Conecte-se agora

TJAC tem opções de estágio voluntário com duração de uma a quatro horas semanais

Publicado

em

Voluntariado pode ser boa opção para aprender, ensinar ou mesmo ocupar o tempo

O trabalho voluntário pode ser uma maneira de ajudar uma instituição que você admira, de aprender sobre o serviço público ou até mesmo uma forma de não permanecer parado depois da aposentadoria com tantos conhecimentos acumulados ao longo da vida.

É doação e é qualificação. Uma oportunidade dos mais antigos compartilharem saberes com as gerações mais novas e essas, por sua vez, aprenderem os a interagir no serviço público ou a lidar com a população, que demanda cada vez mais a prestação de serviços de qualidade.

O Tribunal de Justiça do Acre tem, desde 2015, seu próprio programa de voluntariado dirigido a pessoas já graduadas, bem como a acadêmicos do nível superior. A carga horária varia de 4 a 20 horas semanais.

Lilian Alcântara, 22, acadêmica do Curso de Direito, encontrou no trabalho voluntário uma forma de continuar aprendendo, mesmo com a suspensão, devida à pandemia, das aulas presenciais no município de Sena Madureira, onde vive, localizado a cerca de 140 quilômetros de Rio Branco.

“É muito gratificante e é de uma responsabilidade extrema, porque o acadêmico tem a noção de como as coisas acontecem na prática; e é por esse processo que a gente tá passando aqui, no estágio voluntário. Em tempos de pandemia, a gente além de precisar ter as aulas no formato online, está sem uma base sólida na prática. Mas com o estágio disponibilizado pelo TJ, a gente tem essa base. Gratidão, somente gratidão ao TJ”, disse a acadêmica.

Essa também é a opinião de Luisvaldo Rodrigues, 21, que pratica o voluntariado na Vara Cível de Sena Madureira e considera a experiência seu “pontapé inicial” no Judiciário.

“Como eu estou no 5º período, eu ainda estou, vamos dizer, nos passos iniciais. Quando eu vi que havia essas vagas de estágio voluntário disponíveis, eu já agarrei logo a oportunidade. Eu não havia feito nenhum estágio ainda. Eu pensei, essa vai ser minha porta de entrada no mundo jurídico. E a experiência está sendo uma coisa totalmente nova pra mim”, falou.

Para a juíza de Direito Adimaura Souza da Cruz, aderir a um programa de voluntariado é, antes de tudo, “uma forma de compartilhar conhecimentos”, entre várias outras coisas.

“Para aqueles que estão começando, o voluntariado, além de dar as primeiras noções de como o Judiciário é, na prática, também possibilita que o voluntário preencha seu currículo com este primeiro aprendizado, abrindo-lhe portas no mercado de trabalho. (…) Eu mesma comecei como voluntária no TJAC. (…) O diretor de Secretaria da unidade, Joaquim Meireles, começou também desta mesma forma. No caso daqueles que já se aposentaram, o voluntariado, além de possibilitar que a experiência por eles adquirida seja partilhada, também é uma maneira de se sentirem úteis, prestando serviços à sociedade. Afinal, como já dizia o poeta ‘a vida é um eterno aprendizado’.”

“Vale a pena. Eu faria tudo outra vez”

O hoje aposentado juiz de Direito Marcelo Badaró encontrou no voluntariado uma forma de ir além do mero exercício da jurisdição e levar esperança para detentos do sistema prisional.

Desde quando ainda estava na magistratura, ele se já se reunia com apenados que desejavam participar de conversas sobre espiritualidade, evolução e mudanças no estilo de vida, como voluntário em outro órgão do chamado sistema de Justiça, o IAPEN AC. A aposentadoria chegou, mas o voluntariado não parou. Atualmente o juiz de Direito aposentado conversa, uma vez por semana, com homens e mulheres que respondem perante a Lei Maria da Penha. Um trabalho que continua a buscar a pacificação da sociedade. Desta vez, atuando em um voluntariado voltado, em última análise, principalmente às famílias e aos lares.

“Esse tipo de trabalho requer um certo desprendimento, doação e uma boa dose de compromisso pessoal, pois os desafios a serem superados são grandes! Existe muita dor e sofrimento entre as pessoas, que, por sua vez, precisam de um olhar humanitário e espiritual. Sem esse tipo de ajuda, muitos não conseguem sequer nutrir a expectativa de superar as próprias dificuldades (…)  que lhes causam constrangimentos de toda natureza”, disse.

Perguntado se o voluntariado é uma boa opção para aposentados que sentem que ainda podem contribuir com a sociedade ou para aqueles que não se adaptaram bem ao estilo de vida na aposentadoria, Marcelo Badaró respondeu: “se eu pudesse dizer algo a essas pessoas, sejam elas religiosas ou não, diria o seguinte: vale a pena; eu faria tudo outra vez”.

Vem com a gente!

Se você pensa – ou já pensou – em fazer um trabalho voluntário, ajudar a sociedade e ainda adquirir e compartilhar experiências, venha auxiliar o Poder Judiciário do Estado do Acre. Não há cadastramento, nem período de inscrições. Basta você enviar um e-mail para [email protected] e informar a área que deseja atuar.

O contrato para prestação de serviço voluntário no Poder Judiciário acreano tem duração de seis meses, podendo ser prorrogado uma única vez, totalizando o período possível de um ano, no máximo.

Converse com nossa equipe e descubra como você pode ajudar o Poder Judiciário a prestar um serviço cada vez mais célere, eficiente e de qualidade à população em todo o estado, da capital Rio Branco à Santa Rosa do Purus, Jordão ou a qualquer outro município acreano onde a Justiça seja necessária.

Cotidiano

Neném Almeida pede retorno do auxílio emergencial para servidores da saúde no Acre

Publicado

em

O deputado Neném Almeida (Podemos) publicou em suas redes sociais um pedido de retorno do Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS), ao governo do Estado.

Esse adicional de insalubridade foi destinado aos servidores da Saúde e da Segurança Pública e tinha a intenção de suprir os gastos excepcionais e emergenciais decorrentes da exposição excessiva de agentes públicos aos efeitos da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Como justificativa para o retorno do pagamento, o parlamentar destacou que com o aumento do números de casos de Covid-19, esses profissionais voltarão a ser muito exigidos no combate à essa doença, e que por isso merecem um abono financeiro. “É extremamente importante que todos os servidores que estejam na linha de frente sejam contemplados com esse benefício. Precisamos ajudar aqueles que nos ajudam”, destacou Almeida.

O deputado finaliza lembrando que muitos desses profissionais após o contato com essa doença ficaram com sequelas como limitação respiratória, ansiedade e depressão, e outros chegaram a perder a própria vida no combate ao vírus.

Continuar lendo

Cotidiano

Moradora reclama da demora de quase 2h para realização de atendimento em Upa

Publicado

em

A moradora do bairro Belo Jardim II, na região do Segundo Distrito, em Rio Branco, Elaine Priscila Gomes, 30 anos, resolveu procurar a reportagem do ac24horas neste domingo, 16, para denunciar demora no atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no conjunto habitacional da Cidade do Povo.

Segundo ela, na unidade de saúde estavam aguardando cerca de 15 pessoas, no entanto, o médico, Renan Nunes da Silva não cumpriu o início dos atendimentos, fazendo com que os pacientes esperassem mais de 2 horas. “Eu cheguei era mais de 13 horas, e já era mais de 15 horas e não fui atendida. Isso é um descaso. Ficamos mais de hora aguardando atendimento”, declarou.

Em resposta ao atraso, a denunciante contou que a recepcionista da UPA falou que o médico só atenderia casos de emergência, no entanto, após quase 2 horas de espera ele resolveu chamar os pacientes para o atendimento. “A moça disse que o médico tava lá para atender emergência. Deu três horas. O médico estava bem dormindo”, reclamou.

A reportagem do ac24horas buscou contato com a direção da unidade de saúde, no entanto, não obtivemos resposta.

Continuar lendo

Cotidiano

Corpo desaparecido, incêndio criminoso e naufrágio são registrados no interior do Acre

Publicado

em

O fim de semana está agitado nos municípios de Manoel Urbano e Sena Madureira, foram várias ocorrências, entre elas, um homem de identidade não revelada, do Estado do Amazonas, caiu da ponte ao tentar fazer uma selfie na noite de sábado, 15, na ponte sobre o Rio Purus. O mesmo está desaparecido e mergulhadores tentam localizar o corpo. A informação foi repassada pelo Sargento Queiroz, do Corpo de Bombeiros da região.

De acordo com os relatos, o turista estava com um grupo de amigos, quando decidiu parar na ponte para tirar uma fotografia, no entanto, após um descuido, o homem caiu nas águas do Rio Purus. “O rapaz é morador do município de Lábrea, estava passeando, parou na ponte e acabou caindo, desaparecendo”, explicou.

O militar destacou que na manhã deste domingo, 16, a equipe de mergulhadores continua com as buscas, mas até o momento, não encontraram o corpo do turista.

Já no município de Sena Madureira, ocorreu no sábado, 15, no bairro Canizio Brasil, um incêndio criminoso, onde os agentes arrombaram a residência e atearam fogo nos móveis da vítima. “O fogo consumiu os móveis e derreteu a parte do PVC do forro”, ressaltou.

Por fim, ainda em Sena, duas embarcações afundaram no Rio Macauã, sendo uma voadeira e uma canoa, ambas estão no fundo do manancial. “Apenas danos materiais”, informou o sargento.

Informações Aldejane Pinto

Continuar lendo

Cotidiano

Sem acertadores, Mega-Sena acumula em R$16 milhões para quarta-feira (19)

Publicado

em

Não houve acertadores no sorteio deste sábado (15) da Mega-Sena e o próximo prêmio está estimado em R$ 16 milhões.

As dezenas sorteadas no sábado foram: 15 -17 – 20 – 35 – 37 – 43.

A quina teve 58 apostas ganhadoras, cada uma vai receber R$ 30.313,67. Já a quadra teve 3.161 acertadores e cada um vai ganhar R$ 794,59.

O próximo sorteio será na quarta-feira (19). As apostas podem ser feitas também pela internet.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Content is protected !!