Menu

Sebastião Viana vai reduzir secretarias e cortar comissionados

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

 Cortando na própria carne?
O governador Tião Viana tem relutado em mexer no quadro funcional do Estado. Já reduziu o número de cargos de confiança e os respectivos valores. Mas com a situação de quebradeira nacional terá que ir com os cortes mais fundos, como a redução de secretarias e de cargos de confiança. As novas medidas de aperto fiscal divulgadas ontem pela equipe econômica da Dilma o deixaram quase num beco sem saída. A redução da máquina não resolverá a situação financeira como alguns políticos sustentam, mas é uma decisão que colabora. Acho que o governador ficou praticamente sem ter como não proceder as mudanças. A máquina está do tamanho do Estado, não está inchada, mas dentro do novo contexto econômico, com a natural queda real do FPE ficará grande e o governador Tião Viana terá que fazer os cortes nas despesas e na máquina. Na administração pública não há mágica a ser feita, a despesa tem de bater com a receita. Dias difíceis virão. A Dilma simplesmente quebrou o Brasil. Isso é certo.


Uma grande farsa
Esta reforma fiscal se configura como uma grande farsa na medida em que a presidente Dilma não diminuiu o número de ministérios e nem os seus milhares de cargos de confiança. Quer recuperar a economia com o chapéu alheio, criando impostos, e não cortando na carne.


Maquiagem não muda
Como bem reagiu ontem o senador Romero Jucá (PMDB) sobre as medidas fiscais: “a economia será recuperada com medidas duras e não com a maquiagem anunciada pelo governo Dilma”. A reação contra a CPMF será grande no Congresso, dificilmente passará.


A coisa está braba
Se as finanças do governo do Acre estavam no limite do suportável, o corte no orçamento, que será anunciado pela presidente Dilma, pode piorar a situação. O governador Tião Viana embarcou para Brasília, onde pretende acompanhar de perto a movimentação dos números.


Completamente perdida
A presidente Dilma está completamente perdida. Tolice reunir os governadores e pedir apoio para aprovar a CPMF, por um motivo: os governadores não dominam as suas bancadas. No Acre, por exemplo, dos oito votos, o governador Tião Viana só poderá contar com quatro. E assim são os demais governadores.


No mesmo caminho
O prefeito Marcus Alexandre seguiu o mesmo caminho e foi ontem para Brasília, porque as prefeituras também foram atingidas com as novas medidas e a queda real do FPM é certa.


Assim devem ser os partidos
No quesito da fidelidade partidária o PSDB era uma bagunça. Na campanha, seus prefeitos, vereadores, apoiavam quem queriam. Ao assumir a presidência, o deputado federal Werles Rocha (PSDB) tomou medidas moralizando na fidelidade partidária, no que está certíssimo.


O exemplo do PT
Um partido que não prima pela fidelidade partidária dos seus quadros vira uma baderna. Um exemplo é o PT, os seus detentores de mandato só apóiam candidatos do próprio partido.


Toinha Vieira
A última pesquisa, em que apareceu liderando, fortaleceram a decisão do PSDB de manter a candidatura da ex-deputada Toinha Vieira (PSDB) para a prefeitura de Sena Madureira. Toinha foi uma deputada fraquíssima, mas foi uma boa prefeita.


Uma boa oportunidade
Vamos ter uma boa avaliação da nossa bancada federal quando forem votar os projetos com aumentos de impostos que a presidente Dilma mandará à Câmara Federal e Senado da República. Quem votar a favor de novos impostos estará votando contra a população, não adianta vir com conversa de bêbado para Delegado para explicar um voto a favor da CPMF.


Ano difícil
Numa rápida análise das medidas de contenção de gastos anunciadas ontem pelo governo chega-se à conclusão: 2016 será um ano muito difícil para os governadores e os prefeitos.


Reajuste zero
Um prejuízo certo cairá no colo do servidor público com a suspensão de reajuste salarial nos órgãos federais. O reflexo nos estados e municípios será no mesmo nível. Por isso, funcionários do governo e prefeituras esqueçam qualquer possibilidade de aumento de salário em 2016.


Esforço pelo 13°
O esforço concentrado dos governadores e prefeitos já a partir deste ano será para pagar o décimo terceiro salário. É uma notícia ruim para os fornecedores do governo e prefeituras. Não existirá outro caminho: ou pagam os servidores ou os fornecedores. Novos compromissos, isso nem pensar: governo federal, governos estaduais e prefeituras estão quebrados.


Acertou na mosca
Caso Tião Viana tivesse concedido o aumento dos salários dos professores em 20%, como pretendia o SINTEAC, não teria como pagar os novos valores em dias. Há que se entender que o Brasil simplesmente quebrou, está em recessão, e não há como contemporizar.


Não se age pela emoção
Na administração pública quem age pela emoção está sujeito a cometer erros irreparáveis.


Conversas políticas
Aliados do senador Gladson Cameli (PP) revelaram ontem à coluna que ele pretende conversar com todos os dirigentes dos partidos nanicos que estão sob a órbita da FPA para uma aliança nas eleições municipais de 2016 e com extensão para a disputa estadual de 2018.


Reação dura
Os partidos nanicos não deixarão barato a tentativa vinda do governo de tomar as presidências do PDT e PSDC. Aguardem a reação.


É o que estão esperando
A conversa será a sopa no mel para alguns dirigentes de partidos nanicos que há um bom tempo esperam por esta conversa com o senador Gladson Cameli (PP), por se sentirem alijados dentro da FPA.


 Não apresentou provas
Apoiadores do prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, dizem que o vereador Carlos Portela (PPS) até o momento só apresentou denúncias fantasiosas contra ele, nada que com provas comprometesse o prefeito. Portela é o principal crítico do André na Câmara Municipal.


Estão por conveniência
O prefeito James Gomes (PP) é experiente para não ficar imaginando que todas as pessoas que foram fantasiadas de PP na sua entrada no partido garantem a vitória do vereador Manoel Macedo (PP), seu candidato a prefeito de Senador Guiomard, o buraco é mais embaixo.


Trate de ganhar
Pelas informações que tenho dos adversários do prefeito James Gomes, ele trate de fazer o seu sucessor para não ter uma bruta dor de cabeça numa devassa nas contas da sua administração, principalmente, no setor de compra de medicamentos. Volto a lhe alertar.


Salada política
A eleição para a prefeitura de Sena Madureira será uma diversificada salada política. O prefeito Mano Rufino (PSB) buscando a reeleição, o ex-prefeito Nilson Areal (PSL), a ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB) e a novidade da disputa, a publicitária Charlene Lima (PV).


Ficou na boa vontade
Quando disse neste espaço que pagaria para ver o projeto da reforma política aprovado no Senado passar na Câmara Federal é porque os deputados federais já tinham demonstrado que são a favor da patifaria que é a atual legislação eleitoral, acertei: mantiveram tudo.


Compra e venda liberada
Os deputados federais mantiveram liberada a negociata política com a manutenção das regras da coligação proporcional. Significa que continuará o balcão de negócios e a venda de legendas para as coligações. A Câmara Federal é hoje uma central de manutenção de privilégios e só.


Ficou na boa vontade
Valeu zero o trabalho do senador Jorge Viana (PT) em procurar modificar a imoralidade que é hoje a nossa legislação eleitoral, que favorece o compadrio e a venda e compra de votos.


Está na disputa
Com três candidatos a prefeito de Xapuri, a chance do prefeito Marcinho Miranda (PSDB) emplacar a reeleição não é algo muito difícil, a máquina pesa numa eleição de município pequeno.


Chapa da morte
A chapa do PT para a Câmara Municipal de Rio Branco é a própria “chapa da morte”, só de vereadores são quatro: Rose Costa, Gabriel Forneck, Graça da Baixada e Ismael Muniz que, claro, serão privilegiados na distribuição dos espaços nas máquinas municipal e estadual.


Apostando na aliança
O PCdoB aposta no apoio do prefeito de Mâncio Lima, Cleidson Rocha (PMDB), para apoiar um candidato comunista na disputa da prefeitura do município, o vice Eriton.


Só garganta
Uma importante figura do PT me garantiu ontem que o ex-prefeito de Rodrigues Alves, Francisco Deda (PROS), está fazendo jogo de cena, porque juridicamente não poderá disputar a prefeitura de Mâncio Lima como alardeou. Tem condenações no TCE e no TCU.


Agulha no palheiro
O PT encontrar em Cruzeiro do Sul um candidato a prefeito competitivo equivale a achar uma agulha no palheiro. Nos seus quadros só tem piabas e nos demais partidos da coligação ninguém com densidade eleitoral ou que possa se configurar como uma novidade ao eleitor.


Iguais no folclore
Não vejo nenhuma diferença entre o Doctor Rey (PEN), que pretende ser candidato a senador pelo Acre, e o ex-vereador Cabide, ambos integram a parte cômica do folclore político.


Dobradinha em sena
O deputado Nelson Sales (PV) deverá apoiar a publicitária Charlene Lima, na sua candidatura à prefeita de Sena Madureira. Está quase tudo acertado que ela irá se filiar ao PV.


Lado mulher
O ex-vereador Edvaldo Guedes (MDB) sempre foi um orador ferino e nunca deixou no embate político uma provocação sem resposta. Ficou também famoso pelas suas tiradas humorísticas. Ao conversar com o vereador Wincler Collier (PPB) sobre alguns políticos que eram manchetes na mídia, saiu com essa: -Collier, se a “Cafuá não me Deixes” (sua residência na área rural) falasse revelaria ao Acre o lado mulher da maioria desses políticos que posam de machão na imprensa. Guedes morreu e levou com ele os segredos da “Cafuá não me Deixes”.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.