Menu

Pesquisar
Close this search box.

Entenda a herpes-zóster, doença que acomete o apresentador Fernando Rocha

Fernando Rocha (Crédito: Instagram)
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O apresentador global Fernando Rocha usou as redes sociais nesta quinta-feira, 27, para falar sobre seu diagnóstico de herpes-zóster. Em vídeo compartilhado no Instagram, o jornalista de 57 anos revelou que foi diagnosticado e tem sofrido “dores lancinantes”.


“Esse vírus da catapora, chamado varicela-zóster, fica armazenado no corpo, esperando uma janela de oportunidade. Essa janela vem com a baixa imunidade, com variações emocionais. Sem saber precisar exatamente o que foi, mas estou com herpes zoster há cerca de uma semana. Já tomei os remédios antivirais que são necessários durante uma semana e agora estou encarando as sequelas dessa doença, que é a dor. É uma dor muito grande. É uma dor lancinante, é como se fosse uma espada fincando na parte da costela”, desabafou o jornalista.


O que é herpes-zóster?

Anúncios


O herpes-zóster é uma doença infecciosa. Também conhecida como cobreiro, é causada pelo vírus da varicela-zóster, mesmo responsável pela catapora.


À IstoÉ Gente, a Dra. Mayla Carbone, médica dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que a condição pode incorrer em qualquer idade, mas é “mais comum em pacientes imunossuprimidos, idosos e pessoas que, na infância ou na adolescência, tiveram contato com o vírus varicela (catapora) ou com uma infecção viral subclínica que tenha ficado latente no gânglio nervoso”.


A especialista ainda destaca que o vírus da herpes-zóster pode sinalizar doenças adjacentes, como condições que deprimem o sistema imunológico.


Diagnóstico


Segundo Mayla, a detecção da doença pode ser feita de forma clínica ou por meio de exames de sangue com sorologias IGM e IGG. Os sintomas incluem lesões vesiculares sobre uma base avermelhada, geralmente acompanhadas de ardor, coceira, vermelhidão e dor nevrálgica (fortes dores nos nervos).


“O herpes-zóster geralmente acomete gânglios paravertebrais, então tem acometimentos específicos. Mas pode, também, acometer a face. Por isso, requer diagnóstico e tratamento específico, para evitar as dores nevrálgicas pós-tratamento”, alerta a médica.


Tratamento


Mayla explica que o tratamento é feito com medicamentos antivirais via oral. No entanto, a depender da extensão da doença, pode ser necessário o uso de medicamento antiviral endovenoso, o que requer internação hospitalar.


“A parte mais importante do diagnóstico é em relação à dor neuropática que acontece muito, e é uma das principais complicações. É uma dor em que o paciente refere, muitas vezes, por anos depois do tratamento. Quanto antes diagnosticarmos e tratarmos, melhor será para esses pacientes”, explica.


Por fim, a médica ressalta que existe uma vacina que previne as complicações da condição, e aconselha a vacinação de indivíduos a partir de 50 anos ou pacientes a partir de 18 anos que tenham alguma comorbidade, como imunodepressão, HIV positivo, em tratamento de quimioterapia, entre outras.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido