Menu

Disputa de coronéis de barranco pela Prefeitura de Xapuri

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Em Xapuri, que já foi berço e enclave político do PT, terá o cenário da eleição municipal deste ano diferente, ocupado por dois autênticos “coronéis de barranco” da política xapuriense. De um lado, o ex-deputado Antônio Pedro (UB), que será candidato a prefeito; e do outro, seu ferrenho adversário, o deputado Manoel Moraes (PP), que ainda não anunciou, de forma oficial, o nome do seu candidato. Uma disputa sem um favorito declarado. De concreto, apenas uma coisa: dificilmente, o candidato a prefeito pelo PT, Júlio Barbosa, conseguirá manter o comando da Prefeitura de Xapuri pelo seu partido. Será a queda do último bastião do PT no poder, no estado.


DISPUTA FEROZ
A disputa entre secretários municipais e políticos bolsonaristas para ver quem mais bajula o Bolsonaro na sua passagem pelo Acre será muito feroz.


PREGO SEM ESTOPA
Quem se encontra num orgasmo permanente com a visita do Bolsonaro é o senador Marcio Bittar (UB/AC), que não sai da cola do ex-presidente. O sonho de Bittar é, com a visita, embalar a candidatura do Bocalom, para ter uma base eleitoral e buscar sua reeleição em 2026. Bittar não dá prego sem estopa.


NÃO VAI RESOLVER NADA
Não passa de proselitismo a palestra sobre Segurança Pública, a acontecer no auditório da Fieac, por um conferencista bolsonarista. Não vai resolver o problema da violência no Estado. Meras teorias ao vento.


FICOU UMA GRAÇA
A Nota Oficial do PP ficou uma graça. Refere-se, em certo trecho, ao “nosso presidente Gladson Cameli”, e quem assina o manifesto é o próprio governador Gladson. Falta de atenção de quem redigiu a dita nota.


POSIÇÃO PESSOAL
Estamos em uma aldeia pequena e conhecemos os índios. Não houve a decisão do colegiado do PP, na retirada da candidatura de Joelso Pontes (PP) a prefeito de Brasiléia. Certa ou errada, foi uma decisão pessoal do Cameli, e ponto final.


PASTEL DE VENTO
Não tem nenhuma importância no resultado da eleição para prefeito de Brasiléia, quem ficou ou deixou de ficar com o comando do PP (que existe no nome, no município). A eleição está polarizada entre a Suly Guimarães (PP) e a Leila Galvão (MDB). Estão brigando pelo comando de um pastel de vento.


CIDADÃO POPULAR
O Bolsonaro é hoje apenas um “ex”, um cidadão popular com milhares de fanáticos seguidores. Está com os direitos políticos cassados, inelegível, portanto; indiciado criminalmente por falsificação de atestado de vacinação e prestes a se tornar réu em outras ações. É neste cenário que visita Rio Branco.


CAMPANHA É UM ENIGMA
Com a sua declaração num vídeo divulgado ontem, fica confirmada, em tese, a candidatura de Jéssica Sales (MDB) a prefeita de Cruzeiro do Sul. Não significa, entretanto, que já ganhou a disputa com o prefeito Zequinha Lima (PP). Eleição se decide na campanha, que se sabe como começa, mas não se sabe como termina. A campanha é um enigma.


VARANDO O MUNDO
A vice-governadora Mailza Assis (PP) entendeu, enfim, que não se ganha eleição para o governo se restringindo ao seu mundinho evangélico. Chegou a visitar essa semana a distante comunidade de Foz do Breu, no Alto Juruá. Está varando o mundo.


CONFIRMAÇÃO DA QUEDA
A pesquisa do Datafolha, também, confirmou a queda na popularidade do governo Lula. O presidente esqueceu que a reeleição dele será decidida no Brasil, e não em viagens rotineiras ao exterior.


PODE LEVAR BOMBA
O Lula costuma se reinventar nos seus piores momentos. Tem mais de dois anos de mandato para retomar a popularidade. Ou volta a ficar mais perto do povo, ou leva bomba em 2026. A política costuma pregar peças.


FANATISMO É UMA LOUCURA
Vendo uma entrevista ontem de uma senhora de idade que, ao ser perguntada porque tinha ido receber o Bolsonaro, disse que lutava pela volta dele para a presidência; para o Lula não “implantar o aborto” no país, como se isso pudesse ser feito por decreto presidencial. O fanatismo e a ignorância embotam as mentes.


MEU PIRÃO PRIMEIRO
O presidente do PDT, deputado Luiz Tchê, decidiu lançar o filho candidato a vereador, naquela de quem por isso não quiser ficar no partido, a porta para a saída está aberta.


DIA D
O próximo dia 6 de abril é o Dia D, para se saber se a candidatura de Alysson Bestene (PP) a prefeito de Rio Branco é para valer. Como é secretário da SEGOV e ordenador de despesa, terá que deixar o cargo para se candidatar. É a hora da verdade.


EM PESO
Todos os cargos comissionados da Prefeitura de Rio Branco foram convocados, por cada secretário da pasta, a comparecer em peso para aplaudir o Bolsonaro no aeroporto. O bolso falou mais alto: não faltou um.


NÃO É DE SE ADMIRAR
Caso o ex-deputado Jenilson Lopes (PSB) apareça na convenção municipal como o vice na chapa do Marcus Alexandre (MDB), que disputará a PMRB, ninguém se admire.


POUCOS ACREDITAM
Tenho encontrado poucas pessoas que acreditam ser a candidatura do deputado federal Roberto Duarte (REPUBLICANOS) para valer. Também quero, antes, ver o registro na Justiça Eleitoral, para acreditar.


NEM ABRAÇOU O SEU MITO
Como bolsonarista juramentado, o deputado e candidato a prefeito de Rio Branco, Emerson Jarude (NOVO), nem pôde ir ao aeroporto abraçar o Bolsonaro, porque a festa era do seu adversário, Tião Bocalom (PL).


NINGUÉM AGE MAIS
Não conheço ninguém que atue mais nos bastidores para implodir a candidatura de Alysson Bestene (PP) a prefeito de Rio Branco e levar o PP para ser um puxadinho do PL, que o senador Marcio Bittar (UB). Sem falar no “fogo amigo”, que Alysson sofre no governo.


FRASE MARCANTE
“Um homem inventa uma mentira e dezenas de outros a propagam como verdade”. Ditado chinês.


Participe do grupo e receba as principais notícias na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.