Menu

Marcus Alexandre e Socorro Neri lideram corrida para a prefeitura em cenários diferentes

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

A corrida para a prefeitura de Rio Branco tem o ex-prefeito Marcus Alexandre – sem partido – liderando folgado as intenções de votos em todos os cenários. Na pesquisa estimulada do instituto DELTA, contratado para orientação política de um partido, Marcus aparece com 39,67%. Em seguida vem a deputada federal Socorro Neri – PP, com 21.67% o prefeito Tião Bocalom com 15.67%. Jenilson Leite –PSB, com 6.17% e Emerson Jarude –MDB, com 5.83%. Num cenário sem o ex-prefeito Marcus Alexandre, e apenas com o segundo e o terceiro mais votado, quem aparece liderando é a deputada federal Socorro Neri, que chega a 57.50% e Tião Bocalom alcança 25.33% pontos percentuais. Foram ouvidas 600 pessoas em Rio Branco com término em 11 deste mês.


PESQUISA É MOMENTO
Pesquisa é momento, a eleição só vai acontecer no ano que vem, e a pesquisa serve apenas de parâmetro para uma análise. Lembrando: pesquisa não ganha eleição. Principalmente, faltando mais de um ano para o dia da votação. Por isso, ninguém chore ou ria pelo resultado divulgado.


NEM A PAU, JUVENAL!
Não sei quem espalhou o boato, mas é fake em toda sua plenitude de que o Eduardo Veloso foi convidado para ser o líder do PT na Câmara Federal. Primeiro porque o PT já tem líder, o deputado federal Zeca Dirceu. O Veloso é um político jovem, de qualidade, mas lhe falta relevância nacional para a função, e ademais: fez campanha para o presidente Bolsonaro. O PT jamais daria a liderança do partido a um bolsonarista ferrenho.


PEGANDO MUITO MAL
As informações que tenho é que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha, é ilibado, mas os escândalos em sucessão envolvendo seus assessores, está jogando a sua gestão no ralo na opinião pública, e de uma forma ou de outra acabam lhe respingando negativa politicamente. É igual a mulher de César, não basta ser honesta, tem de parecer honesta.


PESQUISA APONTA
A recente pesquisa do DELTA publicada pelo ac24horas, mostrando sua alta rejeição para a reeleição, é um reflexo de todas as confusões que ocorrem na sua gestão.


A CERVEJA PODE CHOCAR
A ex-deputada federal Jéssica Sales (MDB) apareceu em recente pesquisa do instituto DELTA, com 70% na preferência popular para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. É bom não estocar cerveja por conta do resultado, porque pode chocar. Estamos distante da eleição, e em CZS as disputas eleitorais estão sendo mais decididas na verba do que no verbo. Basta pegar como exemplo a sua não reeleição, quando era a favorita nas bolsas de aposta.


PARA NÃO CAIR DA CAMA
E, não sonhe muito com o apoio do governador Gladson a uma possível candidatura sua para a prefeitura de Cruzeiro do Sul, para não cair da cama; já tem o exemplo do irmão Fagner Sales, quando foi candidato a prefeito. Foi massacrado pela máquina do poder.


ISSO É O MAIS IMPORTANTE
0 deputado Emerson Jarude (MDB) denunciou que os deputados são eleitos para trabalhar e ainda assim recebem um mimo financeiro para participar das comissões legislativas. Não lhe falta razão na crítica, mas o que quer se saber é se vai ficar só na revelação e se vai receber ou não o dinheiro que diz ser espúrio.


MUITO DISTANTE
Pode ser que melhore, mas a nova líder do governo, deputada Michelle Melo (PDT), está muito longe da desenvoltura e domínio da tribuna, que tinham os ex-líderes Gerlen Diniz (PP) e Pedro Longo (PDT). É que ela mudou da água para o vinho, de uma parlamentar independente, para uma função moldada para elogiar.


O MDB É UMA PIADA
O presidente do MDB, Flaviano Melo, diz que o partido é oposição ao governo, mas a retórica não se aplica á prática. Na hora de escolher um líder do partido na ALEAC, escolheu o declarado camelista deputado Tanízio de Sá.


PROBLEMA PARA RESOLVER
Uma hora diz que apoia a Socorro Neri (PP) para prefeita de Rio Branco, na outra que apoiará a reeleição do Tião Bocalom. O Gladson Precisa resolver de vez para que lado vai em 2024, para a PMRB, se com a Neri ou com o Boca. Ou bola ou burica.


VIROU BRINCADEIRA
Só acontecem furtos de fios porque os larápios têm quem compra, isso é óbvio. Enquanto a polícia não entender isso, os delitos vão continuar ocorrendo. Furtar a fiação virou uma profissão em Rio Branco.


SEGURO MORREU DE VELHO
O deputado Afonso Fernandes PL, só anda escoltado por um segurança pela cidade. Até na ALEAC chega com um guarda-costa ao lado. Temor de ser atacado por funcionários com salários em atraso.


JOGO DE CENA
O prefeito Bocalom e o senador Sérgio Petecão estão mesmo rompidos politicamente. Bocalom passou distante do bloco Boi Cagão do senador, durante o carnaval.


NÃO FICA NAS CORDAS
O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) não fica nas cordas nos debates com os parlamentares governistas na ALEAC, acontece justamente o contrário; sempre deixa os adversários numa sinuca de bico.


SEMPRE FOI ASIM
Não é novidade a ALEAC ser nesta legislatura um puxadinho do governo, sempre foi assim também nos governos do PT.


NÃO FICA LONGE DO PODER
Não existe outro cenário para 2026 que não seja o Gladson disputando uma das duas vagas para o Senado. Se ficar até o fim no governo ficará quatro anos longe do poder. E, ficar longe do poder, não é com ele.


EM CIMA DO MURO
A deputada Antônia Sales (MDB) foi a responsável pela escolha da liderança do MDB ficar com um deputado governista. E na votação do projeto de reforma administrativa, para não votar contra o governo, não compareceu à sessão de votação. Vamos acompanhar suas ações na ALEAC, para saber se manterá a independência de mandatos anteriores, ou se acompanhará a base do governo.


OS EXEMPLOS
O MDB costuma abandonar pelo caminho os seus candidatos majoritários. Foi assim com a Eliane Sinhasique e com o Roberto Duarte, quando disputaram a PMRB. E, recentemente com a Mara Rocha ao governo. Os exemplos servem para o deputado Emerson Jarude (MDB), que anda ensaiando disputar a prefeitura da capital, no próximo ano.


PARA TERMINAR EM PIZZA
Os criminosos que depredaram as sedes dos poderes da República foram identificados e presos. O caso já se encontra na esfera judicial. Abrir uma CPMI para apurar o que já está sendo apurado é brincar de fazer pizza. Há coisas bem mais importantes para a bancada federal do Acre fazer em Brasília. Deixem as pizzas para os Pizzaiolos.


AINDA DEBRUÇADO
O PT regional ainda está debruçado em nomes para ocupar os cargos federais no Acre. A discussão deve entrar no mês de março.


FLORES MURCHAM
Até aqui só flores e elogios para a gestão do secretário de Saúde, Pedro Pascoal. Tomara que dê certo, as flores costumam murchar rápido naquela pasta, que é uma trituradora de secretários.


DNA ZERO
A licença para a construção de uma ponte ligando Brasiléia à Epitaciolândia não tem o DNA de nenhum deputado novato, é uma luta que se arrasta de parlamentares federais e estaduais antigos e pelo próprio Gladson.


CALEB HASSEM
É um nome que circula no meio político como possível candidato a prefeito de Epitaciolândia. Aparece bem nas enquetes.


CASSANDO O VOTO
O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) deve entra na justiça contra a decisão da bancada do governo, que cassou o direito de votar do parlamento. Para se aumentar os cargos de confiança no governo não precisa mais passar pelo parlamento, foi o que decidiram os governistas. Não suporta um pedido de Liminar na justiça.


QUE NÃO SEJA UM CABIDE
O que se espera é que o governador Gladson Cameli escolha para gerir a pasta do Esporte alguém com afinidade na área e não alguém para ocupar um cabide de emprego. Esporte foi o seu calcanhar de Aquiles na sua primeira gestão.


FRASE MARCANTE
“Na política, toda briga sempre acaba num acordo bom para os lados.” Frase do anedotário mineiro.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.