Conecte-se agora

Estado do Acre completa 60 anos

Publicado

em

O anseio pela conquista da autonomia do povo acreano começou com a Revolução Acreana, que foi o ponto de partida para a criação do primeiro território federal do Brasil. Contudo, a emancipação política só veio 60 anos depois, por meio dos esforços do então deputado federal José Guiomard dos Santos, que havia sido governador do território e logo se tornaria senador.

De acordo com a professora Maria José Bezerra na sua tese de doutorado de 2006 para o Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), intitulada Invenções do Acre: De Território a Estado – Um olhar social…, Guiomard dos Santos assumiu publicamente a luta pela autonomia política do Acre em 1953.

Naquele ano, durante as solenidades do cinquentenário do Tratado de Petrópolis, ele proferiu um discurso na Câmara Federal no qual anunciou que elaboraria um projeto que encaminharia ao Congresso Nacional. Assim, em 1954, ele apresentou a primeira versão do projeto, que ao longo de sua tramitação foi sofrendo ajustes até ser aprovado, no dia 15 de junho de 1962.

Naquela data, o então presidente da República João Goulart assinava, em Brasília, a lei n° 4.070, que elevou o Território Federal do Acre à categoria do Estado. No entanto, o dia 15 de junho passou a ser feriado estadual apenas dois anos depois, quando o governador Edgard de Cerqueira Filho sancionou a lei nº 14, de 2 de setembro de 1964.

Entretanto, o êxito do movimento autonomista acreano não foi resultado de consenso, havendo uma forte oposição liderada pelo também deputado federal Oscar Passos, do PTB, que havia sido interventor no Território de 1941 a 1942. Para Passos, o projeto de Guiomard dos Santos era eleitoreiro, pois o Acre não possuía sustentação econômica para se tornar Estado.

Para Maria José Bezerra, o pensamento liberal de Oscar Passos, ao criticar o projeto de elevação do Acre à condição de Estado, era pertinente. “Em primeiro lugar, nos anos 1950, com a crise da borracha pós-guerra, o Acre dependia quase que inteiramente dos recursos financeiros do governo federal, sendo o governo, como ainda é na atualidade, o maior empregador”, diz ela em sua tese.

Mas qual foi o significado prático do advento da elevação do Acre à condição de Estado e os ganhos decorrentes dessa “conquista” perseguida por quase dez anos para o povo acreano? Para o historiador xapuriense Sérgio Roberto Gomes de Souza, professor da Universidade Federal do Acre (UFAC), o fato não mudou muita coisa na realidade do ex-território.

“As velhas elites dos seringais falidos começaram a ocupar cargos políticos e se estabeleceram com uma outra fonte de renda e uma outra perspectiva de poder. A partir daí, essas elites, que já eram donas do Território, se apropriaram do Estado, e o único movimento que houve de ruptura a isso, que foi o governo José Augusto, teve vida curta, pois foi absolutamente deposto pela ditadura militar”.

José Augusto de Araújo foi um jovem cruzeirense, professor e ex-militante da União Nacional dos Estudantes (UNE), eleito para o cargo de primeiro governador do Acre constitucional. Paralelo a isso, conforme descrito na tese de Bezerra, “a elevação do Acre a Estado significaria, naquela conjuntura, a possibilidade de viabilizar um projeto de desenvolvimento para a região”.

José Guiomard dos Santos nasceu em 1907, em Perdigão (MG). Foi engenheiro militar com especialização em astronomia e geodésia. Morreu em 1983, aos 76 anos, como senador “biônico”, cargo para o qual havia sido indicado pelos militares em 1977. Foi eleito para o sendo em 1962, sendo reeleito em 1970. Foi deputado federal nos períodos de 1951-1954/1954-1958/1958-1962.

Hoje, após 60 anos de sua emancipação política e elevação a Estado, o Acre possui 918.576 habitantes, distribuídos pelos 22 municípios, segundo dados estimados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. A população acreana é composta pelos povos tradicionais e por imigrantes de diversas regiões do Brasil e de vários países do mundo.

Em alusão ao aniversário de emancipação do Estado do Acre, nesta quarta-feira (15), o Governo decretou ponto facultativo na próxima sexta-feira, 17, em virtude do feriado estadual e do feriado nacional de Corpus Christi, no dia 16. A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) da última quarta-feira, dia 8, por meio do Decreto nº 11.064.

O decreto governamental estabelece que os serviços públicos considerados essenciais da Saúde, como as unidades de pronto atendimento (Upas) e o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), e da Segurança Pública, como as delegacias de polícia, seguem com o atendimento ao público sem alteração nos dias citados.

Destaque 7

“Não precisa de muito para se vestir bem”, diz modelo no Podcast

Publicado

em

No Programa da Jô, edição Podcast desta segunda-feira, 15, a empresária, modelo e psicóloga Andressa Jasmylle, de 35 anos, conversou sobre moda, saúde mental e como se sentir bem usando roupas com o seu próprio estilo.

Além disso, Jasmylle contou um pouco de sua vida antes de vir a ser expert em vestuários e de representar o Acre como Miss em um concurso de beleza.

Aos 17 anos, ela já estava nas ruas, vendendo diversas coisas, como edredom, lençol, entre outros itens, de porta em porta, para pagar sua faculdade de psicologia.

“Eu colocava o salto e ia mesmo nas ruas vender para as pessoas e até tinha um bom lucro bom, porém era uma vida muito cansativa fazer esse trabalho. Mas sou uma pessoa muito comunicativa, então era algo que foi um aprendizado”, explicou.

Juntando experiência e sonho, a também digital influencer, explicou sobre as tendências da Psicologia da Moda, que reúne informações sobre o bem-estar e autoestima.

“A psicologia da moda faz uma leitura do corpo, das vestes, como nos comportamos. E é isso que buscamos transferir para as pessoas, coisas que identificamos no primeiro olhar, podendo até mostrar quem é cada pessoa, sua personalidade, como somos”, abordou.

Sobre se vestir bem e seguir um estilo próprio, mesmo não tendo condições financeiras, Andressa disse que não precisamos de muito investimento para se sentir linda ao sair de casa.

“Muitas vezes não precisa de muito investimento, você pode usar e abusar com o que você tem e vestir aquilo que te deixa bem e confortável”, expressou.

Para ela, a moda não está nas passarelas e sim nas nas ruas, onde você é quem faz, com suas características, abordando sua vivência, cultura, entre outros conceitos. Mas que ainda muitas pessoas não se vestem para si próprio e sim pensando no que os outros irão pensar ou falar.

“Autoconfiança é muito importante e a psicoterapia trabalha essa questão mal resolvida do que eu tenho dentro de mim, para assim poder lidar com as situações externas. E o se vestir está relacionado a isso, como eu me sinto bem, como eu posso me sentir melhor”, apontou.

Outro assunto abordado, foi o uso de filtros no Instagram, que muitas vezes escondem a realidade e sentimentos, mas que também são grandes aliados das mulheres.

“Tem gente que trabalha direto com a rede social e você tem que tá sempre arrumada, mas tem horas que eu não consigo estar maquiada, com os cabelos perfeitos, uso um filtro rapidinho para falar com meus seguidores”, declarou.

Em relação ao ‘Mico da moda’, quando todo mundo se veste muito igual, a modelo deu o exemplo recente que aconteceu na Expoacre 2022, onde muitas pessoas que passaram na feira agropecuária estavam usando vestidos, blusas e saias com muito paete, brilho e pedras coloridas.

“Fiquei em choque com o número de mulheres com tanto brilho, porque eu vi uma quantidade enorme e eu pensei comigo mesmo que nunca mais queria usar nada de brilho na minha vida”, mencionou.

Assista ao Podcast da Jô de hoje e saiba mais sobre o mundo Fashion, com Andressa Jasmylle.

video
play-rounded-fill
Continuar lendo

Destaque 7

Governo do Acre reabre edital de concurso público da Sesacre

Publicado

em

O governo do Acre reabriu no Diário Oficial desta segunda-feira, 15, edital de concurso para a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) para 669 vagas para mais de 70 cargos diferentes de nível médio e superior, incluindo cargos que haviam ficado de fora do primeiro edital, lançado em junho.

Neste novo edital, além das categorias já existentes, foram incluídos 47 novas vagas distribuídas entre os cargos de auxiliar em saúde bucal, técnico em enfermagem, técnico em contabilidade, técnico em manutenção de computadores, gestor em saúde coletiva, biomédico e médico veterinário.

As inscrições têm início nesta segunda, às 8 da manhã, e vão até às 21 horas do próximo dia 12 de setembro. por meio do site da banca organizadora, IBFC, a um custo que varia de R$ 53,00 a R$ 72,00, dependendo do cargo. Os salários variam de R$ 1.382,81 até R$ 11.096,93.

As informações completas sobre o concurso, inclusive com o número de vagas para cada município, podem ser acessadas no Diário Oficial desta segunda, a partir da página 12.

As provas estão marcadas para o dia 16 de outubro.

Continuar lendo

Destaque 7

Prefeitos evitam falar sobre quem vão apoiar nas eleições

Publicado

em

Os prefeitos petistas de Brasiléia e Assis Brasil, Fernanda Hassem e Jerry Correia, consideraram de maneira muito clara, nos meses que antecederam a definição das candidaturas ao governo do estado, que poderiam estar do lado do governador Gladson Cameli, candidato à reeleição no pleito deste ano.

No fim de julho, a prefeita Fernanda Hassem declarou à repórter Sandra Assunção, em Cruzeiro do Sul, que estava propensa a apoiar Cameli, principalmente pelo fato de o seu partido não ter, até aquele momento, candidato definido ao governo.

“As coisas podem mudar, mas a minha tendência é caminhar com o governador Gladson Cameli, até porque meu partido não tem candidato ao governo”, disse.

Já Jerry Correia, da tríplice fronteira, declarou em pelo menos duas oportunidades apoio ao atual governador: em maio passado, em entrevista ao jornal O Alto Acre, de Brasiléia, e no começo de julho, ao Blog do Crica.

No entanto, diferentemente do prefeito petista de Mâncio Lima, Isaac Lima, que manteve a palavra de apoio a Cameli mesmo após a convenção que confirmou o nome de Jorge Viana como candidato ao governo, as declarações de Fernanda Hassem e Jerry Correia ocorreram antes desse veredicto.

O ac24horas fez várias tentativas de falar com os dois prefeitos a respeito do assunto após a realização das convenções, tanto de maneira direta quanto por meio de assessores, mas não conseguiu manifestação dos gestores a respeito dos seus posicionamentos neste momento, com a peças postas no tabuleiro.

Uma fonte muito conhecedora dos bastidores da política na regional do Alto Acre disse à reportagem que o momento é delicado para ambos os prefeitos que neste momento preferem não se manifestar. A confirmação de última hora de Viana como candidato ao governo mexeu com decisões que certamente já haviam sido tomadas.

“Estremeceu com muita coisa, eles agora estão naquele momento de não se manifestar, de decidir, enfim. Conversas estão acontecendo, e não são poucas, mas o caminho que eles seguirão talvez não seja assumido junto ao público”, disse a fonte que pediu para ser mantida no anonimato.

Já em Rio Branco, outro petista que também terá a identidade preservada disse que ambos os prefeitos seguirão o partido. “Eles irão com JV, só não irão ao público”.

O ac24horas também tentou falar com o presidente Manoel Lima, do Diretório Estadual do PT, mas não obteve êxito.

Resta aguardar.

Continuar lendo

Destaque 7

Gladson e Márcio se encontram no Palácio da Alvorada e trocam gargalhadas

Publicado

em

As principais lideranças do Acre estão esta semana em Brasília viabilizando politicamente e financeiramente suas campanhas para as eleições de 2022, tanto que algumas agendas com o presidente Jair Bolsonaro já foram expostas pelas assessorias dos candidatos nas redes sociais, como foi o caso Márcio Bittar (União Brasil), que esteve na quarta-feira, 10, com o chefe da nação junto com a sua ex-esposa, a candidata ao senado Márcia Bittar.

Ocorre que enquanto o “casal” Bittar estava reunido com o presidente, a poucos metros dali o governador Gladson Cameli também estava em reunião, mas com o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o General Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Quando os Bittar deixavam a sala do presidente, Cameli também se despedia dos ministros e foi quando os ex-aliados se encontraram na antessala do Palácio da Alvorada. A reação de ambos foi de gargalhadas. Eles se cumprimentaram e se despediram como se não tivessem travando uma guerra fria no Acre pelo poder. Quem presenciou a cena, afirmou ao ac24horas que assessores do Palácio do Planalto que estão por dentro dos últimos acontecimentos no Acre, ficaram perplexos com a frieza de ambos.

O ac24horas apurou que no encontro entre Bittar e Bolsonaro, Cameli foi colocado como um candidato que tivesse em conluio com o ex-senador Jorge Viana. Nesta quinta-feira, 11, ao tomar café com Gladson, o presidente o questionou sobre essa informação e o governador teria respondido: “mas como se o Jorge Viana é o meu adversário , candidato a governador no Acre?”. Após a resposta de Cameli, Bolsonaro fez uma cara de reprovação e continuou a reunião com demais candidatos que estavam à mesa.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!