Pesquisas vão definir candidatura de Alysson Bestene 

Secretário de governo Alysson Bestene - Foto: Secom

O secretário Alysson Bestene é um nome limpo, é qualificado, tem a simpatia do governador Gladson Cameli, mas esses pontos pesam muito pouco para que a sua candidatura a prefeito de Rio Branco, no próximo ano, venha a decolar.


As pesquisas até aqui realizadas têm mostrado que precisa conquistar a simpatia do eleitorado. Aparece com um baixo índice de aceitação. O que vai definir se será mesmo candidato serão as próximas pesquisas feitas por institutos sérios. Se continuar aparecendo no andar de baixo, ficará difícil manter o apoio do Gladson e do partido para a disputa da PMRB. Ele é inteligente e sabe disso. Seu foco tem que ser apenas o de popularizar o seu nome nos bairros, sob pena de não conseguir se manter candidato.


Não existe caminho alternativo para o Alysson Bestene sedimentar a sua candidatura a prefeito. E isso tem que acontecer até a entrada de 2024.


PASSA PELO PODER


O senador Alan Rick (UB) tem envidado todos os esforços com propostas, como o subsídio do querosene de aviação na Amazônia e abertura do aeroporto de Rio Branco a voos internacionais, para baixar o preço das passagens aéreas. Como não depende só de sua luta, mas por uma decisão do governo federal, sou cético que tenhamos mais voos e uma tarifa mais barata. Fim da linha.


SEGURA NA MÃO DE DEUS


Que Deus receba o George Pinheiro num plano de muitas luzes. Meus sentimentos à toda família Pinheiro.


EDVALDO DÁ O TOM DESAFINADO


O que importa na execução de uma obra no serviço público, não é que venha a ser feita ou não por uma empresa regional. Mas sim o menor preço cotado e que a empresa escolhida tenha antes de tudo a capacidade de execução. Sem sentido, pois, esse carnaval do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) sobre o uso de uma Ata de uma carona de uma empresa do Maranhão pela Secretaria de Educação. A Operação Ptolomeu brecou a participação de empresas regionais que poderiam fazer a recuperação das escolas do estado, que para funcionar precisam sofrer reformas. E a carona é o meio mais célere para as obras, enquanto se processam mudanças de itens na licitação em curso. Não foi liberado um centavo para a empresa vencedora da carona. Mas o que o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) fala como oposição na tribuna da ALEAC, vira verdade para a base do governo.


CARONA SEMPRE EXISTIU


O uso do instituto legal da carona para obras não causa contrariedade ao governador Gladson, como falou ontem a líder do governo, deputada Michelle Melo (PDT). Não conheço nenhum governo acreano que tenha usado mais atas de carona que o governo do Gladson. É só fazer um levantamento para se ver que é uma prática corriqueira. E nada se faz no governo sem o aval do Gladson, vamos deixar de ingenuidade. Por favor! Tudo passa pela sua autorização. Seu governo é um caronista juramentado.


NÃO ESTÁ ERRADO


O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) está errado em fazer questionamentos sobre ações do governo? Claro que não! Foi eleito pela oposição. Faz o seu papel com competência. Se a base do governo pisa nas cascas de banana que ele joga nos debates na ALEAC, é outra coisa.


ADORA O EXTERIOR


O governador Gladson Cameli adora uma viagem internacional. Mesmo que não renda fruto ao estado. Seu nome aparece no folder de propaganda de um fórum sobre desenvolvimento, nos dias 1 e 2 de setembro nos EUA, como um que se fará presente.


“ABRAÇANDO O ACRE”


Se tem um ponto favorável na deputada Michelle Melo (PDT), é ela não ser negacionista ou extremista de direita. Ao dizer que o governo do Lula está “abraçando o Acre,” reconhece a ajuda do governo federal ao estado. Um estado pobre e dependente como o Acre não pode se dar ao luxo da classe política querer trombar com o Lula, por questões ideológicas.


NÃO SABIA DA INVASÃO


Ouvindo ontem algumas falas de políticos na CPI das ONGS, a sensação que passam é que a Amazônia está ocupada por ONGS e dominada por países europeus. Foi surpresa saber dessa invasão (sic) da Amazônia. Que viagem na maionese! A que ponto chega o radicalismo anti-ambiental. O mundo está em outra.


É O QUE GERA EMPREGO


Nenhuma atividade gera mais emprego rápido e massivo que a construção civil. É positiva essa ação do deputado Afonso Fernandes (PL) em abrir diálogo de uma cooperativa de 30 empresas da área, para intermediar junto ao governo investimentos que aqueçam o setor.


FOCO EM 2026


Pela sua presença em articulações políticas nos municípios, fica claro que o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, foca em disputar um cargo majoritário em 2026, que pode ser o governo ou uma das duas vagas de senador.


VENTOS DESFAVORÁVEIS


Os ventos estão desfavoráveis para a extrema-direita. No Brasil, o Bolsonaro ficou inelegível e responde a vários processos. E nos EUA, Trump também vem sendo alvo de várias ações judiciais, por tentativa de melar o resultado eleitoral.


DEITADO NA REDE


Perguntei ontem a uma figura importante do MDB se acreditava que, a ex-deputada federal Jéssica Sales (MDB) disputará a prefeitura de Cruzeiro do Sul, e a resposta foi pragmática: “Não temos a garantia, mas se ela não for candidata, o prefeito Zequinha será reeleito deitado na rede”.


A IMPORTÂNCIA DA PMRB


O grupo formado pelos senadores Márcio Bittar (UB), Alan Rick (UB) e pelo deputado federal Roberto Duarte (REPUBLICANOS), vai tentar fincar bases nas eleições de prefeitos do interior, mas a meta principal é conquistar a prefeitura de Rio Branco com a candidatura do deputado federal Ulysses Araújo (UB).


BASE PARA 2026


Com a PMRB, o grupo teria uma base para ajudar a candidatura do senador Alan Rick (UB) ao governo do estado.


FORA DO GRUPO


Pelo que se escuta no MDB, o nome do vice na chapa do Marcus Alexandre (MDB) a prefeito de Rio Branco, não sairá do bloco de partidos de esquerda. Mas não foi aberta uma discussão por votos.


INÊS É MORTA


A absolvição pelo TRF ontem da ex-presidente Dilma das acusações que levaram ao seu impeachment, limpou juridicamente o seu nome, mas não repara a perda do seu mandato. Agora, Inês está morta. Assim é a justiça. Isso reforça o discurso do PT de que ela foi vítima de um golpe.


JOGAR TODAS AS FICHAS


O prefeito Tião Bocalom vai jogar todas as suas fichas para disputar a reeleição pelo PP, mesmo sabendo não ter o apoio do diretório municipal.


É BOM TER PLANO B


É bom o prefeito Bocalom ir pensando num Plano B, de ser candidato por outro partido. Seguro morreu de velho.


FRASE MARCANTE


“Eduque as crianças, e não será necessário punir os adultos”. Pitágoras.


plugins premium WordPress