Menu

Pesquisar
Close this search box.

Eleições 2024: “medalhões” que serão candidatos deverão ser exonerados

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Nos próximos dias, o Diário Oficial deve começar a publicar uma enxurrada de exonerações provocadas pela legislação eleitoral. É que conforme as regras que disciplina o processo das eleições, o servidor público comissionado precisa se afastar das funções, no mínimo, três meses antes do pleito. Como as eleições municipais este ano acontecem no dia 6 de outubro, o prazo limite é no próximo dia 6, daqui a 14 dias.


Com isso, tanto o governo do estado, quanto as prefeituras vão precisar exonerar seus comissionados que serão candidatos.

Anúncios


Alguns membros do governo e da prefeitura de Rio Branco, por exemplo, foram exonerados de cargos em que eram ordenadores de despesa, que, neste caso, o prazo de desincompatibilização é maior, mas foram nomeados em outras funções da administração pública onde não são responsáveis por pagamentos.


Estão incluídos na lista, os ex-secretários de Bocalom Joabe Lira (Cuidados com a Cidade), Sheila Andrade (Saúde) e Cláudio Falcão (Coordenador da Defesa Civil). Todos os três foram nomeados em outras funções.


Ainda na prefeitura da capital acreana devem ser exonerados de seus respectivos cargos outros nomes que estão em posições estratégicas e que serão candidatos nas próximas eleições como Rila Freze, diretora de Direitos Humanos, Maria Magri, diretora de Planejamento da Secretaria de Assistência Social e Daniela Paiva, que integra o gabinete de Bocalom.


Já no governo do estado, os principais nomes que irão ser exonerados são de João Paulo Silva, ex-presidente da Fundação Hospitalar, nomeado em cargo comissionado na Casa Civil e Gabriela Câmara, ex-presidente do Instituto de Terras do Acre, que está nomeada no próprio Iteracre.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido