Menu

Nome do vice na chapa, é o nó político a ser desatado por Marcus Alexandre 

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O líder de todas as pesquisas feitas até o momento para a prefeitura de Rio Branco, Marcus Alexandre (MDB),  tem como principal nó de campanha a ser desatado a escolha do nome do vice da sua chapa. O problema reside que quer um nome com perfil de centro, e isso não existe na sua coligação, que é formada por partidos de esquerda. E tudo que o Marcus e os cabeças brancas do MDB querem é não dar a cara de esquerda para a chapa, para desvincular a sua imagem do PT, que vive um de seus piores momentos de popularidade na capital.


Um nome muito citado é o da médica Rejane Veloso – esposa do deputado federal Eduardo Veloso – mas não houve nenhuma conversa oficial no MDB de ela ser a candidata. O presidente do MDB, Flaviano Melo, vê com simpatia a hipótese. Mas tudo ainda está no campo da especulação. O problema será empurrado para só ter solução no próximo ano, até lá as conversas partidárias serão sobre alianças para a disputa da PMRB.


CASA DE FANTASMA


O Shopping Popular virou uma casa de fantasmas. A reclamação dos donos de lojas é a ausência de clientes. E ninguém da PMRB faz nada para ajudar os comerciantes do local.


NINGUÉM GANHOU NADA


Uma correção: coloquei no último BLOG que o prefeito Bocalom tinha perdido o domínio da base de apoio entre os vereadores, não que “perdeu a eleição”. A eleição de 2024 está aberta e ninguém ganhou ou perdeu nada. A campanha nem começou. Isso é real.


ESTÁ EM CASA


A praticamente certa filiação do prefeito Bocalom no PL junta a fome com a vontade de comer. O REPUBLICANOS no acre é uma sigla que abriga os extremistas de direita adoradores do Bolsonaro, que detestam o PT e o Lula; como o Bocalom, e nada mais lógico que ele se filie ao PL. Ambos se identificam.


ARTICULADORA


A grande articuladora na montagem de alianças em torno da candidatura a prefeito de Alysson Bestene (PP), é a vice-governadora Mailza Assis. Foi que chancelou a adesão do senador Sérgio Petecão (PSD) ao grupo.


CAMINHO CERTO


Não pode ser vista como surpresa a presença da deputada Michelle Melo (PDT), na reunião das mulheres do MDB. Apoiar o Alysson ou o Bocalom a prefeito, seria uma desmoralização política. Foi detonada pelo governo e é uma crítica da gestão do Bocalom.


FIDELIDADE IMPEDE


Deixar o PDT no momento não pode, entraria na infidelidade partidária. Mas não deve lealdade para a cúpula do PDT, que não fez uma defesa veemente quando foi detonada pelas forças políticas do governo. Mas pode apoiar a candidatura a prefeito do Marcus Alexandre (MDB), de maneira informal. Nada a impede de fazer.


EMPURRÃO PARA A REELEIÇÃO


Com mais de uma candidatura a prefeito de Epitaciolândia, a oposição poderá estar dando o empurrão que o prefeito Sérgio Lopes (PL) precisa para se reeleger. As candidaturas do PSDB e PP, colaboram para isso.


ORELHA DE FREIRA


Esses milhões de recursos, rotineiramente, anunciados para o Acre, pelo senador Márcio Bittar (UB) e pelo presidente da APEX, Jorge Viana, podem até existir, mas são como orelhas de freiras, que não se vê.


ELEIÇÃO DE POSTE


Quem conhece bem o prefeito de Feijó. Kiefer, explica a falta de um nome de peso no seu grupo para disputar a sua sucessão, ao fato de pela sua empáfia achar que pode eleger um poste. Ter votos pessoais é uma coisa, transferir é bem diferente.


NÃO PODE ERRAR MAIS


O ex-deputado Jenilson Leite (PSB) não pode errar mais. Errou quando achou ao se juntar ao Gladson que venceriam a eleição para a PMRB, que acabou na mão do Bocalom; errou ao não compor com o grupo da esquerda e sair de carreira solo para o Senado e perder; por isso precisa ter cuidado para escolher seu caminho na eleição municipal do próximo ano, para não perder e ganhar a fama de político pé-frio.


SITUAÇÕES DIFERENTES


Que o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, é um craque em ganhar eleições, é uma verdade. Mas em 2024 deve ser seu maior desafio, porque o que se ouve até de seus aliados, é que o seu candidato a prefeito é um nome que não empolga.


PODERIA EMPOLGAR


O único fato que poderia empolgar o deputado Clodoaldo Rodrigues (REPUBLICANOS) a ser candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, no próximo ano, é a médica Jéssica Sales (MDB), não disputar a prefeitura. Sem isso, não entra no jogo.


NÃO TEM OUTRO NOME


E o MDB não tem em Cruzeiro do Sul um outro nome com potencial do da médica Jéssica Sales para disputar a prefeitura. A deputada Antônia Sales (MDB) não vai querer largar o mandato.


GRANDE ENIGMA


Se a médica Jéssica Sales (MDB) será candidata a prefeita de Cruzeiro do Sul, é um enigma dentro do MDB. Até o presidente Flaviano Melo (MDB) não dá a certeza da candidatura.


CHEIRANDO A BLEFE


O prefeito Bocalom dizia ter 450 milhões de reais em caixa para investir na cidade. Mas como está pedindo um empréstimo atrás do outro, passa a impressão que estava blefando. É a única conclusão.


CHAMADA GERAL


Todos os secretários, diretores e ocupantes de cargos de confiança do governo serão chamados na catraca para ouvirem do Gladson que quer todos empenhados na campanha do candidato Alysson Bestene (PP) para a PMRB.


UM SINAL


A visita da vice-governadora Mailza Assis, essa semana na casa da ex-prefeita Leila Galvão (MDB), pode ser um sinal de que o MDB e o PP podem estar juntos na eleição para a prefeitura de Brasiléia, em 2024.


FRANCO ATIRADOR


O deputado Emerson Jarude (NOVO) vai entrar na eleição para a prefeitura de Rio Branco como uma espécie de franco atirador, se der certo, tudo bem; se não der, também, tudo bem.


FRASE MARCANTE


“Se estão dando, pegue. Se vierem buscar, corra”. Ditado russo.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.