Conecte-se agora

Promotor diz que existe pretensão de tirá-lo do caso Jonhliane

Publicado

em

Nesta semana, o Cipódcast – programa do canal do YouTube Na Ponta do Cipó – teve como convidado o promotor de justiça Efrain Mendoza, que está à frente da acusação no julgamento dos acusados da morte de Jonhliane Paiva, caso de repercussão que irá a júri popular a partir da terça-feira (18) da próxima semana no Fórum Criminal situado na Cidade da Justiça, em Rio Branco.

Mesmo com o caso jurídico de grande repercussão não tendo sido considerado como a principal pauta da conversa ocorrida neste sábado (14), o assunto terminou por ter grande espaço dentro da entrevista, trazendo ao conhecimento do público alguns detalhes ainda desconhecidos a respeito da sessão do júri que é aguardada com expectativa.

Inicialmente, o representante do Ministério Público se referiu a uma altercação ocorrida por meio de matérias jornalísticas publicadas pelo ac24horas entre ele e a defesa de um dos acusados do caso Jonhliane. Efrain havia rebatido afirmações dos advogados de que o inquérito policial conduzido pelo delegado Alex Danny foi tendencioso.

Ao dizer que os advogados Helane Christina e Carlos Venícius Ribeiro, que representam o acusado Alan Araújo, difamaram e caluniaram o delegado com suas afirmações, Efrain tanto foi respondido pelos defensores quanto motivou uma nota pública veiculada pela Seccional Acre da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AC).

“Qualquer estudante de direito do segundo ano sabe muito bem o que é uma calúnia e uma difamação. Se não sabe é melhor ler (…). Agora se chega alguém para chamar o trabalho de um delegado de vergonhoso, tendencioso e imparcial está chamando ele de quê?”, questionou.

Sem dar detalhes muito claros, Efrain também disse durante o programa que imagina haver a intenção de parte da defesa de tirá-lo do caso. Segundo ele, um dos advogados “desonrou” seu pai em uma das audiências, fazendo perguntas a um dos réus sobre o passado do genitor do promotor, que foi um médico muito conhecido no Acre.

“Fazer referências a um familiar do promotor de justiça, ofender a honra. A honra do meu pai foi ofendida, está nos autos e eu espero não ter que utilizar isso. Talvez seja um meio de me desestabilizar ou procurar com que eu saia do caso. Se eu sair do caso, vai entrar outro melhor, com toda certeza”, advertiu.

Em mais de duas horas de conversa, Efrain lembrou da sua infância em Xapuri, falou sobre a missão de promover justiça, explicou detalhes de como funciona o júri, rememorou casos de crimes marcantes e bizarros nos quais atuou e disse que já chegou a chorar durante uma exposição oral, mas garantiu que nunca fez teatro durante um julgamento.

Confira, a seguir, o Cipódcast desta semana.

video

Acre

Acre acumula 273 focos de queimadas em 2022

Publicado

em

O acumulado de focos de queimadas no estado do Acre, do início do ano (1/1/2022) até o dia 19/5/2022 chega a 276 focos de queimadas, segundo os registros fornecidos pelo satélite S-NPP, um dos que abastecem o sistema de dados da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Povos Indígenas (Semapi).

No período, o município de Tarauacá apresentou maior percentual de queimadas, de 14,4%, com total de 40 focos.

Em seguida aparece Cruzeiro do Sul (13,4%) com 37 focos; Brasileia (11,6%) com 32 focos.

Foram registrados 53 focos de queimadas segundo outra plataforma utilizada pela Semapi, o Satélite de Referência AQUA. Por esses dados, o município de Cruzeiro do Sul apresentou maior percentual (24,5%) com total de 13 focos desde o primeiro dia de 2022. Em seguida aparece Xapuri (16,9%) com 9 focos, Rodrigues Alves (15%) com 8 focos.

A detecção de focos de queimada é feita a partir de imagens captadas por satélites. Cada satélite, seja ele polar ou geoestacionário, possui um sensor ótico. O uso de focos de queimadas do “Satélite de Referência” permite a comparação com dados e períodos prévios e ao longo dos anos. Os demais satélites, com as devidas diferenças, possuem sensores de configurações, atualizações e resolução de pixel variáveis.

 

Continuar lendo

Acre

Expoacre 2022 deve movimentar mais de R$ 100 milhões

Publicado

em

Após 2 anos suspensas por causa da pandemia da Covid-19, as duas principais feiras que mais movimentam o setor empresarial do Acre, Expoacre e Expojuruá, estão de volta, e prometem gerar um balanço financeiro muito maior que em anos anteriores.

Somente em 2019, a Expoacre foi responsável por circular mais de R$ 74 milhões em negócios. O setor da indústria teve mais de R$13 milhões no ano em questão. Em 2022, com a participação de pequenos e grandes produtores e empresários da indústria, comércio, entretenimento, lazer e do agronegócio, a expectativa de movimento é de R$ 100 milhões.

Já na Expojuruá, o fluxo de movimentação financeira, gira em torno de R$5 milhões por edição. Em 2019, teve a colaboração de mais de 200 expositores, se tornando o evento que beneficia maiores oportunidades para a economia do Juruá.

Nas duas festividades, são incluídos a venda de imóveis, comercialização de bares e restaurantes, shows, comércio, serviços, venda de veículos, movimentações bancárias, setor agro, indústria moveleira e pequenos negócios.

“Estamos preparando uma grande feira e os empreendedores e empresários estão acreditando e apoiando. Com certeza, iremos superar os números da última feira. Toda a cadeia produtiva do Estado está ansiosa por esse evento”, disse o secretário de Estado de Empreendedorismo e Turismo, Jhon Douglas.

Existe uma expectativa de investimentos muito grande por parte dos empresários e Instituições que fazem parte da organização das feiras. A Sebrae e a Federação das Indústrias do Acre (Fieac) devem investir em torno de R$ 1 milhão, a Federação da Agricultura e Pecuária do Acre (Faeac) mais R$ 1 milhão, os empresários do ramo dos shows, mais de R$ 2 milhões e o comércio, mais de R$ 1 milhão, nos dois eventos.

“Queremos fazer dessa Expoacre a maior de todos os tempos. Estamos muito ansiosos por essa feira que gera emprego e renda. É a maior feira de negócios do Estado e isso só é possível graças ao empenho dos empresários e Instituições parceiras que acreditam e investem junto com o Governo do Acre”, destaca o governador Gladson Cameli.

Continuar lendo

Acre

“Aldeia em Manoel Urbano vive epidemia de suicídio”, diz indígena

Publicado

em

O filósofo indígena e locutor, Eliton Gomes Kaxinawá, foi o entrevistado desta sexta-feira, 20, do Cipódcast, programa no canal do YouTube Na ponta do Cipó, transmitido pelo ac24horas.

O convidado falou de sua vivência dentro da cultura indígena e sua passagem na aldeia, que por sofrer por enfermidades, precisou deixar o lugar com 5 anos de idade e ir morar na cidade com seus pais. Hoje, conquistou a graduação em filosofia e teologia, estuda marketing e possui ainda uma pós-graduação em seu histórico.

Durante a conversa, Eliton abordou que há muito tempo existe uma invasão ao ambiente dos povos originários por parte de representações religiosas, que acabam por apagar a identidade cultural destas pessoas.

“Hoje o índio não tem mais o seu ritual sagrado, porque a Igreja Pentecostal tem invadido as aldeias. Existe pastores “convertendo” indígenas, coisa que eu não concordo, apesar de ser cristão. Mas você não pode chegar em um lugar e impor sua cultura, alegando que se você não aceitar, vai para o inferno”, explicou.

Segundo o entrevistado, a prática e ensinamentos evangélicos, tem mudado o formato de vida dentro das povoações indígenas. Mas além disso, a aproximação com a vida na cidade tem levado maiores problemas para as aldeias.

“Além destes problemas, tem coisas maiores que não deveriam nunca ter entrada na vida dessas pessoas. Hoje em dia até as facções estão dentro das aldeias, existem indígenas participando destas organizações e praticando crimes”, abordou.

Com mais de 1 hora de programa, o filósofo abordou outras questões que envolvem os povos indígenas, como a demarcação de terras, o alcoolismo, a prostituição, e a epidemia de suicídio na aldeia Kulina em Manoel Urbano. De acordo com ele, existem informações de que durante 3 meses, até 5 pessoas cometeram esta infelicidade, entre outros exemplos.

“A cultura indígena está sendo muito massacrada hoje em dia. Dentro da etnia Kulina, por exemplo, está acontecendo um número muito grande de suicídio entre os jovens. E está sendo feito um estudo sociológico para tentar descobrir os motivos desta causa”, pontuou.

Confira a íntegra da entrevista:

video
Continuar lendo

Acre

Governo realiza mutirão de cirurgias de câncer de pele neste domingo

Publicado

em

O governo do Estado realizou neste domingo, 22, na Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), oito procedimentos em cirurgia plástica na especialidade de oncologia. O mutirão de câncer de pele atendeu pacientes na capital.

“Realizamos o mutirão de câncer de pele aqui na Fundhacre em pacientes que estavam na fila de espera, cuja demanda é grande. O câncer de pele é o mais comum, então acaba gerando alto fluxo, para isso promovemos esse mutirão que estará passando por outras etapas”, destaca o cirurgião Alan Queiroga.

Rafaela Barros, 29, estava na fila aguardando o procedimento. “Sou grata a Deus, sei que tem muita gente na fila, estou feliz porque esse sinal no meu olho se agravou. Me sinto confiante, agora vou poder corrigir minha visão. Gratidão aos médicos pela paciência e cuidado”, afirma Rafaela.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados

error: Conteúdo protegido!