Menu

Valério revela que Petecão e Alan Rick tentaram tomar PSL

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O presidente do Partido Social Liberal (PSL) declarou em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (4), que o partido passa a fazer parte, oficialmente, da base do governo de Gladson Cameli (Progressistas), visando as eleições do próximo ano. Segundo ele, a decisão faz parte de um acordo com a direção nacional da sigla. “O PSL faz parte da base do governo. Vamos apoiar a reeleição do governador. Está decidido”, ressaltou.


Em relação às tentativas de tomada da sigla, Pedro destacou que o deputado federal Alan Rick (DEM) tentou se articular em Brasília, no entanto, não obteve sucesso. O presidente liberal ponderou que a mesma manobra foi feita pelo senador Sérgio Petecão (PSD), visando fortalecer sua aliança em uma provável candidatura majoritária ao governo. “Ele tentou levar o partido para sua horta. Ele tentou fazer isso como provável candidato a governador, mas coube a direção nacional decidir pelo caminho a seguir”, argumentou.


Sobre Alan, Valério disse que recebeu uma ligação do parlamentar afirmando que jamais teria tentado tomar o partido e que a articulação que existia era com o presidente nacional da executiva, Luciano Bivar. “O Alan me ligou, explicou isso. E eu tenho como verdade. Num primeiro momento existia uma insatisfação dele com o DEM, mas isso já foi resolvido e ele vai ficar lá”, explicou.

Publicidade

Valério confirmou que o vice-presidente do PSL, Antônio de Rueda, vem ao Acre no próximo dia 14 para filiar o secretário de Saúde, Alysson Bestene e o médico Eduardo Veloso, 1º suplente do senador Márcio Bittar (MDB).


Segundo o dirigente, a presença de Rueda tem como objetivo fortalecer o partido. Ele explicou que os novos filiados deverão ser candidatos a deputados federal.


Em relação ao vice-governador, Wherles Rocha, o presidente do partido disse que as portas da sigla continuam abertas ao militar. “Espero que ele faça parte da base com a gente. A decisão é dele”, explicou o dirigente, reforçando que Rocha jamais comandou o partido, mas sim o pleito da capital em 2020. “Ele teve carta branca para fazer em Rio Branco o que quisesse”.


Conforme anunciado pelo ac24horas, a presença de Antônio de Rueda no estado confirma as articulações feitas pelo governador Gladson Cameli, Pedro Valério e o senador Márcio Bittar esta semana, em Brasília, para tirar a sigla da esfera de influência do vice-governador major Rocha, que migrou do PSDB para o PSL na intenção de fortalecer a candidatura de Minoru Kinpara à prefeitura de Rio Branco no ano passado.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido