Menu

Mailza abre temporada de disputa ao governo de 2026

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Até então, tudo estava no campo das cogitações. Mas no momento em que a vice-governadora Mailza Assis (PP) declarou na entrevista ao Bar do Vaz, do jornalista Roberto Vaz, que era candidata ao governo em 2026, abriu antecipadamente a temporada de disputa pela sucessão do governador Gladson Cameli. Foi como se desse um recado: – quem não estiver comigo na campanha, será meu adversário. O que empoderou mais a fala da Mailza é que em 2026, devido o afastamento do Gladson do poder para ser candidato ao Senado, ela vai para a eleição sentada na cadeira de governadora, com a caneta que nomeia e demite.


Pelo que ouvi ontem de um político próximo a ela, até 2026 vai trabalhar alianças, mas no momento em que for governadora, não deixará em nenhum cargo de confiança, secretaria ou diretoria, alguém que não vá marchar com a sua candidatura.


Qual é o deputado que vai querer perder cargos que tem no governo? Junte-se a isso a chamada perspectiva de poder, que consegue atrair aliados. E, para completar, ela terá o apoio do governador Gladson, porque ele precisará do seu apoio, já que estará fora do poder. Traduzindo em miúdo: tudo que se pensar em política para 2026 irá passar, automaticamente, pela futura caneta da Mailza. Assim será o jogo político.


Quem não tiver cartas para jogar, não se sente na mesa.


ALIADO DO ESPORTE


O deputado Tanízio de Sá (MDB) se tornou um amigo do esporte. Conseguiu, pela primeira vez, que o atual governo liberasse recursos para os times de futebol profissional. E criou a Frente Parlamentar do Esporte, que vai render mais recursos para o setor. Fez o que deputados de vários mandatos nunca fizeram pelo esporte. E este é seu primeiro mandato. Ponto para o Tanízio.


FALTOU CELERIDADE


O fato dos recursos liberados pelo senador Márcio Bittar (UB) não se tornarem visíveis, é que o setor de licitação do governo não tem celeridade para elaborar os projetos.


PAPÉIS INVERTIDOS


Hoje, os parlamentares precisam do governador Gladson para colocar seus afilhados em cargos de confiança. Tem a caneta. Mas, em 2026, quando for candidato ao Senado, é ele quem precisará dos parlamentares para pedir votos para se eleger senador.


SUMIU POR COMPLETO


O prefeito Tião Bocalom sumiu da mídia. Só aparece em pautas negativas. E o cenário não se deve ao assessor de Comunicação, Ailton, que não tem a última palavra e não é ouvido em suas sugestões.


SEMANA DECISIVA


Essa semana será decisiva para a concretização da aliança entre o senador Sérgio Petecão (PSD), para que seja aliado do governo na disputa pela prefeitura de Rio Branco. Até o momento ficou no protocolo de intenções o seu apoio ao candidato a prefeito Alysson Bestene (PP)


PRINCIPAL AVALISTA


A principal avalista da aliança é a vice-governadora Mailza Assis, que como candidata em 2026, sabe da importância de ter um aliado no comando da prefeitura da capital


NATURAL QUE CRIE


A manutenção da candidatura do Minoru Kinpara (PSDB) a prefeito de Rio Branco, ajuda em muito a oposição, porque quebra a unidade em torno da candidatura de Alysson Bestene (PP), se queira ou não.


ELITE NÃO ELEGE


Como presidente da APEX, os contatos do ex-senador Jorge Viana, ficam limitados aos grupos empresariais. E se pensa ainda em continuar na política em 2026, tem que se lembrar que quem elege são os votos dos grotões, e não das elites.


DETONOU TODOS


Todos bolsonaristas que ousaram enfrentar em debates o ministro da Justiça, Flávio Dino, fora, destroçados com argumentos fortes. Sua indicação para o STF foi uma boa decisão do Lula. Dino foi Juiz Federal. Não entendo as críticas, o Bolsonaro não nomeou um ministro sob o critério de ser terrivelmente evangélico?


FALHARAM NAS PROFECIAS


Os Pastores evangélicos de renome nacional profetizaram em nome de Jesus, a derrota do Lula. Foram desmascarados. Deve ser por isso, que, eles não aceitaram o resultado eleitoral e ficam a continuar com manifestações a favor do Bolsonaro, que até inelegível se encontra.


NÃO FOI COOPTADA


Um dos poucos vereadores que não foram cooptados pelo poder e cumpre o seu papel de fiscalizar os atos do prefeito Bocalom, é a vereadora Elzinha Mendonça (PSB). Registre-se.


PESQUISA VAI DECIDIR


O que deve decidir se a oposição em Brasiléia terá um ou mais candidatos a prefeito, serão as pesquisas do primeiro trimestre do próximo ano. Conversas estão acontecendo entre as principais lideranças da oposição no município para uma futura aliança.


EXEMPLO DE EQUILÍBRIO


Na política, nada mais execrável do que os extremistas de direita e de esquerda. Pode-se criticar ou defender uma determinada posição do Executivo, sem bajular ou ser radical. Quem encarna bem essa postura de equilíbrio na ALEAC, é o deputado Pedro Longo (PDT).


CRIANÇAS SÃO CRIANÇAS


Mais de 5 mil crianças palestinas morreram com os ataques de Israel. Crianças são crianças, não importa a ideologia de seus pais. Essa é a faceta mais cruel nos bombardeios de Israel. E ainda há quem comemore.


MELHORARAM NO FINAL


Os debates, no início da legislatura da ALEAC, ou foram inexistentes, ou fraquinhos. Melhoraram quando os deputados Emerson Jarude (NOVO), Michelle Melo (PDT), juntaram-se na oposição, onde até então a única voz existente, era a do deputado Edvaldo Magalhães (PSD). Melhor assim.


FRASE MARCANTE


“O dinheiro pode tudo, só não pode mudar a sorte e evitar a morte”. Ditado português.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.