Menu

Fevereiro, mês das bruxas ou das fadas na política do Acre?

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

No cenário popular, agosto costuma ser visto como o mês das bruxas. Mas, no Acre, essa data pode ser transferida para o mês de fevereiro. Começa pelo dia 8, quando será concluído no STF o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade ajuizada por partidos, que pede que todos participem da divisão das sobras eleitorais, o que não foi aplicado na eleição passada. Existem três votos no STF já declarados a favor da participação de todos os partidos na recontagem das sobras: dois a favor que se retroceda a decisão para a última eleição, os dos ministros Gilmar Mendes e Alexandre Garcia; e o do Lewandowski, que se aplique apenas nas eleições municipais. Se prevalecer a tese de Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, haverá suposta modificação na atual composição da bancada acreana de deputados federais. Entre os nomes citados, que supostamente deixariam os mandatos estão Roberto Duarte, Gerlen Diniz e Eduardo Veloso. E entrariam Perpétua Almeida, Minoru Kinpara e Jéssica Sales. Isso é apenas uma simulação, porque não se sabe como virão os outros votos dos ministros do STF e a regulação. Não é uma afirmação. O certo é que o dia 8 de fevereiro tanto pode ser o mês das bruxas como o mês das fadas para a bancada federal do Acre.


No mesmo patamar está o dia 20 de fevereiro, quando será julgado pelo STJ o pedido de afastamento do governador Gladson Cameli do cargo e sua transformação em réu na Operação Ptolomeu. Quem virará réu, isso é certo. A dúvida está no afastamento. Também para o governador Gladson, fevereiro poderá ser o mês das fadas se não for afastado, ou o mês das bruxas se for afastado. Pode acontecer o pior nas duas datas, ou nada acontecer. Tudo está no campo das suposições jurídicas. Esse é o mapa político astrológico.


ATUALIZAÇÃO
Sobre o texto acima, o deputado federal Gerlen Diniz (PP), mandou o seguinte comentário, sobre a matéria em julgamento no no STF: “Diz respeito sobre a terceira fase da chamada sobra das sobras. Atinge aqueles que não alcançaram a cláusula de barreira pessoal, que é a obtenção de um número mínimo de votos de 20% do quociente eleitoral. No Acre, não existiu essa terceira fase, pois todos os eleitos atingiram a cláusula de barreira. Em suma: nenhum parlamentar do Acre”.


NOME CERTO
O MDB escolheu o nome certo para a montagem do Plano de Governo do candidato a prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (MDB), o do ex-deputado João Correia (MDB). João conhece a política por dentro, foi deputado estadual e federal, e tem qualificação como economista.


NADA DEFINIDO
O senador Alan Rick (UB) disse ontem não ter fechado compromisso para apoiar nenhum nome para a prefeitura de Rio Branco. Não descartou apoio aos candidatos Alysson Bestene (PP) e Tião Bocalom. Conversas ainda deverão acontecer sem pressa.


CABEÇAS BRANCAS
Três cabeças brancas do MDB não escondem a simpatia pelo nome da médica Rejane Veloso, para ser a vice do Marcus Alexandre. Mas esse é um assunto que será empurrado para ser decidido, bem depois de fevereiro. E não depende dela, mas do marido.


HOMEM DA PONTE
Quem é candidato a prefeito de Rodrigues Alves, é o militante pela construção da ponte que vai ligar a cidade com a estrada que vai até Cruzeiro do Sul, Ralph Fernandes Ninguém mais que ele defendeu essa importante obra.


NORMAL NA GESTÃO
Não vejo nada do outro mundo o prefeito Tião Bocalom ter convidado o médico Eduardo Veloso para ser secretário municipal de Saúde. A política é feita com composições.


DISPUTA FERRENHA
Continua ferrenha a disputa entre o senador Alan Rick (UB) e o deputado federal Fábio Rueda (UB), para saber quem terá o direito de fazer as composições dos diretórios municipais. A questão se encontra ajuizada, com decisões conflitantes. O União Brasil, no momento, virou terra de ninguém no Acre, até que a justiça decida quem ficará como donatário.


BRIGA PELO ESPÓLIO
O senador Márcio Bittar (UB) negou ontem ao BLOG, estar tentando trazer o espólio falido do PSDB para a sua área de influência. Diz ter amigos influentes no partido, mas não é esse o seu foco.


BASICAMENTE NO NOME
O PSDB é um partido que existe no estado apenas no nome. Com a diminuição da sua bancada federal o montante do seu Fundo Eleitoral desabou no valor, e deverá ter dificuldade em eleger um deputado federal em 2026, no Acre.


NUNCA SE SABE
Que o governador Gladson Cameli vai se tornar réu na ação da Ptolomeu, não resta muita dúvida. Acho improvável que seja afastado, mas nunca se sabe o que pode acontecer num julgamento. O resto é achismo.


NINGUÉM SE ADMIRE
Caso o deputado federal Eduardo Veloso (UB) apareça em breve como presidente do diretório municipal do União Brasil, ninguém se admire. Fala-se que seria parte do acordo com os Ruedas para seu afastamento por 120 dias do mandato.


RODA GIRANDO
A política é uma roda girando. A deputada federal Socorro Neri (PP) foi muito atacada depois que saiu da PMRB, pelo prefeito Bocalom. E deu o troco com juros e correção monetária, impedindo a sua candidatura pelo PP.


NINGUÉM DESPONTOU
Nenhum vereador da atual legislatura em Rio Branco conseguiu se destacar no mandato, a ponto de se cacifar junto ao povão para ser candidato a prefeito. Todos vão buscar a reeleição.


NÃO DEVE MEXER
A informação que chega é que o governador Gladson Cameli não deverá fazer nenhuma modificação na sua equipe de primeiro escalão antes do seu julgamento dia 20 de fevereiro.


TEM QUE ABRIR ESPAÇOS
O prefeito Tião Bocalom vai ter que começar abrir espaços em cargos na prefeitura para conseguir formar uma aliança partidária, nenhum dirigente partidário vai para uma aliança pelo tapinha nas costas.


SUCESSO AO JAIRO
O jornalista Jairo Carioca lançou ontem seu livro “Vovô Irineu”, que retrata a vida do fundador da doutrina do Santo Daime, Irineu Serra. Sucesso na carreira de escritor. Vou comprar e ler.


ELEIÇÕES ACIRRADAS
Xapuri, Sena Madureira e Brasiléia serão os municípios onde a disputa pela prefeitura vai chegar no seu grau máximo de acirramento na campanha.


QUESTÃO FECHADA
A candidatura da vice-governadora Mailza Assis ao governo em 2026, é fato decidido. A própria tem feito questão de dizer que essa é a sua meta. A Mailza é tinhosa, quando toma uma decisão não volta atrás.


PÉ ATRÁS
Todos os candidatos estão com um pé atrás nesta questão da indicação do vice na chapa para prefeito de Rio Branco. Estão empurrando com a barriga para ver como ficarão as alianças partidárias. É uma discussão para depois de fevereiro.


DEPOIS DAS FÉRIAS
O senador Sérgio Petecão (PSD) diz que só vai voltar a falar sobre a eleição municipal na capital, após o seu retorno das férias. Está sem pressa.


FRASE MARCANTE
“A sociedade sempre acaba vencendo, mesmo ante a inércia ou antagonismo do Estado”. Ulysses Guimarães, ícone da política brasileira.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.