Menu

MDB vai travar em Rio Branco, a mãe de todas as batalhas

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O MDB já tentou voltar para o comando da Prefeitura de Rio Branco com o ex-deputado federal Fernando Melo, com a ex-deputada Eliane Sinhasique e com o deputado federal Roberto Duarte. Fracassou nas três tentativas. Não decolaram na campanha. Pela primeira vez em décadas, o MDB vai para a disputa da PMRB na eleição deste ano, com um candidato altamente competitivo, o ex-prefeito Marcus Alexandre,  que cumpriu mandatos bem avaliados e liderou todas as sondagens eleitorais feitas no ano passado por vários institutos. A sua filiação no MDB se deu pelo fato da direção partidária ter lhe dado todas as condições para tocar a campanha do seu modo, inclusive, tendo liberdade na escolha do seu vice. Conseguiu montar uma chapa forte para a disputa de vagas na Câmara Municipal de Rio Branco, e ampliou as suas alianças, não ficando restrito ao apoio dos partidos de esquerda. Entre as suas vantagens, está o fato de ter feito várias campanhas e conhecer por nome as principais lideranças dos bairros da capital. É um candidato leve. Mas isso não significa dizer que já ganhou a eleição. A campanha para prefeito e como CPI, se sabe como começa e não se sabe como termina. Por tudo isso, o Marcus é um candidato perigoso para os seus adversários que estarão na disputa da PMRB. Mesmo disputando a eleição fora do poder.


PALAVRA PROIBIDA
Vice. É palavra proibida dentro do MDB. É assunto que somente será discutido próximo da convenção, depois que todas as alianças estiverem montadas para o jogo.


CONTAM COM IMPUGNAÇÃO
Os adversários da ex-prefeita Leila Galvão contam com a impugnação da sua candidatura na justiça eleitoral, alegando o fato de suas contas terem sido rejeitadas pelo TCE e pela Câmara Municipal de Brasiléia. Vão esperar o registro da candidatura, para tentar brecar.


NADA COMPARADO
Que Israel pratica uma chacina covarde de mulheres, crianças e idosos, em Gaza, é verdade. Mas longe isso se encontra do Holocausto. O Lula poderia condenar a chacina, mas sem fazer uma comparação que não tem sentido. O Holocausto é incomparavel, foram 6 milhões de Judeus exterminados. O problema de Israel é ser governado por um sanguinário de extrema-direita.


AMARRANDO APOIOS
O senador Márcio Bittar (UB) vai aos poucos, montando uma rede de apoios, focando na sua reeleição, em 2026. Em Brasiléia, apoiará para prefeita a Leila Galvão (MDB); Alípio (PODEMOS), em Sena Madureira; Jéssica Sales (MDB), em Cruzeiro do Sul; Tião Bocalom, em Rio Branco e a prefeita Néia (PDT), em Tarauacá. A eleição de prefeito é uma ponte para a eleição de governador e senador.


NÃO TIREM DE TEMPO
Não tirem de tempo da briga por uma das vagas de senador o Márcio Bittar (UB), ele costuma ressurgir das cinzas. Principalmente, se o Bocalom se reeleger; e a Jéssica Sales (MDB) ganhar a prefeitura de Cruzeiro do Sul, entra no jogo do Senado forte.


DISPUTA INTERESSANTE
Teremos em 2026 disputando as duas vagas de senador o Gladson Cameli (PP), Sérgio Petecão (PSD), Tião Bocalom (deve entrar no PL) e Jorge Viana (PT). Uma disputa interessante.


NÃO RENOVOU
O que muito contribuiu para o PT estar numa situação política difícil no estado, foi o fato de não ter renovado os seus quadros. Passou décadas orbitando nas mesmas caras e cansou o eleitorado. Agora, Inês é morta!


NADA PRÁTICO
Até o momento não se viu nada prático para projetar a candidatura de Alysson Bestene (PP), no meio da população. Medalhão não ajuda a ganhar eleição. E, medalhão, é o que o Alysson mais tem ao seu redor.


BEM FEITA
Não sei quem está fazendo, mas está muito bem feita a campanha publicitária do prefeito Tião Bocalom na televisão, e ocupando sempre os horários nobres das emissoras.


BUSCAR ALIADOS
O prefeito Tião Bocalom vai ter que procurar montar para a sua campanha de reeleição, um arco de alianças com muitos partidos, o PL, onde deve se filiar, é uma sigla de poucos quadros.


NOMES ATÉ AQUI
Lana Vaz, Lene Petecão, Elzinha Mendonça, são nomes certos entre as mulheres que disputarão vagas na Câmara Municipal de Rio Branco.


A POLÍTICA É FEITA DE OUSADIA
Só ganha eleição quem disputa. Quem é ousado. Então, o ex-deputado Jenilson Leite (PSB) está certo ao começar a projetar a partir de agora, sua candidatura a governador em 2026. A política é feita de ousadia.


BOM SECRETÁRIO
Nunca conversamos pessoalmente. Mas, tenho acompanhado o seu trabalho. Joabe Lira é um dos melhores secretários do Bocalom. É cotado para ser candidato a vereador.


VAMOS SABER LOGO
Até o dia 6 de abril vamos saber quem de fato dos ocupantes de cargos de confiança, será candidato nesta eleição. É a data limite para desincompatibilização.


CONVERSA COM A NACIONAL
Os dirigentes do MDB devem estar em Brasília, no próximo dia 2, para uma conversa com a direção nacional do União Brasil. Na pauta, tentar uma aliança para a disputa da prefeitura de Rio Branco. O problema é que não se sabe quem manda na sigla, no Acre.


TEMPO DE TELEVISÃO
O tempo de televisão, se for bem usado, é importante para ajudar a alavancar uma candidatura a prefeito. Por isso, a corrida dos candidatos para a montagem de alianças.


MAIOR ALIANÇA
A maior aliança partidária da eleição municipal é a do Alysson Bestene (PP), que deve ter 10 partidos lhe apoiando. E um bom tempo de rádio e televisão.


MELHOR PLANTAR CHEIRO VERDE
Se uma aliança com 10 partidos não conseguir alavancar uma candidatura a prefeito trabalhando duro, é porque seus dirigentes são fracos ou o candidato é pesado. Se não conseguirem levar o candidato ao segundo turno, ganham mais, esquecendo a política e irem plantar cheiro-verde.


FRASE MARCANTE
“As ideias devem ser recebidas como hóspedes, cordialmente, mas com a condição de não tiranizar o dono da casa”. Alberto Maravia.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.