Conecte-se agora

Inscrições para o Prêmio Respeito e Diversidade vão até sexta-feira (30)

Publicado

em

O prazo para inscrições de matérias jornalísticas e ações voluntárias da sociedade no Prêmio Respeito e Diversidade, organizado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), termina nesta sexta-feira (30).

O regulamento está disponível no Edital de Chamamento Público CNMP-Presi 1/2021. A premiação é dividida em duas categorias: Imprensa e Sociedade. Podem ser inscritos os trabalhos jornalísticos publicados na imprensa brasileira e atividades voluntárias que conscientizem a população sobre a importância da valorização das diferenças de raça, credo, gênero, entre outras.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas mediante o preenchimento do formulário eletrônico que está na página do Projeto Respeito e Diversidade.

A premiação é uma das atividades do projeto, fruto da cooperação entre o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o Ministério Público Federal (MPF), por intermédio da Procuradoria-Geral da República (PGR), e a Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU).

Imprensa – A categoria Imprensa premiará matérias e reportagens que tragam informações e promovam a conscientização sobre valores basilares de uma sociedade democrática e livre de preconceitos, concebida como espaço de diálogo, de liberdade e de respeito, na qual equidade, acesso à vida digna e justiça social são vitais para o fortalecimento da democracia.

A produção de trabalhos jornalísticos veiculados na imprensa brasileira será premiada em duas categorias distintas: Jornal Impresso, Revista Impressa e Webjornalismo; Radiojornalismo e Telejornalismo. As reportagens precisam ter sido editadas e publicadas em língua portuguesa.

Podem ser inscritas na premiação reportagens publicadas nos veículos de comunicação de jornalismo impresso em jornal e revista, radiojornalismo, telejornalismo e webjornalismo veiculadas de 10 de dezembro de 2020 a 1º de julho de 2021.

Podem se inscrever no prêmio os profissionais jornalistas, radialistas e repórteres com registro profissional reconhecido pela Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, o qual deverá ser apresentado, digitalizado e legível, no ato da inscrição.

Cada candidato pode inscrever um único trabalho em cada categoria.

Inscrições para a Categoria Imprensa

Sociedade – A categoria Sociedade premiará atividades voluntárias que tenham objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, esportivos, ambientais, recreativos ou de assistência à pessoa, que visem ao benefício e à transformação da sociedade com o engajamento de voluntários.

Podem concorrer organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que já estejam legalmente constituídas há pelo menos um ano e que estejam atuando em qualquer unidade da federação com, no mínimo, uma sede. Cada participante poderá inscrever apenas um único projeto para concorrer à premiação.

Inscrições para a Categoria Sociedade

Premiação – Em todas as modalidades e categorias do prêmio, o primeiro colocado levará R$ 20 mil; o segundo lugar, R$ 15 mil; e o terceiro, R$ 10 mil.

A premiação ocorrerá, se as regras de distanciamento social decorrentes da pandemia pelo novo coronavírus vigentes à época permitirem, em evento presencial, a ser realizado no edifício do CNMP, em Brasília, em 21 de setembro de 2021.

Comissão julgadora – Em 17 de junho, foram designados os integrantes da comissão julgadora responsável pela avaliação das atividades e dos trabalhos inscritos no Prêmio. Irão compor a comissão a promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de Goiás Tamara Andreia Botovchenco; o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia Edvaldo Gomes; a procuradora regional do Trabalho Ludmila Reis; e os jornalistas William Waack e Heraldo Pereira.

Projeto – O projeto Respeito e Diversidade foi pensado para estabelecer o desenvolvimento de um conjunto de ações interinstitucionais contributivas à construção de uma sociedade livre e democrática, firme no cumprimento do destacado papel do Ministério Público como instituição indutora e promotora da defesa da garantia dos direitos humanos e da concretização da cidadania para todos e voltado à disseminação de uma cultura social inclusiva, pautada no pluralismo e na compreensão das diferenças como expressão da singularidade do ser e da multiplicidade que marca o Brasil.

Cotidiano

Após denúncia, polícia apreende maconha enterrada às margens do Rio Acre

Publicado

em

Policiais Militares da Força Tática do 1° Batalhão apreenderam na noite desta quinta-feira, 23, cerca de 800 gramas de maconha no bairro Preventório, em Rio Branco.

A guarnição policial recebeu uma denúncia anônima que havia um homem vendendo drogas na região. Os policiais se deslocaram até ao local e não encontraram o traficante. Foi feito uma busca às margens do Rio Acre e os policiais suspeitaram que havia droga enterrada.

A guarnição pediu apoio da Companhia de Cães (CPcães), do Batalhão de Operações Especiais (Bope), e a cadela Elô encontrou enterrado cerca de 800 gramas de maconha.

O entorpecente foi encaminhado à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos. O prejuízo estimado a facção foi de aproximadamente R$ 3 mil reais.

Continuar lendo

Cotidiano

Polícia fecha “boca de fumo” e prende mulheres com quase 1 kg de cocaína

Publicado

em

Uma ação dos Policiais Militares da Companhia GIRO do Batalhão de Operações Especiais (Bope) resultou na prisão de duas mulheres pelo crime de tráfico de drogas no final da tarde desta quinta-feira, 23, na rua 10, no Conjunto Aroeira, na região do bairro Calafate, em Rio Branco.

A guarnição policial estava fazendo um patrulhamento de rotina na região e avistou uma mulher em fundada suspeita na frente de uma residência que é usada para o tráfico de drogas. Foi feito a abordagem e dentro de uma mochila, em posse da mulher, foi encontrado uma quantidade de pasta a base de cocaína. A traficante informou aos policiais que teria pego a droga na residência.

Os policiais pediram a proprietária para adentrar na casa e depois de autorizado, foi feito uma busca no interior e encontrado 850 gramas de pasta base de cocaína.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão e as duas traficantes foram encaminhadas à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos.

Continuar lendo

Cotidiano

Inscrição para cursos no Centro de Idiomas da Ufac vai até 30 de setembro

Publicado

em

O Centro de Idiomas da Ufac divulgou a abertura de inscrições para interessados em participar dos cursos de Leitura em Língua Inglesa (nível avançado) e Listening and Speaking in English (advanced level), ofertados de forma on-line durante os meses de outubro a dezembro de 2021. Os cursos são gratuitos e selecionam candidatos por ordem de inscrição; também são abertos às comunidades interna e externa.

As inscrições devem ser feitas por meio de formulário eletrônico que estará disponível a partir das 12h de hoje até 17h da próxima quinta-feira, 30 de setembro.

Alunos de pós-graduação stricto sensu da Ufac têm prioridade de vagas no curso Leitura em Língua Inglesa (nível avançado); professores de Inglês da rede pública de educação básica têm prioridade de vagas no curso Listening and Speaking in English (advanced level).

Para mais informações, acesse idiomasufac.com/ ou [email protected]

Continuar lendo

Cotidiano

Polícia prende homem acusado de estuprar menina de 9 anos na zona rural de Acrelândia

Publicado

em

Agentes da policia civil prenderam no inicio desta semana um homem identificado pelo nome Dione Jone, de 40 anos, acusado de estupro de vulnerável contra uma menina de apenas 9 anos de idade, em Acrelândia, interior do Acre.

O delegado de Acrelândia, Diones Lucas, responsável pelo cumprimento do mandato, afirmou que as investigações apontam que o acusado possivelmente já vinha praticando os atos contra a menor já faz um longo tempo.

Segundo o delegado, a menor não morava com os pais e sim com uma avó de criação no projeto Porto Luiz, zona rural de Acrelândia (AC). Segundo o delegado, o marido da avó é o acusado de estuprar a menor.

Segundo as investigações, os familiares do acusado coagiram a criança a não contar para ninguém ou denunciar agressão para a polícia.

“Fiquei muito estarrecido quando nos se deparamos com esta situação, praticamente é uma criança que vivia sozinha sem o convívio dos pais, mora com uma avó de criação não sendo parente de sangue, a menina era violentada e ainda coagida a não denunciar, o pior os próprios familiares do acusado tentam colocar a culpa na criança pelos abusos, agora ele está preso e fora de circulação”, salientou o delegado.

Com informações de Acrelândia News

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas