Conecte-se agora

Waldirene não descarta mudança de bandeira para conter a Covid

Publicado

em

A governadora em exercício, desembargadora Waldirene Cordeiro, realizou nesta sexta-feira, 14, na sala de reunião do Palácio Rio Branco, uma reunião de alinhamento entre instituições para tratar sobre os casos de Covid-19 e vacinação.

A magistrada enalteceu a presença maciça das autoridades em prol de tentar erradicar o constante aumento de casos da doença. “O que estamos tentando é diminuir o impacto. Vacina, sim, resolve nosso problema. Temos que conscientizar as famílias”, declarou.

Com a avaliação do Pacto Acre Sem Covid em dezembro, onde determinou a classificação do Nível de Risco de todas as três regionais de saúde para o Nível de Atenção (bandeira amarela), até 31 de janeiro de 2022, Waldirene não descarta uma regressão para a bandeira laranja em decorrência do quadro de emergência dos casos de covid-19 e síndrome gripal. “Caso de alteração de bandeira [para a laranja ou vermelha]”.

Em acordo com a decisão da governadora, a procuradora-geral do Ministério Público do Estado do Acre, Kátia Rejane, disse que o órgão controlador, mesmo antes da decisão do comitê, deverá classificar o órgão em bandeira laranja, além de realizar a redução do pessoal dentro do local. “Vamos avançar para bandeira laranja com 30% dos servidores do local. Há uma preocupação do Ministério Público nos cuidados para evitar o contágio”.

A secretária de saúde, Paula Mariano, ressaltou que nos últimos 14 dias foram notificados mais de mil casos de Covid-19, além disso, ela alerta que há uma grande procura no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into). “Estamos com mais de 300 pessoas procurando o Into, mas temos poucas internações e só dois óbitos. Estamos reorganizando o Into para melhorar o atendimento”, ressaltou.

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Estado, Renata Quiles, disse que em relação à imunização das crianças vão corresponder a 5,83% nos 22 municípios do Acre. “Vamos distribuir a partir das 22 horas da noite de hoje. A vacinação no interior se inicia apenas na segunda-feira, com a imunização de comorbidades e indígenas”.

Outro dado alarmante levantado por Quilles é em relação a grande quantidade de vacinas em estoque aguardando a procura da população que não é adepta a imunização. “Temos mais de 80 mil doses de Pfizer esperando a população. Muitos servidores estão cansados, desgastados, porque hoje temos a barreira de negativa e resistência por parte da população que se nega a se vacinar”, explicou.

O deputado estadual Jenilson Leite (PSB)afirmou que a atitude em convidar os poderes é de suma importância para ajudar a população. De acordo com o infectologista, o estado está em um novo cenário epidemiológico. “O governo tentou abrir leitos lá atrás. Hoje temos as vacinas. Temos que desenvolver a nossa estratégia, seguir vacinando a moda população. Nós não deveríamos ficar no modelo habitual de vacinação, se seguimos essa situação não vamos alcançar a meta”, declarou.

O parlamentar sugeriu que o governo precisa tomar medidas eficazes contra a chamada 3° onda da Covid-19. “Tem que convocar as escolas públicas e as igrejas, pois eles precisam ajudar nessa questão, criando um centro de vacinação nesses meses locais para tentar fazer a cobertura imediata”, sugeriu.

Acre

Jenilson Leite cobra retorno de auxílio para servidores da saúde

Publicado

em

O Acre registrou somente esta semana, entre segunda-feira (17) e quinta (20), 1.679 novos casos de Covid-19, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde. Além destes dados oficiais do Estado, a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco, disse que nesta quinta, o drive-thru montado na Arena da Floresta positivou 724 casos, apenas na Capital.

O deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite (PSB), divulgou um vídeo nesta sexta-feira (20), onde pontua ações que podem ser adotadas pelo Estado para mitigar a situação da população e dos servidores da Saúde diante desta terceira onda do coronavírus.

Entre as ações propostas pelo parlamentar estão o retorno do pagamento do Auxílio Covid, que começou a ser pago aos servidores em julho do ano passado e foi encerrado em dezembro. Ele pede também que o Governo antecipe o pagamento da Etapa Alimentação.

“Com aumento de internações, vamos precisar novamente dos nossos servidores de saúde que estão enfrentando uma terceira onda, e o Governo precisa retomar com o Auxílio Covid, precisa trazer para fevereiro aquela Etapa Alimentação que tínhamos pactuado e que seria para março, e precisa anunciar o reajuste linear para todos os servidores, inclusive os da saúde que mais uma vez se expõem diante da pandemia, e precisa ainda anunciar o concurso público para saúde”, pontua Jenilson.

O parlamentar levanta outra questão: a necessidade de ampliação da vacinação no estado. O Acre continua no topo entre os estados que menos vacinaram contra a covid-19. Segundo dados nacionais, o estado imunizou 47,09% da população com duas doses, ficando atrás apenas de Amapá e Roraima, com 38,73% e 38,64%, respectivamente.

Com este cenário, Jenilson pede que o Governo ajude os municípios a traçar e desenvolver estratégias. “Em tese a responsabilidade direta da vacinação é dos municípios, mas em um momento como esse não podemos deixar isso só na mão das prefeituras. Precisamos criar estratégias para ampliar essa capacidade”, destacou.

O avanço da vacinação é a estratégia fundamental para evitar um colapso na rede pública de saúde e mortes, pois garante que o paciente não desenvolva um quadro grave da doença em que precise de oxigênio e ser internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

“Quando estão com duas doses, essas pessoas evoluem de forma tranquila, mas temos aquelas que não tomaram nenhuma ou só tomaram uma dose e estamos vendo elas adoecerem e precisar de internação hospitalar”, alerta.

O deputado acredita que estas medidas demonstraram o comprometimento do Governo no enfrentamento de mais uma onda de covid-19 no Acre.

Continuar lendo

Acre

Futebol Solidário arrecada quase 1 tonelada de alimentos em Capixaba

Publicado

em

O deputado federal Alan Rick foi um dos convidados para compor o time das Estrelas do Futebol Solidário, em Capixaba. O evento realizado pela prefeitura e Câmara Municipal da cidade, com o apoio do parlamentar, ocorreu nesta quinta-feira, 20, no estádio José Colásio.

O time das Estrelas também contou com a presença de ídolos do futebol, empresários, influencers. Entre eles, os ex-jogadores Amaral, Aloísio Chulapa, Donizete Pantera, Bujica, o goleiro acreano Tomate, o Rei Artur, Adriano Louzada, o ex-BBB Felipe Prior, o youtuber Muca Muriçoca, o ex-Pânico Pedrinho Moura, o acreano Marcelo Bimbi e outras celebridades.
O Futebol Solidário tem sido realizado em várias cidades do país com o objetivo de arrecadar donativos para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade. Em Capixaba, a entrada do público foi condicionada a doação de 2kg de alimentos não perecíveis.

No campo, o time das Estrelas goleou o time local. Placar foi de 6 X 3. Mas, a grande goleada foi a do povo que doou. De acordo com a organização, nesta sexta-feira foi realizada a coleta nos 6 pontos de troca pelo ingresso e a arrecadação foi de mais de 800kg de alimentos não perecíveis.

“A festa foi linda! Apesar de não estar em condições de jogo, foi um prazer participar deste momento, que além de alegrar a tarde dos moradores de Capixaba também vai levar alimento pra muitas famílias que precisam. Quase uma tonelada de alimentos arrecadados. Vitória da solidariedade!”,  comemorou Alan Rick.

Visita a comunidade

O deputado federal Alan Rick aproveitou a ida a Capixaba para conversar com a comunidade local. Almoçou na casa do apoiador Geran Clay ao lado vereador Almilton Costa (DEM/AC), presidente da Câmara de Capixaba, do vice prefeito Richard Lima (DEM/AC), do vereador Antonio França (Republicanos), o secretário de Planejamento de Capixaba Dário Reis e o conselheiro Tutelar Willian Tessinari e outros amigos. O encontro também teve a presença do ex-jogador Amaral.

Após o almoço Alan Rick visitou a Câmara de Vereadores e alguns bairros da cidade para vistoriar ruas que devem receber reparos, pavimentação e calçadas através de recursos de emendas destinadas pelo parlamentar em 2022.

Continuar lendo

Acre

Mailza visita obras do Anel Viário no Alto Acre: “Sonho que se concretiza”

Publicado

em

A senadora Mailza (Progressistas-AC) cumpriu agenda no Alto Acre nesta quinta-feira, 20, e visitou as obras do Anel Viário de Brasileia e Epitaciolândia, na BR-317.

A etapa de infraestrutura nos blocos da ponte, executada pelo governo do Acre, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Acre (Deracre) e uma empresa terceirizada, já foi concluída. Os serviços são realizados com 100% dos recursos disponibilizados pelo DNIT.

A senadora destacou o trabalho do governador Gladson Cameli e bancada federal junto ao Ministério da Infraestrutura e o presidente Jair Bolsonaro. Orçada em mais de R$ 60 milhões, a ponte ligará as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, considerada uma obra estratégica para o tráfego na Rodovia Interoceânica, que vai até o Peru.

“Mais do que concreto, hoje vi um sonho antigo de nós acreanos que se realiza na maior obra da gestão do governador Gladson. O empreendimento promove a integração econômica dos países da América do Sul e vai facilitar o comércio acreano com a Ásia”, destacou a parlamentar.

Mailza relembrou ainda que em 2019 esteve reunida com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e pediu agilidade na liberação do recurso do contorno viário.

Sobre o Anel Viário

A obra prevê 10 quilômetros de estrada contornando os dois municípios, além de uma ponte de 250 metros sobre o rio Acre. O projeto retira os veículos de carga que fazem exportação pela BR-317 do tráfego nas duas cidades, preservando as vias urbanas e melhorando a qualidade de vida na região.

Além de facilitar o tráfego na região, a ponte deve beneficiar mais de 50 mil habitantes e movimentar a economia na região, com a geração de emprego e renda.

 

Continuar lendo

Acre

Casos de dengue duplicaram no Acre, em 2021, afirma Saúde

Publicado

em

Os municípios de Brasiléia, Bujari, Capixaba, Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Feijó, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Rodrigues Alves, Sena Madureira e Xapuri estão na zona de risco alto para epidemia de dengue em 2022. Acrelândia, Assis Brasil, Mâncio Lima, Manoel Urbano, Senador Guiomard e Tarauacá também precisam reforçar ações de controle.

Entre 2020 e 2021, o número de casos confirmados de dengue no estado do Acre dobrou. Até a última semana do ano (semana epidemiológica 52), foram registrados 14.733 casos de dengue; 251 de zika; e 266 de chikungunya. Dos 22 municípios acreanos, 12 tem risco elevado para epidemias de arboviroses, que são as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

“Os números colocam o estado em alerta, mas mesmo assim, estão dentro do esperado para o período. São índices para orientação de medidas que os gestores públicos municipais precisam tomar”, pondera o chefe do Departamento de Vigilância em Saúde estadual, Gabriel Mesquita, em material divulgado pelo Portal Brasil 61.

Mas o próprio chefe da Vigilância em Saúde do estado acrescenta que, nos municípios mais críticos, nota-se um padrão de insuficiência de agentes locais para controle de endemias, escassez de insumos, materiais e transporte. Além disso, ele afirma que falta até mesmo sensibilização da própria população ou da gestão local.

“Evitamos ao máximo o uso de inseticidas, em especial o Fumacê que é caro, traz prejuízos ao meio ambiente e tem atuação limitada”, considerou.

Situação do País

O Brasil registrou queda 42,6% no número de casos prováveis de dengue entre 2020 e 2021. No ano passado, foram notificadas 543.647 infecções, contra 947.192 em 2020. Os dados são da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Entre os casos de zika, houve uma pequena redução de 15%, passando de 7.235 notificações em 2020 para 6.143 em 2021. Já a chikungunya registrou aumento de 32,66% dos casos, com 72.584 em 2020 e 96.288 no ano passado.

O sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Brasília, Cláudio Maierovitch, destaca que 2020 foi um ano de muitos casos e, por isso, não se deve relaxar com a queda de contágios em 2021. “Mesmo não tendo havido aumento de um ano para o outro, essa não é boa comparação, uma vez que o ano anterior foi de números altos”, alertou.

Os dados usados na matéria são da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Cuidados necessários

Para estimular essa prevenção mecânica feita pela sociedade, o Ministério da Saúde desenvolveu a atual campanha de combate à dengue. É um chamado para que cada cidadão coloque em sua rotina semanal uma ronda de até 10 minutos direcionada para a eliminação de locais que possam ser foco do mosquito.

– Vire garrafas, baldes e vasilhas para não acumularem água.

– Coloque areia nos pratos e vasos de plantas.

– Feche bem os sacos e lixo.

– Guarde os pneus em locais cobertos.

– Tampe bem a caixa-d’água.

– Limpe as calhas.

Com informações do Portal Brasil 61.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Content is protected !!