Conecte-se agora

Balança comercial registra o maior superávit dos últimos onze anos 

Publicado

em

A estabilidade com tendência de queda nas importações acompanhada do crescimento nas exportações fez a balança comercial do Acre registrar o maior superávit para meses de outubro dos últimos 11 anos (desde 2010). Em outubro, o estado exportou US$ 2,42 milhões a mais do que importou, conforme divulgou o Ministério da Economia.

É o melhor resultado para um mês de outubro dos últimos 11 anos e superou outubro de 2019, quando a balança comercial tinha registrado superávit de US$ 2,40 milhões. No mês, o estado vendeu US$ 2,576 milhões para o exterior, com leve alta de 2,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. As importações também subiram, somando US$ 163.242, aumento de 52,4%.

Com o resultado do mês passado, a balança comercial acumula superávit de US$ 26,872 milhões de janeiro a outubro. Esse também é o melhor resultado da série histórica para o período dos últimos 11 anos, superando o mesmo período de 2017 (superávit de US$ 24,964 milhões).

No acumulado de 2020, as exportações somam US$ 28,880 milhões, aumento de 8,7% na comparação com o mesmo período de 2019. As importações totalizam US$ 2,008 milhões, aumento de 24,1%. 

Os destaques do valor das exportações no ano ficam por conta da madeira e seus derivados, que respondeu por 40,4% no mês de outubro e por 36,1% de janeiro a outubro. Em seguida figuram os derivados de bovinos, com 25,8% no mês e com 29,6% até outubro. A cada ano que passa vemos o crescimento das exportações dos derivados de suínos, que responderam por 11,1% em outubro e por 5,7% no ano. A castanha do Brasil que ainda responde por 12,2% do total das exportações do ano, em outubro representou somente 1,3%. Merece também destaque as exportações do milho e da soja e seus derivados. Em outubro representaram   8,4% do valor total das exportações e 10,6% no acumulado no ano.


Até outubro, os seis principais destinos das exportações em termos de valor são, pela ordem: Hong Kong (20,2%) com um total de US$ 5.832.242; Peru (14,4%) com US$ 4.164.74, Estados Unidos (11,9%) e US$ 3.437.906, Bolívia (10,8%) com US$ 3.127.195, China (9,7%) com US$ 2.788.064, Holanda (9,6%) com US$ 2.764.938 e a França (6,7%) totalizando US$ 1.941.129. 

Somente 25,7% das exportações acreanas foram realizadas pelos nossos postos alfandegários: Assis Brasil (16,1%) exportou o equivalente a US$ 4.653.598 e Epitaciolândia (9,5%) correspondendo a US$ 2.756.536. Os principais locais das exportações do Acre no ano, foram: Porto de Manaus (32%) com um valor de US$ 9.233.053, Porto de Santos (20,6%) correspondente a US$ 5.954.106 e o Porto de Paranaguá (17,4%) com US$ 5.018.135.

As importações do Acre até outubro de 2020 estão concentradas em 14 países. Os seis principais, pela ordem, são: 1.China com US$ 665.828, correspondente a 33,2%, incluindo bens de capital, bens intermediários e bens de consumo; 2. Espanha com US$ 236.224, que corresponde a 11,8% do total na maior parte bens intermediários; 3. Índia com US$ 180.035, equivalente a 9,0% do total, também na sua maioria bens intermediários; 4. Argentina com US$ 169.540, com 8,4% do total, bens intermediários, principalmente farinha do trigo; 5.Turquia com US$ 159.788, equivalente a 8,0% do total e; 6. Reino Unido, de onde importamos bens de capital, equivalentes a US$ 136.539, correspondendo a 6,8% do total importado de janeiro a outubro.

No Brasil, a balança comercial encerrou 2019 com um saldo de US$ 48,035 bilhões, o segundo maior resultado positivo da história. A estimativa é que o saldo de 2020 seja menor devido à pandemia do novo coronavírus. Porém, a retração das importações em ritmo maior que a das exportações elevou as projeções de saldo.

Segundo a Agência Brasil, com base no boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, os analistas de mercado preveem superávit de US$ 58,7 bilhões para este ano. O Ministério da Economia atualizou a estimativa de saldo positivo para US$ 55 bilhões, com leve queda em relação à estimativa de US$ 55,4 bilhões divulgada em julho.

Os números do Acre são interessantes, mostrando que mesmo em um momento de crise sanitária, nosso comércio com o exterior apresenta uma performance positiva, não acusando a crise. Temos muito que avançar. O comércio externo é reflexo do dinamismo da economia. Sem querer fazer comparações desconectadas de todo um contexto social e econômico que separa os dois estados, o saldo comercial do nosso vizinho Estado de Rondônia, no período de janeiro a dezembro de 2020, foi 29,5 vezes maior que o saldo do Acre (US$ 793,422 milhões). Sabemos que muito dos produtos produzido aqui, como a nossa carne, é exportado por Rondônia e por outros estados, portanto, torna-se necessária essa regularização para que as nossas estatísticas possam melhorar. Porém, de concreto, existe um mundo de oportunidades no comércio exterior para os nossos produtos e para as nossas riquezas. Precisamos produzir mais.


Orlando Sabino escreve às quintas-feiras no ac24horas.

 

Destaque 2

Advogadas de paciente que praticou racismo são impedidas de entrar no Hosmac

Publicado

em

Continuar lendo

Acre 01

Estudante tem vaga por cota racial negada, mas consegue liminar para medicina na Ufac

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 6

Comissão de Ministérios quer zerar desmatamento até 2030

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Lula parabeniza Marina Silva por seus 65 anos: “companheira nos meus 3 mandatos”

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.