Conecte-se agora

Sob a batuta do Carioca, nova geração assume a presidência do PT do Acre

Publicado

em

Um dos mais próximos aliados do articulador político Carioca Nepomuceno assume o PT acreano. O jovem militante Cesário Braga é seu discípulo direto além de amigo pessoal. Apesar de assumir a presidência do partido por um período de apenas seis meses, completando o mandato iniciado pelo deputado estadual Daniel Zen (PT), Cesário poderá se qualificar para vencer a próxima PED (eleição direta interna) do PT no Acre. Segundo o que me disse o próprio Daniel Zen que entregou a sua carta de renúncia definitiva, já que estava apenas afastado durante o período eleitoral quando foi substituído por André Kamai, o sistema de escolha dos presidentes regionais do partido poderá mudar. “Estão estudando no Diretório Nacional a possibilidade de haver eleição Congressual e não mais direta. Mas isso ainda não está confirmado,” afirmou. De qualquer maneira depois de todos os acontecimentos internos do PT durante a eleição de 2018 no Acre, com Cesário na presidência, o grupo do Carioca sairá fortalecido e a tendência é uma nova geração de petistas assumirem o protagonismo da legenda no Estado. Mesmo assim Zen acredita que se acontecerem eleições diretas internas no meio do ano haverá uma disputa cerrada entre grupos políticos petistas e Cesário poderá se credenciar dependendo do seu desempenho.

Escombros
Cesário vai assumir o PT depois de 20 anos no poder seguido da maior derrota eleitoral da legenda. Além de perder o Governo do Estado, não conseguiu eleger nenhum senador e tampouco deputados federais. Cesário terá que começar uma nova organização partidária na oposição para ver novamente a estrela vermelha brilhar.

Renovação
De qualquer maneira entendo como uma tendência à renovação no PT acreano. As estrelas maiores do partido como o senador Jorge Viana (PT), o governador Tião Viana (PT) e os deputado federais Angelim (PT) e Sibá Machado (PT) terão que se reinventarem quando perderem os mandatos no início de 2019. Não acredito que eles abandonem a vida política e partidária e devem colocar os seus temperos na escolha do próximo presidente do PT no meio do ano.

Silencioso
Também apurei que os caciques petistas não estão dispostos, neste momento, a fazerem a avaliação da derrota do partido nas eleições. A lavação de roupa suja e descontentamentos deverá ser postergada para uma data imprevista no próximo ano.

Desfalque
O PT atualmente tem três prefeitos de municípios do interior do Acre. Mas pelo menos dois poderão abandonar a legenda nos próximos meses. Como são informações de bastidores prefiro só contar o milagre e não os santos. Tudo vai depender da atuação política e do desempenho do novo Governo Estadual.

Eleição delicada
Não pensem que a escolha do próximo presidente da ALEAC será um “passeio no parque”. Tenho recebido informações de que o deputado estadual Gehlen Diniz (Progressistas) está com o time em campo angariando votos dos parlamentares eleitos para chegar ao cargo.

Debate
Soube de uma reunião com 11 deputados estaduais reeleitos e novos para tratar do assunto da escolha da Mesa Diretora da Casa. A verdade é que faltou apenas um para se ter a metade dos parlamentares que irão votar em fevereiro. Alguns apoiando o Gehlen e outros ao deputado estadual Nicolau Júnior (Progressistas). Mas nada impede que esse grupo escolha alguém da própria preferência. Pelo menos foi o que revelou a minha fonte.

Reclamação
Alguns deputados que apoiam o Nicolau querem que ele entre mais ativamente na campanha. Acham que está se fiando demais numa “virada de mesa” às vésperas das eleições. Eles querem que o Nicolau se aproxime ainda mais dos deputados que irão votar em fevereiro e converse sobre o seu projeto de gestão do Legislativo.

Discurso
Segundo o que uma fonte me revelou, Gehlen está prometendo aos seus eleitores uma gestão independente na ALEAC. Ele tem citado situações da atual presidência em que o Poder Legislativo chegou a abrir mão de recursos para ajudar o Governo do Estado. Esse discurso tem emplacado para alguns. Também a fonte não acredita numa desistência de Gehlen em nenhuma circunstância.

Fiel da balança
O MDB com três deputados estaduais poderá ser decisivo para a escolha do novo presidente da ALEAC. Mas não acredito que vão empenhar os seus votos sem nada em troca. É um jogo com poucos eleitores, mas muito complexo. Afinal trata-se da Casa Política do Acre e o que não vão faltar são articulações de bastidores.

A hora certa
O governador eleito Gladson Cameli (Progressistas) tem se mantido distante das articulações da ALEAC. Mesmo porque está mais preocupado com a sua posse dos seus secretários nos primeiros dias de janeiro e a eleição parlamentar é só em fevereiro. Mas certamente irá se movimentar politicamente quando for chegando a hora da “onça beber água” na ALEAC. Não acredito que vá querer ficar refém do Poder Legislativo no começo do seu Governo. Um presidente alinhado com o seu projeto de Governo será essencial para a celeridade das medidas que precisarão ser tomadas.

Anúncios

Coluna do Nelson

Recurso para assentado da reforma agrária será via cartão magnético em seu nome

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

MDB e PDSB devem travar uma “briga” intensa por secretário da ALEAC

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Depois de 20 anos, prefeitura de Cruzeiro terá a parceria do Governo

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Gladson Cameli realizou o sonho de infância de ser governador do Acre

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas