Menu

Acre tem 2018 negativo na geração de empregos celetistas

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O Acre seguiu a tendência de resultados ruins na geração de empregos em 2018 na maioria dos estados, registrada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do extinto Ministério do Trabalho. Segundo os dados oficiais, o estado fechou o ano passado com um saldo negativo de 1,23% na oferta de vagas no mercado.


Em dezembro, esse resultado foi de -0,91%. O desempenho negativo chama a atenção por o último mês do ano por conta do aquecimento da economia proporcionado pelo consumo em alta.


Com a incerteza do pagamento do 13º salário dos servidores públicos – a principal força da economia local – muitas pessoas preferiram a cautela na hora de gastar o dinheiro nas compras dos presentes para as festas de fim de ano.

Publicidade

Se considerada a série histórica do Caged, pode-se concluir que o não pagamento do salário adicional pelo governo Sebastião Viana (PT) seja o grande culpado pelo desempenho ruim na geração de empregos. Desde 2004, quando se iniciou a aferição, o Acre teve todos os meses de dezembro com resultados para baixo.


Tanto assim, o comércio foi o único setor a fechar dezembro no azul quanto à contratação de mão-de-obra – o saldo positivo entre demissões e contratações foi de 0,69%. O segmento de serviços, que também reflete o humor do consumidor em gastar seu dinheiro, registrou mais desligamentos do que admissões: -1,24%.


Os setores com os piores desempenhos, entretanto, foram os da construção civil e da indústria, refletindo o momento de quase letargia da economia acreana. As construtoras tiveram um resultado vermelho na abertura de vagas de -4,58% em dezembro; no acumulado do ano foi -5,56%.


Já a indústria ficou em -3,54% no último mês do ano, fechando 2018 com -1,28%.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido