Menu

Revalida tem o DNA do Alan Rick 

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

ONTEM, foi o dia de prova do REVALIDA. Ninguém mais do que o senador Alan Rick (União Brasil),  nos seus dois mandatos de deputado federal batalhou tanto e conseguiu avanços para ajudar os médicos formados no exterior, com a regularização dos exames para conseguirem a revalidação de seus diplomas e terem acesso ao registro no Conselho Federal de Medicina. 


São pautas como essa que credenciam um parlamentar a justificar a sua eleição. Liberar emendas parlamentares, que são recursos federais, é um ato mecânico e não acrescenta nada em termos de produtividade a um mandato. 


O Alan tem o que comemorar quando assiste às levas de médicos fazendo o REVALIDA.


ENFIM, DESCOBERTO O PAI!


A verdade, enfim, veio à tona: é o ex-vereador Cabide o pai da criança dos alardeados 600 milhões de reais para a recuperação da BR-364.


MELHOR COLOCAÇÃO


PARA acabar com esta ópera-bufa sobre a 364: não tem 600 milhões de reais num saco, numa gaveta, de onde se vai tirando para a obra, tudo ainda se encontra no campo da promessa de liberação.


ENCONTRO MARCADO


UM encontro está marcado para a semana que vai começar entre o governador Gladson e o senador Peetecão (PSD), afastados desde a última eleição.


SENDO PRÁTICO


SENDO prático para 2026, o senador Sérgio Petecão (PSD) alertou cardeais do PT que se ele e o Jorge Viana saírem para o Senado, perdem ambos.


FOGO DE MONTURO


HÁ dentro do grupo de oposição quem trabalhe com a ideia de ter num palanque em 2026, Jorge Viana ao governo; e Gladson e Sérgio Petecão ao Senado. Nada de real, nada acertado para esta composição, está tudo no campo da gestação, mas as conversas nos bastidores entre figuras importantes estão previstas. As fontes são confiáveis.


NÃO DUVIDEM NADA


NA política não duvidem de nada. Não tinham adversários mais ferrenhos do que o Orleir Cameli e o PT. E o que se viu no fim da novela foi o Orleir não sendo candidato e apoiando o Jorge Viana ao governo. Na política não tem nada impossível, tem o jogo de conveniências e interesses pessoais.


CHOQUE DE REAÇÃO


O ACRE, principalmente, a capital, chegou num ponto que se mata um hoje e deixa o outro amarrado para morrer amanhã. Estrutura o governo destinou e muito para a pasta. É preciso um choque de reação da Segurança para cessar a matança, isso não pode virar uma mera rotina.


NÃO AJUDA EM NADA


NO INÍCIO de mandato, o Gladson afirmou em uma de suas falas de que não queria ninguém lhe puxando o saco, mas apontando os erros. A carapuça caiu na base do governo na ALEAC. Cameli tem razão, o que ajuda uma gestão é se apontar os erros. Bajular não ajuda em nada.


O PT FOI VARRIDO


ALGUNS deputados têm de perder a mania de justificar obras não realizadas na gestão estadual, aos governos passados do PT. O PT foi varrido do poder no Acre há 4 anos. Se cobrança tiver que ser feita, é para quem se encontra no poder. E, ponto.


CURIÓ EM MUDA


O EX-SENADOR Jorge Viana tem se recusado a emitir comentários políticos, está igual curió em muda, não dá um pio. Até aqui o PT não tem um nome de densidade eleitoral para disputar com chance a PMRB, se é que terá candidato próprio.


PIOR MOMENTO


O PT vive no estado o seu pior momento político desde a sua fundação. Ainda não conseguiu reaprender a disputar eleições na oposição; passou 20 anos disputando com a máquina do poder, com empregos para trocar por apoios. Agora não tem nada. Os “meninos do PT” envelheceram e não notaram. As caras das suas lideranças enrugaram.


FORA DA MÍDIA


O ex-deputado Jenilson Leite (PSB) vive a síndrome da perda de mandato, quando nem o vento bate nas costas. Sempre ponderei ser seu grande desafio ficar na mídia sem mandato, para projetar seu nome na eleição do próximo ano da PMRB.


ÚNICA HIPÓTESE


O EX-DEPUTADO Jenilson Leite (PSB) coloca como condição para ser candidato a prefeito de Rio Branco, a unidade dos partidos de oposição ao seu nome. Aprendeu na última campanha que, uma candidatura majoritária sem alianças, tem um teto


FOI UMA GRANDE CHANCHADA


POR pura curiosidade, fui checar de novo: nenhuma igreja evangélica fechada, a bandeira nacional não mudou para a cor vermelha, o aborto não foi liberado e o comunismo não foi implantado no país. Nunca se mentiu tanto numa campanha para derrotar um candidato, como fizeram com o Lula.


NÃO É MAJORITÁRIA


O MDB teve participações desastradas com baixa votação, nas suas últimas disputas da PMRB: com Fernando Melo, Eliane Sinhasique e Roberto Duarte. Por isso, uma possível candidatura do deputado Emerson Jarude (MDB) a prefeito não desperte tanta simpatia na cúpula partidária.


ÚNICO INSTRUMENTO


O único instrumento que poderia animar o MDB a ter candidato próprio a prefeito de Rio Branco, é se um de seus quadros aparecer liderando as pesquisas. O que pelos seus nomes, não será fácil.


DOMINA A TRIBUNA


COM um tom ameno de voz, mas que chama atenção de quem escuta, dos novos deputados o que mais tem se revelado com bom tribuno, é o deputado governista Afonso Fernandes (PL).


NADA GERA MAIS EMPREGO


O governo Gladson deveria deixar de lado obras faraônicas como a construção de viadutos e investir pesado na construção civil, que é a atividade que mais gera emprego imediato. E falando em desemprego, é uma chaga que só cresce no estado. Sem emprego não há dignidade.


ESTADO INCHADO


NÃO se pode pensar mais no estado como o maior empregador, por a máquina estatal estar inchada.


UM DOS MELHORES


NÃO entro no mérito dos seus problemas jurídicos, até porque não os conheço na prática, apenas pela mídia, mas posso afirmar que, com certeza, em termos de gestão produtiva para a população, o ex-prefeito Nilson Areal está entre os melhores do município. Se puder ser candidato a prefeito no próximo ano, é um nome que pode mexer no quadro da disputa.


FRASE MARCANTE


“A política é arte de fazer o eleitor acreditar que uma mentira dita é uma verdade”. Do anedotário mineiro.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.