimento do Cooperativismo no Estado do Acre é composta pela Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia – SEICT; Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA; Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG; Junta Comercial do Estado do Acre – JUCEAC; Sistema OCB/AC; Assembleia Legislativa do Acre, através da Frente Parlamentar do Cooperativismo – FRENCOOP/AC; Federação das Indústrias do Estado do Acre – FIEAC e a Associação dos Municípios do Acre – AMAC.

Continuar lendo

Acre

Com voto favorável da bancada do Acre, PEC da Transição é aprovada

Publicado

em

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (7) a PEC da Transição (PEC 32/2022), que libera R$ 145 bilhões para o novo governo, fora do teto de gastos, pelo prazo de dois anos.

Enquanto alguns senadores defendiam prazo e valores menores, outros pediam a manutenção do texto que havia sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nessa terça-feira (6).

Ao fim de quatro horas de discussão intensa, a PEC foi aprovada com 64 votos a favor e 16 contrários, no primeiro turno, e confirmada por 64 a 13 votos, no segundo turno de votação. A PEC agora será enviada para a análise da Câmara dos Deputados.

Os três senadores do Acre -Marcio Bittar, Mailza Gomes e Sérgio Petecão – votaram favoráveis à PEC. O PP de Mailza Gomes havia orientado seus senadores a votarem ´não´.

Cerca de metade desse dinheiro, R$ 70 bilhões, poderá garantir a continuidade do pagamento do Auxílio Brasil, que voltará a se chamar Bolsa Família, no valor de R$ 600 por mês, com uma parcela adicional de R$ 150 para cada criança de até seis anos nas famílias beneficiárias. O cálculo é do autor da PEC, senador Marcelo Castro (MDB-PI). Ele também adiantou que R$ 16,6 bilhões poderão ir para políticas de saúde (como o programa Farmácia Popular), R$ 6,8 bilhões para assegurar o aumento real do salário mínimo e R$ 2,8 bilhões para reajuste salarial de servidores do Poder Executivo.

Os números são estimativas, já que a PEC não estipula como o dinheiro deve ser usado. Castro também é o relator-geral do Orçamento de 2023 (PLN 32/2022).

A PEC também retira do teto de gastos, de forma permanente, uma série de outras despesas que tenham custeio próprio: Projetos socioambientais ou relativos às mudanças climáticas, se custeados por doações ou acordos judiciais; Obras de infraestrutura em plano integrado de transportes, se custeadas por operações de crédito com organismos multilaterais; Obras e serviços de engenharia, se custeados por transferências dos entes da federação para a União; Despesas das instituições federais de ensino e das Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs), se custeadas por receitas próprias, doações ou convênios. As doações para projetos ambientais e instituições de ensino passarão a ficar isentas de tributação.

Além disso, a PEC permite o uso de 6,5% do excesso de arrecadação de 2021 — avaliado em R$ 22,9 bilhões — por fora do teto de gastos no próximo ano para uso em investimentos.

Em outra frente, o texto flexibiliza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para que o governo não seja obrigado, em 2023, a indicar a fonte das receitas adicionais para o pagamento do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás. A LRF proíbe expressamente que se aumente despesas permanentes sem indicar a fonte de recursos, sob pena de crime de responsabilidade.

Uma das últimas mudanças acrescentadas ao relatório foi uma permissão referente ao uso de verbas dos Fundos Nacionais de Saúde e de Assistência Social. As transferências feitas desses fundos diretamente para os de estados e municípios para ações contra a pandemia de covid-19 poderão ser usadas até o fim de 2023.

A PEC também abre espaço para que a equipe de transição insira gastos no Orçamento de 2023, através das emendas do relator-geral. Segundo o texto proposto, o relator poderá apresentar emendas relativas a pedidos da transição e elas não precisarão seguir os limites aplicáveis às emendas orçamentárias. Essas emendas deverão ser classificadas, excepcionalmente, nas rubricas RP 1 (despesa primária obrigatória) ou RP 2 (despesa primária discricionária), em vez de na rubrica RP 9, que identifica as emendas de relator.

Fonte: Agência Senado

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.