Menu

Minoru joga gasolina no fogo e derruba trabalho da candidatura única de Alysson

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Todo o trabalho feito pela vice-governadora Mailza Assis e outras lideranças do PP de unir o governo em torno da candidatura do secretário Alysson Bestene a prefeito de Rio Branco, foi derrubado com a intransigência do presidente da Fundação Cultural, Minoru Kinpara (PSDB), de manter a sua candidatura a prefeito, dentro da esfera do poder, criando uma confusão nas entranhas do próprio governo, que fica com dois nomes disputando o mesmo espaço.


A situação reforça ainda a intransigência do prefeito Tião Bocalom de também querer ser candidato a prefeito da esfera do poder estadual. A grande prejudicada é a candidatura de Alysson Bestene (PP). Como é que a vice-governadora Mailza Assis e demais lideranças do PP podem dizer ser Alysson o único nome do governo de candidato a prefeito de Rio Branco? E quando se tem dois órgãos trabalhando pela quebra da unidade, a FEM e o IMAC, redutos do Minoru.


O certo é que a decisão do Minoru – que tem o apoio do deputado Luiz Gonzaga – estraçalhou a tentativa do PP de uma candidatura única do partido a prefeito de Rio Branco. E causou a maior confusão política na eleição municipal. Quem pariu Mateus, que embale, diz o ditado.


TODO DIREITO


O PSDB – mesmo sendo uma sigla minúscula no estado – tem todo o direito de ter uma candidatura própria a prefeito de Rio Branco. Nenhuma crítica neste sentido ao presidente tucano, deputado Luiz Gonzaga. O que é estranho e favorece a oposição e querer que esta candidatura seja gestada dentro do governo, que por suas maiores lideranças já se manifestaram pelo nome de Alysson. Até o próprio governador Gladson.


CAFEZINHO E BAIRROS


Enquanto os senhores do poder se engalfinham para saber quem será o candidato a prefeito da capital pelo governo, o líder das pesquisas, o ex-prefeito Marcus Alexandre, está direto nos bairros tomando cafezinho com os moradores e vendendo o seu peixe.


CEF NÃO MANDA NADA


O projeto de casas populares é de autoria do presidente Lula. A Caixa Econômica Federal apenas gerencia os repasses. Nada republicano, pois, o agradecimento do prefeito Tião Bocalom para a CEF, pela vinda de recursos federais para construir casas. O Bolsonaro perdeu e não tem mais volta, prefeito Bocalom! Deixe de birra.


NEM UM CENTAVO


O presidente Bolsonaro não destinou um centavo no seu governo para a conservação da BR-364, no trecho Rio Branco-Cruzeiro do Sul. Nem para a construção de casas populares. E o deputado Arlenilson Cunha (PL) tentou dar um título de Cidadão Acreano ao moço, ainda bem rejeitado pela ALEAC. A homenagem não tinha nenhum sentido.


OUTORGA BANALIZADA


Se bem que o título de Cidadão Acreano foi tão banalizado na sua outorga, que muitas figuras inexpressivas foram beneficiadas. Mas, avacalhar demais, também, não!


IRONIA DO PETECÃO


O senador Sérgio Petecão (PSD) revelou ontem ao BLOG que recebeu o telefonema de um amigo, que passou um bom tempo no celular tentando lhe convencer a não votar no senador Flávio Dino para o STF. Depois de ouvir o discurso, Petecão perguntou ao amigo: – O que é que vai mudar na sua vida, melhorar sua renda, se o Flávio Dino não for aprovado pelo STF? O amigo gaguejou e não soube responder. Petecão disse ser voto a favor.


NADA FECHADO


O senador Sérgio Petecão (PSD) – já recuperado da pneumonia – disse ontem ao BLOG que as conversas sobre a sua aliança com o governo estão adiantadas, mas não concluídas. Para um bom entendedor, a meia palavra basta.


NÃO SE MANIFESTOU


O deputado Nicolau Junior (PP) ainda não se manifestou sobre o seu apoio para a candidatura de Alysson Bestene (PP) a prefeito de Rio Branco. Seu aliado próximo, o presidente do IMAC, André Hassem, trabalha abertamente dentro do governo pela candidatura de Minoru Kinpara (PSDB).


MELHOROU O DESEMPENHO


Não tenho contato com a prefeita de Senador Guiomard, Rosana Gomes, mas as informações que recebo de políticos de vários partidos, é que deu uma melhorada na sua gestão.


NEM UM POUCO


Não vou me admirar nem um pouco numa aliança em 2026, com o senador Alan Rick (UB) para governador e o deputado Nicolau Junior (PP) de vice. Só que neste caso, o Nicolau teria de deixar o PP, que vai caminhar com a candidatura de Mailza Assis ao governo.


ERRO TREMENDO


O prefeito Bocalom cometeu um tremendo erro político em anunciar que daria aos que sofreram alagações camas, móveis, outros utensílios, eletrodomésticos, etc. Só que não tinha orçamento para beneficiar todos e por isso sofre esse monte de cobranças. Fez a promessa de muito boa-fé, mas sem o devido planejamento. O desgaste seria inevitável. O Bocalom é um gestor bem-intencionado, mas não planeja.


NEM UMA ACUSAÇÃO


Um ponto a favor do Bocalom é que até hoje não apareceu um caso de corrupção na sua administração. E um ponto negativo, é não ouvir ninguém.


BOA ESCOLHA


Caso o Delegado Railson faça a opção de ser candidato a prefeito de Feijó pelo MDB, estará fazendo a escolha certa. O MDB é um partido que deixa seus candidatos livres para montarem as suas chapas para as prefeituras. Sem ingerência da cúpula. Além de ser um partido que não é de extrema-esquerda e nem de extrema-direita, mas de pluralidade de ideias.


POSTURA ÉTICA


O PT está tendo uma postura ética na sua aliança com o MDB, não exigiu participar da chapa do candidato a prefeito Marcus Alexandre (MDB).


DECISÃO NATURAL


O PDT vai estar no palanque do candidato a prefeito do Gladson. É a decisão tomada pelo presidente do PDT, Luiz Tchê, cujo partido tem espaços generosos dentro do governo.


FRASE MARCANTE


“O que se faz num dia é semente de felicidade (ou de infelicidade) para o dia seguinte”. Ditado indiano.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.