Conecte-se agora

Senado 2022: Jorge Viana tem 25%, Alan Rick 17%, Márcia Bittar 15% e Jéssica Sales 14%

Publicado

em

O Instituto Real Time Big Data, contratado pela TV Gazeta/Rede Record, também divulgou os números das intenções de votos para a única vaga do Acre disputada neste ano para o senado federal. De acordo com o levantamento estimulado, o ex-senador Jorge Viana (PT) aparece na frente com 24%, seguido pelo deputado federal Alan Rick (União Brasil) com 17%. Márcia Bittar (PL) aparece com 15% e a deputada federal Jéssica Sales (MDB) surge com 14%. A atual senadora Mailza Gomes (Progressistas) marca 5% contra 3% da deputada federal Vanda Milani (PROS). Sanderson Moura (PSOL) registrou apenas 1%. Branco e nulo 12% e não sabem ou não responderam 9%.

Em outro cenário estimulado, onde Márcia Bittar é retirada do páreo, Jorge continua liderando com 25%, seguido por Alan e Jéssica empatados com 20%, cada um. Mailza aparece com 6%, Vanda com 4% e Sanderson 1%. Branco e nulo ficou com 13% e não sabem e não responderam registrou 11%.

A pesquisa também aferiu um cenário estimulado onde Jéssica Sales, Mailza Gomes Sanderson não concorrem ao senado. Segundo o levantamento, Jorge Viana lidera com 25%, Alan Rick marca 22%, Márcia Bittar 20% e Vanda Milani 7%. Branco e nulo 14% e não sabem ou não responderam 12%.

A pesquisa do Real Time Big Data ouviu 1.500 pessoas entre os dias 4 a 6 de junho. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O estudo está registrado no Tribunal Eleitoral do Acre com o número AC-04884/2022.

Destaque 3

Acre já apresenta tendência de queda nas síndromes respiratórias graves, diz Fiocruz

Publicado

em

Divulgado nesta segunda semana de agosto, o novo Boletim InfoGripe, da Fiocruz, mostra que a maioria dos estados do país já apresenta sinal de queda nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

O estudo aponta manutenção de queda em grande parte das unidades federativas do Sudeste, Centro-Oeste e Sul; sinal predominante de interrupção do crescimento com alguns estados já iniciando queda no Nordeste; e manutenção do indícios crescimento no Norte.

Três das 27 capitais apresentam indícios de crescimento na tendência de longo prazo até a SE 31: Belém, Boa Vista e Recife. Nas demais, há predomínio de sinal de queda, com sete capitais apresentando estabilidade nesse indicador.

Em oito dos 27 estados, observa-se ao menos uma macrorregião de saúde com sinal de crescimento na tendência de longo ou curto prazo: Acre, Amazonas e Roraima no Norte; Piauí e Sergipe no Nordeste; Espírito Santo e São Paulo no Sudeste; e Mato Grosso no Centro-Oeste.

A análise mostra queda nas tendência de longo (últimas seis semanas) e curto prazo (últimas três semanas). Nas últimas quatro semanas epidemiológicas, a prevalência entre os casos positivos foi de 1,9% para influenza A; 0,2% para influenza B; 5,9% para vírus sincicial respiratório (VSR); e 79,1% Sars-CoV-2 (Covid-19).

Os dados referentes aos resultados laboratoriais por faixa etária seguem apontando para amplo predomínio do vírus Sars-CoV-2, especialmente na população adulta. No grupo de 0 a 4 anos, o volume de casos associados à Covid-19 se mantém acima do observado para o VSR nas últimas quatro semanas.

Continuar lendo

Destaque 3

Com 21 propostas, programa de governo de Bittar diz que gestão seguirá exemplo de Bolsonaro

Publicado

em

O programa de governo registrado na Justiça Eleitoral pelo candidato ao governo do Acre Marcio Bittar, do União Brasil, tem apenas 11 páginas e apresenta 21 propostas, na sua grande maioria genéricas, sem fazer nenhuma promessa específica.

Na apresentação, o texto faz duras críticas ao atual governo e algumas, de maneira indireta, ao governador Gladson Cameli, a quem Bittar acusa de “não honrar com a palavra” e de não possuir “valores e caráter”.

O documento exalta intensamente o presidente Jair Bolsonaro, cujo governo, segundo Bittar, destinou mais de R$ 5 bilhões ao Acre. De acordo com o plano do candidato, o governo de Bolsonaro será exemplo para a sua gestão, caso eleito.

“Vamos seguir o exemplo do governo de Jair Bolsonaro, alocando eficiência técnica aos cargos ao invés de reparti-los por meros acordos políticos. Quanto mais técnicos no governo melhor”, diz uma das propostas do programa de Marcio.

Entre as propostas de Marcio Bittar, destacam-se: a criação de um governo mais eficiente, técnico, moderno e oxigenado; valorização do funcionário público; modernização das estruturas estatais; e aumento da transparência do uso dos recursos públicos.

De acordo com o plano de governo, as áreas da saúde, educação, cultura, segurança pública e assistência social serão geridas como sistemas articulados, ágeis, focados e baseados em evidências científicas.

Outro item do programa da candidatura do União Brasil no Acre é a criação de um pacto com a sociedade em prol do crescimento econômico para a superação da pobreza. “Vamos aumentar em 15% o PIB acreano”.

Marcio Bittar foi o sexto postulante ao governo do Acre nas eleições de outubro próximo a registrar a sua candidatura na Justiça Eleitoral, o que ocorreu nesta quarta-feira (10).

De acordo com as informações disponibilizadas por meio da página Divulgacandcontas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os bens declarados pelo parlamentar tiveram grande redução com relação à eleição anterior.

Em 2018, quando foi eleito senador, Bittar declarou R$ 6.549.631,34 em bens. Agora, são R$ 3.323.739,26 – em imóveis, veículos e investimentos de capital.

A candidata a vice-governadora na chapa do União Brasil é a médica Georgia Micheletti, que é de Sorocaba (SP), e atua na área no estado há mais de 10 anos.

Continuar lendo

Destaque 3

Dia dos Pais: 47% dos consumidores rio-branquenses devem presentear neste ano

Publicado

em

Ao menos 47% dos consumidores rio-branquenses pretendem presentear no próximo domingo, 14, Dia dos Pais, segundo pesquisa realizada pela Fecomércio-AC, em parceria com o Data Control, junto a 200 pessoas na capital acreana, nos dias 5 e 6 de agosto. Ainda de acordo com o levantamento, os consumidores pretendem gastar mais do que o verificado em 2021.

O estudo avaliou que, para 65,5% da população entrevistada, os gastos previstos para o próximo Dia dos Pais devem ser maiores (36,5%) ou iguais (29%); outros 29,5%, no entanto, se preparam para gastos menores em 2022. Outros 5% dos entrevistados não informaram sobre a indagação.

Quanto à preferência de gastos de consumo, 40,5% dos entrevistados disseram que pretendem gastar com roupas; 26,5%, com perfumes; e 16,5%, com calçados. A pesquisa destacou ainda 3,5%, que não sabem o que fazer na data; e 16%, que manifestam interesse para compra de outros bens e serviços.

A pesquisa destacou ainda 54% dos entrevistados, que se mostram propensos a compras no comércio do centro de Rio Branco; 21,5% devem comprar em comércios de bairros e, 17%, em shoppings; ao menos 7,5% dos entrevistados disseram que irão fazer compras via internet. Além disso, 58,9% disseram que os pais são as principais pessoas a se homenagear na data, embora se destaque a disposição de outras homenagens às pessoas de “esposo” (16,9%), filhos (5%), amigos (4,1%), dentre outras.

Expectativa de vendas

O estudo também fez um levantamento quanto à expectativa de vendas junto a 100 empresários com estabelecimentos comerciais na capital acreana; neste contexto, a pesquisa informou otimismo de 42% dos empresários no que diz respeito às vendas para data; outros 56% admitiram, no entanto, que mesmo sendo uma data que estimula o consumo e venda, a manifestação é de um dia normal (29%) ou sem otimismo (27%) com relação a possível aumento de vendas. Outros 2% se mostraram “ansiosos”.

Além disso, 55% dos empresários disseram que irão se utilizar de mais divulgação de produtos em oferta para a data, enquanto outros 28% afirmaram que devem investir nos modos de vendas online; 4%, em propaganda via panfletagem; e 3% reforçaram que devem oferecer embalagens para os clientes interessados. Da amostra analisada, 10% dos empresários omitiram manifestação quanto a preparação específica.

Como tática para aumento de vendas, 55% dos empresários responderam que devem apostar no melhor uso de redes sociais; seguidos por 22%, com a pretensão de ofertar brindes aos clientes com compras realizadas. Também, 10% lembraram que devem investir mais em marketing comercial; enquanto 4% disseram que acreditam em resultados com a adoção de “sorteios relâmpagos”. Os demais 8% afirmaram que não vão adotar tática específica para vendas alusivas a data.

Para 86% dos empresários pesquisados, o valor das vendas para o próximo Dia dos Pais deve ser de até R$200, sendo que, para 44%, esses valores vão de R$100 a R$200; para 35%, de R$51 a R$100; e para 7%, até R$50. Outros 6% apostaram em vendas com valor médio entre R$201 a R$400; e 8%, em vendas com valor acima de R$400.

Continuar lendo

Destaque 3

Comércio do Acre mantém trajetória de queda e acumula perdas de 3,6% em um ano

Publicado

em

As vendas no comércio varejista do Acre caíram 1,6% em junho deste ano, resultado que mantém a trajetória de queda: Em maio de 2022, por exemplo, o volume de vendas variou negativamente no Acre, caindo 0,1%, frente a abril. Na comparação com o resultado de maio de 2021 a variação foi de 0%.

Na comparação com igual mês do ano passado, o resultado é muito pior e mostra queda de 3,6% em junho de 2022. O dados coloca o Estado entre os três com pior desempenho no período junto com Bahia Bahia (-5,3%) e Goiás (-3,8%).

Sobretudo, esses resultados mostram que as datas comemorativas do período não tem influenciado positivamente. Este ano, em nível nacional, frente a junho de 2021, o comércio varejista nacional variou -0,3% com resultados positivos em 14 das 27 UFs, com destaque para: Roraima (13,3%), Alagoas (11,4%) e Mato Grosso do Sul (9,5%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram 13 das 27 Unidades da Federação, com destaque para:

Considerando o comércio varejista ampliado, a variação entre junho de 2022 e junho de 2021 mostrou recuo de 3,1% com resultados negativos em 17 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Bahia (-11,2%), Pernambuco (-11,1%) e Acre (-8,4%). Por outro lado, pressionando positivamente, figuram 10 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Mato Grosso do Sul (6,5%), Roraima (4,6%) e Tocantins (4,6%).

Apesar da redução nos preços, um dos itens que pesa para as vendas ruins do varejo está em combustíveis e lubrificantes.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!