Menu

Não espere um “discurso de Lenin”, bobinho

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

No próximo domingo, o programa “Fantástico” da Rede Globo, o de maior audiência da TV brasileira, será interrompido para um pronunciamento do Lula da Silva. Neste momento histórico ele dirá que a partir de agora o Brasil é um país socialista, que todas as propriedades rurais serão expropriadas e entregues ao MST, que a liberdade de ajuntamento e manifestação popular estão proibidas, que a liberdade de expressão será vigiada sendo vedada qualquer palavra ofensiva ao governo, que os jornais, sites e TVs estarão sob tutela do Estado, que os setores estratégicos da economia (financeiro, energia, comunicação etc.) serão estatizados, que unidades habitacionais e até quartos serão expropriadas e entregues ao MTST, que serão criadas falanges armadas populares para garantir a ordem (em outros países costumam usar criminosos soltos), que serão criados comitês parlamentares comunitários para limitar as prerrogativas do Congresso Nacional, que será criada uma guarda nacional bolivariana, digo, dinossauriana, e que tudo já está combinado com o Judiciário que acha isso tudo muito democrático, constitucional e necessário e as forças armadas cumprirão solenemente o seu papel de não fazer nada. Quem discordar, se despeça da família.


É brincadeira, bobinho. O pronunciamento não acontecerá. Não é assim que um governo socialista transforma o regime. Foi-se o tempo em que uma organização política tomava explicitamente o governo e instaurava claramente e de uma vez só o seu regime de horror. Agora é aos poucos, devagar devagarinho, contando com a sua ignorância e boa-fé. Se você, inocente, acha que vive numa democracia porque votou e a policia ainda não bateu na sua porta, entre na fila e aguarde a vez. 


Outro dia fui provocado por um colega que me cobrava a ameaça socialista que eu apontava como razão para minha posição política conhecida por todos, como se tudo estivesse caminhando normalmente. Sim, tenho amigos bobos. Tão bobos que não ouvem o rugir da fera e esperam seus dentes arreganhados para reconhecê-la. Contudo, não é difícil ouvi-la, basta estar atento.


A infâmia praticada contra os manifestantes em 8 de janeiro intimidou boa parte dos brasileiros que, a partir daí, ficaram sabendo que podem ser presos sem motivo. A oposição é praticamente digital e sobre ela vem um novo abuso.


Invasões de terras – há hoje um evidente endosso às invasões de terras e próprios privados por meliantes de toda espécie. Não por acaso, o Stédile acompanhou o Lula da Silva em viagem à China.


Estatização – o Lula da Silva deu um stop em todas as privatizações a começar pelo marco do saneamento (sabe-se lá o motivo, foi derrubada essa semana).


Mandou prender e mantém assim centenas de presos políticos por cima do devido processo legal, sem individualização da conduta delituosa, sem acesso aos autos. Cito alguns – Deputado Daniel da Silveira (crime de fala), Índio Tsererê (crime de fala), Humorista Bismar Fugazza (crime de fala), ex-Ministro Anderson Torres (crime de… ninguém sabe). São inúmeros.


Perseguição aos CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores de armas) – para desarmar possíveis antagonistas e fragilizar os defensores de propriedades, estão investindo contra os CACs, principalmente os da área rural.


Insiste em forçar a adoção de uma política monetária frouxa a partir do Banco Central, para escangalhar as contas públicas e fazer bondades temporárias sem se importar com a inflação – Roberto Campos Neto resiste (felizmente).


Pretende a qualquer custo controlar a comunicação – se não for pelo congresso comprado a alto preço, que seja na marra como já declarado, através do ministério da justiça e seus comparsas em outros ambientes.


Pretende criar a guarda nacional que submeteria todas as forças policiares a uma nova perspectiva de ação, em defesa do novo ordenamento político. Na Venezuela podemos ver o exemplo do seu funcionamento.


Leniência com traficantes e pretensão de desencarceramento de centenas de milhares de delinquentes – mão-de-obra para as cruéis milicias populares a exemplo da Venezuela.


Criação de comitês comunitários – na Venezuela eles solaparam o poder legislativo do Congresso e tem amparo nas milícias.


Proibição da PRF de atuar em crimes que não sejam de trânsito – traficantes adoraram não ter suas cargas apreendidas por acaso.


Sustentação financeira de aliados autoritários – já proclamou que fará todo sacrifício (às nossas custas) para socorrer a ditaduras e fracassos amigos.


Submissão do parlamento – estamos vendo como se comportam os chefes das duas casas parlamentares, sempre em obediência canina à pauta governamental, manobrando regimento, prazos e prerrogativas em seu favor.


Chega. A lista é enorme e cada vez mais minuciosa e particular, o que não vem ao caso. Ficam de fora também o aparelhamento do Estado com amigos despreparados mas obedientes, a distribuição de cargos e poder a aliados genuflexos, as ações desastradas na geopolítica internacional alinhando-se com ditaduras (China, Rússia, Irã, Nicarágua…), a oferta da Amazônia ao controle ambiental da ONU, a promessa de transformar o aborto em questão de saúde pública e muito mais. Para um adversário intelectualmente honesto, isto bastaria como demonstração de que há feras na floresta, duro é encontrá-lo. 


Na mídia dos jornais e das TVs diárias, a maioria dos jornalistas dão de isentões de cuecas vermelhas, ou vão de cara limpa negando tudo (faz parte do manual). Ou seja, os homens e mulheres que prezam valores e princípios como a liberdade, a vida e a propriedade lutam contra uma realidade monstruosa que enxergam, mas que se nega e se disfarça até que o engula. Como diria o “Capitão Nascimento”, o SISTEMA é f*. O governo usa praticamente todo seu manual aloprado, sacrifica a população, atua em déficit crescente, enforca o cidadão em impostos, compromete nossa soberania, aumenta o poder estatal, chantageia parlamentares e governantes, alia-se à impostura de processos inconstitucionais, enche de grana (nossa) as burras de celebridades e influencers (que palavrinha!) e se agiganta devastando o que resta entre nós de liberdade e democracia.


Um último recado ao amigo que me cobra o socialismo. Não espere o discurso de domingo, ele não virá, bobinho, preste atenção no dia a dia. Ou, lembrando, Friedrich Von Hayek, a liberdade não se perde de uma vez só, mas em fatias, como se corta um salame.



Valterlucio Bessa Campelo escreve semanalmente no site ac24horas e, eventualmente, no seu BLOG, no site Liberais e Conservadores do Percival Puggina e em outros sites.