Conecte-se agora

Governo recua e estádio voltará a ser Arena da Floresta e caixa d’água será prata ou bronze 

Publicado

em

Após receber centenas de críticas, o governador Gladson Cameli decidiu voltar atrás em algumas decisões sobre o uso das cores em prédios e monumentos públicos, assim como a nomenclatura que haviam sido alteradas em sua gestão.  Neste domingo, 13, o governo anunciou por meio da assessoria nas redes sociais que erros devem ser reconhecidos, referindo-se à pintura na cor azul da caixa d’água da Seis de Agosto, ao nome do estádio Arena Acreana e entre outros.

Diante da repercussão negativa, Cameli disse: tenho acompanhado as reclamações das pessoas por conta da pintura azul em alguns prédios públicos. O uso dessa cor tem dado margem para que alguns digam que é usada porque é a cor do partido ao qual sou filiado. Aliás, acho uma bobagem alguém se achar dono de alguma cor. Como o povo do Acre e eu mesmo criticamos o uso de símbolos e cores partidárias em prédio e até em helicóptero públicos, tenho que tomar uma decisão”, anunciou ao jornalista Altino Machado.

Gladson reclama que qualquer cor que seja usada resulta em críticas à sua gestão. “Sendo assim,  o estádio Arena da Floresta vai continuar sendo Arena da Floresta e não Arena Acreana. A caixa d’água do bairro 6 de Agosto terá a pintura na cor prata original ou na cor bronze dos últimos anos”, garante.

O governo informou que também irá recuperar a pintura original do Colégio Estadual Barão do Rio Branco. “O que tem que prevalecer é o bom gosto, a sobriedade no uso de cores, que deve levar em conta valores estéticos e históricos. Asseguro que os pórticos de parques e o Palácio Rio Branco não serão pintados de azul, conforme chegaram a sugerir em redes sociais”, disse.

Por fim, Cameli assegurou ser autêntico, com capacidade de recuar e reconhecer eventuais erros de sua gestão. “Já fiz isso várias vezes e farei quantas forem necessárias. Minha preocupação é evitar o erro daqueles que perderam a capacidade de ver e ouvir e jamais recuaram ou admitiram as suas falhas. Não carrego esse peso”, concluiu.

Acre 01

Ismael Machado reforça time de vereadores que farão curso no CE com diárias de R$ 6 mil

Publicado

em

O vereador Ismael Machado (PSDB) reforçará o time dos vereadores da Câmara de Rio Branco, que embarcam na próxima semana durante o recesso do parlamento-mirim para cidade de Fortaleza, no Ceará, onde farão cursos de capacitação. A portaria que designa o parlamentar foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (23).

O time contava com Antônio Morais (PSB), Raimundo Neném (PSB), Rutênio Sá (Progressistas) e Raimundo Castro (PSDB). Com o reforço de Ismael Machado, os cinco parlamentares farão o curso “Controle e Fiscalização dos Recursos Públicos Municipais”, que será realizado pelo Instituto “Capacitação e Treinamento”, em Fortaleza (CE), durante o período de 27 a 31 de julho de 2021, com saída no dia 26 e retorno dia 31.

LEIA TAMBÉM: >>>No recesso, 4 vereadores de Rio Branco farão curso no Ceará com diárias de R$ 6 mil

Os vereadores receberão, cada um, 6,5 (seis e meia) diárias, totalizando R$ 6.107,01. As Portarias são assinadas pelo presidente da Câmara de Rio Branco, N. Lima (Progressistas).

Atualmente, uma diária de vereador vale R$ 939,54. Com salário de R$ 12 mil, cada parlamentar tem direito à contratação de até 12 assessores cujo as somas de seus salários cheguem no máximo até 30 mil.

Entre os benefícios, cada parlamentar de Rio Branco tem direito a R$ 4 mil de combustível e mais R$ 4 mil de serviços gráficos todos os meses. Além disso, eles também têm direito a três veículos, sendo uma caminhonete, um carro de passeio e uma motocicleta à disposição.

Continuar lendo

Acre 01

Após denuncias de assédio, Mailza decide exonerar Ildson Viana que recebia R$ 14 mil

Publicado

em

A senadora Mailza Gomes (PP), decidiu exonerar nesta quinta-feira, 22, o pastor José Ildson Viana Barbosa, do cargo de assessor parlamentar que ele ocupava em seu gabinete com salário de R$ 14 mil desde 2019.

O ac24horas apurou que a demissão ocorreu após a denuncia de assédio sexual vir a tona. A exoneração consta no Boletim Administrativo do Senado Federal publicado nesta quinta-feira, 22.

LEIA TAMBÉM:

>>>Diretor da Santa Casa é denunciado por assédio ao pedir “massagem” em entrevista de emprego

 >>>Chefão da Santa Casa desconfia de denúncia e descarta sindicância contra diretor acusado de assédio

>>>Cristão e bolsonarista, acusado de assédio recebe R$ 14 mil como assessor de Mailza

>>>Apoiada pelo marido, mais uma candidata registra denúncia contra diretor da Santa Casa

Defensora da Frente Parlamentar de apoio às mulheres, a senadora decidiu não esperar o fechamento das investigações e teria ficado chocada com as informações divulgadas sobre o caso.

Ildson Viana é diretor de Relações Institucionais da Santa Casa de Rio Branco e foi denunciado por assédio sexual por duas mulheres que registraram Boletim de Ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM).

Continuar lendo

Acre 01

Polícia Federal deflagra operação que apura esquema de evasão de divisas no Acre

Publicado

em

Agentes da Polícia Federal deflagraram nesta quinta-feira, 22, a Operação “Carga Segura”, cujo objetivo é combater um esquema de evasão de divisas constatado, que vem ocorrendo na fronteira do Brasil com os países Peru e Bolívia, com saída pelas cidades de Assis Brasil, Epitaciolândia e Brasiléia, envolvendo o transporte de carga de alto valor, o que acaba comprometendo a política cambial do Brasil e gerando prejuízos ao Estado.

A investigação teve início em maio de 2020, a partir de um flagrante onde se apreendeu uma vultuosa soma de dinheiro. Posteriormente, apurou-se que não se tratava de caso isolado, mas que seria, em verdade, o meio empregado um “modus operandi” para saída de valores do território nacional, facilitada por um grupo de pessoas e empresas instaladas na região da fronteira, responsáveis por operacionalizar o esquema, atuando como despachantes do crime.

Em princípio, tais valores seriam para custear o pagamento da escolta das cargas de alto valor na travessia pelos países andinos, dentre outros objetivos a serem comprovados ao final da investigação.

A Operação cumpriu ao todo sete mandados de busca e apreensão, sendo quatro deles em empresas e residências localizadas nos municípios de Brasiléia e Assis Brasil (AC) e três no município de Quatro Barras, no Paraná. Quatro pessoas foram intimadas a prestarem esclarecimentos sobre os fatos. Os trabalhos contaram com a participação de 28 policiais federais.

Os envolvidos estão sendo investigados pelo crime de evasão de divisas, o qual prevê até seis anos de pena de reclusão.

Continuar lendo

Acre 01

Servidores do Acre são retidos em aldeia indígena por protesto pela demarcação de terras

Publicado

em

O delegado da Polícia Federal de Cruzeiro do Sul, Fabrício dos Santos, informou ao Ac24horas que um grupo de servidores das secretarias de Turismo e Comunicação do Estado havia sido retido na terra indígena dos Nawa, no Rio Môa. O grupo foi liberado neste domingo (18). A PF foi acionada pela Funai e ICMbio para ir ao local.

“Nós iríamos lá para conversar e saber detalhes, como foram liberados, não houve a necessidade de irmos”, contou o delegado.

Segundo informações da secretária de Turismo do governo do Estado, Eliane Sinhasique, a equipe estava na comunidade dando treinamento para a população que trabalha com turismo na região e na volta foi retida na aldeia. A situação foi informada por eles por telefone.

Os Nawa esperam pela demarcação da terra há 22 anos e denunciam as constantes invasões e retirada ilegal de madeira no local. A terra fica no entorno do Parque Nacional da Serra do Divisor.

Nawa já retiveram outros servidores no local

Esta não é a primeira vez que os indígenas do local retém uma equipe de servidores. A primeira vez foi no dia 15 de julho de  2015, quando servidores e colaboradores do ICMBio, que passaram pelo  local , foram impedidos de sair também em reivindicação pela demarcação.

Na época, ficaram retidos  no local, durante 3 dias, o gestor do Parque Nacional da Serra do Divisor,  João Damasceno,  o indígena Luís Nukini, coordenador regional da Funai e duas colaboradoras. Eles foram liberados no dia 18 de julho, quando houve promessa de solução quanto ao processo de demarcação que não se concretizou, o que levou os nativos a repetir a ação.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas