Tem sido cada vez mais comum a presença de adolescentes e jovens adultos em viveiros de mudas e comércio de plantas em geral. O Acre, especialmente, tem vivido um aumento significativo dessa demanda nos últimos anos. Com isso, o é notório ainda a expansão do mercado de plantas, tanto em estabelecimentos físicos, como em perfil nas redes sociais.

 

O Viveiro Feirão das Plantas, localizado na rua Raimundo Gama, próximo da Avenida Ceará em Rio Branco, é um dos mais antigos da capital acreana e tem percebido essa mudança de clientela. Para o casal proprietário do estabelecimento, “as pessoas estão vendo como ter plantas é uma terapia”.

 

 

O Feirão das Plantas existe há 23 anos, mas José Barroso Saadi e sua esposa, Andréia Lameira, já estão no ramo há cerca de 43 anos. “Minha mãe trabalhava com isso e continuei a carreira. Tenho curso de paisagismo e sou formado em Arquitetura. Pretendo fazer pós-graduação em paisagismo também, pois uma coisa puxando a outra”, explica.

 

Quem trabalha com plantas atualmente afirma que trata-se de um ramo rentável, que está crescendo e expandindo cada vez mais. O retorno financeiro tem variado bastante nos últimos anos. Mas a unanimidade fica por conta da demanda de clientes por essa área. “Mudou. Cada dia muda, moderniza mais, descobrimos novas coisas”.

 

Os proprietários do Feirão das Plantas garantem que foi a partir do período de pandemia do novo coronavírus que a procura pelas plantas ganhou maior visibilidade em Rio Branco. “As pessoas começaram a gostar mais de plantas”. O estabelecimento trabalha com jardinagem (Jardins), plantação de grama, fabrica seus próprios vasos, venda de mudas até palheiras de grande porte, produz nosso adubo, entre outros serviços.

 

“Mas o que os clientes mais procuram conosco é a parte de jardins, acredito que por sermos pioneiros nesse setor. Os jardins estão com mais demanda ultimamente, por ter crescido o número de construções em nossa cidade”. De acordo com os profissionais, as plantas trazem benefícios em todos os sentidos. “Com a pandemia vimos isso, o quanto faz bem para o ser humano. Melhora o ar e ainda ajuda na nossa saúde mental mesmo. É incrível o número de pessoas que começaram a tratar como um hobby”.

 

Quem acabou ganhando com essa situação foram os viveiros, que giram esse mercado como um todo. “Os clientes já fazem suas compras como forma de lazer, por isso cada vez mais estamos melhorando nosso ambiente para torná-lo mais aconchegante”.

 

São clientes de todas as idades que andam procurando insumos do mercado de plantas e mudas, mas, nesse período de 2020-2022, aumentou substancialmente o número de clientes jovens. “Mas a maioria de nossos clientes ainda são aqueles dentro da faixa etária de 30-60 anos”.

 

 

O que vem ocorrendo, conforme os profissionais desse ramo, é que as pessoas estão vendo como ter plantas em casa pode se tornar de fato uma terapia, algo que leva lazer e alegria para as famílias. “Implantamos modernização nesse segmento e ao mesmo tempo os clientes procuram esse serviço por se conectar à natureza”.

 

Para os iniciantes, o ideal é que o consumidor saiba as características da planta e seu tipo de habitat, assim, poderá cuidar da maneira correta. O básico desse cuidado, que pode ser diário ou não, é regar, trocar o adubo sempre, podar, fazer a limpeza, etc.

 

Os proprietários dos Viveiro Feirão das Plantas esperam que esse ramo cresça ainda mais. “Tivemos contato real com nossos clientes e podemos ver o quanto isso faz bem para o ser humano. Muitas pessoas usam isso como forma de tratamento para ansiedade, depressão, e além de deixar o lar ainda mais bonito e colorido, dá vida e esperança a todos. Esperamos realmente que as pessoas possam abrir as mentes para essa área e ver o quanto ela tem a oferecer além da estética”, concluem.

 

Previous
Next
error: Conteúdo protegido!