Conecte-se agora

Chupando o dedo

Publicado

em

O ex-prefeito e candidato ao governo, Tião Bocalom (DEM), ao acolher o deputado federal Henrique Afonso (PV) como o seu vice, praticamente deixou o senador Sérgio Petecão (PSD) chupando o dedo e sem outra opção a não ser a de ser candidato também ao governo. Bocalom furou toda a programação, já que as definições tinham sido acertadas para acontecer depois do carnaval.

Não deixou barato
O senador Sérgio Petecão (PSD) não deixou barato: “dia 7 de março chega o meu marqueteiro em Rio Branco, para uma palestra aos candidatos a deputado, a minha produtora está contratada e metade paga, cada um vai para o seu lado e eu toco minha candidatura ao governo e o Tião Bocalom (DEM) toca a dele”.

Camisa de aproveitador
Ao saber da praticamente dissolução da aliança Sérgio Petecão (PSD) e Tião Bocalom (DEM), o deputado federal Márcio Bittar (PSDB) ligou para Petecão lhe convidando para a sua coligação, sob o argumento que não há candidatura ao governo definida na sua aliança e que poderia ser o próprio Petecão. Ambos ficaram de conversar no fim de semana.

“Nem um pouco”
Perguntei ao senador Sérgio Petecão (PSD) se ele acreditava na afirmação do deputado federal Márcio Bittar (POSDB) que a sua candidatura ao governo não estava definida. Resposta: “nem um pouco”. Mas, acrescentou que “conversar não custa nada”, mesmo sabendo que não dará em nada.     

Terra de ninguém
O reduto do candidato a senador Gladson Cameli (PP) é o Juruá. O da candidata do PCdoB ao Senado é a Capital. Só que, é mais difícil a comunista crescer nos municípios do Juruá, onde Cameli é forte, que ele crescer em Rio Branco, por dois aspectos políticos simples. O Juruá é um colégio eleitoral mais fechado em torno dele. E os votos da Capital são terra de ninguém.

Nomes definidos
Pastor Davi Santiago (PSB) será o primeiro suplente da candidata a senadora do PCdoB. E o Juiz de Direito aposentado, Pedro Longo (PSL), o segundo suplente, o martelo foi batido e ponto.

Cuia de tacacá
Se for pelo quesito força eleitoral, os votos do Pastor Davi Santiago e do Juiz Pedro Longo não conseguem encher uma cuia de tacacá das pequenas, ainda sobraria um generoso espaço.

Vantagem embola
No momento em que o deputado federal Gladson Cameli (PP) colocar a sua campanha na rua, na Capital, a vantagem da candidata do PCdoB diluiu e ele divide a votação com toda a certeza.

Politicagem barata
O deputado Jamil Asfury (PEN) apresentou ontem um projeto populista, em causa própria e inconstitucional: que as obras inauguradas levem o nome da liderança comunitárias do bairro.

Não lhe acrescenta nada
Pela boa qualificação do Jamil, este tipo de projeto eleitoreiro não acrescenta nada ao seu bom currículo. E ademais, a Constituição Federal proíbe nomes de pessoas vivas em obras.

Esqueça, coelho!
Leio que o professor Coelho parou uma reunião da FPA para propor que convençam o senador Anibal Diniz (PT) lhe dar quatro meses de mandato. Esqueça, Coelho, é mais fácil você ir à lua.

Não há clima
O senador Anibal Diniz (PT) demitiu os petistas do seu gabinete que não apoiaram a sua reeleição, iria agora atender um pedido dos dirigentes da FPA, que também lhe detonaram?

Ficou na FPA
O deputado Luiz Tchê (PDT) descartou ontem levar seu partido para a oposição. “Vamos continuar na FPA”. Luiz Tchê deverá ser candidato a deputado federal.

Nada de relevante
O governador Tião Viana vetou ontem dez projetos aprovados na Assembléia Legislativa. Fui esmiuçar e não consegui encontrar um desses projetos com alguma relevância para o Acre.

Maré negativa
O prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino (PR), precisa combinar com a natureza suas decisões. Foi anunciar que não teria carnaval devido a cheia e os rios baixaram 2 metros.

Nova pancada
Vem a caminho uma leva de condenação de mais 30 funcionários fantasmas da prefeitura de Sena Madureira, que irão se juntar ao primeiro lote dos condenados na primeira sentença.

Tome como parâmetro
O ex-prefeito de Tarauacá, Vando Torquato (PP), sofreu na justiça mais um condenação pecuniária milionária. O prefeito atual, Rodrigo Damasceno (PT), tome como exemplo.

Cacife forte
O Deda (PROS) está no que se chama em política de “buiado”. Num acerto milionário tirou o primeiro suplente de vereador, Jonas Bandeira (PSB), do apoio à candidata Leila Galvão (PT).

Veto vermelho
O nome do ex-prefeito Deda (PROS) chegou ser ventilado para primeiro suplente da candidata  ao Senado da FPA, mas não conseguiu apoio de ninguém, as cartas estavam marcadas.

Apoio aberto
O ex-deputado federal João Correia (PMDB) espera a reunião de hoje do PMDB para se definir. Se Vagner Sales (PMDB) disser não ser mais candidato ao governo, ele apoiará Tião Bocalom (DEM).

Chapa da morte
Chapa da morte da FPA a deputado federal:  Angelim, César Messias, Leo Brito, Sibá Machado, Alan Rick, Luiz Tchê, Mâncio Cordeiro, Moisés Diniz, Raimundo Vaz, Idésio Frank, entre outros.

Fora da disputa
A ex-deputada federal Regina Lino (PTB) não deverá ser mais candidata à Câmara Federal. Uma pena, Regina é uma mulher extraordinária e acrescentaria muito como representante do Acre.

Apoio fechado
O senador Petecão (PSD) e Tião Bocalom (DEM) não se definiram na aliança para o governo, mas se acertaram num ponto: ambos apoiarão o candidato ao Senado, Roberto Duarte (PMN).

Que coisa feia!
Emissários do Márcio Bittar (PSDB) tentam a todo custo tirar a candidatura do advogado Roberto Duarte, fazendo gestões na direção nacional do PMN. Depois falam em unidade.

Aliança vermelho cristã
Fechada a aliança PSDC-PCdoB para a Assembléia Legislativa. Na melhor das hipóteses elege três deputados. Fora isso é devaneio de febre de malária. Nomes mais fortes às vagas: Eber Machado (PSDC), Edvaldo Sousa (PSDC), Eduardo Farias (PCdoB), Artêmio Costa (PSDC), Fernando Martins (PCdoB), Washgton Aquino (PCdoB) e Chagas Batista (PCdoB). O restante é contrapeso. A aliança só saiu por o PSDC ameaçar não apoiar a candidata do PCdoB ao Senado.

 

Blog do Crica

O caminho ficou aberto

Publicado

em

COM A SAÍDA da Márcia Bittar (PL) da disputa do Senado, o deputado federal Alan Rick (União Brasil), foto, ficou com o caminho liberado dentro do grupo do governador Gladson Cameli para brigar pela única vaga de senador, com a benção do Palácio Rio Branco. Alan tem ao seu favor sempre pontuar nas pesquisas no pelotão dianteiro; a poucos pontos do primeiro colocado, o senador Jorge Viana (PT). O parlamentar está dando o maior salto da sua carreira política ao optar sair para o Senado, já que teria uma eleição certa para a Câmara Federal, por ter tido um mandato produtivo. Mas, na política, quem não ousa nunca chega ao patamar de cima. E, na política não vence o medroso.

QUEM TE FALOU ISSO, GLADSON?
VI UM VÍDEO do governador Gladson Cameli colocando o presidente Bolsonaro como o pai da vacina. Ou está brincando ou desinformado. O Bolsonaro sempre fez pouco caso da vacina; sempre defendeu a ineficaz cloroquina para tratar a Covid, e somente depois das mortes pipocarem é que liberou a compra de vacinas pelo governo federal. Ao Rei tudo, menos a honra.

NÃO PRECISA DISSO
E, O GLADSON não precisa disso. Se tiver de ganhar ou perder a eleição, não será por estar ao lado ou não do Bolsonaro.

TUDO INDICA
O SCRIPIT da fala deve ter sido orientado pelo senador bolsonarista Márcio Bittar (União Brasil), que virou uma espécie de Olavo de Carvalho do governo do estado.

O FEITIÇO VIROU CONTRA OS FEITICEIROS
O GRUPO dos aloprados, que circula próximo ao gabinete do governador, fez uma campanha suja para detonar a escolha do ex-chefe do gabinete civil, Rômulo Grandidier, para vice do Gladson. Conseguiram o intento. O governador emprenhou pelo ouvido. Esperavam com a sujeira pôr alguém do grupo de vice. Perderam tempo e latim. Não emplacaram o afilhado. Foi o feitiço que virou contra os feiticeiros.

FALSA PREMISSA
A CHAPA de candidatos a deputado federal do PP, não é o encanto que alguns propalam. Para um partido no poder; no máximo pode ser chamada de mediana.

DILEMA COLOCADO
NA VERDADE, o prefeito Tião Bocalom estava num dilema: ou subsidiava o transporte coletivo com repasse de pouco mais de R$ 7 milhões às empresas, ou a capital ficariam sem ônibus, que se transformaria num caos.

NOME Á DISPOSIÇÃO
O EX-PREFEITO Marcus Alexandre (PT) tem como foco ser candidato a deputado estadual, mas se pôs ao dispor do PT, para ser candidato majoritário, se convocado.

ESCONDENDO O LEITE
O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) diz que o PT não pensou ainda num vice se vir a apoiar a candidatura ao governo do deputado Jenilson Leite (PSB). Pensou sim. E este nome se chama Sibá Machado. Rio Branco é terra de muro baixo. Não adianta o jogo de esconder o leite.

JOGOU ABERTO
O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) foi incisivo na entrevista de ontem ao programa “Boa Conversa” no ac24horas, ao dizer que a escolha da Márcia Bittar (PL) para vice de Gladson Cameli, animou o PT a ter uma candidatura própria ao governo. Voltou se colocar como uma opção.

APOSTANDO TUDO
JORGE VIANA (PT) acredita que o desgaste no discurso do Gladson na campanha, pela escolha da Márcia Bittar (PL) de vice, será grande e abrirá um flanco para críticas da oposição. Também aposta que o candidato do bloco da esquerda ao governo, chegará ao segundo turno.

POSSIBILIDADE ZERO
A HIPÓTESE de um racha entre o PT e o PSB é zero. O PSB é presidido pelo ex-deputado federal César Messias, que é um vianista juramentado. Acabam se acertando.

CHAMADO NA CATRACA
O DEPUTADO Roberto Duarte (União Brasil) será chamado na catacra pelo comando regional do seu partido, para que deixe de criticar o governador Gladson e entre na fila do gargarejo do elogio. Tem um sério problema: se começar a bajular, cairá no descrédito.

TODOS BATENDO PALMAS
Pastores evangélicos, governadores, a turma do Centrão no Legislativo, que hoje fazem ataques cerrados contra a candidatura do Lula, se este vencer serão os primeiros na fila dos aplausos. Assim funciona a política no país.

VIRA PROTAGONISTA
E, CASO O LULA SE ELEJA, o ex-senador Jorge Viana (PT) passará a ser protagonista no estado, sendo eleito senador, ou como ministro. A política é uma roda que gira, quem está em cima vem para baixo, e vice e versa.

APOSTANDO NO ESCURO
SER APOIADO por prefeitos significa vencer a eleição, nos municípios onde isso ocorre? Coisa nenhuma. Não existe uma mercadoria mais difícil de vender que a transferência de votos. Ninguém é dono de votos.

NA DERROTA E NA VITÓRIA
O ÚNICO prefeito do PT que continuou leal ao partido, depois da perda do poder, foi o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos. É daqueles que é fiel na derrota e na vitória. E, não foi por falta de convite para aderir ao poder.

SAINDO DO VERMELHO
O PREFEITO Tião Bocalom está saindo do vermelho na opinião pública. Já se começa ver obras espalhadas pela cidade, na recuperação de ruas e no setor de limpeza.

EXEMPLO DE PARTIDO
O MDB no estado, é um exemplo de partido. Tem correntes divergentes, mas tudo é discutido internamente, em DEBATES e, o que decidir está decidido. Partido organizado funciona assim.

SEM PRESIDENTE
O PP se encontra há vários meses sem direção regional, e estamos há três meses da eleição. Que balbúrdia!

NÃO DEMOROU QUATRO ANOS
A FRENTE POPULAR DO ACRE, comandada pelo PT, passou 20 anos para se esfacelar. A aliança que tirou o PT do poder, implodiu com menos de quatro anos no governo. Faltou um comandante para manter a unidade.

VAGAS DAS SURPRESAS
EM TODA eleição estadual sempre aparece nos eleitos entre dois e três nomes surpresas de candidatos a deputado estadual. E, geralmente vêm dos municípios do interior. São os cavalos azarões da campanha.

FRASE MARCANTE
“AS feias que me perdoem, a beleza é fundamental”. Frase do poeta e compositor Vinicius de Moraes.

Continuar lendo

Acre

Jenilson Leite diz que problema de Jorge Viana é o “ego”

Publicado

em

“FOI AFRONTOSA, uma falta de respeito à minha candidatura e aos aliados”. Essa foi a reação do candidato ao governo pelo PSB, deputado Jenilson Leite, à entrevista do ex-senador Jorge Viana (PT) se colocando praticamente como candidato ao governo, hoje, no programa do jornalista Itaan Arruda, na TV-GAZETA.

Para Jenilson, o problema do Jorge Viana é o ego, ele não se sente representado em nenhuma candidatura de um aliado. A entrevista do petista simplesmente colocou a candidatura do Jenilson num plano inferior, ao trazer também para o debate majoritário o nome do ex-prefeito Marcus Alexandre (PT), que até aqui vinha fazendo uma campanha para deputado estadual.

Segundo informação repassada ontem ao BLOG por um expoente do PT, o que levou o partido ao focar mais incisivamente na disputa do governo, foi a escolha da Márcia Bittar (PL) para ser a vice na chapa do governador Gladson Cameli. Acham que, com a escolha da Márcia, abriu-se um flanco grande na chapa do Gladson para críticas da oposição. Muito magoado por não ter sido avisado da nova decisão do PT, ainda assim o deputado Jenilson Leite (PSB) destacou ao BLOG de que este comportamento de desprezo ao seu nome, não lhe fará mudar de meta que, é de ser candidato ao governo.

“Minha candidatura está mantida com ou sem o PT”, enfatizou o parlamentar ao BLOG.

Continuar lendo

Blog do Crica

Ninguém me ama, ninguém me quer 

Publicado

em

A ALIANÇA entre o PT e o PSB entrou no modo impasse, por conta de divergências no nome a ser indicado pelo PT para ser o vice na chapa do candidato a governador, Jenilson Leite (PSB).

 O PSB quer a aliança, quer os petistas apontando o vice; mas se reserva ao direito de opinar antes da escolha. “Isso não é lista tríplice para Reitor”, rebate um influente membro da cúpula do PT. A informação que o BLOG recebeu é a de que o PT tem como objetivo colocar o ex-deputado federal Sibá Machado (PT) como vice do Jenilson. “É o único nome livre e que poderia unificar as correntes petistas”, argumentou uma boa fonte do PT ao BLOG. 

Mas a indicação de Sibá sofre rejeição dentro do PSB, pelo fato de ser da ala mais extremada do PT, ter posições que caíram no folclore de que o FBI e a CIA atuaram para cassar a ex-presidente Dilma e impedir o Lula de disputar a última eleição presidencial; e no Dia das Mães, falou que parabenizava todas as mães, menos a mãe do Bolsonaro. “Isso desvirtua o perfil da candidatura do Jenilson, que é de esquerda; mas comedido, é do diálogo com todas as correntes, ponderado, e tiraria votos do nosso candidato no eleitorado mais conservador”, enfatizou ontem um integrante do PSB. 

O certo é que a parceria política entre o PT e o PSB esbarrou nesta barreira. E, o ex-deputado federal Sibá Machado (PT) está no PSB, como na letra do bolero da cantora de fossa das antigas, Nora Ney: Ninguém me ama\Ninguém me quer…..

NOMES PREFERIDOS

OS NOMES preferidos pelo PSB para ser o vice do candidato Jenilson Leite (PSB) são o ex-prefeito Angelim (PT) e o deputado Jonas Lima (PT).

ÚLTIMA TENTATIVA

ONTEM, foi feita uma última tentativa para a senadora Mailza Gomes (PP) desistir de disputar novo mandato. O interlocutor foi o senador Márcio Bittar (União Brasil).

CANDIDATURA LIBERADA

MUITO improvável que a senadora Mailza venha aceitar a proposta de disputar um mandato de deputada federal. Não se preparou. A informação que o BLOG tem é a de que, mesmo que o governador Gladson venha assumir a presidência do PP, a sua candidatura ao Senado será liberada. O Gladson pode ter a senadora Mailza Gomes (PP) e o deputado federal Alan Rick (União Brasil), na sua chapa para o Senado. Mas o preferido, para quem vai trabalhar, é o Alan.

NEM LULA NEM BOLSONARO

O CANDIDATO ao governo, senador Sérgio Petecão (PSD), disse ontem ao BLOG que vai liberar os seus candidatos a deputado estadual e deputado federal, a pedir votos para quem quiser a presidente da República.

MINORU DEPENDÊNCIA

O PSDB sofre de Minoru dependência. Fazer ou não um deputado federal está vinculado à votação que o candidato Minoru Kinpara (PSDB) vir a ter. Se estourar de votos o PSDB pode eleger um, caso contrário será difícil eleger parlamentar federal.

O QUE SOMA

O QUE soma para a candidatura do Gladson os partidos que não têm um deputado federal, não têm tempo de televisão, sem fundo eleitoral, e nem estão organizados em vários municípios? Vamos então diminuir essa lista de “nove partidos” (sic).

NÃO DEVE A NINGUÉM

O CANDIDATO do PSB ao governo, deputado Jenilson Leite (PSB) tem pautado essa sua pré-campanha pela ética e conversa com o eleitor. Chegou aos dois dígitos nas pesquisas graças, unicamente, ao mérito pessoal.

BOA NOTÍCIA

MUITO boa para o enriquecimento do debate político a confirmação oficial de que o advogado Sanderson Moura (PSOL) será candidato a senador.

GARRA EXEMPLAR

EXEMPLAR a garra da deputada federal Jéssica Sales (MDB) em dizer que, mesmo tendo enfrentado um tratamento contra o câncer, estará apta para entrar na campanha de senadora já a partir do mês de agosto.

PASSEM A BORRACHA

PASSEM a borracha em tudo o que aconteceu até aqui nesta pré-campanha eleitoral. Entramos no mês das convenções regionais, e a campanha que vai valer é a que começará a partir do início de agosto. É quando a onça vai começar a beber água.

CAPITAL É A MIRA

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) intensificou neste período pré-eleitoral as suas visitas aos municípios do interior, para no auge da campanha centrar a sua ação na capital, onde se encontra o forte do seu eleitorado.

MELHOR DOS CENÁRIOS

O PT aposta no melhor dos cenários para a eleição deste ano. O Lula ganhar no primeiro turno; o Jorge Viana se eleger senador; e a oposição estar toda unida em torno do nome que chegará ao segundo turno para enfrentar o Gladson. E, com o Lula vindo ao estado fazer campanha.

NO MEU, NÃO TOCO

O PECUARISTA Fernando Zamora (PRTB) confirmou no programa do Itaan Arruda, na TV-GAZETA, que a sua candidatura a senador é para valer. Mas ressaltou que não mexerá no seu patrimônio para jogar na campanha.

MISSA DE AÇÃO DE GRAÇA

A AVALIAÇÃO, eu ouvi ontem de um dos candidatos do PL. “Temos que mandar rezar uma Missa de Ação de Graça, se a gente conseguir eleger um deputado federal”. Na verdade, a chapa do PL não é forte.

NÃO TIREM DA LISTA

NA lista dos favoritos para conseguir uma vaga para a Câmara Federal, não tirem o nome da Keiliene Cordeiro (REPUBLICANOS). O seu marido Ilderlei Cordeiro sabe armar uma campanha como poucos, é o que ouço.

PERGUNTA QUE FICA

QUER dizer que, toda vez que subir o preço do diesel, a prefeitura tem que entrar com milhões de reais como contrapartida? É mel no mamão para os empresários.

OPINIÃO COM SENTIDO

QUEM BEM situou a empresa RICO, foi o vereador N. Lima (PP): “Trouxeram uma empresa quebrada, que nem dinheiro para trazer os ônibus para o estado tinha, e o prefeito Bocalom teve de bancar os custos”.

FICA CAPENGA

CASO não seja confirmada a candidatura do Fagner Sales a deputado federal, a chapa do MDB fica capenga.

CHAPA ARRUMADA

 Michelle Melo, Pedro Longo, Luiz Tchê, Chico Viga, Tom Sérgio (irmão do deputado federal Jesus Sérgio) e Marcos Cavalcante, são nomes que integram a forte chapa do PDT para a ALEAC. Quatro com mandato de deputado.

NÃO ADIANTA DOURAR A PÍLULA

A CHAPA do PT para a Câmara Federal não é essa Coca-Cola, como apregoam os petistas. Não deve passar de um deputado federal eleito.

FRASE MARCANTE

“Um erro na vida não significa uma vida de erros”. Pe. Zezinho.

 

Continuar lendo

Blog do Crica

Marcus Alexandre: “Não sou prioridade no PT”

Publicado

em

O EX-PREFEITO Marcus Alexandre desabafou ontem com o BLOG que, já sentiu não ser a sua candidatura a deputado estadual uma prioridade para o PT. Reclamou que há uma campanha feita por outros candidatos do partido para não votar nele, sob a falsa premissa de que já ganhou a eleição. 

Alexandre diz que até entende o seu isolamento, mas ressalta para sedimentar a sua queixa de não ser prioridade, o fato de que os diretórios do PT estão todos trabalhando para outros candidatos do partido. Mas fez questão de enfatizar que, ainda assim, está de cabeça na campanha do Jorge Viana (PT) para o Senado. 

Marcus Alexandre ressalta que vem lutando contra a situação que enfrenta fazendo a sua campanha conversando com as pessoas, como sempre fez quando foi prefeito de Rio Branco. “Este clima de já ganhou não existe”, diz Marcus, que não esconde a revolta de estar só na sua candidatura.

CONTINUA AJOELHADO

O CANDIDATO do PSB ao Governo, deputado Jenilson Leite, ainda permanece de castigo ajoelhado no milho, imposto pelo PT, que continua a fazer firula para declarar apoio à sua candidatura ao governo. Quando o PT vai lhe tirar do castigo, é essa a grande dúvida do Jenilson.

CANDIDATURA QUE SE SEDIMENTA

ENTRE OS QUE estão disputando mandato pela primeira vez, quem está sedimentando apoios importantes à sua candidatura, é o candidato a deputado federal, Fábio Rueda (União Brasil). A campanha é bem coordenada.

REAÇÃO FORTE

NÃO posso brigar com a notícia. É grande a pressão de políticos e, principalmente, da família do governador Gladson Cameli, para que ele não coloque a Márcia Bittar (PL) de vice na sua chapa. É um rolo-compressor contra.

VOLTO A BISAR

COMO CONHEÇO um pouco da aldeia continuo me reservando ao direito de não anunciar nenhum nome como definitivo, na chapa do governador Gladson para vice. No dia que fizer o anúncio oficial, registrei o fato.

ISSO PODE, ARNALDO?

A EMPRESA RICCO, da iniciativa privada, está sendo custeada pela prefeitura de Rio Branco. É a dedução ao ver um novo repasse do prefeito Tião Bocalom de R$ 8 milhões para os donos da Rico. Isso pode, Arnaldo?

PSDB, O PRIMEIRO A PRESSIONAR

O SENADOR Márcio Bittar (União Brasil) orientou os partidos do seu grupo político a fazer manifestação pública a favor da candidatura da Márcia Bittar (PL) de vice na chapa do Gladson. O PSDB foi o primeiro do grupo a cumprir ontem o roteiro traçado para pressionar o governador, emitindo uma nota. Isso faz parte do jogo político. Cabe ao governador aceitar ou não a pressão.

O PT NÃO É MAIS DESCULPA

ESTÁ FORA de moda justificar uma omissão de quem está no poder estadual ou municipal de que, determinada  iniciativa não foi tomada em gestões passadas, como desculpa de gestões atuais por suas omissões. As urnas já tiraram o PT. Quem casa com a viúva, cria os filhos.

NÃO GANHARAM COM O DISCURSO?

NÃO ganharam as eleições estadual e municipal com o discurso que o PT era incompetente, e que no poder resolveriam todos os problemas do estado e da capital?

NÃO RESISTE UM SOPRO

QUANDO for julgada a Ação de Inconstitucionalidade contra o projeto que colocou servidores temporários do ISE no quadro do estado sem concurso, a ilegalidade é tão grande que não suportará a um sopro jurídico. E esses servidores vão cair na real de que foram enganados.

O MELHOR QUE PODERIA FAZER

DESISTIR da sua candidatura ao governo do estado foi o melhor que o empresário rural Jorge Moura poderia fazer. A sua chance de vencer a eleição era muito remota.

NUNCA ACREDITEI

QUEM acompanha o BLOG deve se lembrar que, nunca acreditei nessa candidatura do Jorge Moura, e que só acreditaria, no momento que fosse registrada no TRE.

ANOTEM PARA CONFERIR

A ELEIÇÃO para o governo será decidida no segundo turno e muito disputada, ninguém pode colocar por antecipação a faixa de governador no peito. Já vi muito favorito ser derrotado pelos chamados azarões políticos.

TUDO REMA CONTRA

O BOLSONARO está numa maré de azar, tudo está dando errado. Veio o escândalo dos pastores evangélicos e o ex-Ministro da Educação, que acabou demitido; veio agora o escândalo de assédio sexual envolvendo o presidente da CEF, um dos mais próximos do presidente; e teve de ser decepado. Tudo isso, reflete negativamente na sua campanha pela reeleição.

FACA NO PESCOÇO

O QUADRO político que se pode hoje pincelar sobre o governador Gladson, nesta confusão para a escolha do vice, é a de quem tem de tomar uma decisão com a faca no pescoço. Mas, é o único culpado pelo cenário.

NADA DISSO ESTARIA ACONTECENDO

O PROBLEMA é que o governador Gladson não fez política, deixou o barco correr solto sem ninguém no timão. Tivesse ele no início do ano reunido todos os partidos aliados, e dito: eu escolho o vice, porque tem de ser da minha confiança, e vocês definem a candidatura ao Senado na chapa por pesquisas; não estaria ele hoje acuado no canto do ringue envolto num mar de intrigas.

ADVERSÁRIOS DEFINIDOS

O SÉRGIO PETECÃO (PSD) já tem o advogado João Tota (PSD) como seu vice e a deputada federal Vanda Milani (PROS) de candidata ao Senado; a Mara Rocha (MDB) terá a deputada federal Jéssica Sales (MDB), como candidata a senadora, e a escolha do vice não comportará confusão; o deputado Jenilson Leite (PSB) terá o Jorge Viana (PT) no espaço para o Senado, e o vice não terá problema na escolha. Só na chapa do Gladson que está tendo toda essa confusão. Quem está no poder tem de saber usar o poder. Ou não tem sentido ficar num cargo de mando.

FRASE MARCANTE

“O sofrimento é o fio com o qual se tece o tecido da alegria”. Henri-Marie de Lubac.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!