Conecte-se agora

Alguns indicadores da economia acreana publicados em outubro de 2022

Publicado

em

Vamos hoje fazer um breve relato dos principais indicadores econômicos do Acre, divulgados em outubro pelas diferentes fontes (IBGE, CAGED, Ministérios etc.), que foram trabalhadas e divulgadas pelo Observatório do Fórum Empresarial de Inovação e Desenvolvimento do Acre. Endereços úteis que diariamente divulgam dados sobre a economia acreana pode ser acessadas através dos seguintes endereços: https://www.instagram.com/observatoriodoacre/?hl=pt-br, https://www.instagram.com/forumempresarial.ac/?hl=pt-br. e http://observatoriodoacre.org.br/

Comércio exterior em setembro: com o resultado do mês, no acumulado do ano (janeiro a setembro), o saldo da balança comercial alcançou US$ 44,74 milhões, superando em 22,2% o valor do mesmo período de 2021 (US$ 36,61).  

Conforme dados publicados hoje (5/10), pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, em setembro de 2022, o Acre exportou US$ 3,17 milhões e importou, US$ 1,78 milhão, resultando em um saldo na balança comercial de US$ 1,79 milhão. 

Em setembro as exportações de milho representaram 27,2% do total (US$ 862 mil), seguido por Madeira e derivados que representaram 26,3% (US$ 835 mil), Castanha 23,5% (US$ 747 mil),  Bovinos e derivados 13,2% (US$ 417 mil) e Suínos e derivados 3,9% (US$ 124 mil). Em setembro, os principais destinos das exportações acreanas foram para a Venezuela (19%), Peru (13%) e Hong Kong (11%).

Previsão da Safra de setembro: IBGE mantém previsão e prevê safra recorde de 161,7 mil toneladas de grãos para 2022

Em setembro, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas estimada para 2022 no Acre deve totalizar 161,7 mil toneladas, 20,7% maior que a obtida em 2021 mantendo a informação de agosto. A área a ser colhida é de 86,6 mil hectares, 6,8% maior que em 2021.

A estimativa da produção da mandioca foi de 511,2 mil toneladas, com baixa de 3,3% em relação a 2021. Para o café, a produção estimada foi de 2,6 mil toneladas, aumento de 4,8% em relação à 2021. A produção de banana deverá alcançar 86,8 mil toneladas, aumento de 5,3% em relação à 2021.

Comércio em agosto: varejo no Acre varia positivamente em 1,3%

Em agosto de 2022 o volume de vendas no comércio varejista acreano variou 1,3% frente a julho, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste, frente a agosto de 2021, o comércio cresceu 2,7%. No ano, o acumulado foi a 0,4% e nos últimos doze meses, a variação é negativa de -2,4%.

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas subiu 1,9% frente a julho. O volume de vendas frente a agosto de 2021 subiu 0,4%. O acumulado no ano a variação é negativa com -2,0% e o nos últimos 12 meses, de -4,6%.

Preços ao consumidor em setembro: deflação medida pelo IPCA foi de -0,09% em Rio Branco.

Na capital do Acre, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro foi de -0,09%, terceiro mês seguido de deflação. Foi a menor variação para um mês de setembro desde o início da série histórica (janeiro de 2020). No ano, o IPCA acumula alta de 3,74% e, nos últimos 12 meses, de 6,88%, abaixo dos 8,65% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em setembro de 2021, a variação havia sido de 1,56%.).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, dois tiveram queda em setembro. Apesar de recuar menos do que no mês anterior (-2,39%), o grupo dos Transportes (-1,63%) contribuiu novamente com o impacto negativo mais intenso sobre o IPCA do mês: -0,41 ponto percentual (p.p.). Na sequência veio a Comunicação (-1,32%. Porém, o Grupo de Alimentação e bebidas, que atinge mais a camada mais pobre da população, subiu 0,5% e acumula no ano um crescimento de 9,07%.

Construção civil em setembro: custos no Acre ficou 7,6% acima do custo Brasil

O custo estadual da construção, por metro quadrado, que em agosto fechou em R$ 1.777,30, passou em setembro para R$ 1.796,91, sendo R$ 1.168,89 relativos aos materiais e R$ 628,02 à mão de obra. O custo do Acre ficou 7,6% acima do custo Brasil e 8,6% acima do custo da Região Norte.

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) do Acre foi de 1,10% em setembro, 0,48 ponto percentual acima da taxa de agosto (0,62%) e 0,67 ponto percentual abaixo da taxa de setembro de 2021 (1,77%). O acumulado nos últimos doze meses foi para 16,30%, resultado pouco abaixo dos 17,07% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. O acumulado no ano fechou em 11,35%. Em setembro de 2021 o acumulado do ano tinha sido 10,48%.

Serviços em agosto: volume de serviços cresce 6,1% em agosto

Em agosto de 2022, o volume de serviços no Acre se expandiu 6,1% frente a julho, na série com ajuste sazonal. O setor está 1% acima do nível pré-pandemia (fevereiro de 2020) e 18,7% abaixo ponto mais alto da série histórica (fevereiro de 2014). Na série sem ajuste sazonal, frente a agosto de 2021, o volume de serviços cresceu 0,5%, interrompendo dois resultados negativos O acumulado do ano chegou a 2,0% e o acumulado nos últimos doze meses passou de 6,4% em julho para 4,5%.

Já a Receita Nominal de serviços no Acre se expandiu 3,5% frente a julho, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste sazonal, frente a agosto de 2021, a Receita Nominal de serviços cresceu 7,4%, interrompendo o resultado negativo no mês passado. O acumulado do ano chegou a 9,3% e o acumulado nos últimos doze meses passou de 13,1% em julho para 11,4%.

Emprego com carteira assinada em setembro: Acre registou saldo de 752 empregos.

O Acre teve um saldo positivo de 752 vagas formais de trabalho em setembro de 2022, após ter obtido um saldo de 887 vagas em agosto. Os dados foram divulgados hoje (26/10), pelo Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e da Previdência. O saldo de setembro foi resultado de 3.780 contratações menos 3.028 de demissões.

No acumulado do ano de 2022, foi registrado saldo de 7.052 empregos, decorrente de 39.168 admissões e de 32.116   desligamentos. Nos últimos 12 meses (agosto de 2021 a setembro de 2022), foi registrado saldo de 8.605 empregos, decorrente de 59.588 admissões e de 40.983 desligamentos. O estoque de empregos formais, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos no estado, encerrou agosto com 93.922 de empregados. 

Conforme o CAGED, a Regional do Baixo Acre teve um saldo positivo de 4.443 empregos formais de trabalho, no período de janeiro a setembro de 2022, que representa 63% de todo saldo gerado pelo estado (7.052 empregos). Em seguida, com 15,2% aparece a Regional do Juruá com saldo de 1.075 empregos. Na terceira posição aparece a Regional do Purus com 13,7% do saldo das vagas (965 empregos). As Regionais do Alto Acre (5,6%) e a Regional do Tarauacá/Envira (2,5%) são as que menos obtiveram saldo no período.

Em relação ao estoque dos empregos, o CAGED informa que das 93.922 pessoas com carteira assinada, 76,4% estão localizadas na Regional do Baixo Acre (71.785 pessoas), com destaque para Rio Branco (63.436 pessoas). A Regional do Juruá com 1.075 pessoas aparece com 9% dos empregos formais.  As Regionais do Purus (5,9%) e do Alto Acre (5,6%) aparecem praticamente empatados nos empregos registrados com carteira assinada (5.528 e 5.291, respectivamente). A Regional do Tarauacá/Envira, figura com um estoque de 2.882 pessoas, representando somente 3,1% do total estadual. 


Orlando Sabino escreve às quintas-feiras no ac24horas

Extra Total 2

Em clima de Copa do Mundo, Aleac ilumina-se de verde e amarelo

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 4

Moraes multa coligação de Bolsonaro em R$ 22,9 milhões após PL pedir anulação de votos

Publicado

em

Continuar lendo

Acre

Árvores da Praça da Catedral são cortadas por engano em Rio Branco

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Pré-história do Acre será tema de curso no Sesc/Centro de Rio Branco

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.