Menu

Márcio Bittar defende União Brasil apoiando reeleição de Tião Bocalom

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O senador Márcio Bittar (UB), foto, defende uma aliança do União Brasil com o prefeito Tião Bocalom, para o apoiar na caminhada da reeleição. Mas faz questão de ressaltar que a palavra final será dada pelo senador Alan Rick (UB), que é o presidente do partido no estado. Bittar acha que o prefeito Bocalom tem que sentar com o Alan, se quiser ter o União Brasil no seu palanque. Até o momento só existe uma decisão de Alan: não apoiar a candidatura do Marcus Alexandre (MDB). A meta do senador Alan Rick (UB) era ter o deputado federal Ulysses Araújo (UB) como candidato a prefeito, mas este não se viabilizou nas pesquisas. Vai restar ao UB apoiar a candidatura de Alysson Bestene (PP) ou do prefeito Tião Bocalom. Mas Alan ainda não se pronunciou sobre quem será seu candidato.


FAZ POLÍTICA
O senador Alan Rick (UB) está sedimentando de forma correta a sua caminhada para disputar o governo em 2026. Faz política. Se destinar uma emenda para comprar um carrinho de mão, é presença certa na entrega e discursando para vender seu peixe.


SOUBE PELO PRÓPRIO
O senador Márcio Bittar (UB) me disse que só soube do convite feito pelo prefeito Tião Bocalom para o deputado federal Eduardo Veloso (UB) ser secretário municipal de Saúde, pelo próprio Veloso, e que não articulou.


DEVERIA ACEITAR
Na visão do senador Márcio Bittar, o deputado Eduardo Veloso (UB) deveria ter aceitado o convite do prefeito Tião Bocalom, porque o cargo lhe daria mais projeção política.


MAIS PROVÁVEL
O prefeito Tião Bocalom ainda não definiu por qual partido disputará a reeleição, mas é bem provável que venha a se filiar no PL do Bolsonaro.


UM TOPANDO NO OUTRO
O pequeno município de Epitaciolândia deverá ter quatro candidatos a prefeito. Neidinha (PT), Everton Soares (PP), Dorzila (PSDB) e o prefeito Sérgio Lopes (PSDB). Será candidato topando em candidato.


FAVORECE O PODER
Não é preciso entender de política para concluir que quatro candidaturas, beneficia o prefeito Sérgio Lopes (PL), porque disputará no mandato, o que sempre pesa num município pequeno.


GUERRA POLÍTICA
Xapuri deve ser palco de uma guerra política pela prefeitura. De um lado, a deputada federal Antônia Lúcia (REPUBLICANOS) apoiando a candidatura do ex-deputado Antônio Pedro (PP); e o deputado Manoel Moraes (PP) a vice-prefeita Maria Moraes (PP). Antônia e Manoel não são adversários, mas inimigos pessoais publicamente declarados.


GERALMENTE NÃO SEGUE
O professor Minoru Kinpara deve ser o elaborador do Plano de Governo do candidato Alysson Bestene (PP). Que seja uma peça enxuta e não os tradicionais calhamaços com sugestões, que geralmente não são cumpridas por quem vence a eleição.


CAVADOR DE VOTOS
Encontrar o Marcus Alexandre (MDB) nos finais de semana é achar agulha em palheiro. Se soca cedo nos bairros e áreas rurais, com reuniões que vão até o anoitecer. É um candidato que anda como poucos buscando votos.


QUEBRANDO TRADIÇÃO
Ao não ter candidato a prefeito em Senador Guiomard, o MDB está quebrando uma tradição de sempre ter um nome na disputa da prefeitura.


COSTUMA SER CRUEL
O governador Gladson não deve confiar nos políticos que hoje dão tapinhas nas suas costas e o enchem de elogios. O seu tio Orleir Cameli tinha ampla maioria na ALEAC e na Câmara Federal, e terminou o governo abandonado pela sua base, com apenas o fiel Osmir Lima ao seu lado. A política costuma ser cruel.


NÃO CAPINA SENTADO
Pode-se fazer críticas contra a forma dele governar sem ouvir ninguém, mas jamais de ser preguiçoso. É o primeiro a chegar nas obras em curso na cidade para cobrar, celeridade e qualidade. Bocalom não capina sentado. Tem que ser reconhecido.


FORA DE COGITAÇÃO
O senador Sérgio Petecão (PSD) tem um foco definido para 2026: apoiar a candidatura da vice-governadora Mailza Assis (PP). Apoiar o senador Alan Rick (UB), isso nem sonha.


SABE USAR O PODER
Caso o Lula venha disputar a reeleição será um candidato nada fácil de ser batido. Sabe como poucos usar o poder, quando se trata de campanha. E,como vai disputar no mandato, não será fácil para os adversários lhe derrotar com a máquina nas mãos.


CABO-ELEITORAL
Inelegível por 8 anos, restará ao ex-presidente Jair Bolsonaro ser cabo-eleitoral do candidato a ser lançado pelo seu grupo. Bolsonaro conseguiu a proeza de perder a eleição no poder.


LINHA VERMELHA
A dupla Gladson Cameli-Mailza Assis está afinada na gestão, por um ponto básico: Mailza não avança além dos seus limites, cumpre a máxima de que o vice é apenas um substituto eventual do governador. Não pode passar dessa linha vermelha.


VER AS PESQUISAS
Um cardeal do PSD disse ontem ao BLOG que a pré-candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul do professor Marcelo Siqueira, só será sacramentada se chegar em junho com dois dígitos nas pesquisas, que tornem sua candidatura viável.


DEMOCRACIA E CIDADANIA
O ex-deputado federal Chicão Brígido, conhecido por suas posições contra a compra de votos, está programando uma série de palestras em colégios e instituições, para falar sobre Democracia e Cidadania. Boa causa.


FRASE MARCANTE
“Em política, até a raiva é combinada”. Ulysses Guimarães.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.