Conecte-se agora

Luiz Calixto sugere “manual do empreendedor” para Sinhasique

Publicado

em

Luiz Calixto 

Minha intenção não é meter o bedelho na discussão entre quem gosta e quem não gosta de carnaval, até porque dispenso o mesmo respeito e tratamento tanto a quem prefere o Dorflex quanto aos que fazem a opção pela Netflix.

O batuque é outro: a ex-deputada Eliane Sinhasique, atual secretária de Turismo e Empreendedorismo, perdeu uma chance de ouro de passar uma mensagem positiva, resiliente e incentivadora para aqueles que desejam “empreender” no Acre, montar seu próprio negócio e gerar renda para se livrar das garras do empreguismo governo.

Nesse episódio do carnaval, ainda que estivesse completamente errada ao escolher unilateralmente o local onde pretendia realizar o “piseiro” de arlequins, pierrôs, colombinas e pés inchados, a secretária de Empreendedorismo escolheu o caminho mais fácil: a desistência.

Exceto para aqueles que vivem permanentemente com a viseira eleitoral e, portanto, em tudo, só conseguem enxergar a disputa político-partidária, ficou evidente que a “pequena” diminuiu ao tentar sair pela culatra como vítima.

Ora, até as crianças do Maternal do Menino Jesus sabem que intervenções em ruas e no trânsito, especialmente quando se trata do único corredor de ônibus da cidade, devem ter o “ok” da prefeitura.
Deixando de lado a festa e focando nos empregos e negócios que nossa secretaria falava que o evento criaria durante a quadra, a “desistência” foi o pior exemplo dado por quem pretende e tem como objetivo ensinar pessoas a caminhar com as próprias pernas.

Desistir é quase sinônimo de fracasso.

Alguns milhões de reais já foram desperdiçados em pequenos negócios. O Fundo de Aval, a distribuição de maquinas equipamentos e tantos outros programas não floresceram porque os beneficiários desistiram no primeiro obstáculo.

Se desistir sempre fosse a primeira opção muita gente não se levantaria sequer da cama.
Empreender significa tentar, realizar, enfrentar, desafiar.

Ainda que tenha escolhido o caminho errado da autossuficiência, a secretária jamais poderia ter recolhido a bandeira. Outros locais e outras opções deveriam ter sido consideradas. Afinal, Rio Branco tem dezenas de locais onde poderiam ser montados um palco e dezenas barracas para vender “birita”.
Imaginem quantos pequenos negócios sobreviveriam no Brasil se na primeira pedra encontrada no caminho o empreendedor desistisse? Nenhum.

O Brasil é o país que mais dificulta o nascimento e o sucesso de um empreendimento. São dezenas de autorizações, alvarás e licenças.

De cada 10 empresas constituídas seis ficam pelo meio do caminho.

Diante de tanta papelada, desistir é uma opção sempre considerada.

A secretária se sairia bem melhor na “ fita” se admitisse o equívoco, acionasse o plano “B” e organizasse o carnaval em outro espaço e, como fala pelos cotovelos, aproveitasse um dos intervalo das bandas para usar aquilo que tem de melhor: sua oratória para dizer que o sucesso e a prosperidade são inimigos mortais da desistência.

Acre

Saiba onde assistir os jogos da Seleção Brasileira, em Rio Branco

Publicado

em

Continuar lendo

Acre

Mais de 6 mil cirurgias já foram realizados pela Fundhacre

Publicado

em

Continuar lendo

Acre

Saúde do Acre abre 53 vagas para residência médica

Publicado

em

Continuar lendo

Acre

Governo publica regulamento do curso de formação do ISE

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.